Os benefícios da castanha-do-Brasil para o colesterol

13 de outubro de 2019, 09:35

Também conhecida por castanha-do-Pará, é um fruto seco com um teor calórico elevado e riqueza nutricional abundante (Foto: Reprodução)

A castanha-do-Brasil, também conhecida por castanha-do-Pará, já é um alimento muito apreciado. Este fruto seco, apesar de representar um elevado teor calórico, é também muito rico em termos nutricionais. 

Apenas uma castanha-do-Brasil por dia garante a dose de selénio – um micronutriente com multiplas funções no organismo.- de que o nosso corpo precisa para preservar as células e exercer uma ação desintoxicante. Mas atenção: em excesso, a ação do selénio não será potencializada.

Os benefícios:

1 – Capacidade saciante: é muito rica em gordura boa e proteína,  além de ser uma fonte de fibra e vitaminas e minerais como o cálcio e o magnésio.

2 – Fortalece os ossos: o magnésio e fósforo podem ser encontrados em quantidades significativas na castanha- do-Brasil. O magnésio é imprescindível para a fixação de cálcio nos ossos.

3 – Aliada do colesterol: as gorduras do fruto também reduzem os níveis do colesterol LDL (mau colesterol) e aumenta os níveis do colesterol HDL (bom colesterol). 

4 – Combate o envelhecimento: devido às suas propriedades antioxidantes provenientes da sua riqueza em selénio.

5 – Auxilia no processo de emagrecimento: ajuda a prevenir um desequilíbrio hormonal, que acarreta o ganho de peso.

6 – Fortalece o sistema imunitário: as suas propriedades favorecem as defesas do nosso organismo.

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS