Vitória cobra Bahia por danos causados pela torcida no Barradão

21 de fevereiro de 2018, 08:49

O atleta Vinícius, do Bahia, fez uma dancinha direcionada à torcida do Vitória, o que acarretou a ira dos jogadores do rubro-negro baiano ( Foto: Reprodução/ TV Globo )

Fora dele, mais especificamente na área visitante do Barradão, destinada à torcida tricolor, o clube rubro-negro sofreu uma série de danos que serão cobrados diretamente do Bahia.

O prejuízo do Vitória com o “Ba-Vi da Paz”, no último domingo (18), não foi apenas dentro de campo, com inúmeras expulsões e a derrota por 3 a 0 por W.O.

Fora dele, mais especificamente na área visitante do Barradão, destinada à torcida tricolor, o clube rubro-negro sofreu uma série de danos que serão cobrados diretamente do Bahia.

Segundo o relatório feito pelo clube após os atos de vandalismo da torcida tricolor, os prejuízos chegam a R$ 23 mil. O banheiro do setor visitante foi depredado, enquanto a porta do bar foi parcialmente destruída, assim como o alambrado do estádio Manoel Barradas.

De acordo com o advogado Roberto Dantas, o clube rubro-negro já tomou algumas atitudes e trabalha em duas frentes para reaver os prejuízos provocados pela torcida do Bahia -incluindo até uma ação contra o rival na FBF (Federação Bahiana de Futebol) e no TJD-BA (Tribunal de Justiça Desportiva).

“São duas coisas distintas. Estamos cobrando diretamente o Bahia pelos prejuízos causados; e, em paralelo, estamos ainda representando contra o clube na FBF e no TJD, encaminhando o respectivo relatório dos danos causados, acompanhado das imagens”, disse o advogado à reportagem.

Houve troca de agressões entre torcedores do Bahia na arquibancada do Barradão. Antes da partida, já tinha sido registrada uma briga generalizada que resultou na prisão de 13 torcedores. Com informações da Folhapress.

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS