Jacobina: 24ª CIPM recebe seus mais novos subtenentes

13 de janeiro de 2020, 14:28

(Foto: Divulgação/PM - BA)

Na última quarta-feira (8), a 24ª Companhia Independente da Polícia Militar de Jacobina (CIPM), passou a contar com dois novos subtenentes, tratam-se dos graduados Joaldo Martins Sena e Alexandro Moreira da Silva, que foram promovidos no dia 26 de dezembro de 2019, conforme publicação no Boletim Geral Ostensivo assinado pelo comandante geral da corporação, Coronel PM Anselmo Alves Brandão.

 

Os novos subtenentes PM Joaldo Martins e Alexandro Moreira participaram de uma preparação específica no 1º Batalhão de Ensino, Instrução e Capacitação, na cidade de Feira de Santana, onde receberam instruções e treinamentos de defesa pessoal, armamento e tiro, policiamento ostensivo geral, Direito Militar Aplicado, Legislação PM, policiamento comunitário, relações interpessoais, socorros de urgência e direitos humanos.

Os novos graduados passarão a integrar o corpo de assistentes diretos do Comando da 24ª CIPM.

“Os Sub Tenentes Moreira e Martins ingressaram nas fileiras da carreira Policial Militar da Bahia no ano de 1999 e 2008, respectivamente, como soldados PM, e aprovados em Concurso para Sargentos em 2011; possuindo em seus currículos profissionais diversos serviços prestados na área de atuação. Portanto nada mais justo que suas merecidas promoções sejam reconhecidas e parabenizadas por toda Corporação e pela Comunidade. Parabenizo os mais novos subtenentes da corporação. Sinto-me honrado em tê-los como meus auxiliares nos quadros da 24ª CIPM”, parabenizou o major PM Flailton Oliveira, comandante da 24ª CIPM de Jacobina.

DIVULGUE A NOTÍCIA

Justiça multa Facebook em R$ 6,6 mi por compartilhar dados de usuários

OMinistério da Justiça e da Segurança Pública (MJSP) decidiu multar o Facebook em R$ 6,6 milhões por compartilhamento indevido de dados de usuários cadastrados na rede social. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda-feira, 30.

A multa, aplicada pelo Departamento de proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do MJSP, acontece após investigação que identificou “prática abusiva” por parte da empresa de tecnologia, que teria deixado vulneráveis dados de 443 mil usuários.

Segundo nota publicada no site da pasta, “o caso começou a ser investigado após notícia veiculada pela mídia, em 4 de abril de 2018, informando que os usuários do Facebook, no País, poderiam ter sofrido com o uso indevido de dados pela consultoria de marketing político Cambridge Analytica”, que ganhou notoriedade global por ter trabalhado na campanha presidencial de Donald Trump, nos Estados Unidos, e também para a campanha do Brexit, como é conhecido o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Pelo Twitter, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, destacou a decisão do ministério e afirmou que “as redes revolucionaram a forma pela qual nos comunicamos e expressamos, mas há questões sobre privacidade a serem consideradas”. O Facebook tem dez dias para recorrer da decisão.

VÍDEOS