Parou de fumar? Quanto tempo leva para se sentir melhor?

06 de setembro de 2019, 08:23

(Foto: Reprodução)

Cientistas revelaram recentemente que é possível calcular o tempo exato que uma pessoa que parou de fumar leva para começar a se sentir melhor.

Que parar de fumar adiciona saúde à vida das pessoas não é novidade para ninguém. O que é novidade, no entanto, é a descoberta de quanto tempo após largar o vício as pessoas começam a sentir os sintomas de melhoria no organismo.

Cientistas revelaram recentemente que é possível calcular o tempo exato que uma pessoa que parou de fumar leva para começar a sentir-se melhor.

Segundo os especialistas, em casos de pessoas com histórico de tabagismo acima de 20 anos, é possível reduzir o risco de doença cardiovascular em 39%. Apesar disso, salientam que, para diminuir acentuadamente o risco a ponto de ser quase semelhante ao de uma pessoa que nunca fumou, leva cerca de cinco a 10 anos, chegando a 25 anos em casos mais extremos.

A pesquisa foi realizada por especialistas da Universidade de Valderbilt, nos Estados Unidos, e teve como foco principal compreender como os riscos afetam a decisão de deixar de fumar e ainda investigar quais riscos antes potencializados podem diminuir com o abandono do tabagismo.

Mais de 8.770 pessoas participaram no estudo que teve inicio com a análise de dados de 1954 até 2014, data em que a equipa documentou cientificamente os benefícios de parar de fumar para o corpo e saúde dos indivíduos.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS