Municípios

Figura histórica do PT de Jacobina anuncia filiação ao PC do B

02 de abril de 2020, 15:47

Foto: Reprodução/Google

Um dos principais nomes do Partido dos Trabalhadores (PT) de Jacobina, Gilberto Modesto Alves, anunciou na manhã desta quita-feira (2), a sua desfiliação da agremiação. A informação pegou o Diretório Municipal do partido de surpresa, já que segundo informações a iniciativa não haveria sido comunicado à diretoria.

Procurado pelo Notícia Limpa, Gilberto não quis dar detalhes sobre a sua decisão em deixar o partido que era filiado desde a década de 80, se reservou apenas em dizer que estava insatisfeito com o comportamento hostil e desagregador de alguns companheiros da legenda. O agora ex-petista confirmou sua filiação ao Partido Comunista do Brasil (PC do B), que tem como liderança no município o vereador e pré-candidato a prefeito Tiago Dias.

Gilberto Modesto fez parte da diretoria do Sindicato dos Bancários de Jacobina e Região por vários mandatos e atualmente exerce a função de sub-gerente da unidade do Serviço de Apoio ao Cidadão de Jacobina (SAC/BA). Na última eleição ele fez campanha para Neusa Cadore (deputada estadual) e Afonso Florence (federal). Sua saída do PT acende uma espécie de luz vermelha no partido local já que outros integrantes do grupo que sempre fez parte pode acompanhar sua decisão.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jacobina: Em menos de 48 horas, prefeito altera novamente decreto e amplia o número de serviços considerados essenciais

01 de abril de 2020, 11:06

Foto: Notícia Limpa

Jacobina: Em menos de 48 horas, prefeito altera novamente decreto e aumenta o número de serviços essenciais

Em um intervalo de menos de 48 horas, o prefeito de Jacobina, Luciano Pinheiro mexe mais uma vez no Decreto que determina algumas ações para evitar a disseminação no novo coronavírus (Covid-19) na cidade. Depois desistir de reabrir o comércio, prorrogando a quarentena até o dia 12 de abril, conforme decreto publicado em uma edição extra na noite de domingo (29), uma nova ordem do chefe do Executivo Municipal autoriza a abertura de estabelecimentos comerciais nos mais diversos segmentos.

Nesta última decisão, estão caracterizados como ‘serviços essenciais, entre outros: casas de rações, sementes e defensivos agrícolas,  lojas do setor de construção civil, oficinas mecânicas, autopeças, borracharias, serviço de segurança privada, industrias e estabelecimentos de vendas de material de limpeza.

A resolução do prefeito que flexibiliza a abertura de algumas atividades comerciais no município tem sido motivo de reclamações de comerciantes de segmentos que não foram contemplados com a medida, como loja de roupas e eletrodomésticos. Sendo um dos principais pólos de revenda de peças para veículos e oficinas mecânicas especializadas do interior da Bahia, a liberação para funcionamento destes estabelecimentos em Jacobina é motivo de preocupação para as cidades vizinhas e moradores local, pois inevitavelmente ocorrerá aglomerações de pessoas e estimulará o fluxo de veículos intermunicipais, alterando o controle de isolamento social dos municípios que optaram por medidas mais rígidas.

“O momento não é para escolher quem pode ou não ser contaminado. O risco não é apenas para os trabalhadores das empresas autorizadas em funcionar, como também para seus familiares”, relatou um funcionário de uma oficina mecânica. Com a mesma preocupação, a dona de casa Rosângela Cruz, reclama do que chama de ‘indefinição em relação aos cuidados com a população’. Já um empresário do ramo de confecções, que também pediu para não ser identificado, as decisões do município de Jacobina vai de encontro ao que tem sido orientado pelas autoridades de saúde do mundo todo para conter a propagação e evitar mortes pelo Covid-19. “Ele (prefeito) tem que dizer claramente o que realmente está pensando em relação à esta doença. Será que acredita que o jacobinense é imune a este perigoso vírus?”, reclamou.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Uma atitude do bem contra um mal coletivo – Em Jacobina delicatessen distribui de graça pães e mantimentos para quem precisa

31 de março de 2020, 14:44

Foto: Divulgação

Em momento de pandemia, várias atitudes dignas de elogios são tomadas pelo brasileiro do bem para contribuir para diminuir o sofrimento das pessoas que já passam a ter dificuldades em adquirir alimentos por falta de dinheiro, no caso principalmente de trabalhadores autônomos e até mesmo onde encontrar para doação, como é o caso de pessoas em situação de rua.

Em Jacobina a Delicatessen Dellypães lançou uma campanha para distribuir pães e outros mantimentos para pessoas necessitadas. Conforme o proprietário do estabelecimento, Levi Bahia, a iniciativa tem objetivo de ajudar as pessoas que estão impossibilitadas de trabalhar devido à recomendação de isolamento social durante a pandemia do novo coronavírus.

De acordo com Levi, a ajuda também se estende às pessoas que foram demitidas e que passam por algum tipo de dificuldade. Segundo ele, não há necessidade de realizar nenhum tipo de cadastro. As pessoas podem ir diretamente a Delicatessen e retirar uma sacola com uma quantidade de pão ou outro mantimento que venha a ser doado pelos clientes. “Como o beija flor, vamos fazendo a nossa parte do incêndio da floresta”, disse Levi, lembrando que o cliente os seus clientes também podem participar desta campanha fazendo doações de mercadorias e até mesmo de pão, aumentando assim a quantidade ofertada. “O cliente também, poderá deixar a doação no cesto, seja de pão ou outro alimento, e quem for buscar não precisa ficar constrangido pois o cesto ficará na entrada da loja, sempre a partir das 16 horas, informou.

Dellypães – Com perfil de restaurante, a Dellypães é um dos mais novos empreendimentos do ramo em Jacobina. Além de uma grande variedade de pães, sua área de lanches é bastante concorrida, com destaque para os salgados, tortas, bebidas e o excelente o rodízio de pizzas às quintas-feiras. Para quem busca cafeteria, lanchonete, pizzaria e padaria em um só lugar, tudo da melhor qualidade, vale à pena conhecer e degustar os produtos oferecidos, com atendimento por uma equipe qualificada e dinâmica. A empresa se destaca também com o seu comprometimento com os valores sócio-ambientais. A Dellypães realiza o reaproveitamento do óleo de soja, a coleta seletiva do lixo que produz, entre outros.

A Dellypães, que fica ao lado da Igreja da Matriz, próximo ao Posto de Saúde, foi escolhida pelos seus usuários como a melhor delicatessen de Jacobina. O TripAdvisor.com é um site de viagens que fornece informações e opiniões de conteúdos relacionados ao turismo. Ele também inclui fóruns de viagens interativos

Quarentena – A disseminação do novo coronavírus pelo mundo vem colocando os brasileiros em quarentena nos últimos dias. Eventos, shows e reuniões estão sendo cancelados. Em diversas cidades do país O comércio recebeu a orientação de permanecer fechado e apenas serviços essenciais devem abrir.

Em Jacobina, seguindo as orientações das autoridades de saúde e acompanhando a decisão de diversos prefeitos de cidades baiana, o Executivo Municipal ampliou o período de quarentena por mais 15, com prazo para encerrar  no dia 12 de abril, caso não ocorra algum fato que justifique uma nova prorrogação. Muitos comerciantes já demonstram preocupação com a situação, mas a opinião em relação à necessidade do isolamento social é maioria entre os que se manifestam através de redes sociais. “Sinto muito pelos nossos colaboradores, principalmente os que completam suas rendas com comissão de vendas; mas estamos vivendo um problema que atinge não somente os que recebem pelos serviços prestados, como também os que oportunizam essa possibilidade, que são os empresários”, lamentou um empresário local.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jacobina: No primeiro dia da ampliação da determinação do fechamento do comércio o movimento na cidade é quase ‘normal’ (Fotos e vídeo)

30 de março de 2020, 15:29

Foto: Notícia Limpa

A cidade de Jacobina amanheceu nesta segunda-feira (30) com a notícia de que o governo do município ampliou a determinação de quarentena por mais 15 dias. O decreto de renovação e ampliação do isolamento social foi publicado em uma edição extra do Diário Oficial na noite deste domingo, dia 29.

