Pão mais antigo do mundo encontrado na Jordânia

17 de julho de 2018, 13:27

Os restos foram encontrados numa lareira de pedra –

Os restos carbonizados de um pão achatado que teria sido assado há cerca de 14.400 anos foram encontrados numa lareira de pedra num local arqueológico a nordeste da Jordânia.

A descoberta é muito marcante  pois significa que as pessoas começaram a fazer pão, uma comida considerada como indispensável hoje em dia, um milênio antes de terem desenvolvido sistemas agrícolas.

A descoberta foi detalhada esta segunda-feira(16), e demonstra que os recoletores no Mediterrâneo Oriental atingiram a meta cultural de fazer pão bem antes do que era conhecido até aqui, mais de 4.000 anos antes do cultivo de plantas acontecer.

 

Os pedaços encontrados faziam parte de um pão achatado, provavelmente sem fermento, descrito como sendo um pão pita. Era feito de cereais selvagens como cevada, trigo ou aveia, bem como de tubérculos de um ‘primo’ do papiro aquático, que eram moídos até se tornarem farinha.

A primeira civilização a fazer este pão foram os natufianos, um tipo de povo que começou a tomar o sedentarismo como modo de vida, substituindo os nômades.

“A descoberta de pão num local arqueológico com esta idade é excecional”, explicou Amaia Arranz-Otaegui, a autora principal da investigação publicada na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, acrescentando que até agora as origens do pão tinham sido associadas com as primeiras sociedades agrícolas, que já faziam cultivo de cereais e legumes, mas que tinham surgido mais tarde.

“É possível que o pão possa ter funcionado como incentivo para que as pessoas aprofundassem o cultivo”, referiu ainda.

“O gosto dos tubérculos é bastante forte e salgado. Mas também um pouco doce” explicou Amaia, revelando que os investigadores estão agora em processo de conseguir reproduzir a receita do pão e que já foram bem sucedidos a fazer a farinha, mas que deverá ter de ser um gosto adquirido.

A mais antiga descoberta de pão, antes deste, tinha sido feita na Turquia e datava de 9.100 anos.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS