Três jovens procuram a polícia para denunciar pastor por abuso em BH

27 de dezembro de 2019, 07:16

(Foto: Reprodução)

Polícia Civil confirmou que três jovens com idades entre 14 e 18 anos procuram delegacias para denunciar um pastor de Belo Horizonte por abuso sexual. O caso veio à tona nesta semana. Por meio de nota enviada no fim da tarde desta quinta-feira, a instituição deu mais informações sobre as investigações. 

O inquérito foi instaurado em 20 de dezembro, quando uma adolescente de 17 anos procurou a Delegacia Especializada na Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) contando que o pastor da Igreja Batista Getsêmani, que atua em Venda Nova, passou a mão nos seios e pernas dela. 

No mesmo dia, uma jovem de 18 procurou a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) e relatou que teria sofrido abusos.

Segundo a polícia, na última segunda-feira, dia 23, uma adolescente de 14 anos também foi à delegacia. “Até o momento, na Depca, duas vítimas foram ouvidas e uma terceira pessoa prestou depoimentos como testemunha. Foram realizadas escuta especializadas, ou seja, os depoimentos foram feitos por uma psicóloga”, detalha a nota. 

A Deam também está realizando outras diligências, além dos policiais da Delegacia Especializada na Proteção à Criança e ao Adolescente. Como o caso envolve menores de idade, a polícia não vai dar mais detalhes para preservar as vítimas e evitar interferências na apuração. 

“O suspeito ainda não foi ouvido. Seguindo o que determina a lei, como por exemplo, o Art. 400 do Código de Processo Penal, o suspeito só presta depoimento ao final dos trabalhos, para garantir o direito constitucional da ampla defesa e do contraditório”, diz a nota. “As investigações giram em torno de importunação sexual, podendo resultar em estupro”, explica a Polícia Civil.

A instituição também orienta que as mulheres vítimas de abuso devem procurar a Delegacia de Atendimento à Mulher, localizada na Avenida Barbacena, 288, no Barro Preto. Vítimas adolescentes devem comparecer à Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente, localizada na Avenida Nossa Senhora de Fátima, 2175, bairro Carlos Prates. 

O que diz a igreja

O pastor Jorge Linhares, líder da comunidade evangélica onde o pastor que está sendo acusado atua, também se manifestou sobre o caso. Por meio das redes sociais, ele pediu que o caso seja investigado para que não haja injustiça.

“Existem alguns verbos que devemos conjugar bem definidamente. Acobertar, a igreja batista Getsemani não acoberta os pecados, nem de pastor, e nem de membros. Segundo, outra coisa é acusar, acusar e acusar. Não faz parte da palavra de Deus e nem da nossa conduta. Terceiro, apurar. Quarto, se ele tiver algum erro, o pastor, da nossa Missão em Venda Nova, ele vai ser disciplinado. E outro verbo é restaurar. Vamos procurar restaurar a vida dele”, comentou Linhares.

“No Brasil, primeiro se acusa, e a pessoa depois é que vai se defender. É o que está acontecendo. Ele vai se defender das acusações. A igreja Getsemani hoje são 50 mil membros, fora os familiares, então, é uma igreja que tem uma representação muito grande em Belo Horizonte. São 300 pastores na igreja. Mas, pastor da igreja chama-se Jorge Linhares”, completou.

Em nota, os advogados do suspeitos negaram as acusações. “Os fatos narrados não são verdadeiros e a defesa já possui todos os elementos para demonstrar a sua inocência. Infelizmente, o tempo do processo não costuma ser tão célere quanto o de pessoas mal-intencionadas, que utilizam a velocidade das redes sociais para propagar falsas informações. Mais triste é perceber que jovens estão sendo utilizados como ferramenta em um jogo de interesses pessoais que têm por objetivo manchar a reputação de um homem que passou a vida a serviço da comunidade.”

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS