NOTÍCIAS EM DESTAQUE


Casos de coronavírus podem chegar a 5 mil nos próximos dez dias, aponta estudo

18 de março de 2020, 08:58

No melhor cenário estimado pelos pesquisadores, o País teria, em 26 de março, 2.314 casos; na hipótese mediana, 3.750 (Foto: Getty)

Até o próximo dia 26, o número de casos do novo coronavírus  no Brasil poderá subir até 25 vezes, ou 2.400%. Com isso, os registros chegariam a 5 mil, a maioria em São Paulo. A previsão está na primeira nota técnica do Núcleo de Operações e Inteligência em Saúde (Nois), formado por cientistas da PUC-RJ, Fiocruz e Instituto D'or. O grupo vai monitorar sistematicamente a curva de crescimento do número de casos no País para municiar autoridades de saúde para o enfrentamento da epidemia. No melhor cenário estimado pelos pesquisadores, o País teria, em 26 de março, 2.314 casos; na hipótese mediana, 3.750. Em São Paulo, onde se concentram 68% dos casos do Covid-19 no Brasil, a previsão é de que o número de doentes seja, no cenário mediano, de 2.550 (podendo variar entre 1.573 e 3.380). No Rio, seriam 450 casos confirmados dentro de dez dias (variando de 278 a 596). Mesmo nos piores cenários, as previsões tendem a ser tímidas. Até agora as orientações no Brasil têm sido no sentido de que apenas os casos mais graves sejam testados para coronavírus. Não são submetidos a testes os casos mais brandos e assintomáticos. Eles podem ser contagiosos e respondem por cerca de 80% do total. A Organização Mundial de Saúde (OMS) tem recomendado testar o maior número possível de pessoas. O País, porém, não tem ainda estrutura hospitalar ou mesmo kits de diagnóstico em número suficiente para fazer esses testes. Tem priorizado os casos graves. O Ministério da Saúde já admitiu rever o procedimento, mas, por enquanto, é a que vale no Brasil. De acordo com os especialistas envolvidos no levantamento, a decisão de fazer previsões de apenas dez dias tem por objetivo ser o mais preciso possível. Eles também querem oferecer aos gestores um horizonte próximo para dimensionar recursos e insumos. "É muito difícil fazer previsões a médio e longo prazo nesses casos", explicou o infectologista Fernando Bozza, chefe do Laboratório de Medicina Intensiva do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, da Fiocruz, e coordenador de pesquisa do Instituto D´Or. "Em previsões de três meses ou mesmo de um mês, os números seriam muito díspares. Por isso, optamos por fazer previsões mais curtas, de dez dias, e em três cenários diferentes, para que sejam mais seguras." Os cientistas partiram do cenário em 15 de março, quando o Brasil tinha 200 casos confirmados. Para criar o modelo, eles se basearam na evolução da epidemia nos países que apresentavam as maiores séries históricas de dados: Irã, Itália, Espanha, França, Alemanha, Estados Unidos, China e Coreia do Sul. Para o melhor cenário, por exemplo, os especialistas fizeram a previsão do Brasil com base nos dados da Coreia do Sul. Para o pior cenário, a evolução da curva seria similar à de Irã e Itália. "A gente separou os países em grupos com comportamentos semelhantes e reproduzimos o comportamento do Brasil para aqueles padrões", explicou Bozza. A adesão às medidas de distanciamento social já adotadas pelos estados será crucial para determinar a evolução da curva. O modelo matemático, criado pela equipe do Departamento de Engenharia Industrial da PUC-RIO, será adaptado também na medida em que a realidade de cada país se alterar. Fernando Bozza explica que ainda estamos muito no começo da epidemia. Diz que ainda é difícil prever que caminho o País vai seguir. "Temos que ver como será a evolução nos próximos dias para entender qual curva o Brasil vai adotar", disse. O grande risco gerado por um crescimento exponencial no número de casos, como aconteceu na Itália, é gerar um colapso do sistema de saúde. Em média, estima-se que cerca de 20% dos casos são de pacientes mais graves. No cenário mais pessimista, teríamos aproximadamente mil pessoas precisando de internação hospitalar. "Nós temos uma capacidade hospitalar que não é desprezível, especialmente nos grandes centros", disse o pesquisador da Fiocruz. "Logicamente, essa capacidade não está distribuída de forma equânime entre o setor público e o privado, mas temos uma boa capacidade instalada (de leitos de UTI). Agora, se a epidemia atinge proporções muito maiores, não há capacidade instalada em nenhum lugar do mundo." Para o especialista, as medidas preconizadas pelo Ministério da Saúde e as já adotadas em muitos estados são positivas e chegam num ponto ainda precoce da epidemia. "A estratégia da testagem geral é muito boa, mas não é muito factível num país como o Brasil, que tem mais de 200 milhões de habitantes e limitações estruturais no sistema de saúde; em países menores é mais fácil", constatou Bozza. O pesquisador criticou, no entanto, a postura adotada pelo presidente Jair Bolsonaro, que classificou a reação mundial à pandemia de "histeria". "O ministro da Saúde (Henrique Mandetta) e os secretários têm sido muito enfáticos em sua mensagem", afirmou. "Mas a sinalização do Planalto é ruim e dificulta uma mensagem mais clara para a população."

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Link informando que beneficiários do Bolsa Família ganharão R$ 470 por causa do coronavírus no WhatsApp é falso

17 de março de 2020, 16:12

Resumindo: a história que aponta que beneficiários do Bolsa Família podem ganhar um bônus de R$ 470 do governo federal se compartilharem um link no WhatsApp é falsa (Foto: Reprodução)

Em meio a toda onda de informações falsas relacionadas ao novo coronavírus, só estava faltando uma promoção falsa para roubar os dados das pessoas. Não falta mais. E, no caso de hoje, os golpistas resolveram enganar beneficiários do Bolsa Família. De acordo com mensagens que estão circulando no WhatsApp, o governo federal resolveu garantir a beneficiários do Bolsa Família um saque de R$ 470 para a compra de produtos de limpeza e máscaras. Para ganhar o benefício, a pessoa teria que entrar em um site. Leia a mensagem que circula online: Todos os benefíciarios do Bolsa Família tem direito ao saque no valor de *R$470,00* para comprar produtos de limpeza e mascaras para prevenir o *CORONAVÍRUS!* *AGENDE SEU SAQUE:* [site] Ao entrar no site, a pessoa se depara com uma página com um design amador e a informação de que, para ter acesso ao benefício, a pessoa teria que responder a três perguntas e compartilhar o link do site com amigos no WhatsApp. Leia a mensagem do site: Para ajudar a COMBATER O CORONAVÍRUS, você benefíciario do Bolsa Família, tem direito ao saque no valor de R$470,00 para comprar produtos de LIMPEZA e MASCARAS para proteger sua Família! AGENDAMENTOS LIBERADOS ATÉ HOJE! Responda as perguntas abaixo: Você é benefíciario do Bolsa Família? Sim Não Você já fez o saque no valor de R$470,00 ? Sim Não Você gostaria de fazer o agendamento do seu saque? Sim Não SALDO DISPONÍVEL P/ SAQUE: R$470,00 Para que outras pessoas possam sacar o benefício, você tem apenas 1 etapa para cumprir. 1. Clique no botão COMPARTILHAR abaixo e compartilhe em 3 GRUPOS e 7 AMIGOS! 2. Depois que você compartilhar, você poderá confirmar o agendamento do seu saque! COMPARTILHE NO STATUS Este procedimento é obrigatorio! Beneficiários do Bolsa Família ganharão R$ 470 por causa do coronavírus em site no WhatsApp? A mensagem se espalhou com muita força na internet. Mas será mesmo que o governo federal liberou esses R$ 470 para quem tem Bolsa Família e compartilhar um link com amigos no WhatsApp? A resposta é não. Calma aí que a gente explica tudo para vocês. Quando nos deparamos com a mensagem em questão, já vimos sobre o que se tratava. Na realidade, a mensagem segue o enredo daquele velho golpe que só serve para roubar dados de internautas. Mesmo que você siga todos os passos, no final, nada acontece. Recentemente, falamos de três boatos muito parecidos que usavam como isca benefícios do governo: do falso Bolsa Escola, 13º salário do Bolsa Família e do auxílio-gás. Há até um vídeo sobre um dos assuntos. Assista: https://youtu.be/IpGEhSYl2PQ Mesmo com esse histórico de boatos, resolvemos verificar se o governo havia liberado essa verba extra do Bolsa Família por causa do novo coronavírus. Como era de se esperar, nada encontramos a respeito do assunto. O que há é uma proposta de ampliação do Bolsa Família. Mas nem está confirmada a informação tampouco há detalhes sobre como seria essa ampliação. Há também, no DF, um “bônus” para quem recebe o Bolsa Família para garantir a alimentação de crianças que não irão às escolas por 15 dias. Nenhuma das duas propostas tem como requisito o compartilhamento de links. Resumindo: a história que aponta que beneficiários do Bolsa Família podem ganhar um bônus de R$ 470 do governo federal se compartilharem um link no WhatsApp é falsa. Não passa de mais uma isca para golpistas roubarem dados no WhatsApp. Boatos.org

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Copa América e Eurocopa são adiadas para 2021 por causa do coronavírus

17 de março de 2020, 12:28

As decisões foram tomadas nesta terça-feira (17), em reuniões por videoconferência da Conmebol (confederação sul-americana) e da Uefa (entidade que comanda o futebol europeu) (Foto: Reprodução)

 A Copa América de 2020, que seria disputada de junho a julho na Argentina e na Colômbia, foi adiada para 2021 em razão da pandemia de coronavírus. A Eurocopa, o torneio de seleções europeias que estava previsto para o mesmo período da Copa América, também foi transferida para o ano que vem. As decisões foram tomadas nesta terça-feira (17), em reuniões por videoconferência da Conmebol (confederação sul-americana) e da Uefa (entidade que comanda o futebol europeu) com as federações dos países do seu respectivo continente. A possibilidade de transferir os eventos para o ano que vem ganhou força nos últimos dias, já que, com os torneios nacionais e continentais de clubes da Europa paralisados, não haveria tempo de terminar a temporada 2019/20 até o dia 12 de junho, data inicialmente marcada para o início tanto da Copa América quanto da Eurocopa.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Governador do Tocantins, Mauro Carlesse é alvo de operação da PF

17 de março de 2020, 12:20

governador do Tocantins, Mauro Carlesse (PHS) (Foto: Reprodução)

O governador do Tocantins, Mauro Carlesse (PHS), é alvo de uma operação da Polícia Federal nesta terça-feira (17/3). A Operação Assombro foi deflagrada para desarticular um grupo criminoso suspeito de desviar dinheiro público por meio da contratação de funcionários fantasmas. São cumpridos mandados de busca e apreensão na casa do governador e no gabinete dele, além de outros locais. De acordo com a PF, cerca de 80 policiais federais cumprem, ao todo, 14 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça, nas cidades de Palmas, Araguaína e Dueré. A ação é resultado de investigações conduzidas pela Polícia Civil nas primeiras fases da Operação Catarse, desencadeada em dezembro de 2018 no estado. De acordo com a PF, "além da obtenção de novas provas, com as ações de hoje, busca-se interromper a continuidade das supostas ações criminosas, delimitar a conduta dos investigados, melhor dimensionar a quantidade de funcionários 'fantasmas', identificar e recuperar ativos frutos dos desvios, além de resguardar a aplicação da lei penal". Os suspeitos poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. O nome da operação é uma referência a existência de “fantasmas” no governo estadual.  

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

São Paulo registra primeira morte por coronavírus no Brasil

17 de março de 2020, 12:11

(Foto: Reprodução)

O estado de São Paulo registrou a primeira morte por coronavírus no Brasil. A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Saúde, mas ainda não há detalhes sobre o paciente. O Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann, e o Coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, David Uip, vão realizar uma entrevista coletiva às 13h desta terça-feira, 17, para falar sobre o caso. São Paulo é o estado com o maior número de casos da doença. Até balanço desta segunda-feira, 16, eram 152 pacientes confirmados e mais de mil suspeitos. Nesta tarde, haverá uma nova atualização e, a tendência, é de que o número aumente. Na capital paulista, o prefeito Bruno Covas (PSDB) decretou estado de emergência em saúde. Isso significa que a prefeitura pode requisitar bens e serviços de pessoas naturais e jurídicas, com pagamento posterior de indenização justa e poderá adquirir bens e serviços destinados ao enfrentamento da emergência sem a necessidade de licitação. Já o governo do estado decretou a suspensão gradual das aulas em escolas públicas e expandiu a recomendação para escolas particulares. Também estão proibidos os eventos com mais de 500 pessoas, para evitar aglomerações. Serão fechados por 30 dias museus, bibliotecas, teatros e cinemas. O Ministério da Saúde orienta que a população fique em casa e só saia em caso de necessidade para diminuir a velocidade de contágio. O governo federal anunciou nesta segunda-feira, 17, um pacote emergencial de 147 bilhões de reais para atenuar os efeitos do coronavírus na economia.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Ibuprofeno deve ser evitado como tratamento para coronavírus

17 de março de 2020, 06:33

A ingestão de anti-inflamatórios [ibuprofeno, cortisona…] pode ser um fator para agravar a infecção. Em caso de febre, tome paracetamol. (Foto: Reprodução)

O uso de alguns anti-inflamatórios, como ibuprofeno e cortisona, pode piorar a doença causada pelo novo coronavírus. O alerta foi feito pelo ministro da Saúde da França, Olivier Véran, em uma publicação no Twitter, no sábado 14. https://twitter.com/olivierveran “A ingestão de anti-inflamatórios [ibuprofeno, cortisona…] pode ser um fator para agravar a infecção. Em caso de febre, tome paracetamol. Se você já está tomando medicamentos anti-inflamatórios, peça conselhos ao seu médico”, escreveu Véran, médico especializado em neurologia. A recomendação veio no mesmo dia em que o governo francês informou que “graves efeitos adversos” relacionados ao uso de anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) – a família de medicamentos que inclui o ibuprofeno – “foram identificados entre os pacientes” afetados pela Covid-19.  “Repetimos que o tratamento de febre ou dor associada à Covid-19 ou a qualquer outra doença viral respiratória deve ser paracetamol”, dizem as novas diretrizes do Ministério da Saúde da França. O alerta foi criticado por especialistas em saúde de outros países, que citaram a falta de evidências científicas sobre a associação entre o ibuprofeno e efeitos adversos do coronavírus. Porém, um estudo  publicado recentemente na renomada revista científica The Lancet mostra que medicamentos que ativam a ECA2, um receptor presente naturalmente no corpo humano, podem potencializar a ação do novo coronavírus. Isso acontece porque o novo coronavírus usa esses receptores ECA2 para invadir as células de suas vítimas, segundo um estudo anterior publicado na revista Science. Logo, a presença de uma maior quantidade desses receptores no organismo levaria a uma potencialização da ação do vírus. Vale ressaltar que o estudo da The Lancet foi apenas observacional e não indica uma relação de causa e consequência. Diversos estudos anteriores mostraram que o uso de anti-inflamatórios por pessoas com doenças infecciosas pode ser um risco porque eles tendem a diminuir a resposta do sistema imunológico do corpo. Um estudo publicado no BMJ mostrou que pacientes com infecções respiratórias, como tosse, resfriado e dor de garganta que receberam ibuprofeno em vez de paracetamol, tiveram maior probabilidade de sofrer doenças ou complicações graves. “Existem boas evidências científicas para o ibuprofeno agravar a condição ou prolongá-la”, disse o virologista Ian Jones, da Universidade de Reading, no Reino Unido, ao jornal The Guardian. “Não recomendamos anti-inflamatório por causa dos efeitos colaterais”, disse o infectologista Celso Granato, diretor médico do Grupo Fleury. O paracetamol, por outro lado, seria capaz de reduzir a febre sem atrapalhar a resposta do corpo à infecção.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jacobina: Carlos de Deus anuncia apoio à pré-candidatura de Tiago Dias e sua saída do PSB

16 de março de 2020, 16:24

Carlos de Deus e o pré-candidato a prefeito Tiago Dias (Foto: Notícia Limpa)

O anúncio da pré-candidatura para vereador do empresário Carlos de Deus foi um dos fatos políticos mais comentados nos últimos dias em Jacobina. O ex-vereador, responsável pela construção da nova sede da Câmara de Vereadores, quando esteve como presidente daquela casa, anunciou o seu desejo de retornar com o mandato. Carlos de Deus foi vereador por três mandatos, estando à frente da presidência da Câmara por duas vezes. Secretário de Transporte do governo do então prefeito Carlito Daltro, candidato a deputado federal, candidato a prefeito e vice-prefeito, Carlos é considerado um dos políticos mais experientes de Jacobina. Reconhecido pela sua empatia e austeridade com recursos públicos, seu desejo de retorno para o Legislativo Municipal vem sendo comemorado por amigos, familiares e correligionários. Além do anúncio da sua pretensão em concorrer a uma das 17 cadeiras de vereadores, outra novidade é o anúncio do seu apoio à pré-candidatura para prefeito do vereador Tiago Dias e a sua migração para o Partido Comunista do Brasil (PC do B). A sua ida para o partido comunista se deu por conta do anúncio da provável filiação do seu desafeto político e ex-prefeito Rui Macedo no Partido Socialista Brasileiro (PSB), o qual era presidente. Informações dão conta que a oficialização da filiação de Carlos de Deus ao PC do B acontecerá em breve e será marcada com um evento político.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jacobina: Enquanto a oposição não se decide, Luciano Pinheiro segue sua viagem

16 de março de 2020, 15:25

Com a aproximação do prazo oficial para a campanha eleitoral para a eleição municipal, as pedras políticas já começam a se movimentar no tabuleiro. Prováveis alianças são cogitadas, pré-candidaturas se aproximam de definições e trocas de legendas partidárias são autorizadas. O caldo político começa a engrossar. Os considerados fortes seguem na luta, enquanto os que não possuem sebo nas canelas vão ficando para trás. Não diferente de outros municípios, em Jacobina a corrida eleitoral começa a ganhar corpo e os nomes que reúnem reais condições de concorrer ao pleito deste ano passam a ser conhecidos pela população. Com exceção aos que já declararam não ter mais a intenção de concorrer pela renovação do mandato, como o vereador Doutor Pedro, os restantes que compõem a Câmara de Vereadores da cidade são candidatíssimos. Já para o Executivo a certeza até o momento é nome do atual prefeito Luciano Pinheiro que irá tentar a reeleição. O grupo de oposição ao seu mandato aparece com três prováveis nomes, o ex-deputado Amauri Teixeira (PT), o vereador Tiago Dias (PC do B) e a diretora do Núcleo Regional de Saúde (NRS), Kátia Alves (Podemos). Todos, até o momento, se colocam com pré-candidatos a prefeito. Do jeito que está Luciano venceria com tranquilidade a eleição para prefeito, pois a divisão dos votos dos seus opositores lhe beneficiaria, como aconteceu no pleito anterior quando concorreu contra três candidatos. Caso aconteça o consenso, e os demais nomes decidam pela união de forças, a reeleição do atual gestor estaria comprometida. Por incrível que pareça, contrariando a matemática e prevalecendo a lógica política, a disputa contra três candidaturas seria bem mais fácil do que contra apenas uma. A vantagem para o prefeito estaria no excesso da vaidade dos seus oponentes. Demonstrando a falta de um projeto político, onde a discussão coletiva está sendo sucumbida pelo egoísmo, partidos e pessoas querem mostrar forças numa mera disputa de poder em detrimento ao bem comum. Como se estivessem se precavendo de uma contaminação viral, os nomes que se apresentam em melhores condições para enfrentar Luciano Pinheiro nas urnas neste ano insistem no distanciamento, se comportando como se fossem inimigos e não integrantes da mesma corrente política. Até que se faça a terraplanagem, drenagem e pavimentação da estrada de cascalho, os que circulam em rodovias já pavimentadas estarão a quilômetros de distâncias. Uma coisa é real, enquanto a oposição não se decide, o prefeito Luciano segue sua viagem em rodovia sem curvas. Ano eleitoral é como uma corrida de fundo, o atleta que sair na frente inevitavelmente será o campeão da prova. Por Gervásio Lima Jornalista e historiador

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

OMS pede que países isolem infectados e comprometimento de líderes políticos

16 de março de 2020, 14:06

(Foto: Reprodução)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu nesta segunda-feira, 16, que os países com casos do novo coronavírus isolem os infectados para prevenir o avanço da pandemia. A entidade enfatizou a necessidade de isolar os doentes de grupos de risco como pessoas acima de 60 anos, grávidas e crianças. A OMS disse ainda que o coronavírus é a crise de saúde global definidora dos nossos tempos.  "A mensagem central é: testar, testar e testar", disse. Em sua fala, o diretor-geral, Tedros Adhanom Ghebreyesus, defendeu a necessidade de as pessoas saberem que pessoa lhe transmitiu o vírus e de manter as estratégias de contenção do risco. "Esta é uma doença séria. Embora as evidências sugiram que aqueles com mais de 60 anos corram maior risco, jovens, incluindo crianças, morreram", disse. "Essa é a crise global definidora dos nossos tempos. Os próximos dias, semanas e meses serão um teste da nossa confiança na ciência e um teste de solidariedade". Ele afirmou que crises como essa são um momento em que o melhor e o pior da humanidade afloram. "O espírito humano da solidariedade precisa se tornar mais infeccioso do que o vírus".  A OMS lembrou ainda que mesmo que a pessoa não esteja se sentindo mal, pode infectar alguém por até 14 dias. Por isso, é preciso respeitar o período de duas semanas após o fim dos sintomas. Visitas não são permitidas. A instituição disse que as ações de contenção e medidas restritivas são fundamentais para reduzir a pandemia. Questionadas sobre a ida do presidente Jair Bolsonaro a um protesto com apoiadores, as autoridades da OMS não responderam diretamente. "Precisamos de comprometimento político no maior nível porque essa pandemia não é só do setor da saúde, ela afeta todos os setores do governo. Os governos devem ser capazes de mobilizar a sociedade. Essa resposta depende de todos. É assim que podemos deter o vírus".

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

NASA admite rever plano de estabelecer base na Lua

16 de março de 2020, 14:04

Os críticos apontam motivos políticos por detrás dos planos da agência espacial (Foto: Reprodução)

Um dos executivos da NASA, Doug Loverro, anunciou que os planos da agência espacial em criar uma base na Lua podem vir a sofrer uma antecipação que chamou a atenção. A situação não está relacionada com o surto de Covid-19 mas sim com a necessidade de rever os custos financeiros e técnicos do projeto Gateway. O objetivo será tornar o projeto mais atraente a investimento estrangeiro, aponta o the Wall Street Journal. Os críticos têm considerado os planos da NASA muito ambiciosos por motivos políticos. O pouso na Lua, originalmente programada para 2028, foi remarcada para 2024, o que coincide com o final do (ainda não confirmado) segundo mandato de Donald Trump enquanto Presidente dos EUA.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Vagner Love admite má fase do Corinthians após empate contra o Ituano

16 de março de 2020, 13:58

O time comandado pelo técnico Tiago Nunes está sem vencer há seis rodadas (quatro empates e duas vitórias) (Foto: Reprodução)

Oatacante Vagner Love admitiu a má fase do Corinthians e lamentou o empate por 1 a 1 contra o Ituano, neste domingo, na Arena Corinthians (sem a presença da torcida), em São Paulo, pela 10.ª rodada do Campeonato Paulista. O time comandado pelo técnico Tiago Nunes está sem vencer há seis rodadas (quatro empates e duas vitórias). A última vitória foi no clássico contra o Santos, no dia 2 de fevereiro. O empate levou o Corinthians aos 11 pontos, na terceira colocação do Grupo D, seis pontos atrás do Red Bull Bragantino, líder da chave e já classificado às quartas de final. "Quando o resultado não vem a culpa é nossa. Tentamos lutar e correr atrás. É isso o que a gente vem fazendo. Não sei dizer se é má sorte. Não tem que vir aqui e dar explicação. Temos que ter a consciência de que a coisa não está boa para o nosso lado", admitiu Vagner Love, em entrevista à TV Globo, que entrou no segundo tempo na vaga do argentino Boselli e pouco produziu. Na 11.ª rodada, o Corinthians recebe o rival Palmeiras, no próximo domingo, às 16 horas, novamente na Arena Corinthians, até segunda ordem em jogo com portões fechados.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Miguel Reale Júnior defende que junta médica avalie sanidade mental de Bolsonaro

16 de março de 2020, 13:53

Jurista Miguel Reale Júnior (Foto: Andre Dusek/Estadão)

O jurista Miguel Reale Júnior, um dos que assinaram o pedido de impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT) defendeu nesta segunda-feira (16), em entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo", que uma junta médica faça uma avaliação para saber se o atual presidente, Jair Bolsonaro (sem partido) tem sanidade mental para o exercício do cargo. Para ele, que foi ministro da Justiça no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o presidente deve ser considerado "inimputável" em razão de ter participado de uma manifestação no domingo (15) que inclui pautas como o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF) em plena epidemia do coronavírus.  "Seria o caso de submetê-lo a uma junta médica para saber onde o está o juízo dele. O Ministério Publico pode requerer um exame de sanidade mental para o exercício da profissão. Bolsonaro também está sujeito a medidas administrativas e eventualmente criminais. Assumir o risco de expor pessoas a contágio é crime", afirmou o jurista.  O presidente ignorou a orientação de sua equipe médica e diretrizes do Ministério da Saúde para tratar a epidemia do coronavírus e participou, ontem, de ato a favor do seu governo. Ele deixou o isolamento que deveria fazer por ter tido contato com pelo menos 11 pessoas que estão infectadas.  Segundo Reale, a participação de Bolsonaro no ato fere a Lei 13.979, que foi sancionada pelo Executivo e regulamenta as ações para enfrentar a pandemia. O ex-ministro não defendeu, porém, o impeachment do presidente. "O impeachment é um processo muito doloroso". 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Os 7 alimentos que são ladrões de energia

Você provavelmente já ouviu falar e leu bastante sobre alimentos e suplementos que aumentam sua disposição e te deixam mais animado para encarar um treino ou até mesmo as tarefas do dia a dia. Mas também existe o outro lado dessa moeda. Não faltam vilões neste mundo na nutrição: os alimentos que são ladrões de energia e podem atrapalhar bastante sua rotina na corrida ou até mesmo se tornar um obstáculo numa prova.

Esses “ladrões” de energia atuam de diferentes maneiras no organismo. Em alguns casos, oferecem tanto açúcar que, num primeiro momento, essa elevada taxa de glicose resulta em mais disposição, mas, logo em seguida, a insulina liberada para normalizar essa glicose faz justamente o caminho contrário. E aí o cansaço chega com tudo.

Também tem aqueles alimentos que dão tanto trabalho para o sistema digestivo que muitos nutrientes são desviados para ajudar nesse processo, fazendo com que eles faltem na produção de energia em outras funções do organismo. Resultado: o corpo logo sente essa queda de disposição.

Para te ajudar a evitar esse cansaço causado pela má alimentação, acionamos três especialistas para fazer uma lista dos maiores ladrões de energia, suas principais armas e como combatê-las. Confira!

Os ladrões de energia 

Carboidratos simples

Alimentos com farinhas brancas vão roubar energia se consumidos em excesso. “Em um pré-treino, por exemplo, são aliados, mas viram vilões se não houver uma atividade física depois”, pondera Mayara Ferrari, nutricionista funcional esportiva. “Isso acontece porque a quantidade de açúcar no sangue fica muito elevada e o pâncreas libera mais insulina para quebrar todos esses carboidratos. Isso pode causar uma grande redução de açúcar no sangue, resultando em fadiga e falta de energia.”

Sal

Aquele sal extra para dar mais gosto à comida pode te deixar mais cansado. Em quantidade exagerada, o sal aumenta a pressão arterial e deixa o organismo mais desidratado porque mais água é necessária para compensar. “Ele prejudica o funcionamento adequado do organismo, que ficará a todo momento buscando esse equilíbrio. Isso dará uma sensação de cansaço e fadiga. Esporadicamente um pouco de sal não tem problema, mas abusar dele diariamente ou usar em grande quantidade é bastante prejudicial”, adverte Mayara.

Alimentos gordurosos e frituras

A gordura em excesso dificulta a digestão e atrapalha a chegada dos nutrientes à corrente sanguínea. “Como possuem uma digestão mais
lenta, eles fazem com que a circulação se concentre na região abdominal por mais tempo. Isso causa uma sensação de letargia e sonolência durante a digestão, que pode passar de três horas. E isso não é bom para quem vai se exercitar, pois precisará de boa circulação nos membros”, alerta a nutricionista Lara Natacci.

Doces

A lógica nesse caso é parecida à dos carboidratos simples: como eles são ricos em açúcar, dão um pico de energia no primeiro momento porque aumentam a quantidade de glicose no sangue, mas se a pessoa não for praticar uma atividade física logo em seguida, essa disposição logo pode virar cansaço. “O organismo vai aumentar a secreção de insulina para normalizar a glicemia, que é a quantidade de glicose no sangue. Por isso, a sensação de aumento de energia deve durar pouco e dar lugar à fadiga”, reforça Lara Natacci.

Café

O café, um dos estimulantes mais populares, também pode roubar sua energia. Ele realmente gera mais disposição num primeiro momento, mas sua ação no sistema nervoso tem como um dos efeitos a fadiga. “A cafeína, no cérebro, obstrui os efeitos da adenosina, substância que ajuda na transferência de energia e na promoção do sono, dando o efeito estimulante”, explica André Lemos, médico nutrólogo. “Por outro lado, também inibe a degradação da acetilcolina, que aumenta o estímulo muscular. E a consequência disso são o cansaço e a debilidade”, completa.

Corantes e conservantes

Presentes em muitos produtos industrializados, como nuggets, embutidos (salame, presunto, mortadela, peito de peru) e salsichas, eles
modificam o funcionamento adequado do organismo, que tenta repor o que os corantes “tiram” no processo de digestão. “Eles causam uma cascata de processos inflamatórios e oxidantes. Para reverter essa situação, disponibilizamos muitas vitaminas e minerais, fazendo com que o restante do organismo não funcione adequadamente”, destaca Mayara.

Refrigerante

O refrigerante é um dos “ladrões de energia” mais temidos. Alguns maratonistas e ultramaratonistas o utilizam durante provas quando já estão acostumados a seus efeitos, inclusive psicológicos, mas, para o organismo, eles não têm nada de “bonzinhos”. Isso porque o refrigerante, em geral, tem tudo em excesso: açúcar, sódio e corantes. Assim, desencadeia todos os processos já descritos de uma só vez. Além disso, estudos apontam que o refrigerante ainda pode atrapalhar o padrão de sono, prejudicando o descanso e interferindo na disposição.

VÍDEOS