Seis deputados baianos monitorados por Bolsonaro com dinheiro público; veja lista

21 de novembro de 2020, 09:57

A lista aponta que entre os principais alvos na Bahia são os deputados federais Afonso Florence (PT), Bacelar (PODEMOS), Professora Dayane Pimentel (PSL), Daniel Almeida (PCdoB), Jorge Solla (PT) e Pastor Sargento Isidório (Avante) (Foto: Câmara Federal/Montagem Informe Baiano)

Uma denúncia feita pela revista Época aponta que 116 políticos, entre eles seis deputados federais baianos, são monitorados pelo Palácio do Planalto com dinheiro público. O veículo obteve relatórios produzidos a pedido da Secretaria de Governo e Secretaria de Comunicação em fevereiro, março e abril deste ano.

Conforme o documento, que o Planalto impôs sigilo a empresa contratada com a alegação de ser um “trabalho autoral”, os alvos de Jair Bolsanaro foram 105 deputados, nove senadores, uma deputada estadual e um vereador. O Governo, na verdade, está preocupado com cada detalhe que parlamentares e jornalistas publicam nas redes sociais. Mas também analisa o engajamento de aliados nas redes.

A lista aponta que entre os principais alvos na Bahia são os deputados federais Afonso Florence (PT), Bacelar (PODEMOS), Professora Dayane Pimentel (PSL), Daniel Almeida (PCdoB), Jorge Solla (PT) e Pastor Sargento Isidório (Avante). Há ainda outros jornalistas e radialistas baianos na mira do presidente. Inclusive, constantemente alguns sites são alvos de ataques orquestrados nas redes sociais. Veja abaixo a lista completa:

– Afonso Florence (PT/BA)

– Afonso Motta (PDT/RS)

– Alessandro Vieira (CIDADANIA/SE)

– Alex Manente (CIDADANIA/SP)

– Alexandre Frota (PSDB/SP)

– Alexis Fonteyne (NOVO/SP)

– Aliel Machado (PSB/PR)

– Álvaro Dias (PODEMOS/PR)

– Angela Amin (PP/SC)

– Arnaldo Jardim (CIDADANIA/SP)

– Áurea Carolina (PSOL/MG)

– Bacelar (PODEMOS/BA)

– Bia Kicis (PSL-DF)

– Cabo Junio Amaral (PSL/MG)

– Camilo Capiberibe (PSB/AP)

– Carla Zambelli (PSL-SP)

– Carlos Jordy (PSL-RJ)

– Carmen Zanotto (CID/SC)

– Celina Leão (PP/DF)

– Célio Studart (PV/CE)

– Charlles Evangelista (PSL/MG)

– Christino Áureo (PP/RJ)

– Coronel Tadeu (PSL/SP)

– Daniel Almeida (PCdoB/BA)

– Daniel Freitas (PSL/SC)

– Daniel Silveira (PSL/RJ)

– Daniella Ribeiro (PP/PB)

– Senador Davi Alcolumbre (DEM-AP)

– David Miranda (PSOL/RJ)

– Dayane Pimentel (PSL/BA)

– Delegado Éder Mauro (PSD/PA)

– Dep. Estadual Janaína Paschoal (PSL/SP)

– Éder Mauro (PSD/PA)

– Edmilson Rodrigues (PSOL/PA)

– Eduardo Bolsonaro (PSL/SP)

– Eduardo Costa (PTB/PA)

– Elcione (MDB/PA)

– Fabiano Contarato (REDE/ES)

– Fábio Faria (PSD/RN)

– Fábio Henrique (PDT/SE)

– Fábio Trad (PSD/MT)

– Fausto Pinato (PP/SP)

– Felipe Rigoni (PSB/ES)

– Fernanda Melchionna (PSOL/RJ)

– Flávio Arns (REDE/PR)

– Flávio Bolsonaro (Sem partido/RJ)

– Gastão Vieira (PROS/MA)

– Gil Cutrim (PDT/MA)

– Gilson Marques (NOVO/SC)

– Girão (PSL/RN)

– Gleisi Hoffmann (PT/PR)

– Helio Lopes (PSL/RJ)

– Humberto Costa (PT/PE)

– Jandira Feghali (PCdoB/RJ)

– Jaqueline Cassol (PP/RO)

– Jefferson Campos (PSB/SP)

– Jerônimo Goergen (PP/RS)

– João Campos (REP/GO)

– Joenia Wapichana (REDE/RR)

– Joice Hasselmann (PSL/SP)

– Jorge Solla (PT/BA)

– José Medeiros (PODEMOS/MT)

– José Nelto (PODEMOS/GO)

– José Ricardo (PT/AM)

– Julian Lemos (PSL/PB)

– Júlio Delgado (PSB/MG)

– Junio Amaral (PSL/MG)

– Júnior Bozzella (PSL/SP)

– Katia Abreu (PDT/TO)

– Kim Kataguiri (DEM/SP)

– Lauriete (PL/ES)

– Leandre Dal Ponte (PV/PR)

– Leila do Vôlei (PSB/DF)

– Liziane Bayer (PSB/RS)

– Luiza Canziani (PTB/PR)

– Major Olímpio (PSL/SP)

– Major Vitor Hugo (PSL-GO)

– Marcel Van Hattem (NOVO/RS)

– Marcelo Freixo (PSOL/RJ)

– Márcio Jerry (PCdoB/MA)

– Marco Feliciano (PODEMOS/SP)

– Mauro Benevides (PDT/CE)

– Nereu Crispim (PSL/RS)

– Pastor Sargento Isidório (AVANTE/BA)

– Patrícia Ferraz (PL/AP)

– Paula Belmonte (CIDADANIA/DF)

– Paulão (PT/AL)

– Pedro Lucas Fernandes (PTB/MA)

– Professor Israel (PV/DF)

– Reginaldo Lopes (PT-MG)

– Rodrigo Coelho (PSB/SC)

– Rodrigo Maia (DEM/RJ)

– Rosana Valle (PSB/SP)

– Sâmia Bomfim (PSOL/SP)

– Samuel Moreira (PSDB/SP)

– Schiavinato (PP/PR)

– Senador Cid Gomes (PDT/CE)

– Senador Heinze (PP/RS)

– Senador José Serra (PSDB/SP)

– Senador Kajuru (CIDADANIA/GO)

– Senador Nelsinho Trad (PSD-MS)

– Senador Randolfe Rodrigues (REDE/AP)

– Senador Renan Calheiros (MDB/AL)

– Senador Weverton (PDT/MA)

– Sérgio Vidigal (PDT/ES)

– Shéridan Oliveira (PSDB/RR)

– Silvia Cristina (PDT/RO)

– Soraya Manato (PSL-ES)

– Tábata Amaral (PDT/SP)

– Talíria Petrone (PSOL/RJ)

– Telmário Mota (PTB/RR)

– Tiago Mitraud (NOVO/MG)

– Vanderlan Cardoso (PP/GO)

– Vereador Carlos Bolsonaro (REP/RJ)

– Vinícius Poit (NOVO/SP)

– Zenaide (PROS/RN)

As informações são da revista Época

Os 7 alimentos que são ladrões de energia

Você provavelmente já ouviu falar e leu bastante sobre alimentos e suplementos que aumentam sua disposição e te deixam mais animado para encarar um treino ou até mesmo as tarefas do dia a dia. Mas também existe o outro lado dessa moeda. Não faltam vilões neste mundo na nutrição: os alimentos que são ladrões de energia e podem atrapalhar bastante sua rotina na corrida ou até mesmo se tornar um obstáculo numa prova.

Esses “ladrões” de energia atuam de diferentes maneiras no organismo. Em alguns casos, oferecem tanto açúcar que, num primeiro momento, essa elevada taxa de glicose resulta em mais disposição, mas, logo em seguida, a insulina liberada para normalizar essa glicose faz justamente o caminho contrário. E aí o cansaço chega com tudo.

Também tem aqueles alimentos que dão tanto trabalho para o sistema digestivo que muitos nutrientes são desviados para ajudar nesse processo, fazendo com que eles faltem na produção de energia em outras funções do organismo. Resultado: o corpo logo sente essa queda de disposição.

Para te ajudar a evitar esse cansaço causado pela má alimentação, acionamos três especialistas para fazer uma lista dos maiores ladrões de energia, suas principais armas e como combatê-las. Confira!

Os ladrões de energia 

Carboidratos simples

Alimentos com farinhas brancas vão roubar energia se consumidos em excesso. “Em um pré-treino, por exemplo, são aliados, mas viram vilões se não houver uma atividade física depois”, pondera Mayara Ferrari, nutricionista funcional esportiva. “Isso acontece porque a quantidade de açúcar no sangue fica muito elevada e o pâncreas libera mais insulina para quebrar todos esses carboidratos. Isso pode causar uma grande redução de açúcar no sangue, resultando em fadiga e falta de energia.”

Sal

Aquele sal extra para dar mais gosto à comida pode te deixar mais cansado. Em quantidade exagerada, o sal aumenta a pressão arterial e deixa o organismo mais desidratado porque mais água é necessária para compensar. “Ele prejudica o funcionamento adequado do organismo, que ficará a todo momento buscando esse equilíbrio. Isso dará uma sensação de cansaço e fadiga. Esporadicamente um pouco de sal não tem problema, mas abusar dele diariamente ou usar em grande quantidade é bastante prejudicial”, adverte Mayara.

Alimentos gordurosos e frituras

A gordura em excesso dificulta a digestão e atrapalha a chegada dos nutrientes à corrente sanguínea. “Como possuem uma digestão mais
lenta, eles fazem com que a circulação se concentre na região abdominal por mais tempo. Isso causa uma sensação de letargia e sonolência durante a digestão, que pode passar de três horas. E isso não é bom para quem vai se exercitar, pois precisará de boa circulação nos membros”, alerta a nutricionista Lara Natacci.

Doces

A lógica nesse caso é parecida à dos carboidratos simples: como eles são ricos em açúcar, dão um pico de energia no primeiro momento porque aumentam a quantidade de glicose no sangue, mas se a pessoa não for praticar uma atividade física logo em seguida, essa disposição logo pode virar cansaço. “O organismo vai aumentar a secreção de insulina para normalizar a glicemia, que é a quantidade de glicose no sangue. Por isso, a sensação de aumento de energia deve durar pouco e dar lugar à fadiga”, reforça Lara Natacci.

Café

O café, um dos estimulantes mais populares, também pode roubar sua energia. Ele realmente gera mais disposição num primeiro momento, mas sua ação no sistema nervoso tem como um dos efeitos a fadiga. “A cafeína, no cérebro, obstrui os efeitos da adenosina, substância que ajuda na transferência de energia e na promoção do sono, dando o efeito estimulante”, explica André Lemos, médico nutrólogo. “Por outro lado, também inibe a degradação da acetilcolina, que aumenta o estímulo muscular. E a consequência disso são o cansaço e a debilidade”, completa.

Corantes e conservantes

Presentes em muitos produtos industrializados, como nuggets, embutidos (salame, presunto, mortadela, peito de peru) e salsichas, eles
modificam o funcionamento adequado do organismo, que tenta repor o que os corantes “tiram” no processo de digestão. “Eles causam uma cascata de processos inflamatórios e oxidantes. Para reverter essa situação, disponibilizamos muitas vitaminas e minerais, fazendo com que o restante do organismo não funcione adequadamente”, destaca Mayara.

Refrigerante

O refrigerante é um dos “ladrões de energia” mais temidos. Alguns maratonistas e ultramaratonistas o utilizam durante provas quando já estão acostumados a seus efeitos, inclusive psicológicos, mas, para o organismo, eles não têm nada de “bonzinhos”. Isso porque o refrigerante, em geral, tem tudo em excesso: açúcar, sódio e corantes. Assim, desencadeia todos os processos já descritos de uma só vez. Além disso, estudos apontam que o refrigerante ainda pode atrapalhar o padrão de sono, prejudicando o descanso e interferindo na disposição.

VÍDEOS