 

Apesar das lojas fechadas, muitas pessoas eram vistas circulando na Rua Coronel Teixeira (Calçadão)

O ato administrativo foi amplamente divulgado através de redes sociais e sites de notícias locais, mas por a decisão ter sido tomada de forma repentina boa parte da população foi pega de surpresa. Muitos trabalhadores do comércio chegaram a ir para seus trabalhos, quando foram avisados da nova determinação.

O prefeito Luciano Pinheiro tinha decidido pela abertura do comércio nesta segunda-feira, inclusive anunciando sua decisão através de uma entrevista concedida a uma emissora de rádio na última sexta-feira (27), mas mudou de ideia depois de uma série de críticas e manifestações de instituições como o Consórcio Público Interfederativo de Saúde do Piemonte da Chapada Norte (Consan), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), subseção de Jacobina e o Sindicato dos Empregados no Comércio.

Enquanto as pessoas se aglomeravam nas filas do lado de fora das agências bancárias, o carro de som alertava para a necessidade do isolamento social

O decreto publicado na noite deste domingo altera e acrescenta artigos do Decreto 129, de 23 de março de 2020 .

Desafiando as orientações do município e das autoridades de saúde de todo o mundo, muitos jacobinenses circularam pela cidade durante a manhã desta segunda-feira como se nada estivesse acontecendo. A aglomeração de pessoas era facilmente visível em vários pontos da cidade, principalmente em portas de agências bancárias. Com a ausência da cobrança da Zona Azul, os estacionamentos de veículo estavam lotados.

Com exceção de farmácias, agências bancárias, supermercados e restaurantes, todos os estabelecimentos comerciais do centro da cidade permaneceram fechados. Como na primeira semana de quarentena, trabalhadores dos Correios, da MAF, empresa que está construindo o esgotamento da cidade e do Serviço de Apoio ao Cidadão  (SAC/Bahia), não encerraram suas atividades.

 

Nas filas, a orientação do distanciamento não foi respeitada

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

URGENTE: Prefeito de Jacobina volta atrás e mantém comércio fechado por mais 15 dias

29 de março de 2020, 22:28

Foto: Divulgação

O prefeito de Jacobina, Luciano Pinheiro, acaba de assinar mais um decreto de lei desautorizando a abertura do comércio da cidade. A determinação foi publicada em uma edição extra do Diário Oficial do Município e encaminhada para a imprensa na noite deste domingo (29).

De a acordo à nova decisão do Executivo Municipal, estão suspensas todas as atividades não consideradas não essenciais e os serviços que ainda poderão ser oferecidos como a venda de gás de cozinha, água mineral e refeições terão de seguir as recomendações, tanto os estabelecimentos comerciais e as pessoas físicas.

O decreto publicado na noite deste domingo altera e acrescenta artigos do Decreto 129 de 23 de março de 2020.

A notícia pega de surpresa comerciantes e funcionários. A maioria do jacobinense só saberão da decisão do prefeito quando chegar em seus locais de trabalho, já que até a tarde deste domingo a ordem era para o funcionamento.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Prefeitos da região e OAB reagem a medida do prefeito de Jacobina de abrir comércio

29 de março de 2020, 18:06

Foto: Notícia Limpa

Em Carta Aberta encaminhada para o prefeito de Jacobina, Luciano Pinheiro, prefeitos do Consórcio Público Interfederativo de Saúde do Piemonte da Chapada Norte (CONSAN), pediram que a determinação da reabertura do comércio do município seja revista. No documento os gestores demonstram preocupação, já que Jacobina seria a única cidade a não renovar ou ampliar o período de quarentena que visa evitar a disseminação do Covid-19 (novo coronavírus) na região.

Conforme os prefeitos que assinam a Carta, “é público e notório que vivemos uma pandemia provocada pelo novo Coronavírus, momento singular e histórico, com alto número de infectados e mortos, em todo o mundo, que já chegou ao nosso país e região, com potencial para levar o sistema de saúde ao colapso, ceifar milhares de vidas, abalar a economia, que desafia nossa capacidade de união e a mudarmos nosso comportamento para diminuir o impacto do surto global, evitar o caos social, e, principalmente, preservar vidas”.

Finalizando o texto de caráter argumentativo e instrutivo, os chefes dos executivos regionais, concluem: “Pautados nessas considerações e no compromisso, acima de tudo, com A VIDA os prefeitos do CONSAN solicitam ao prefeito de Jacobina que reconsidere a decisão, para que juntos, unindo forças, possamos buscar as melhores estratégias para vencer a COVID-19”.

A Ordem dos Advogados da Bahia (OAB), subseção Jacobina, também se manifestou da decisão do município de Jacobina que vai de encontro aos seu vizinhos em liberar o funcionamento do comércio em um dos momentos mais cruciais da pandemia do novo coronavírus, segundo as autoridades de saúde de todo o mundo.

Entre outras coisas, a OAB/Jacobina, questiona as medidas preventivas tomadas, se a quantidade de aparelhos respiratórios é suficiente para possíveis contaminados e as quais as estratégias para atendimentos. No ofício datado de 27 de março de 2020, a OAB//Jacobina, através do seu presidente, Joel Nunes Victoria Junior, também expõe suas inquietações e solicita respostas ao prefeito Luciano Pinheiro. Entre os questionamentos estão:

“Quantos aparelhos de respiração mecânica possuem o município de Jacobina, Bahia, para atendimento dos casos graves da doença decorrente do COVID-19 e qual a unidade hospitalar que será destinada para os atendimentos dos casos de gravidade?”, “Quanto as UTI’s e leitos hospitalares, há algum plano adotado pelo município de Jacobina, Bahia (…)? Se o Município de Jacobina, Bahia, pela Secretaria Municipal de Saúde, preparou alguma medida preventiva de combate no sentido de dotar e prevenir, em decorrência do anuncio pela autoridade municipal de reabertura do comércio local e/ou pela caducidade do art. 6.º, § 3.º do Decreto Municipal de nº 129, de 23 de março de 2020, a municipalidade de meios outros que impeçam a disseminação da contaminação pelo COVID-19?

A OAB/Jacobina encerra o ofício pedindo urgência nas respostas: “Aguardamos, com a máxima urgência, resposta ao presente expediente, ao tempo que externamos votos de estima, estando essa instituição a disposição do Executivo Municipal para auxiliar nas ações de combate a proliferação do citado agente nocivo Coronavírus, uma vez que essa Subseção possui uma Comissão de Saúde, integrada por advogados com conhecimento da área de saúde, em pleno funcionamento”.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Comércio jacobinense volta a funcionar a partir desta segunda-feira, dia 30, dividindo opiniões (Fotos)

28 de março de 2020, 15:46

Foto: Notícia Limpa

A decisão da Prefeitura de Jacobina de não prorrogar o decreto que determinava o fechamento do comércio local tem divido a opinião do jacobinense. Como medida preventiva, no primeiro momento, após decisão tomada com a anuência dos órgãos que representam os estabelecimentos comerciais da cidade, todas as lojas em funcionamento no município, com exceção de serviços considerados essenciais como farmácias, supermercados, lanchonetes, restaurantes e panificadoras estavam proibidos de funcionar. O Decreto datado do último dia 23, tornará sem valor a partir desta segunda-feira, dia 30.

Nesta sexta-feira (27), durante entrevista à uma emissoras de rádio o prefeito Luciano Pinheiro anunciou que não iria renovar o Decreto, por tanto, o funcionamento de todo o comércio está autorizado em Jacobina. A decisão agradou empresários e uma grande parte de vendedores ambulantes da cidade, mas contrariou também muita gente, inclusive moradores e gestores de municípios vizinhos.

Um áudio que circula nas redes sociais, atribuído a Ricardo Requião (Caca), prefeito de Miguel Calmon, uma das 9 cidades pertencentes ao Território de Identidade Piemonte da Diamantina, o qual Jacobina é sede, o vizinho gestor reclama da decisão da abertura do comércio. Segundo o áudio, a cidade de Jacobina não estaria sendo justa com as demais em seu entorno, pois enquanto a maioria permanecerá em quarentena a maior aglomeração urbana da região estaria com suas lojas abertas, o que provocará uma circulação perigosa de pessoas neste momento de prevenção contra a disseminação do Covid-19 (novo coronavírus). O áudio solicita que o prefeito de Jacobina reveja a decisão de autorizar a abertura do seu comércio.

Mesmo com o apelo de comerciantes local, Caca decidiu manter o fechamento do comércio calmonense através de decreto.

Feira livre – Com movimento reduzido, muitos feirantes evitaram abrir seus estabelecimentos e montar suas ‘barracas’. A agitação da área destinada à venda de bebidas e comidas conhecida como ‘Corredor da Morte’, pela primeira vez em sua história não funcionou. Estava, autorizadas apenas as vendas de produtos considerados essenciais.

Calçadão – A Rua Coronel Teixeira, conhecida também como ‘Calçadão’, chegou no sexto dia do decreto que determinou o fechamento com a circulação somente de moradores que residem em suas proximidades. Nenhuma loja se encontrava aberta.

Na manhã deste sábado (28), a Praça Rio Branco estava totalmente vazia

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Pandemia do coronavírus: Em nota, Saeb justifica funcionando da unidade do SAC de Jacobina

26 de março de 2020, 12:28

Foto: Notícia Limpa

Desde o início da pandemia do Covid-19 (novo coronavírus), o site Notícia Limpa tem chamado atenção para a necessidade da prevenção, noticiando as ações das autoridades de saúde e públicas para conter a disseminação do vírus, principalmente no Brasil. O descumprimento das determinações e orientações por parte dos municípios através de decretos é perceptível e preocupante, ao ponto de provocar a manifestação da população através dos meios de comunicação.

Em Jacobina, em claro desrespeito ao que se tem empregado em relação ao isolamento social, a necessidade de se evitar o contato com outros indivíduos, a não interação em atividades sociais, serviços não considerados essenciais estão funcionando normalmente, com grandes empresas obrigando seus funcionários a trabalhar, mesmo que o contato entre as pessoas seja inevitável, a exemplo da MAF Escave, empresa responsável pela execução da obra de esgotamento sanitário de Jacobina quem mantém frentes de serviços em diversas ruas da cidade.

Além da MAF, a Lojas Americana, que inclusive teve lojas fechadas pela fiscalização sanitária de Salvador por não obedecer a ordem de quarentena daquele município, permanece de portas abertas, assim como a unidade do SAC/Jacobina (Serviço de Apoio ao Cidadão), causando desconforto para os funcionários que temem ser contaminados e revolta da população que ver como uma afronta às leis a exposição de vulnerabilidade dos empregados.

No final da tarde desta quarta-feira (25), em resposta à citação do órgão na matéria intitulada: “Cidade não segue à risca as medidas que visam conter o coronavírus” (veja aqui: https://noticialimpa.com.br/jacobina-cidade-nao-segue-a-risca-as-medidas-que-visam-conter-o-coronavirus/), a Secretaria de Administração da Bahia (Saeb) encaminhou um comunicado para o Notícia Limpa, justificando o funcionamento da unidade do SAC de Jacobina, mas sem dar detalhes sobre os riscos de contaminação dos funcionários que ainda realizam atendimentos presenciais, mesmo que estes sejam agendados, conforme constatou a reportagem

Leia abaixo o comunicado enviado pela Saeb:

Ao Notícia Limpa

Informamos que o Ponto SAC de Jacobina está funcionando apenas mediante agendamento por hora marcada com o objetivo de evitar a aglomeração, controlando o acesso.

Desde que passamos a atender somente por agendamento, em 23/03, foi atendida uma média de 10 pessoas por dia. Não permanecem dentro da unidade mais de 50 pessoas simultaneamente, contando com os servidores. 

O agendamento deve ser realizado através do www.sacdigital.ba.gov.br

Assessoria de Comunicação Saeb  –  71 3115-3347

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Equipes continuam realizando Barreiras Sanitárias em Jacobina

25 de março de 2020, 21:54

Foto: Ascom/PMJ

(Da assessoria) – Desde o último sábado (21), prepostos de diversos setores da Saúde e da Segurança Pública do município de Jacobina têm realizado o serviço de barreiras sanitárias em pontos estratégicos  da cidade..

Nesta quarta-feira (25), a equipe do Centro de Referência da Saúde do Trabalhador (Cerest), e prepostos da 24ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) e Serviço Munucipal de Tráfego e Transportes (SMTT), estiveram realizando ações de conscientização, aferição da temperatura corporal com pirometro (termômetro infravermelho) e a verificação para detectar casos suspeitos do novo coronavírus em pessoas oriundas de outras cidades da Bahia e do Brasil.

As ações fazem parte das medidas preventivas contra o COVID-19 (coronavírus), estabelecidas pela Prefeitura de Jacobina. 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jacobina: Cidade não segue à risca as medidas que visam conter o coronavírus (Fotos)

25 de março de 2020, 15:23

Foto: Notícia Limpa

O município de Jacobina entra em seu terceiro dia de quarentena após o primeiro decreto oficial da Prefeitura Municipal para conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19). Para algumas atividades como a educação, a paralisação vai até o dia 6 de abril, ‘caso não surjam casos novos’, como informou o prefeito Luciano Pinheiro, durante coletiva à imprensa no último dia 20.

Já os funcionamentos do centro comercial e outros estabelecimentos de vendas de produtos que não sejam considerados essenciais, como bares, estão proibidos até a meia noite do dia 29 de março. Novos decretos determinam também o fechamento de parques ambientais e acessos à cachoeiras, como a Véu de Noivas, na comunidade de Itaitu. Conforme o Executivo Municipal, essas medidas podem ser renovadas, estendidas ou suprimidas, se houver necessidade.

O site Notícia Limpa, tomando todos os cuidados de prevenção, orientados pelas autoridades de saúde do país e do mundo, ao circular pela cidade percebeu que as determinações que constam nos decretos 127 do dia 20 de março e 129 de 23 de março, não estão sendo cumpridos à risca. A reportagem encontrou algumas lojas atendendo com ‘meia porta’ e outros estabelecimentos passando por reformas físicas com os trabalhadores totalmente sem equipamentos de proteção individuais.

Umas das demonstrações de desrespeito ao que determinaram os decretos municipais, está o funcionamento da Lojas Americanas da cidade. Enquanto todo o comércio da cidade se encontra fechado, a loja de departamento mantém o funcionamento com alegação de que seria serviço essencial, pois vende alimentos. Em Salvador, duas lojas da rede foram fechadas e autuadas pela fiscalização daquele município, conforme divulgado pela imprensa baiana.

Indo de encontro também à campanha do Governo do Estado da Bahia contra a disseminação do novo coronavírus, onde pede que todos os baianos não saiam de casa, que obedeçam o isolamento social, a unidade do Serviço de Apoio ao Cidadão de Jacobina (SAC/BA), continua de portas abertas, atendendo as pessoas que fizeram agendamento online. Com contato direto com os atendidos, os funcionários estão expostos à contaminação, o que tem gerado indignação e preocupação.

Através de notas jornalísticas, o Notícia Limpa tem chamado a atenção para o risco de contaminação dos servidores que trabalham no SAC/Jacobina, mas até o momento, nem a gerência da unidade do órgão na cidade, nem o governo do Estado se pronunciou em relação ao assunto.

Covid-19 na Bahia – A Bahia registra, até o início da tarde desta quarta-feira (25), 85 pacientes confirmados com coronavírus (Covid-19), 725 casos descartados e não há óbitos. Este número contabiliza todos os casos de janeiro até às 11 horas desta quarta-feira (25). Falta consciência neste momento crítico

Os municípios com casos positivos são estes: Barreiras (1); Brumado (1); Camaçari (1); Conceição do Jacuípe (1); Conde (1); Feira de Santana (8); Itabuna (1); Jequié (1); Juazeiro (2); Lauro de Freitas (3); Porto Seguro (8); Prado (2); São Domingos (1); Teixeira de Freitas (1); e Salvador (52 casos, com a ressalva que três casos são importados, visto que o local de residência é fora da Bahia, mas a notificação foi feita na capital).

Ressalta-se que os números são dinâmicos e na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Os 7 alimentos que são ladrões de energia

Você provavelmente já ouviu falar e leu bastante sobre alimentos e suplementos que aumentam sua disposição e te deixam mais animado para encarar um treino ou até mesmo as tarefas do dia a dia. Mas também existe o outro lado dessa moeda. Não faltam vilões neste mundo na nutrição: os alimentos que são ladrões de energia e podem atrapalhar bastante sua rotina na corrida ou até mesmo se tornar um obstáculo numa prova.

Esses “ladrões” de energia atuam de diferentes maneiras no organismo. Em alguns casos, oferecem tanto açúcar que, num primeiro momento, essa elevada taxa de glicose resulta em mais disposição, mas, logo em seguida, a insulina liberada para normalizar essa glicose faz justamente o caminho contrário. E aí o cansaço chega com tudo.

Também tem aqueles alimentos que dão tanto trabalho para o sistema digestivo que muitos nutrientes são desviados para ajudar nesse processo, fazendo com que eles faltem na produção de energia em outras funções do organismo. Resultado: o corpo logo sente essa queda de disposição.

Para te ajudar a evitar esse cansaço causado pela má alimentação, acionamos três especialistas para fazer uma lista dos maiores ladrões de energia, suas principais armas e como combatê-las. Confira!

Os ladrões de energia 

Carboidratos simples

Alimentos com farinhas brancas vão roubar energia se consumidos em excesso. “Em um pré-treino, por exemplo, são aliados, mas viram vilões se não houver uma atividade física depois”, pondera Mayara Ferrari, nutricionista funcional esportiva. “Isso acontece porque a quantidade de açúcar no sangue fica muito elevada e o pâncreas libera mais insulina para quebrar todos esses carboidratos. Isso pode causar uma grande redução de açúcar no sangue, resultando em fadiga e falta de energia.”

Sal

Aquele sal extra para dar mais gosto à comida pode te deixar mais cansado. Em quantidade exagerada, o sal aumenta a pressão arterial e deixa o organismo mais desidratado porque mais água é necessária para compensar. “Ele prejudica o funcionamento adequado do organismo, que ficará a todo momento buscando esse equilíbrio. Isso dará uma sensação de cansaço e fadiga. Esporadicamente um pouco de sal não tem problema, mas abusar dele diariamente ou usar em grande quantidade é bastante prejudicial”, adverte Mayara.

Alimentos gordurosos e frituras

A gordura em excesso dificulta a digestão e atrapalha a chegada dos nutrientes à corrente sanguínea. “Como possuem uma digestão mais
lenta, eles fazem com que a circulação se concentre na região abdominal por mais tempo. Isso causa uma sensação de letargia e sonolência durante a digestão, que pode passar de três horas. E isso não é bom para quem vai se exercitar, pois precisará de boa circulação nos membros”, alerta a nutricionista Lara Natacci.

Doces

A lógica nesse caso é parecida à dos carboidratos simples: como eles são ricos em açúcar, dão um pico de energia no primeiro momento porque aumentam a quantidade de glicose no sangue, mas se a pessoa não for praticar uma atividade física logo em seguida, essa disposição logo pode virar cansaço. “O organismo vai aumentar a secreção de insulina para normalizar a glicemia, que é a quantidade de glicose no sangue. Por isso, a sensação de aumento de energia deve durar pouco e dar lugar à fadiga”, reforça Lara Natacci.

Café

O café, um dos estimulantes mais populares, também pode roubar sua energia. Ele realmente gera mais disposição num primeiro momento, mas sua ação no sistema nervoso tem como um dos efeitos a fadiga. “A cafeína, no cérebro, obstrui os efeitos da adenosina, substância que ajuda na transferência de energia e na promoção do sono, dando o efeito estimulante”, explica André Lemos, médico nutrólogo. “Por outro lado, também inibe a degradação da acetilcolina, que aumenta o estímulo muscular. E a consequência disso são o cansaço e a debilidade”, completa.

Corantes e conservantes

Presentes em muitos produtos industrializados, como nuggets, embutidos (salame, presunto, mortadela, peito de peru) e salsichas, eles
modificam o funcionamento adequado do organismo, que tenta repor o que os corantes “tiram” no processo de digestão. “Eles causam uma cascata de processos inflamatórios e oxidantes. Para reverter essa situação, disponibilizamos muitas vitaminas e minerais, fazendo com que o restante do organismo não funcione adequadamente”, destaca Mayara.

Refrigerante

O refrigerante é um dos “ladrões de energia” mais temidos. Alguns maratonistas e ultramaratonistas o utilizam durante provas quando já estão acostumados a seus efeitos, inclusive psicológicos, mas, para o organismo, eles não têm nada de “bonzinhos”. Isso porque o refrigerante, em geral, tem tudo em excesso: açúcar, sódio e corantes. Assim, desencadeia todos os processos já descritos de uma só vez. Além disso, estudos apontam que o refrigerante ainda pode atrapalhar o padrão de sono, prejudicando o descanso e interferindo na disposição.

VÍDEOS