Estudo do Incor aponta sequelas da Covid-19 em pacientes recuperados

12 de fevereiro de 2021, 08:23

Perda de memória, sonolência, dificuldade de concentração estão entre as sequelas relatadas (Foto: Reprodução)

Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor), da Faculdade de Medicina da USP, em São Paulo, divulgou nesta quinta-feira (11) os resultados de um estudo inédito realizado com pacientes recuperados da Covid-19.

Cerca de 80% dos monitorados pelo estudo relataram dificuldade de concentração, de raciocínio, perda de memória e problemas com compreensão ou entendimento. Também foram relatadas mudanças comportamentais e emocionais, além de confusão mental.

O levantamento inicial do estudo foi feito com 185 pessoas e abrange, atualmente, 480 pacientes. Os relatos e queixas dos estudados também apontam esquecimentos de atos simples da rotina, como esquecer o que comeu, dormir em pé, desaprender a pilotar moto, falta de equilíbrio e orientação. 

A pesquisa, realizada pela neuropsicóloga Livia Stocco Sanches, aponta que até mesmo pacientes com quadros e sintomas leves ou assintomáticos tiveram sequelas neurológicas. A pesquisadora alerta, com base no levantamento, sobre a necessidade de se incluir, após a recuperação, uma avaliação clínica dos pacientes, incluindo questões sobre sonolência diurna excessiva, fadiga, torpor e lapsos de memória.

Segundo o Incor, a OMS (Organização Mundial da Saúde) aguarda os resultados finais do estudo para adotar a metodologia desenvolvida na pesquisa do InCor como padrão em âmbito mundial no diagnóstico e na reabilitação da disfunção cognitiva pós-Covid, noticia o portal G1.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS