Inscrições para o Programa Garantia-Safra foram prorrogadas

04 de novembro de 2020, 17:27

(Foto: Divulgação/SDR)

As inscrições para adesão ao Programa Garantia-Safra, Safra Verão, foram prorrogadas até o dia 10 de novembro de 2020. A homologação das inscrições e pagamentos de boletos ocorrerão entre 11 a 30 de novembro de 2020.  A prorrogação ocorreu após solicitação da Secretaria de Desenvolvimento Rural da Bahia (SDR), por meio da Superintendência da Agricultura Familiar (Suaf), junto ao Comitê Gestor do Programa.  Os prazos foram prorrogados com objetivo de permitir as adesões de municípios e agricultores familiares, referentes ao plantio 2020/2021, Safra Verão. Entretanto, o prazo para adesão à Safra Inverno permanece o mesmo, dia 22 de março de 2021.  O atraso das inscrições municipais, em sua maioria, havia sido justificado em decorrência da pandemia da Covid-19, que impossibilitou o atendimento aos agricultores familiares, previsto pelos gestores dos municípios.  Conforme Vinícios Videira, superintendente da Suaf, a Bahia se destaca dentre os estados da federação por possuir o maior número de adesões, menor inadimplência e maior número de agricultores beneficiados junto ao Programa. “A SDR, por meio da Suaf, possui importante papel na coordenação do Programa Garantia-Safra no Estado da Bahia, principalmente no acompanhamento e na orientação aos gestores municipais e agricultores familiares, além de contribuirmos com a Coordenação Nacional do Programa, juntamente com a Comissão Estadual, federações e sindicatos de trabalhadores e trabalhadoras rurais, dentre outros parceiros”, salienta Videira.  O Garantia-Safra (GS) é uma ação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que tem como objetivo garantir condições mínimas de sobrevivência aos agricultores familiares de municípios sistematicamente sujeitos a perda severa de safra por razão do fenômeno da estiagem ou excesso hídrico.  Agricultores familiares que possuem Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) ativa e renda familiar mensal de, no máximo, um salário mínimo e meio, e cultive feijão, milho, arroz, algodão ou mandioca em área correspondente a 0,6 a 5,0 hectares, que não foram objetos de financiamento e que sofreram perdas de produção em seus municípios igual ou superior a 50%, podem acessar o programa.  Os técnicos emissores de Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) nos municípios poderão acompanhar a evolução das adesões ao programa enviando mensagem para o e-mail garantia.safra@sdr.ba.gov.br.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Denúncia do MP-RJ contra Flávio Bolsonaro gera repercussão na mídia internacional

04 de novembro de 2020, 15:22

Os veículos internacionais destacam os reflexos da denúncia para a imagem do presidente da República. (Foto: Reprodução)

Adenúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) contra o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) repercute na mídia internacional nesta quarta-feira, 4. O filho do presidente da República, Jair Bolsonaro, é acusado de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa por um esquema de "rachadinha" no seu antigo gabinete na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Os veículos internacionais destacam os reflexos da denúncia para a imagem do presidente da República. O Financial Times, por exemplo,classifica o incidente como um "constrangimento" para o presidente. O jornal relembra que há poucas semanas, o mandatário afirmou ter dado fim à corrupção no Brasil ao falar sobre o fim da Lava Jato. A Bloomberg também citou a operação ao relembrar o afastamento do ex-ministro Sérgio Moro após o presidente ter sido acusado de querer interferir na Polícia Federal para blindar o filho mais velho das investigações. Para o jornal, a denúncia do MP-RJ é "mais uma dor de cabeça jurídica" para o mandatário, que segundo a publicação, se elegeu com uma "forte plataforma anti-corrupção em 2018". Na mesma linha, o britânico The Guardian compara o presidente com o líder dos Estados Unidos, Donald Trump, ao dizer que Bolsonaro se apresentou na campanha eleitoral como um "forasteiro da política e cruzadista anticorrupção que tiraria o Brasil da lama". Essa reputação tem se desfeito por causa de suspeitas em relação a Flávio, assim como denúncias contra os outros filhos, Carlos e Eduardo Bolsonaro, "envolvendo irregularidades financeiras e disseminação de informações falsas", segundo o veículo. "O caso aumentou a tensão política no Brasil, colocando a família Bolsonaro contra o Judiciário e a mídia", diz a notícia do Wall Street Journal sobre o caso. O jornal destacou a ameaça do presidente a uma jornalista em agosto após ser perguntado sobre transferências bancárias feitas por Fabrício Queiroz à primeira dama, Michelle Bolsonaro. Queiroz é um dos 16 ex-funcionários de Flávio Bolsonaro mencionados na denúncia do MP-RJ. Sobre o ex-assessor, o veículo argentino Clarín relembra que Queiroz foi preso em junho do ano passado na residência de um dos advogados da família Bolsonaro. O texto, originalmente publicado pela agência EFE, diz que "o caso não afeta diretamente o chefe de Estado", mas destaca que foram as investigações desse caso que identificaram os depósitos feitos de Queiroz para a primeira dama. Ainda sobre ele, o também argentino La Nación menciona que algumas linhas de investigação ligam o ex-assessor, que cumpre prisão domiciliar, "às temidas milícias paramilitares do Rio de Janeiro". O veículo pontuou ainda que "essa é a primeira denúncia contra um membro da família Bolsonaro desde que o mandatário assumiu o cargo em 2019". Fonte: Notícias ao Minuto 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Trágico ou cômico? A escolha é sua

04 de novembro de 2020, 14:38

* Por Gervásio Lima  -  Seria trágico se não fosse cômico, ou seria cômico se não fosse trágico? Para o momento que vive o mundo, em especial o Brasil, essas celebres frases se encaixam de trás para frente e de frente para trás; tão confusa e bagunçada a vida de boa parte da população. A forma da pronuncia não seria o fato relevante neste instante. Como na matemática, ‘a ordem dos fatores não altera o produto’, ou seja, na soma de dois diferentes números, não importa a ordem em que estejam, o resultado é sempre o mesmo. Incerteza, atribulação, intolerância, medo e outros sentimentos ruins estão permeando cotidianamente as sociedades. A ansiedade e a angústia convivem lado a lado, provocando apreensões e sofrimentos coletivos. Incitação ao ódio, disputa de poder, perda de direitos, desemprego, fundamentalismo, intolerâncias religiosas, de raça e de gênero, violência desenfreada e a pandemia são os principais temas da atualidade, onde a falta de empatia é uma realidade e já está causando prejuízos nas relações humanas. O cômico se transformou em sátiro e ao invés de engraçado e fazer rir (expressando alegria) passou a ser maledicente e sarcástico. Piadas de mau gosto, com significados dúbios são contadas irresponsavelmente até mesmo por aqueles que deveriam ser e dar exemplos, mas preferem pregar o conflito embasado em mentiras descabidas. Como uma espécie de ‘tsunami cívico’, comportamentos indecorosos têm levado o Brasil a um desastre moral nunca visto na história, com perdas de credibilidade, identidade e de protagonismo em diversas áreas. De lugar de destaque no mundo, a ‘nação canarinho’ sucumbe ao fracasso. Errar sem saber que está errando é inocência, enquanto que saber quer irá cometer um erro é um ato criminoso e desumano. Criar condições para que o semelhante sofra é ir de encontro a todos os princípios sociais e bíblicos, para os cristãos. Viver em comunidade é dividir o espaço de forma igualitária, agindo de forma que todos sejam beneficiados com os mesmos direitos. O individualismo tem tornado as pessoas cada vez mais egoístas e instaurando um inédito desequilíbrio social. Está aí o tamanho da responsabilidade da escolha consciente daqueles que serão os representantes nas câmaras e prefeituras dos municípios brasileiros. Ao se encontrar com a urna eleitoral, na cabine de votação, é bom lembrar que a soberba é um dos piores defeitos do ser humano. Na Escritura Sagrada “a soberba precede a queda, comanda as intenções do mentiroso e dirige a vida do ladrão”, por tanto é sempre bom atentar para o que está escrito: ‘o orgulho leva à destruição, e o espírito arrogante, à ruína’. * Jornalista e historiador

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Covid-19: Afinal, devo usar luvas além de máscara?

03 de novembro de 2020, 16:24

Se você acha que usar luvas é mais seguro, leia a opinião desses médicos. (Foto: Reprodução)

Ouso de luvas descartáveis parece ser uma tendência crescente entre os cidadãos que tentam se proteger do novo coronavírus. Contudo, será que a utilização deste acessório é realmente necessária para travar a pandemia? Não, a maioria das pessoas não necessita de usar luvas em espaços públicos, conforme explica um artigo publicado no jornal San Francisco Chronicle. Anne Liu,médica de doenças infecciosas e professora associada clínica na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, afirma que a probabilidade do uso de luvas evitar o contágio pelo novo coronavírusé "bastante menor do que ao usar máscara". Por uma razão específica: se por um lado, alguns micróbios não conseguem sobreviver na pele humana; por outro lado, determinados germes prosperam e multiplicam-se nos materiais comumente utilizados no fabrico das luvas, comenta a especialista. "A minha preocupação é que as pessoas quando usam luvas tenham uma falsa sensação de segurança, e se sintam mais relaxadas quanto às duas coisas principais que estão sendo encorajadas pelas autoridades de saúde atualmente: manter o distanciamento social e lavar as mãos", diz Liuao San Francisco Chronicle. A médica conta que já viu indivíduos na rua de luvas esfregando a testa, tocando nos óculos, mexendo na carteira e em seguida tocando em superfícies partilhadas, e que assistiu ainda a outros comportamentos de risco que espalham ativamentegermes e derrotam o intuito inicial de usar o acessório. Mais ainda, as luvas têm de ser adequadamente retiradas das mãos para segurança dos utilizadores, evitando a propagação do víruse tal consiste em virá-las ao contrário durante a remoção e jogá-las de imediato no lixo. "É simplesmente melhor não usar luvas, tenha sempre gel desinfetante e use-o com frequência", salienta Liu. Fenyong Liu, professor de doenças infecciosas naBerkeley’s School of Public Health, na Universidade de Berkeley, na California, partilha a mesma opinião."Basta lavar e desinfetar as mãos regularmente", reforça. "Não há necessidade em usar luvas".

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Bahia sedia maior evento da gastronomia mundial: vem aí o Terra Madre Brasil

03 de novembro de 2020, 15:43

São mais de 50 atividades, 800 pessoas já pré-inscritas, 300 agricultores familiares e camponeses, além de milhares de ativistas de vários lugares do mundo (Foto: Divulgação/SDR)

Com atividades gratuitas para agricultores familiares, educadores, formadores de opinião e cozinheiros, vem aí a 3ª edição do Terra Madre Brasil (TMB), que acontece entre os dias 17 e 22 de novembro de 2020, em formato online. É o maior evento da gastronomia mundial, e vai reunir as Comunidades Slow Food no Brasil. Inteiramente dedicado à comida de verdade, o Terra Madre traz rodas de conversa, diálogos, oficinas do gosto, espaços educativos dedicados à cultura alimentar, apresentações artísticas, entre outras atrações, que têm o intuito de compartilhar ideias e questões, projetos da sociedade civil, políticas públicas e alianças com o setor privado, na busca de estratégias comuns, em um contexto de celebração da riqueza, da sociobiodiversidade de diferentes culturas alimentares do Brasil. Participam da programação a ativista Bela Gil, o presidente da Associação Slow Food do Brasil, Georges Schnyder, o fundador do movimento Slow Food, Carlo Petrini, a ativista e jornalista Soledad Barruti (Argentina), e muita gente ligada ao segmento. Serão realizadas apresentações artísticas, show com nomes como Chico César e Alessandra Leão, documentários e muito bate-papo. O Terra Madre Brasil 2020 será uma correalização da Associação Slow Food do Brasil e do Governo do Estado da Bahia, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR). O coordenador de Inteligência de Mercado do projeto Bahia Produtiva, Guilherme Souza, explica a importância de um evento como esse em Salvador: “Essa nova relação entre quem consome e quem produz encontrou na Bahia um ambiente próspero a partir de políticas públicas que valorizam a agricultura familiar, personagem central pelo lado da oferta nesta relação. Salvador é a cidade no Estado que concentra o maior número de consumidores e que, a partir do evento, e no seu legado, pode se transformar em um local onde esse conceito possa se tornar um ativo, um valor. Então, para a cidade são fundamentais eventos dessa natureza, que produzam legados para além dos dias de atividades”. São mais de 50 atividades, 800 pessoas já pré-inscritas, 300 agricultores familiares e camponeses, além de milhares de ativistas de vários lugares do mundo, que aguardam pela edição brasileira do Terra Madre. Confira a programação completa no site www.terramadrebrasil.org.br

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Um asteroide metálico vale US$ 10 quintilhões, mais que toda a economia da Terra

02 de novembro de 2020, 22:53

O 16 Psyche orbita o cinturão entre Marte e Júpiter e pode ser resquício de protoplaneta do período de formação do Sistema Solar (Foto: Reprodução)

Um asteroide descoberto no século XIX com órbita no cinturão entre Marte e Júpiter pode ser mais valioso que toda a economia da Terra. Um estudo publicado semana passada no Planetary Science Journal revelou que 16 Psyche, de 225 quilômetros de diâmetro, é inteiramente formado por ferro e níquel, que valeriam na cotação dos metais cerca de US$ 10 quintilhões. O valor representa mais de 10 mil vezes o valor do PIB (produto interno bruto) do mundo inteiro em 2019 —que, segundo o Banco Mundial, foi de US$ 87 trilhões. Mas não há planos para minerar o gigante espacial. Por isso esse número é apenas curioso e não realmente prático. “Nós já observamos meteoritos que são formados majoritariamente por metal, mas o Psyche pode ser único por ser um asteroide totalmente feito de ferro e níquel” — afirmou Tracy Becker, pesquisadora do Southwest Research Institute e líder do estudo. A novidade é que ele está enferrujando. "Fomos capazes de identificar pela primeira vez em qualquer asteroide o que pensamos serem bandas de absorção ultravioleta de óxido de ferro", disse Tracy Becker. "Esta é uma indicação de que está acontecendo um processo de oxidação no asteroide, o que pode ser resultado dos ventos solares atingindo a sua superfície." Para comprovar as observações realizadas pelo Hubble, a Nasa prepara o lançamento de uma espaçonave que viajará até o asteroide, como parte de um esforço maior para compreensão das origens dos núcleos planetários. A missão está programada para 2022, com chegada no asteroide prevista para 2026. Como asteroides metálicos são relativamente raros, o 16 Psyche oferece aos cientistas uma oportunidade única para observar como seria o núcleo de um planeta.  

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Por que os EUA votam sempre numa terça-feira de novembro?

02 de novembro de 2020, 17:43

(Foto: Reprodução)

No século 19, a agenda dos americanos era cheia, de modo que havia dificuldade para definir qual o melhor dia para escolher o novo presidente. A lei que define a terça-feira como o dia da votação nos EUA, assinada em 1845, foi feita para se encaixar na rotina da época. Na quarta, era a vez de ir às compras, em feiras e mercados, o que também envolvia pequenas viagens. E o sábado ficou de fora por ser o dia sagrado dos judeus. A lei também determina que a votação ocorra na terça-feira após a primeira segunda-feira de novembro, de modo a evitar coincidência com a festa de Todos os Santos, em 1º de novembro.E novembro foi escolhido por ser um período entre o final das colheitas e antes do inverno no hemisfério norte, cujas tempestades rigorosas dificultam as viagens. Nos anos 1840, ir à urna era um evento, para o qual as pessoas colocavam suas melhores roupas e muitas vezes levavam a família, embora apenas os homens brancos pudessem votar. Mantida desde então, a opção pela terça-feira gera criticas. A principal delas é que a data é atualmente um dia cheio de atividades, o que exige que os eleitores encontrem tempo para ir à sessão eleitoral em meio à rotina de trabalho ou de aulas. O dia da votação não é um feriado no país. Com as dificuldades de acesso, muita gente não vai. Na segunda metade do século 19, o comparecimento gravitava em torno de 70% a 80% dos adultos aptos a votar. Desde 1968, esse número fica quase sempre abaixo de 60%. O voto nos EUA não é obrigatório. A decisão pela mudança de data cabe ao Congresso. A Constituição americana não define a data nem as condições para a realização das eleições. Assim, antes da lei de 1845, cada estado escolhia um período diferente para a escolha presidencial, o que gerava confusão. Algumas iniciativas foram criadas nos últimos anos para tentar mudar o dia de votar, sem sucesso. O principal argumento é o de que realizar a votação aos fins de semana ou em um feriado levaria mais gente à urna, aumentando a participação popular. Já os defensores da terça dizem que se trata de uma tradição centenária e que seria mais difícil recrutar trabalhadores para atuar nas seções aos fins de semana. Neste ano, a pandemia de coronavírus tem ajudado a modificar esse cenário. Com o medo de contágio e de aglomerações no dia 3 de novembro, houve campanhas para estimular a participação pelo correio, e mais estados passaram a permitir votação antecipada. Neste ano, 45 dos 50 estados americanos adotaram o modelo, segundo levantamento do site Business Insider. Nessas regiões, as seções ficam abertas por dias ou semanas antes do dia oficial do pleito. Lá, os eleitores depositam as cédulas que receberam pelo correio ou obtêm uma na hora, a depender do estado. Assim, em vez de escolher apenas um dia da semana, os americanos podem acabar expandindo de vez o modelo de votação em várias datas possíveis, opção mais condizente com uma época de rotinas cheias, porém mais flexíveis. Até a publicação desta reportagem, 94 milhões de pessoas já haviam participado do pleito antes da data oficial, um recorde, de acordo com dados compilados pelo US Elections Project. No Ocidente, o domingo é o dia mais comum para escolher um novo governo. A data é a preferida na América Latina e na Europa. Já o sábado tem poucos adeptos, como Austrália e Nova Zelândia. A votação em dias de semana é mais frequente em locais que um dia foram colônias do Reino Unido –que vota numa quinta-feira. Canadá e Guiana preferem as segundas. A África do Sul, as quartas-feiras. A Irlanda costuma eleger políticos em sextas-feiras. Na Índia, onde há cerca de 900 milhões de pessoas aptas a votar, a votação é feita em várias datas, em etapas espalhadas entre dias úteis e fins de semana. Fonte: Folhapress 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Mulher perde 15 dentes após procedimento incorreto: “sinto vergonha de sorrir”

02 de novembro de 2020, 15:01

Michele Lima Oliveira, moradora de Santos, SP, afirma ter os dentes prejudicados por um tratamento odontológico realizado incorretamente após sofrer um acidente, em 2002 (Foto: Reprodução)

A autônoma Michele Lima, de 38 anos, perdeu 15 dentes por conta de um procedimento odontológico realizado incorretamente. De acordo com ela, há cerca de três meses, seus dentes começaram a quebrar e ela precisou arrancá-los. As informações são do G1. Michele, que mora em Santos, no litoral de São Paulo, contou ao G1 que teve fraturas na mandíbula após sofrer um acidente de trânsito. Na época, ela precisou utilizar pinos e peças de platina, além de um aparelho dentário, para corrigir a dentição. No entanto, em agosto deste ano a autônoma começou a sentir fortes dores nos dentes e na gengiva. Ao passar por consultas com dentistas, ela descobriu que seus dentes estavam quebrando. “O dentista explicou que meus dentes estavam quebrando de dentro para fora, pela raiz, e que precisaria arrancar. Tirou mais ou menos 15 dentes da parte de trás. Agora, só sobraram os dentes da frente, que também estão quebrados”, afirmou Michele ao G1. Conforme a autônoma, o dentista atual também explicou que o aparelho utilizado no reparo da dentição, aplicado após o acidente, foi instalado incorretamente. “O aparelho só colocou meus dentes no lugar, mas não apertou. O dentista explicou que isso deixou eles fracos com o tempo e agora eles quebraram”, disse ao G1. “Hoje, eu sinto vergonha de sorrir, de conversar, não consigo me olhar no espelho, muito menos tirar foto sorrindo”, desabafou a autônoma. Ainda segundo Michele, os especialistas apontaram a colocação de próteses dentárias como solução para o problema. Como o convênio dela não cobre o implante, ela criou uma campanha de arrecadação virtual. “Não consigo custear o implante, minha autoestima está lá embaixo”, finaliza.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Entenda a origem e o significado do Dia de Finados

02 de novembro de 2020, 14:46

No Cemitério Campo Santo, em Jacobina (Ba), o Dia de Finados foi marcado pela pouca presença de visitantes (Foto: Notícia Limpa)

Na tradição da Igreja Católica, 1º de novembro é comemorado o Dia de Todos os Santos, quando se reza por aqueles que morreram em estado de graça, com os pecados perdoados. O dia seguinte foi considerado o mais apropriado para fazer orações por todos os demais falecidos, que precisam de ajuda para serem aceitos no céu.  É por isso que no dia 2 de novembro se celebra o dia de Finados. Os primeiros registros de orações pelos cristãos falecidos datam do século 1, quando era costume visitar túmulos de mártires. No ano 732, o papa Gregório III autorizou os padres a realizar missas em memória dos falecidos. Não demorou para o 2 de novembro ser adotado em toda a Europa. Com a chegada do ano 100, acreditava-se que o mundo acabaria, por isso era preciso rezar para as almas saírem do purgatório antes disso. A partir do século 15, o feriado se espalhou pelo mundo. Cada parte do mundo celebra esta data a seu modo. No México, por exemplo, existe a chamada “Festa dos Mortos”  que une a celebração católica a antigos rituais astecas. Já no Brasil, a tradição é ir aos cemitérios levar flores, acender velas e rezar pelos entes queridos que já morreram.  

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Anatel abre consulta pública sobre migração de emissoras AM para FM

02 de novembro de 2020, 14:33

Serão atendidas 17,4% emissoras AM. Quando considerado o total de estações FM, a ampliação será de cerca de 5% (Foto: Reprodução)

AAgência Nacional de Telecomunicações (Anatel) colocou em consulta pública a abertura de novos 360 canais de rádio em frequência modulada, conhecida popularmente como FM. O objetivo é abrir espaço para emissoras que hoje transmitem em ondas moduladas, conhecidas como AM, para a transição à nova faixa. Serão atendidas 17,4% emissoras AM. Quando considerado o total de estações FM, a ampliação será de cerca de 5%. De acordo com a Anatel, com essa transição a demanda por novos canais será regularizada, concluindo o processo de transição. A transferência entre as faixas foi uma política a partir da demanda das emissoras. A Anatel recebeu no total 1.659 solicitações. Até agora, 1.256 já foram atendidas. Com esta consulta pública, os 365 restantes serão resolvidos. A migração destes canais era impossível, pois a quantidade de estações já havia chegado ao limite do que o espectro de radiofrequências comporta nas cidades. Contudo, uma nova norma permitiu o uso de uma faixa maior do FM, que em vez de começar no 88 terá início no 76. Segundo o superintendente de Outorgas e Recursos à Prestação da Anatel, Vinícius Caram, há emissoras que reclamaram da inserção na faixa do FM estendido. “Todos querem ficar na faixa convencional, de 88 a 108. É natural ter receio de não estar na faixa convencional. Mas temos portaria do Ministério da Economia incentivando equipamentos de FM a terem o dial do 76 a 108”, pontua. No site da Agência é possível acessar a consulta. No texto da sondagem estão discriminados os canais por cidade, com informações sobre cada um deles. As contribuições podem ser submetidas até o dia 9 de novembro.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

55% deixaram de pagar alguma conta em outubro por causa da pandemia

31 de outubro de 2020, 10:00

Para minimizar o impacto da pandemia, o governo pagou parcelas de R$ 600 como auxílio emergencial a trabalhadores informais (Foto: Reprodução)

Levantamento do PoderData mostrou que 55% dos brasileiros deixaram de pagar alguma conta por causa da crise econômica gerada pela pandemia de covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. O percentual oscilou para baixo em 2 pontos em relação aos últimos 2 levantamentos, feitos no final de setembro e no meio de outubro. Em ambos, 57% afirmaram ter deixado de honrar com compromissos financeiros no período. A porcentagem de pessoas que afirmou ter pago as contas ficou em 42%. O índice subiu 3 pontos percentuais em relação à última pesquisa. A pesquisa foi realizada pelo PoderData divisão de estudos estatísicos, do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes. Os dados foram coletados de 26 a 28 de outubro, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 488 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os brasileiros que representem de forma fiel o conjunto da população. highlights demográficos Quem mais deixou de pagar as contas são aqueles que não tem renda fixa ou estão desempregados (73%) e os que tem de 25 a 44 anos (63%). Na distribuição por regiões do país, apenas 2 em cada 10 moradores do Norte afirmam não ter tido problema com as contas. No Nordeste são 65% os inadimplentes. O grupo que teve menos problemas com as contas, foi dos que recebem mais de 10 salários mínimos (87%), de 5 a 10 salários mínimos (70%), de quem mora no Sul (63%) e de quem tem ensino superior (62%).

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Novembro: o mês dedicado aos cuidados com a saúde do homem

31 de outubro de 2020, 09:27

Complicações do câncer de próstata, doenças cardíacas e DSTs são evitados com a ida ao consultório do urologista (Foto: Reprodução)

Dificilmente o homem percebe que está com câncer de próstata. De acordo com o urologista do Hospital Água Claras, Fransber Rodrigues, a doença, em estágios iniciais, pode ser confundida com o aumento benigno da próstata, que gera distúrbios urinários nos homens. Em fase avançada, pode gerar dor nos ossos, e, na fase mais grave, insuficiência renal. Fransber reforça que a forma mais prudente de diagnóstico é por meio da vigilância frequente. “A partir dos 50 anos, o homem deve começar a visitar o urologista, pois nessa idade a incidência do câncer de próstata começa a aumentar. Caso haja antecedentes familiares da doença, é bom que ele comece a investigação aos 45 anos. É preciso observar fatores de risco, como tabagismo e consumo excessivo de álcool. Estudos demonstram que a doença pode ser mais agressiva em homens negros, que devem estar ainda mais atentos. A indicação é que o homem vá conversar com o urologista quando atingir a idade”, esclarece. Outro assunto polêmico é o exame de toque da próstata. Segundo o médico, essa é uma das formas de diagnosticar o câncer. Porém, nenhum paciente é obrigado a se submeter a essa avaliação. “A orientação dos médicos é fazer o toque em todo homem para a detecção do câncer de próstata, mas esta é uma decisão particular e não pode ser forçada”, observa o urologista. Mesmo que ainda haja um certo tabu, o médico afirma que o estigma tem diminuído muito, principalmente por conta da quantidade de informação disponível. De acordo com Fransber, muitos homens começaram a entender que ir ao urologista não é sinônimo de fazer apenas o toque, mas sim de realizar outras avaliações e orientações essenciais para a vida deles. O médico afirma que tudo é conversado, orientado e personalizado dentro do consultório. Quando diagnosticado o câncer de próstata, há várias possibilidades de tratamento. O médico elenca: cirurgia, radioterapia, bloqueio hormonal, quimioterapia e uso de medicações radiomarcadas. “Há diversas modalidades, cada uma para um estágio e característica da doença. O importante é ter o diagnóstico precoce e iniciar o tratamento o quanto antes. Assim, as taxas de mortalidade se seduzem muito”, enfatiza. Sobre a cirurgia, o urologista aponta que, nos últimos anos, a técnica cirúrgica e a tecnologia envolvidas têm melhorado enormemente, incrementando os resultados e a qualidade de vida do paciente. “A cirurgia robótica, por exemplo, é uma grande aliada, pois provoca menos dor, resulta em menor perda de sangue, diminui o tempo de uso de sonda, propicia o retorno mais precoce às atividades cotidianas, entre outras vantagens, Seja qual for o tratamento, o importante é ter orientação qualificada para tomar uma decisão conjunta”, finaliza. Entre outros assuntos importantes na vida dos homens, novembro foi escolhido como o mês em que a sociedade se mobiliza para conscientizá-los sobre os cuidados com a própria saúde. 10 coisas que todo homem precisa saber sobre a ida ao urologista: A visita ao urologista não é só para tratar do câncer de próstata. Entre outros assuntos, os homens devem se dirigir ao consultório para fazer uma avaliação geral da saúde, isto em diferentes idades. Confira agora uma entrevista com o urologista do Hospital Águas Claras Eurico Lopes, que desmistifica dúvidas frequentes sobre a ida ao urologista. 1. A partir de que idade o homem deve começar a fazer exames? Em todas as faixas etárias. Na infância, os pais devem estar atentos à formação genital da criança e, caso haja alterações, consultar um Urologista Pediatra. Na adolescência, é preciso estar atento ao desenvolvimento dos órgãos genitais, prevenção e tratamento das infecções sexualmente transmissíveis, disfunções miccionais e orientações sobre a vida sexual e reprodutiva. Na fase adulta, é preciso acompanhar a função sexual e reprodutiva e, após os 50 anos, todos os homens devem fazer a prevenção do câncer de próstata anualmente. Nessa idade, além da prevenção do câncer, o urologista vai acompanhar alguns problemas frequentes, como o aumento benigno da próstata, cálculos renais, disfunções sexuais, alterações hormonais e outros cânceres urológicos. 2. Quais são as principais doenças que acometem a população masculina? As doenças mais comuns são câncer de próstata, obesidade, doenças cardiovasculares, câncer de pulmão, diabetes, câncer de pele, doenças hepáticas, cálculos renais e pneumonia. 3. Por que os homens negros estão mais propensos a ter câncer de próstata? Alguns estudos sugerem que homens negros apresentam maior risco de ter polimorfismo de determinados genes (mutações) e, além disso, absorvem menos luz solar e radiação ultravioleta, o que reduziria a concentração sérica de vitamina D, que protege o organismo do câncer de próstata. Existem outras doenças que afetam os homes negros com maior frequência: alguns tipos de melanoma (câncer de pele), anemia falciforme, hipertensão arterial e diabetes. 4. De quanto em quanto tempo o homem deve ir ao médico? É recomendável que sejam feitas consultas anualmente ou, sempre que houver algum sintoma ou sinal. O exame periódico deve ser incorporado à rotina masculina. O urologista está para o homem assim como o pediatra está para as crianças e o ginecologista para as mulheres. 5. Quais são os principais exames para a saúde do homem? O homem deve fazer periodicamente exames cardiológicos, exames laboratoriais – sangue (colesterol, triglicerídeos, glicose, função renal e hepática, dosagens hormonais, PSA), exames de imagem (ultrassonografia de rins, vias urinárias e próstata) e outros exames específicos de acordo com a necessidade. 6. Existe algum tipo de autoexame que o homem possa fazer para detectar alguma doença? O homem deve aprender a fazer a palpação dos testículos e identificar possíveis alterações, por exemplo, veias dilatadas na bolsa testicular (varicocele), aumento e endurecimento do testículo, presença de nódulos. Além disso, pode identificar outros sinais de infecções sexualmente transmissíveis, como verrugas genitais, feridas e secreção no canal uretral. Em relação ao exame de próstata, não há como fazer autoexame. Apenas o urologista deve fazer o exame. 7. Como funciona o exame de toque? Todos os homens devem fazê-lo? O toque retal identifica alterações na próstata (áreas endurecidas, nódulos, irregularidades) que possam estar relacionadas ao câncer. É fundamental na avaliação prostática. O procedimento é rápido, dura segundos, e é praticamente indolor. Todos os homens em idade de rastreamento do câncer prostático devem fazer, porque cerca de 20% dos tumores de próstata ocorrem com PSA normal. 8. Qual exame deve ser feito antes do de toque? O toque retal deve ser associado à dosagem do PSA, pois pode haver a presença de câncer mesmo com níveis de PSA normais, em caso de tumores ainda muito pequenos ou localizados em áreas inacessíveis ao toque. A combinação do toque retal e PSA possibilita o diagnóstico em cerca de 80% dos casos. Além disso, o urologista deve solicitar outros exames de acordo com a necessidade de cada caso. 9. A falta de higiene é a maior causa de câncer de pênis? O câncer de pênis é associado a baixas condições socioeconômicas e de instrução. A limpeza diária do pênis com água e sabão é fundamental para evitar o acúmulo de secreções, que podem causar a proliferação de bactérias e a ocorrência de infecções. Além disso, outras condições, como fimose e HPV, aumentam o risco. A fimose (excesso de pele que recobre a cabeça do pênis) não permite que a glande seja exposta e, dessa forma, prejudica a limpeza do órgão. O papilomavírus humano (HPV), transmitido por meio de relações sexuais desprotegidas (sem uso de preservativo), é uma das causas da doença. O fumo também é considerado um fator de risco. 10. Quais são os principais mitos e verdades sobre as consultas masculinas com o urologista? A ideia de que o homem é o sexo forte, incutida no ideário masculino desde a infância, faz com que os homens não procurem atendimento médico preventivo. Normalmente vão ao consultório apenas quando sentem algum sintoma e, mesmo assim, incentivados por uma mulher (esposa, mãe ou filha). Além disso, muitos ainda pensam que o urologista é um especialista que atende exclusivamente homens, quando, na verdade, é o especialista que diagnostica, trata e previne doenças que envolvem os órgãos urinários de homens e mulheres e dos órgãos genitais masculinos e suas funções.Hospital Brasília

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Os 7 alimentos que são ladrões de energia

Você provavelmente já ouviu falar e leu bastante sobre alimentos e suplementos que aumentam sua disposição e te deixam mais animado para encarar um treino ou até mesmo as tarefas do dia a dia. Mas também existe o outro lado dessa moeda. Não faltam vilões neste mundo na nutrição: os alimentos que são ladrões de energia e podem atrapalhar bastante sua rotina na corrida ou até mesmo se tornar um obstáculo numa prova.

Esses “ladrões” de energia atuam de diferentes maneiras no organismo. Em alguns casos, oferecem tanto açúcar que, num primeiro momento, essa elevada taxa de glicose resulta em mais disposição, mas, logo em seguida, a insulina liberada para normalizar essa glicose faz justamente o caminho contrário. E aí o cansaço chega com tudo.

Também tem aqueles alimentos que dão tanto trabalho para o sistema digestivo que muitos nutrientes são desviados para ajudar nesse processo, fazendo com que eles faltem na produção de energia em outras funções do organismo. Resultado: o corpo logo sente essa queda de disposição.

Para te ajudar a evitar esse cansaço causado pela má alimentação, acionamos três especialistas para fazer uma lista dos maiores ladrões de energia, suas principais armas e como combatê-las. Confira!

Os ladrões de energia 

Carboidratos simples

Alimentos com farinhas brancas vão roubar energia se consumidos em excesso. “Em um pré-treino, por exemplo, são aliados, mas viram vilões se não houver uma atividade física depois”, pondera Mayara Ferrari, nutricionista funcional esportiva. “Isso acontece porque a quantidade de açúcar no sangue fica muito elevada e o pâncreas libera mais insulina para quebrar todos esses carboidratos. Isso pode causar uma grande redução de açúcar no sangue, resultando em fadiga e falta de energia.”

Sal

Aquele sal extra para dar mais gosto à comida pode te deixar mais cansado. Em quantidade exagerada, o sal aumenta a pressão arterial e deixa o organismo mais desidratado porque mais água é necessária para compensar. “Ele prejudica o funcionamento adequado do organismo, que ficará a todo momento buscando esse equilíbrio. Isso dará uma sensação de cansaço e fadiga. Esporadicamente um pouco de sal não tem problema, mas abusar dele diariamente ou usar em grande quantidade é bastante prejudicial”, adverte Mayara.

Alimentos gordurosos e frituras

A gordura em excesso dificulta a digestão e atrapalha a chegada dos nutrientes à corrente sanguínea. “Como possuem uma digestão mais
lenta, eles fazem com que a circulação se concentre na região abdominal por mais tempo. Isso causa uma sensação de letargia e sonolência durante a digestão, que pode passar de três horas. E isso não é bom para quem vai se exercitar, pois precisará de boa circulação nos membros”, alerta a nutricionista Lara Natacci.

Doces

A lógica nesse caso é parecida à dos carboidratos simples: como eles são ricos em açúcar, dão um pico de energia no primeiro momento porque aumentam a quantidade de glicose no sangue, mas se a pessoa não for praticar uma atividade física logo em seguida, essa disposição logo pode virar cansaço. “O organismo vai aumentar a secreção de insulina para normalizar a glicemia, que é a quantidade de glicose no sangue. Por isso, a sensação de aumento de energia deve durar pouco e dar lugar à fadiga”, reforça Lara Natacci.

Café

O café, um dos estimulantes mais populares, também pode roubar sua energia. Ele realmente gera mais disposição num primeiro momento, mas sua ação no sistema nervoso tem como um dos efeitos a fadiga. “A cafeína, no cérebro, obstrui os efeitos da adenosina, substância que ajuda na transferência de energia e na promoção do sono, dando o efeito estimulante”, explica André Lemos, médico nutrólogo. “Por outro lado, também inibe a degradação da acetilcolina, que aumenta o estímulo muscular. E a consequência disso são o cansaço e a debilidade”, completa.

Corantes e conservantes

Presentes em muitos produtos industrializados, como nuggets, embutidos (salame, presunto, mortadela, peito de peru) e salsichas, eles
modificam o funcionamento adequado do organismo, que tenta repor o que os corantes “tiram” no processo de digestão. “Eles causam uma cascata de processos inflamatórios e oxidantes. Para reverter essa situação, disponibilizamos muitas vitaminas e minerais, fazendo com que o restante do organismo não funcione adequadamente”, destaca Mayara.

Refrigerante

O refrigerante é um dos “ladrões de energia” mais temidos. Alguns maratonistas e ultramaratonistas o utilizam durante provas quando já estão acostumados a seus efeitos, inclusive psicológicos, mas, para o organismo, eles não têm nada de “bonzinhos”. Isso porque o refrigerante, em geral, tem tudo em excesso: açúcar, sódio e corantes. Assim, desencadeia todos os processos já descritos de uma só vez. Além disso, estudos apontam que o refrigerante ainda pode atrapalhar o padrão de sono, prejudicando o descanso e interferindo na disposição.

VÍDEOS