Projeto Ater Agroecologia beneficiará municípios do Piemonte da Diamantina

08 de outubro de 2020, 11:45

As atividades iniciaram com reuniões online de articulação com parceiros dos municípios de Caém, Jacobina, Miguel Calmon e Mirangaba (Foto: Cofaspi)

(Da Assessoria) – Com o sentimento de esperança, em meio aos desafios do contexto de pandemia e o anseio da construção coletiva, a Cooperativa de Assistência à Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte (Cofaspi) iniciou as atividades do Projeto de Assistência Técnica e Extensão Rural Agroecológica no território Piemonte da Diamantina, contemplado em Chamada Pública, financiada pelo Governo da Bahia, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e da Bahiater.

As atividades iniciaram com reuniões online de articulação com parceiros dos municípios de Caém, Jacobina, Miguel Calmon e Mirangaba nos em meados de setembro e início de outubro deste ano, com o intuito de socializar a proposta técnica inicial do projeto nos encontros que reuniram agricultores, representantes de poderes públicos, movimentos sociais, sindicatos rurais, colegiado territorial, dentre outras organizações. Nas reuniões foram firmadas parcerias importantes para a mobilização das comunidades, o fortalecimento e a construção do projeto.

O Ater Agroecologia é uma importante conquista dos movimentos sociais e organizações, a partir de um processo que teve a participação incisiva da Articulação de Agroecologia da Bahia (AABA), organização que a Cofaspi integra. Estes coletivos, que lutam na defesa e compartilhamento dos saberes agroecológicos, participaram da construção da proposta do projeto, agregando saberes, lutas e experiências singulares.

Outra novidade do projeto é que o mesmo prioriza a participação e o protagonismo de Jovens e Mulheres nos territórios e a promoção de atividades formativas em diversos temas relacionados à agroecologia.

Nesta chamada pública, a Cofaspi vai assessorar 540 famílias nos municípios de Caém, Jacobina, Miguel Calmon e Mirangaba, durante três anos.
Uma iniciativa que integra as famílias agricultoras, levando em consideração os saberes populares para o aprimoramento das técnicas de produção de alimentos que garantam a segurança e soberania alimentar e nutricional no campo e na cidade.

Colaboração de Ediane Bispo e Luna Layse, Comunicadoras Popular da Cofaspi

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS