Valdemiro Santiago pede até 1 000 reais por semente que ele diz “curar” Covid-19

07 de maio de 2020, 21:38

Após falar dos supostos poderes de proteção do produto, o pastor explica como o fiel deve plantar o item, mas em nenhum momento especifica como a tal semente deve ser usada (Foto: Reprodução)

Em vídeo publicado no YouTube Valdemiro Santiago pede até 1 000 reais por uma semente que, segundo ele, teria um poder de cura e proteção contra a Covid19. O item, de acordo com o pastor, pode ser adquirido pelas centrais telefônicas da Igreja Mundial do Poder de Deus.

Na mensagem, Santiago cita vários trechos da bíblia com menções aos termos “semear” e “semente”, e mostra o caso de um rapaz que supostamente se curou da doença após usar o item que está sendo vendido pela igreja. Ele afirma ainda que o fiel pode destinar o “propósito de 1 000 reais” para ter o “remédio”, ou ainda “doações” de 500, 200 e 100 reais.

Após falar dos supostos poderes de proteção do produto, o pastor explica como o fiel deve plantar o item, mas em nenhum momento especifica como a tal semente deve ser usada. “Você vai ver a benção de Deus na sua casa. Nós vamos mandar para o Brasil inteiro. Ligue agora e peça a sua já. Vou até dar um conselho: chegou em casa deixa 12 horas dentro da água. Depois poem no algodão ou na terra. Coisa linda. Vai nascer, em 5 dias tá grande”.

A Organização Mundial da Saúde afirma que não há até o momento nenhuma vacina ou remédio que possa curar a doença pandêmica.

Segundo ele, após a planta se desenvolver, outras sementes surgem com a mensagem “sê tu uma benção” gravadas. “Gente curada de estado terminal. E tá ali o exame, pra quem quiser, você vê como a semente é semeadora. Aí sim, conseguiu vencer a crise e a epidemia. Só tem um jeito de vencer, é semeando, e semeando a obra de Deus. Você vai semear essa semente e na planta que nascer vai estar escrito ‘Sê tu uma benção”.

A Veja procurou a Igreja Mundial do Poder de Deus  mas não conseguiu contato com nenhum representante da entidade.

Fonte: Redação Veja São Paulo

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS