Café reduz até 49% risco de morrer de doença hepática

23 de junho de 2021, 11:00

Estilo de vida

Beber até três ou quatro xícaras de café ou descafeinado diariamente diminui o risco de desenvolver e morrer vítima de patologias crônicas do fígado, de acordo com um estudo realizado pela Universidade de Southampton, no Reino Unido, e citado pela CNN. 

De acordo com a nova pesquisa, quem ingere café apresenta uma probabilidade 21% menor de sofrer de doença hepática crônica, um risco 20% menor desenvolver doença hepática crônica ou gordurosa (esteatose hepática) e uma chance 49% mais reduzida de morrer de doença hepática crônica comparativamente a pessoas que não consomem a bebida.

“O café é amplamente acessível e os benefícios que vemos no nosso estudo podem significar que pode oferecer um potencial tratamento preventivo para doenças crônicas do fígado”, comentou Oliver Kennedy, autor do estudo e professor na Universidade de Southampton, num comunicado emitido à imprensa.

Acrescentando: “tal é especialmente valioso em países de baixo rendimento e com pior acesso à saúde, onde o fardo da doença hepática crônica é maior”. 

Segundo a organização World Cancer Research Fund, o câncer do fígado é o sexto tipo de tumor mais comum em todo o mundo. Sendo que aproximadamente 83% dos casos sucedem em países menos desenvolvidos, sobretudo na Ásia e em África.

Como se não bastasse, a taxa de sobrevivência é diminuta devido à não existência de sintomas iniciais. Como tal, muitos casos de câncer do fígado só são detectados quando já se encontram num estágio bastante avançado. 

O novo estudo foi publicado no jornal BMC Public Health.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS