Desmate nos últimos 6 meses na Amazônia supera todo o ano de 2018

03 de fevereiro de 2020, 08:25

Desmatamento na Amazônia: taxas ainda bem preocupantes (Foto: Reprodução)

Os alertas de desmatamento na Amazônia somaram 4.707 km2 até o dia 23 de janeiro, segundo o sistema Deter-B, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Com isso, o período de seis meses da série de 2020 já ultrapassou todos os 12 meses de 2018 (4.571 km2) e de 2017 (4.640 km2). Com seis meses de dados ainda a apurar, já é a terceira taxa de alertas mais alta desde a estreia do sistema, em 2016. E o que é mais preocupante: o período compreendido entre novembro e abril é geralmente o de redução no ritmo das derrubadas, devido à estação de chuvas (o “inverno”) na Amazônia. Se nada for feito para refrear as motosserras, quando a seca chegar, nos meses de maio, junho e julho, o Brasil terá mais um ano de desmatamento recorde – e bem pior do que o ano passado. O próprio ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, admitiu no final do ano passado que o governo não tem controle sobre as motosserras. Em entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo” antes da COP25, a conferência do clima de Madri, Salles havia dito que seria “uma conquista” se a taxa de desmatamento em 2020 subisse menos que os 29,5% estimados pelo Inpe para 2019. Monitoramento por satélite O desmatamento na Amazônia é medido de agosto de um ano a julho do ano seguinte. Assim, quando se fala em “taxa de 2020”, está-se referindo ao período que vai de agosto de 2019 a julho de 2020. A devastação é monitorada por satélite em tempo quase real pelo sistema Deter, do Inpe. Esses dados servem para municiar a fiscalização do Ibama e pegar infratores com a boca na botija, detendo a destruição (daí o nome). Toda semana são publicados na página do Deter na internet novos dados de alertas do sistema, que permitem acompanhar a dinâmica do desmate mês a mês tanto na Amazônia quanto no cerrado. No entanto, a agilidade do Deter existe à custa de uma menor resolução. Por conta da relativa “miopia” dos satélites usados, o sistema não consegue capturar todo o desmatamento que ocorre, nem é bom em enxergar sob nuvens. Por isso, o Inpe alerta para que não se use o Deter para estimar área desmatada – apenas para analisar a tendência. O cálculo de área desmatada é feito uma vez por ano pelo Prodes, um sistema mais acurado, mas necessariamente mais lento. Aumentos expressivos Nos primeiros quatro meses do governo de Jair Bolsonaro, o Deter vinha mostrando uma queda nos alertas de desmatamento. Isso provavelmente se deveu à intensa cobertura de nuvens, que impediu as detecções do sistema. A partir de maio, o céu amazônico limpou e a taxa começou a subir. Mês a mês, foram verificados aumentos expressivos: 34% em maio, 91% em junho, 278% em julho e 224% em agosto. Na série de 2020, iniciada em agosto do ano passado, somente outubro e dezembro não registraram desmate recorde para o mês. O governo não só não fez nada para reverter a situação, como criou um novo incentivo legal ao desmatamento: em dezembro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assinou uma Medida Provisória que anistia a grilagem de terras praticada na Amazônia até o ano de sua eleição. Como a maior parte do desmatamento é resultado de grilagem (invasão de terras públicas), a MP dá um incentivo legal para a ampliação desse crime. Pressionado pela comunidade internacional de investidores reunida em Davos neste mês, Bolsonaro tuitou que criaria um Conselho da Amazônia, coordenado pelo vice-presidente, Hamilton Mourão. Com o Ministério do Meio Ambiente desmontado, a fiscalização do Ibama subfinanciada e todo o resto do governo jogando contra, porém, o conselho, se for mesmo criado, terá eficácia limitada.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Facebook e Instagram removerão ‘fake news’ sobre coronavírus

02 de fevereiro de 2020, 14:50

As publicações e anúncios serão removidos caso fique claro que se tratam de teorias de conspiração ou de informações falsas que possam vir a causar um perigo maio (Foto: Reprodução)

OFacebook anunciou que removerá qualquer publicação/anúncio que procure disseminar informações falsas sobre o surto de coronavírus, pode ler-se no The Verge. A medida aplicar-se-á tanto ao Facebook como ao Instagram e dirá respeito não só a informações falsas que possam causar maior perigo, como também teorias da conspiração ou curas falsas. O fato de o Facebook ter admitido remover estas publicações é insólito no caso da gigante tecnológico, sobretudo tendo em conta que no passado apenas limitou o alcance de publicações anti-vacinas. O que terá influenciado a decisão é a categorização do surto de coronavírus como uma emergência global de saúde pública pela World Health Organization. Até ao momento há quase 10 mil casos confirmados em 19 países diferentes.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Justiça condena homem que agrediu cadela com cano de PVC

02 de fevereiro de 2020, 12:37

(Foto: Reprodução)

Ela condenou o homem a três meses de detenção e 10 dias-multa, pena substituída por uma restritiva de direitos AJustiça de Santa Catarina condenou um homem por abuso e maus-tratos contra uma cadela, golpeada com um cano de PVC, na cidade de Lauro Müller, com cerca de 16 mil habitantes a 188 quilômetros da capital Florianópolis. A decisão é da juíza Maria Augusta Tonioli. Ela condenou o homem a três meses de detenção e 10 dias-multa, pena substituída por uma restritiva de direitos, consistente em prestação pecuniária no valor de um salário mínimo. Cabe recurso da decisão, informou o site do Tribunal de Justiça de Santa Catarina - Ação Penal n. 0000350-19.2016.8.24.0087. Segundo a denúncia, em março de 2016 o homem golpeou a cadela e a feriu na pata traseira. Vizinhos do acusado acionaram voluntários de uma ONG do município, que denunciaram o caso e trataram o animal. Entre os depoimentos da acusação, voluntárias da entidade de defesa animal informaram que, ao atender denúncia, encontraram a cachorra já machucada. Pessoas que moram próximas do local apontaram o homem como 'responsável pelas agressões'. Em sua defesa, o acusado garantiu que não agrediu a cadela. No entanto, pesa contra ele outro registro de agressão a animais.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Os surpreendentes benefícios de mastigar chiclete

01 de fevereiro de 2020, 17:35

Não servem apenas para refrescar o hálito (Foto: Reprodução)

As vantagens que advêm de mastigar um chiclete são surpreendentes e também significativas da cabeça aos pés. Melhora a memória De acordo com estudiosos recentes, a função cognitiva e o desempenho geral em testes melhoraram significativamente quando os indivíduos mastigavam pastilha.  Reduz o stress e a ansiedade Num estudo de 2011, os participantes que mastigaram pastilha duas vezes por dia, durante 14 dias, classificaram a sua ansiedade como significativamente menor do que aqueles que não mastigaram. Combate as náuseas  Pesquisas recentes sugerem que mastigar pastilha pode ser mais eficaz do que os principais medicamentos para as náuseas. Ajuda os intestinos As pastilhas estimulam os movimentos intestinais, aumentando a produção de sucos gástricos sem ter que digerir nenhum alimento. Aumenta a concentração Estudos demonstraram que comer pastilha aumenta o estado de alerta devido ao movimento constante da mandíbula. Alivia as dores de ouvido Em viagem de avião, as pressões do ar não são tão agradáveis. As dores de ouvido intensas são um incômodo aéreo, mas o movimento da mandíbula e a produção de saliva resultante do ato de mastigar pastilha ajudam a regularizar a pressão nos ouvidos.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Emagrecer melhora a saúde, mas nos deixa infeliz, diz estudo

01 de fevereiro de 2020, 08:23

Pessoas que sofrem de excesso de peso e depois emagrecem apresentam uma maior probabilidade de se sentirem profundamente infelizes, comparativamente a quem mantém o mesmo peso (Foto: Reprodução)

A equipe de pesquisadores britânicos da Universidade College London (UCL) concluiu que quem perdeu mais de 5% de peso ficou mais saudável, porém mais propenso a estar frequentemente mal humorado. Nesse sentido, os especialistas recomendam que quem estiver tentando emagrecer deve procurar o apoio de amigos, familiares e profissionais de saúde, caso sinta necessidade. Os pacientes foram observados durante quatro anos, ao longo dos quais foram monitorizados relativamente ao peso, pressão sanguínea e nível de lipídios ou gordura no sangue. Apesar da ‘infelicidade’ sentida, 278 pessoas que emagreceram também registraram uma queda na pressão arterial e nos níveis de gordura. As dificuldades da dieta Os voluntários apresentaram uma probabilidade 50% mais elevada de se sentirem tristes, comparativamente àqueles que mantiveram o mesmo peso. Para os cientistas, tal pode ser explicado devido à dificuldade de se manter um regime de restrição calórica, como por exemplo ter que resistir a petiscos e evitar encontros com amigos que envolvam refeições. "Não queremos desestimular as pessoas a tentar perder peso, porque isso traz enormes benefícios de saúde. Mas as pessoas não devem ter a expectativa de que emagrecer vai imediatamente melhorar todos os aspectos das suas vidas", afirmou a médica Sarah Jackson, que coordenou a pesquisa, em declarações à BBC News.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

O Sol nasce e se põe para todos

31 de janeiro de 2020, 13:37

(Foto: Gervásio lIma)

*Por Gervásio Lima  -   Na simbologia universal, mitológica e esotérica o Sol é a Luz e relaciona-se diretamente com a ampliação da consciência superior. A luz é o símbolo do conhecimento, a busca pela realização e a capacidade criadora. O Sol é um elemento presente em muitas crenças, rituais e costumes desde a antiguidade, representando a força vital e o poder cósmico; e, por isso está presente em muitos mitos da criação do mundo. A estrela central do Sistema Solar talvez seja o principal e mais importante astro para a vida na terra, mas, corroborando com o primeiro parágrafo, ele pode ser visto e interpretado de diversas maneiras. Fonte inspiradora de versos, prosas e, inclusive de superstições, o Sol é também usado como ‘sinônimos’ para termos positivos e negativos do cotidiano. Como um alento de resignação ou justificativas de percalços, a luz e o calor emitidos por ele são usados por grande parte da população mundial. Venerado ou odiado, a verdade é que o sol é, além de uma fonte inesgotável de energia, presença certa e indispensável para a vida e na vida dos terráqueos. Luz, brilho, aquecimento, escuridão e outros substantivos mexem com a imaginação. A forma como são vistos ou até mesmo absorvidos envolvem estado de espírito, crença e até mesmo religião. É possível ver luz em um ambiente escuro e vice-versa. A compreensão de mundo depende muito do olhar de cada indivíduo. Errar e acertar são antagônicos, mas nem por isso inibem o apostador de apostar, de ousar ou deixar de acreditar que o impossível pode ser possível. Apesar de bonita, a palavra ‘realidade’ pode não ser necessariamente sinônimo de bondade e generosidade, assim como a verdade nua crua, ou a pura verdade, pode ser do bem, mas também do mal. O comportamento e as decisões tomadas enquanto cidadão contribuem para o desenvolvimento pessoal ou a falência dos princípios do sujeito. As escolhas, seja pensando o individual como no coletivo, podem comprometer irreversivelmente um modo de vida. Como o sol, cuja sua luz tem, entre outras atribuições, a função de clarear e iluminar, as atitudes erradas inevitavelmente tornarão os dias em verdadeiras escuridões. Neste ano, no início do mês de outubro, acontecerão as eleições para as escolhas dos prefeitos e vereadores das cidades brasileiras. Momento único para decidir o que se deseja para os seus municípios, os eleitores vão precisar de muita luz enquanto estiveram utilizando os dedos nas teclas da urna eletrônica. O sol nasce para todos; todos aqueles que possuem a capacidade de discernir o que é claro e o que é escuro e o que certo e o que é errado. Enquanto isso, o crepúsculo da vida continua... *Jornalista e historiador

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Município de Jacobina realiza Jornada Pedagógica 2020, a partir de segunda-feira (3)

31 de janeiro de 2020, 09:49

(Foto: Divulgação)

Com uma proposta diferente com relação aos anos anteriores, a Jornada Pedagógica 2020, terá um perfil intraescolar e voltada para as emoções dos profissionais em educação. “As competências sócio-emocionais e suas implicações na práxis pedagógica; a escola como locus de reflexão”, é o tema da Semana Pedagógica 2020. A proposta da Prefeitura de Jacobina por meio da Secretaria de Educação e Cultura (Semec) para este ano é de entendimento do profissional enquanto ser humano, enquanto um ser biopsicossocial.  “Durante anos nos preocupamos com o ambiente escolar, com a qualidade do ensino, com inúmeras metodologias, e de fato avançamos, mas quantas vezes paramos para nos preocupar com os profissionais? Então o foco em 2020 será, promover condições dignas na valorização de todos aqueles que constroem este processo de aprendizagem na vida dos alunos” salientou o secretário da educação, Roberval Henrique. O prefeito Luciano Pinheiro destacou a importância do evento pedagógico para o planejamento e a importância do papel de todos os envolvidos com o desenvolvimento da educação no município. “Ao conversar como nosso secretário Roberval entendo perfeitamente o contexto que ele com toda equipe da secretaria estavam propostos, pra que se tenha noção este é um ano que vamos focar na valorização dos servidores públicos de modo geral, SMTT, guarda municipal , enfermeiros, mas, nada se compara à necessidade deste olhar com carinho para a educação, então a Jornada é o início do ano letivo, mas também desta visão em compreender que só será possível realizarmos um grande trabalho educacional, se tivermos profissionais que estejam bem primeiramente consigo mesmo”, ressaltou o prefeito. Veja abaixo os locais e unidades que juntos estarão na jornada em seu primeiro dia (03/02): Jornada Pedagógica - 2020 SEDE URBANA - Zoneamento das Escolas para o 1º dia: 1 - Local: EM Agnaldo Marcelino - EM João Bello- CMEI Jaime Sampaio - EM Agnaldo Marcelino- CM Núbia Mangabeira- EM Adalice Ferreira - CMEI Telma Rocha- CM Luís Alberto Dourado 2 - Local: CMEI Adonel Moreira de Freitas - EM Beatriz Guerreiro- CMEI Terezinha Mangabeira- EM Reunidas Mª da Glória e Mª Prima- CMEI Adonel M. Freitas- CMEI Inês Lages 3 - Local: CM Gilberto Dias de Miranda (COMUJA) - CMEI Mãe Iazinha- EM Carlos Gomes- EM Armando Xavier- EM Amado Barberino- CMEI Guaracy- CMEI Tia Maria- CM Gilberto Dias de Miranda (COMUJA)- CMEI Cristina Sena- EM Nemésio Lima e Anexos- EM Almir Lopes e Anexo- EM Claudiano Hermelino- CM José Vieira Irmão- CM Crescenciano Pires- CMEI Rosa Maria SEDE RURAL - Zoneamento das Escolas para o 1º dia: 1 - Local: CM Pedro Daltro - EM Leolino Ferreira - CMEI Otaviano Gonçalves - EM Antônio Alves- CM Pedro Daltro- EM Nonato Jorge e Anexo 2 - Local: CM Elvira Pires - CMEI Odete Coelho - CM Elvira Pires- CM Esther Tupinambá 3 - Local: CM José Prado Alves - CMEI Luzia Maria- EM Florisvaldo M. Freitas- CM José Prado Alves   4 - Local: CM Dr Marcos Jacobina - CMEI Vicente Amorim- EM José Joaquim e Anexos- CM Dr Marcos Jacobina A partir do segundo dia haverão psicólogos em um bate papo com os profissionais em educação. Psicólogos para cada Escola Zoneada: SEDE URBANA 1 - EM Agnaldo Marcelino Psicóloga: Brízida Barbosa da Gama. 2 - CMEI Adonel M. FreitasPsicóloga: Taís Rios Oliveira Lima. 3 - CM Gilberto Dias de MirandaPsicóloga: Railma Dantas. SEDE RURAL 1 - CM Pedro Daltro (Junco)Psicólogo: Leonardo Carvalho. 2 - CM Elvira Pires (Paraíso)Psicólogo: Matheus Gouveia. 3 - CM José Prado Alves (Lages do Batata) Psicóloga: Marla Lima. 4 - CM Dr Marcos Jacobina (Caatinga do Moura)Psicóloga: Mariana Jambeiro.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

O perigo de usar sempre a mesma garrafa de água sem lavar

31 de janeiro de 2020, 08:30

Pesquisadores sugerem que beber água de uma garrafa reutilizada é tão ‘sujo’ como lamber o assento de um vaso sanitário (Foto: Reprodução)

Um novo estudo realizado pelo treadmillreviews descobriu que as garrafas de plástico que muitos reutilizam sem lavar com frequência estão repletas de germes. Aliás, como destaca o jornal britânico Metro, os investigadores sugerem que beber água de uma garrafa reutilizada é tão ‘sujo’ como lamber o assento de um vaso sanitário. Mas calma, em termos de germes e bactérias, o sanitário tem muito menos do que imagina... Os pesquisadores analisaram em laboratório garrafas de água após cada uma ser utilizada durante uma semana por um atleta. A garrafa com mais bactérias - em média 900 mil unidades formadoras de colônias por centímetro quadrado - tinha mais bactérias do que a tampa da privada.  Na garrafa de uma pessoa comum foram encontradas 313.499 bactérias por centímetro quadrado. Tudo principalmente devido à falta de limpeza entre as utilizações. E para piorar a situação, os pesquisadores descobriram que 60% dos germes que encontraram nas garrafas de água eram capazes de deixar as pessoas doentes. Mas não desista das garrafas reutilizáveis, as garrafas que têm a tampa ‘de esguichar’ eram menos ‘contaminadas’, e beber de garrafas de aço inoxidável é mais saudável do que usar as de plástico.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

5 dicas para superar a necessidade que sente pelo celular

31 de janeiro de 2020, 08:18

Um dos passos mais básicos – ainda que talvez não o mais fácil de concretizar – é definir ocasiões específicas para utilizar o smartphone (Foto: Reprodução)

Vivemos numa época em que utilizamos os smartphones para tudo. Servem não só para fazer chamadas ou enviar mensagens, como também para tirar fotografias ou reproduzir o mais variado tipo de conteúdos. Mas e quando os agarramos sem motivo, sem haver neles qualquer notificação que indique essa necessidade ou sem que queiramos fazer efetivamente alguma tarefa com eles? Se sofre um pequeno ataque cardíaco quando não sente o seu smartphone no bolso ou se o procura mesmo quando já o está utilizando para, por exemplo, ligar a alguém, então a WIKO, empresa europeia de smartphones, tem algumas dicas que poderão ajudar.  1. Restrinja o tempo de utilização Um dos passos mais básicos – ainda que talvez não o mais fácil de concretizar – é definir ocasiões específicas para utilizar o smartphone. Pode, por exemplo, colocar alarmes especificando essa frequência e, sempre que toca, pode ver o smartphone. Comece com 15 minutos de espaçamento, depois meia hora, suba até aos 45 minutos e por fim a 1 hora completa. Sempre que o alarme toca pode verificar todas as notificações e, para reduzir a ansiedade de resposta, avisar familiares e amigos de que poderá não estar tão atento ao smartphone.  2. Evite usá-lo enquanto come ou ao lado de outras pessoas Além de restringir o seu tempo de utilização, tente também restringir as ocasiões em que usa o smartphone. Embora ter o smartphone em cima da mesa enquanto se come seja algo já banal nos dias de hoje, deixe-o fora da mesma completamente bloqueado quando estás a fazer alguma refeição ou apenas ao lado de seus amigos e família. Esta simples ação fará com que desligue por alguns momentos e aproveite a companhia.  3. Desative todas as notificações push que puder Não necessita de ser interrompido a cada 'like' na última fotografia que publicou no Instagram. Para desligar estas notificações basta ir às 'definições' e depois 'notificações', para controlar as suas preferências. Pode deixar apenas as notificações essenciais ativadas, como o e-mail, mensagens e agenda.  4. Não o leve para a cama Não permita que este equipamento seja a última coisa que vê à noite nem a primeira para onde olha de manhã. Ao usar um despertador comum e colocar o telefone fora do alcance, evitará a tentação de começar o dia nas redes sociais ou a responder a uma avalanche de mensagens e atualizações. Desligue-se totalmente quando chega a hora do descanso.  5. Mantenha-se ocupado Se tem uma rotina ou um plano específico para cada dia, incluindo responsabilidades ou algum hobby, sobra menos tempo para gastar no smartphone. O bônus em não o utilizar tanto é que sobra mais tempo para essas atividades, tornando-o mais produtivo. Se estiver de férias ou entre empregos, aproveite para aprender algo que nunca fez, como um novo esporte, ou para apenas passar tempo de qualidade com a família e amigos.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Alimentos que jamais deve comer quando está com fome

30 de janeiro de 2020, 12:19

Comer a primeira coisa que lhe aparece à frente quando está com fome é um grande erro (Foto: Reprodução)

Esteve tão ocupado durante o dia que passou várias horas sem comer e agora está com uma fome de leão? Apesar de não ser ideal passar mais do que três a quatro horas sem comer, é possível remediar a situação, desde que não faça as escolhas erradas. Comer a primeira coisa que nos aparece à frente quando estamos com fome é um grande erro. O site Eat This, Not That! destaca que há alimentos e bebidas que não só podem deixá-lo rapidamente ainda com mais fome, como podem inclusive irritar o estômago e contribuir para uma má digestão.  Eis os alimentos e bebidas que jamais deve ingerir quando está com um apetite daqueles: Batata frita. Além de não ser nada saudável, nem nutritiva, a batata frita só vai saciar a fome por salgados e sal, ou seja o corpo vai pedir mais comida, especialmente doces, para conseguir a glicose necessária para ter energia. Suco de laranja. Se a ideia é saciar a fome, é preferível comer uma laranja do que beber o seu suco, isto porque os carboidratos líquidos são menos saciantes do que os sólidos. Mais ainda, no suco falta a fibra presente na fruta, que promove a saciedade através da digestão lenta dos açúcares simples.  Alimentos picantes. Quando está sem comer nada há várias horas, não é boa ideia ingerir alimentos , picantes já que estes podem irritar o estômago.  Café. O café faz com que o estômago produza ainda mais ácido, aumentando a inflamação e contribuindo para que fique com a barriga inchada, sinta desconforto e náuseas. Queijo. Regra geral, sente fome porque o corpo tem os níveis de açúcar baixos e necessita urgentemente de energia. A melhor forma de suprimir essa necessidade é consumir algum tipo de carboidrato, de preferência complexo (grãos integrais), mas que também contenha fibra e proteína para manter os níveis de energia estáveis por mais tempo. O queijo não só não tem carboidratos como contém compostos de proteína que combinados com a grande quantidade de sódio, vão deixá-lo ainda com mais fome! 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Os quatro aspectos do coronavírus que mais preocupam os cientistas

30 de janeiro de 2020, 10:17

O Comité de Emergência da Organização Mundial de Saúde (OMS) reúne-se hoje, em Genebra, para avaliar o surto do novo coronavírus (Foto: Reprodução)

O coronavírus que apareceu recentemente em Wuhan, na China, e que provoca uma doença pulmonar grave já se manifestou em diversos países, onde infectou milhares de pessoas e provocou 170 mortes. Mas há mais, os especialistas, estimam que estes números devem aumentar, o que está a alarmar as autoridades de saúde em todo o mundo, conforme destaca uma reportagem divulgada pela BBC News. O Comité de Emergência da Organização Mundial de Saúde (OMS) reúne-se hoje, em Genebra, para avaliar se o surto do novo coronavírus, com origem na China, deve ser declarado emergência de saúde pública internacional. A BBC conversou com vários especialistas, e estas são as questões relativamente ao coronavírus que mais os preocupam: 1. Com que facilidade é transmitido? Inicialmente as autoridades médicas chinesas afirmaram que o vírus não era transmitido entre seres humanos, mas desde então foram identificados milhares de casos de pessoas infectadas dessa forma. Agora os cientistas afirmam que cada pessoa infectada pode transmitir o vírus para uma média que fica entre 1,4 e 2,5 indivíduos. 2. Qual é a fase de contágio? Os cientistas alertam que os doentes podem transmitir o vírus inclusive antes de surgirem quaisquer sintomas, que incluem febre, falta de ar, tosse e dificuldade em respirar. O intervalo de tempo entre o contágio e o início dos sintomas (o chamado período de incubação) pode ser de um a 14 dias. A professora Wendy Barclay, do Departamento de Doenças Infecciosas da universidade Imperial College London, no Reino Unido, afirmou à BBC que é comum que infecções respiratórias sejam transmitidas antes que apareçam sintomas. O vírus "propaga-se pelo ar, ao conversar com uma pessoa infectada ou a respirar proximamente", explica. "Não seria muito surpreendente se o novo coronavírus fizesse o mesmo”. 3. A que velocidade se propaga a doença? A verdade é que, em poucos dias, o número de pessoas infectadas passou de centenas para milhares. Contudo, este crescimento acelerado pode ser algo enganador. Até ao momento, ainda não há muita informação sobre a "taxa de crescimento" do surto. Mas os especialistas acreditam que o número real de pessoas atingidas é provavelmente maior do que o divulgado. É o que indica um relatório do Centro de Análise de Doenças Infecciosas Globais do Imperial College London. "É provável que o surto de coronavírus em Wuhan tenha causado mais casos de doença respiratória moderada ou grave do que o informado”. 4. O vírus pode sofrer mutações? Regra geral, qualquer tipo de vírus tende a sofrer mutações e a evoluir. Porém, tal pode significar cenários diferentes dependendo dos casos. A Comissão Nacional de Saúde da China alertou que a capacidade de transmissão do coronavírus está cada vez mais forte, mas não foi clara sobre o risco apresentado por mutações virais. "Deveríamos preocupar-nos com qualquer vírus que infecte o corpo humano pela primeira vez, porque já superou o primeiro grande obstáculo", sublinha Jonathan Ball, virologista da Universidade de Nottingham, no Reino Unido, à BBC. "Dentro de uma célula (humana) e ao replicar-se, este pode começar a gerar mutações que permitam que se espalhe com mais eficiência e se torne mais perigoso." "Não queremos dar ao vírus essa oportunidade", alerta Ball.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Aluno diz ter sido aprovado no Sisu em curso que não escolheu

30 de janeiro de 2020, 10:07

Lucas afirma que sempre manteve Engenharia de Computação no IFCE como a primeira opção de curso (Foto: Arquivo pessoal)

Um estudante no Ceará diz ter sido aprovado no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) em um curso que não escolheu. Lucas Alexsandro conta que se inscreveu nos cursos de Engenharia da Computação, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) e na Universidade Federal do Ceará (UFC), ambos em Fortaleza. No entanto, foi aprovado para Engenharia de Aquicultura no campus do IFCE em Aracati, a 150 km da capital cearense. As informações são do G1. No Sisu, o candidato pode escolher duas opções de curso. Caso não obtenha pontuação suficiente para a aprovação no primeiro curso desejado, ele tem a chance de ser classificado na segunda opção. Lucas afirma que sempre manteve Engenharia de Computação no IFCE como a primeira opção de curso e o mesmo curso na UFC como segunda opção. Segundo o estudante, caso o curso não tivesse sido trocado, ele estaria apto a ingressar na graduação escolhida. “Eu tinha nota para passar em Engenharia de Computação no IFCE. Tirei 879,54, maior que a nota mínima”, contou o estudante ao G1. O Ministério da Educação (MEC) foi procurado sobre o caso e ainda não respondeu. A família de Lucas afirma que vai tentar reverter a situação.  

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Justiça multa Facebook em R$ 6,6 mi por compartilhar dados de usuários

OMinistério da Justiça e da Segurança Pública (MJSP) decidiu multar o Facebook em R$ 6,6 milhões por compartilhamento indevido de dados de usuários cadastrados na rede social. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda-feira, 30.

A multa, aplicada pelo Departamento de proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do MJSP, acontece após investigação que identificou “prática abusiva” por parte da empresa de tecnologia, que teria deixado vulneráveis dados de 443 mil usuários.

Segundo nota publicada no site da pasta, “o caso começou a ser investigado após notícia veiculada pela mídia, em 4 de abril de 2018, informando que os usuários do Facebook, no País, poderiam ter sofrido com o uso indevido de dados pela consultoria de marketing político Cambridge Analytica”, que ganhou notoriedade global por ter trabalhado na campanha presidencial de Donald Trump, nos Estados Unidos, e também para a campanha do Brexit, como é conhecido o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Pelo Twitter, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, destacou a decisão do ministério e afirmou que “as redes revolucionaram a forma pela qual nos comunicamos e expressamos, mas há questões sobre privacidade a serem consideradas”. O Facebook tem dez dias para recorrer da decisão.

VÍDEOS