Sucessor do Hubble: NASA traz à tona novo telescópio que buscará vida alienígena

29 de agosto de 2019, 23:21

(Foto: Reprodução)

A agência espacial norte-americana finalmente montou seu avançado Telescópio Espacial James Webb, cuja tarefa é buscar vida alienígena e estudar as origens do Universo.

Desde seu anúncio em 2019, o novo observatório espacial da NASA, do tamanho de uma quadra de tênis, tem sido atormentado por atrasos e custos excessivos.

Após dobrar seu custo inicial, o projeto atinge agora aproximadamente US$ 9,7 bilhões (R$ 40,4 bilhões) com um atraso adicional de sete anos no lançamento, previsto para março de 2021.

Toda a estrutura será cercada por um complexo escudo solar dobrável para proteger os instrumentos de alta tecnologia a bordo durante toda a sua vida operacional.

https://mobile.twitter.com/NASAWebb/status/1166714331775537154?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1166714331775537154&ref_url=https%3A%2F%2Fbr.sputniknews.com%2Fciencia_tecnologia%2F2019082914448233-sucessor-do-hubble-nasa-traz-a-tona-novo-telescopio-que-buscara-vida-alienigena-fotos%2F

​O telescópio espacial mais poderoso e complexo a ser criado pela humanidade atingiu a sua forma final como um observatório totalmente montado. Alcançando um marco importante, os engenheiros conectaram com sucesso as duas metades do telescópio Webb da NASA

As duas metades da nave foram então fixadas manualmente, mas os técnicos ainda não ligaram toda a eletrônica.

Meta do avançado telescópio

Após o lançamento, o telescópio Webber verá o Universo no espectro infravermelho de luz do Lagrange Point 2 – um ponto gravitacionalmente estável no Sistema Solar a aproximadamente 1,5 milhão de km de distância da Terra.

A tarefa desse avançado telescópio é buscar sinais de vida em planetas próximos e estudar as formações das primeiras estrelas e galáxias há cerca de 13,5 bilhões de anos, usando um fenômeno de “lupa galáctica”, conhecido como lente gravitacional.

O projeto é liderado pela agência espacial americana com o apoio da Agência Espacial Europeia (ESA) e da Agência Espacial Canadense (ASC).

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS