Pastor em SP é preso em flagrante por estupro de criança de 9 anos

21 de agosto de 2020, 17:25

O pastor Sérgio Gomes, 43 anos, da Igreja Assembleia de Deus, foi preso em flagrante (Foto: Reprodução)

A polícia prendeu na tarde de ontem, 20, um pastor em flagrante por sequestro e estupro de uma criança de 9 anos em Taboão da Serra, na Grande SP.

De acordo com a PM (Polícia Militar), o pastor Sérgio Gomes, 43 anos, da Igreja Assembleia de Deus, sequestrou a menina com a justificativa de que a levaria para almoçar. As informações são da Band TV.

Após o sumiço do pastor, a mãe da criança e a mulher do homem foram à delegacia fazer a denúncia.

Segundo a polícia, a menina contou que havia sido abusada sexualmente dentro da igreja e essa não teria sido a primeira vez. O acusado foi preso em flagrante, mas negou o crime. Também à polícia, a esposa do suspeito, que está grávida de 7 meses, disse que desconfiava do marido e do excesso de carinho pela menina.

De acordo com a reportagem da Band TV, a criança passou por exames no Hospital Pérola Byington. No carro do acusado foram encontrados objetos como brinquedos, brilho labial e doces. O caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher de Taboão da Serra.

Como denunciar casos de abuso infantil e como orientar a criança

Casos como o desta menina de 10 anos, abusada pelo próprio tio, infelizmente não são raros no Brasil. O Disque 100 recebe milhares de denúncias por ano, mas sabemos que esses dados não estão nem perto da realidade, uma vez que ainda é difícil ter estatísticas que realmente abranjam o problema de forma real.

Isso se dá por inúmeros fatores como, por exemplo, pelo preconceito e pelo silêncio das vítimas (que às vezes não entendem o que está acontecendo com elas) e pela “vergonha” e falta de informação sobre o assunto de familiares.

Reconhecer os tipos de abusos e saber orientar as crianças é fundamental.

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS