STF confirma liminar a favor dos Correios e funcionários mantêm greve

22 de agosto de 2020, 10:02

Os Correios vão realizar neste fim de semana 1 mutirão de entrega para minimizar o impacto da greve dos funcionários (Foto: Reprodução)

O STF (Supremo Tribunal Federal) votou nessa 6ª feira (21.ago.2020) por manter a decisão da liminar concedida pelo presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, que suspende o acordo coletivo dos funcionários dos Correios. Depois da decisão da Corte, os trabalhadores decidiram manter a greve iniciada em 17 de agosto.

Dias Toffoli concedeu liminar que suspendeu 70 das 79 cláusulas do acordo. Entre elas, vale-alimentação, licença maternidade de 180 dias, auxílio creche, auxílio para filhos com necessidades especiais, 30% do adicional de risco, adicional noturno e horas extras. Com a decisão do STF, os funcionários precisam negociar 1 novo acordo.

Em nota, a Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares) disse que “a decisão é 1 ataque aos direitos dos trabalhadores e fere a Constituição Federal e autonomia entre os tribunais”.

Dada a decisão, a categoria não tem outra escolha senão a ampliação da resistência e orientação a todos os sindicatos filiados para encaminharem o endurecimento da greve em todo o país por tempo indeterminado”, lê-se na nota.

Os Correios disseram que não foram notificados sobre a decisão do STF e que, por isso, não iam se manifestar sobre a votação na Corte.

Em comunicado à imprensa feito antes da decisão do STF dessa 6ª feira, os Correios informaram que “a proposta dos Correios não retira nenhum direitos dos empregados”. A empresa disse que ela “apenas promove adequações aos benefícios que extrapolavam a CLT e outras legislações, de modo a alinhar a estatal ao que é praticado no mercado”.

Importante frisar que os vencimentos de todos os empregados também seguem resguardados. Os trabalhadores continuam tendo acesso ao benefício auxílio-creche e aos tíquetes refeição e alimentação, em quantidades adequadas aos dias úteis no mês, de acordo com a jornada de cada trabalhador. Estão mantidos ainda – aos empregados das áreas de Distribuição/Coleta, Tratamento e Atendimento -, os respectivos adicionais”, escreveu os Correios.

MUTIRÃO

Os Correios informaram que vão realizar neste sábado (22.ago.2020) e domingo (23.ago) 1 mutirão de entrega para minimizar o impacto da greve dos funcionários.

Segundo a empresa, o objetivo é entregar 1 volume 4 vezes maior de encomendas do que o normal para os fins de semana. As agências vão permanecer abertas ao público com serviços como Sedex e PAC. Na 4ª feira (19.ago.2020), os Correios 

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS