Polícia Civil indicia homem que usou braçadeira nazista em MG

19 de dezembro de 2019, 08:59

O indiciamento veio com a conclusão do inquérito aberto nesta segunda-feira, após imagens do homem circular nas redes sociais (Foto: Reprodução)

A Policia Civil de Minas Gerais indiciou nesta quarta-feira (18) o homem que usou uma braçadeira vermelha com uma suástica, similar ao modelo usado por oficiais nazistas, em Unaí, a 600 km de Belo Horizonte. Ele foi indiciado por discriminação racial, crime com pena prevista de dois a cinco anos de prisão e multa.

O indiciamento veio com a conclusão do inquérito aberto nesta segunda-feira, depois que imagens do homem em um bar da cidade começaram a circular nas redes sociais. 

O caso ocorreu no último sábado. A Polícia Civil ouviu como testemunhas pessoas que estavam no local. A Polícia Militar chegou a ser acionada e esteve no bar na noite do fato, mas registrou apenas boletim de ocorrência interno, que é encaminhado ao comando da unidade. Um procedimento administrativo apura a conduta dos PMs.

O homem, que tem 59 anos segundo a polícia, prestou depoimento na terça-feira e alegou sofrer de depressão e ansiedade. Um mandado de busca e apreensão foi cumprido na casa e na fazenda dele, mas nenhum material de ideologia nazista foi encontrado. 

Ele alegou em depoimento que em pesquisas feitas na internet descobriu que a suástica era um amuleto de sorte antes de ser usada pelo Partido Nazista da Alemanha.

Uma perícia realizada pela polícia no telefone celular dele mostrou que o homem visitou 35 sites diferentes. 

Segundo o delegado Leandro Coccetrone, isso levou à conclusão de que ele teria consciência da ligação do símbolo com a ideologia que assassinou milhões de judeus, além de ciganos, eslavos, socialistas e LGBTs, entre outros, na primeira metade do século 20. 

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS