Pirarucu: o peixe da Amazônia que desenvolveu ‘armadura’ antipiranha

21 de outubro de 2019, 14:19

O pirarucu é um dos maiores peixes que habitam água doce, e os cientistas determinaram que a espessura das suas escamas é diferente da das outas espécies. (Foto: Reprodução)

Uma equipe de cientistas dos EUA descobriu que o peixe pirarucu (Arapaima gigas), que habita as águas da Amazônia, possui escamas que funcionam como uma armadura capaz de resistir aos implacáveis ataques de piranhas.

Pirarucu é um dos maiores peixes de habitam água doce e que podem crescer até 3 metros de comprimento, de acordo com um recente estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Califórnia, em San Diego, e da Universidade da Califórnia, em Berkeley, publicado no jornal Matter.

O peixe desenvolveu escamas que são deformáveis, mas não se furam nem se quebram perante os ataques das piranhas que têm uma das mordeduras mais fortes no reino animal.

As escamas de pirarucu possuem uma camada interna resistente e flexível, aderida firmemente por colágeno à outra lâmina exterior mineralizada.

Da mesma maneira, são feitos coletes à prova de bala, são várias camadas de tecido instaladas entre lâminas rígidas. No entanto, estes componentes se juntam através de outro material adesivo, enquanto as escamas do peixe se unem a nível de átomos e crescem juntas se transformando em uma peça única e sólida.

O segredo do pirarucu

“Uma janela pode parecer forte e sólida, mas carece de elasticidade. Se alguém bater, o vidro irá se quebrar”, disse Robert Ritchie, autor principal do estudo.

“Quando a natureza une um material duro com um elemento mole o faz gradativamente, evitando o efeito devastador. Neste caso, a estrutura de união é o colágeno mineralizado”, adicionou.

Outras espécies de peixeis também têm colágeno em suas escamas, mas as camadas desta proteína no pirarucu são mais espessas, por essa razão os pesquisadores consideram que o segredo do Arapaima gigas para prosperar nas águas infestadas por piranhas está na espessura das escamas.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS