WhatsApp segue com falha grave de segurança, segundo especialistas

09 de agosto de 2019, 08:28

(Foto: Reprodução)

Pesquisadores da Check Point Research utilizaram um antigo método de invasão para demonstrar que o aplicativo ainda apresenta falha grave de segurança – 

Apesar de utilizarem o antigo método de invasão, os pesquisadores da empresa de segurança virtual israelense conseguiram passar pela segurança do aplicativo sem dificuldades, apontando as mesmas falhas que foram apontadas há um ano.

Com isso, os pesquisadores deixaram claro que, além de as falhas não terem sido corrigidas, elas são ainda mais sérias. A falha foi exposta pela Check Point Research durante a conferência Black Hat, em Las Vegas.

Os problemas de segurança do WhatsApp permitem que as pessoas interceptem e manipulem as mensagens enviadas tanto em conversas particulares quanto em grupos, dando a chance para que hackers criem e distribuam informações falsas.

Ou seja, os hackers seriam capazes de colocar palavras na sua boca ou, até mesmo, alterar o conteúdo das conversas, bem como o nome de quem as enviou, cita o portal Tecmundo.

O que mais chama atenção no episódio é que, segundo os pesquisadores, o Facebook, empresa responsável pelo Whatsap, sabe do risco desde agosto de 2018, entretanto, apenas uma das falhas foram corrigidas pela empresa.

Após nova notificação enviada ao Facebook, a empresa alegou que “limitações da infraestrutura” do WhatsApp impedem a correção das vulnerabilidades e que havia analisado cuidadosamente as falhas e suas possíveis soluções.

O porta-voz da empresa também afirmou que uma possível solução poderia reduzir a privacidade do aplicativo, deixando a empresa com um maior poder sobre as conversas dos usuários.

A dificuldade em resolver a questão estaria ligada ao sistema de criptografia de ponta a ponta utilizado pelo aplicativo, que dificulta o monitoramento e a verificação da autenticidade das mensagens por parte do Facebook ou das autoridades.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS