Quadrilha é presa por desviar remédio para câncer em 3 estados e no DF

31 de janeiro de 2018, 09:43

Nove pessoas integravam o grupo; investigação aponta que criminosos lucraram R$ 16,5 milhões em dois anos

Um grupo de nove pessoas foi preso na manhã desta quarta-feira (31) acusado de desviar remédios de alto custo de órgãos públicos. A investigação aponta que a quadrilha lucrou R$ 16,5 milhões ao revender medicamentos para hospitais e clínicas entre setembro de 2014 e maio de 2016. As informações são do G1.

A polícia cumpriu nove mandados de prisão e 16 de busca e apreensão da operação Medlecy 2 foram cumpridos em São Paulo, Goiás, Espírito Santo e Distrito Federal. Os suspeitos foram presos pelas práticas de organização criminosa e crime contra a saúde pública.

A operação deflagrada hoje é o desdobramento das investigações iniciadas em abril de 2015 em Bauru, no interior paulista, que apurou os métodos do grupo criminoso. Segundo a primeira apuração, o grupo conseguia medicamentos de alto custo de origem ilícita, como furto, roubo e desvio de órgão público, para, depois, vender o produto para clínicas e hospitais por meio de empresas de fachada. Estima-se que alguns dos remédios roubados, usados para tratamento de câncer, custassem cerca de R$ 8 mil por caixa.

A investigação é coordenada pela Corregedoria Geral da Administração, do Governo do Estado de São Paulo, e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público.

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS