Vereador da oposição adere ao grupo do prefeito Arnaldinho em Caém

16 de setembro de 2021, 17:53

Vereador Kelly Goleiro (PSD) aderiu ao grupo do governo Arnaldinho (Foto: Notícia Limpa)

O governo do município de Caém apresenta bons sinais de aprovação e o fato reflete na classe política do município. Nesta quinta-feira (16), o vereador eleito pela oposição, Joelson de Jesus (Khel Goleiro – PSD), anunciou adesão à bancada governista e passou a partir de agora a dar sustentação à gestão do prefeito Arnaldo Oliveira (Arnaldinho – PSB),

Khel goleiro anunciou a adesão durante a sessão ordinária da Câmara de Vereadores. Segundo ele, a decisão de integrar o grupo do prefeito Arnaldinho se deu por entender que a sua gestão vem realizando um trabalho a altura dos anseios dos caenenses, ‘uma amostra disto é o grande índice de aprovação’. Ele disse ainda que a intenção é fortalecer o trabalho do prefeito, contribuindo com o desenvolvimento do município.

O prefeito Arnaldinho recebeu a notícia com entusiasmo. Para o chefe do Executivo de Caém, a chegada do vereador Khel irá somar positivamente e que apesar se tratar de um parlamentar novo na política tem demonstrado maturidade como legislador, o que contribuirá para a busca de melhorias e o desenvolvimento de Caém. “É uma honra poder contar com o apoio do vereador Khel. Rapaz novo, mas que já demonstrou compromisso com seus eleitores e com a sua cidade natal. Sua adesão vem contribuir e qualificar nosso grupo. Seja bem-vindo amigo”, salientou o prefeito Arnaldinho.

Em razão da nova adesão, a bancada governista passou a contar com seis dos nove membros do legislativo local.

Nas urnas, Khel Goleiro conseguiu 326 votos, equivalente a 5,21% dos votos válidos. Dentre os concorrentes ele foi o sexto mais bem votado.

Prefeito Arnaldinho e seu vice, Silmar Matos, pousam com a bancada de vereadores da situação

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS