NOTÍCIAS EM DESTAQUE


Nasa retira astronauta negra de viagem à Estação Espacial

19 de janeiro de 2018, 16:20

(Foto: © NASA)

Jeanette Epps seria primeira afro-americana na Estação Espacial Segundo a agência, que não deu maiores explicações, a astronauta retornará para o centro de comando de Houston e será levada em consideração para futuras missões. Ela será substituída por Serena Auñón-Chancellor, a primeira astronauta da Nasa de origem cubana. Epps é física e atuou durante sete anos na CIA, inclusive no Iraque. Ela chegou a aprender russo para trabalhar com seus colegas cosmonautas no espaço. Já Auñón-Chancellor é engenheira elétrica e fez um treinamento de nove meses na Rússia, além de acompanhar as operações médicas da tripulação da Estação Espacial. A Nasa já teve outros astronautas negros, mas nenhum deles viajou à Estação Espacial Internacional. A próxima partida para a Estação Espacial deve acontecer no próximo mês de junho. Com informações da Ansa.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Aposentada morre após se vacinar contra febre amarela

18 de janeiro de 2018, 19:18

(Foto: Foto: Álbum de família)

Mônika Oelkerf, de 76 anos, apresentou sintomas da doença viscerotrópica aguda, que ocorre em 1 a cada 400 mil doses aplicadas. A professora aposentada Mônika Oelkerf, de 76 anos, saiu de sua casa, em Ibiúna, no interior de São Paulo, no dia 8 de janeiro para se vacinar contra febre amarela, mas morreu oito dias depois em um caso extremamente raro de reação adversa à imunização. Mônika começou a sentir-se mal no dia seguinte à visita ao posto de saúde Dr. Darcy Bandeira. Com muito cansaço, febre, fraqueza e falta de apetite, ela foi levada a um pronto-socorro, onde familiares afirmam que ela apenas recebeu soro. Seu quadro não melhorou, e ela foi para a cidade de São Paulo, a 75 km de Ibiúna, para ser examinada no Hospital do Servidor. "No hospital, remontaram seu histórico clínico, pediram exames e diagnosticaram uma reação muito forte à vacina, dizendo que o corpo dela estava manifestando sintomas da doença", diz sua sobrinha-neta, Bianca Wiederin, de 28 anos, que acompanhou Mônika em sua internação em São Paulo. "Como o funcionamento do fígado e dos rins foi comprometido, ela foi para a UTI, onde uma equipe de infectologistas assumiu e fez o mesmo diagnóstico." Internada no dia 14, Mônika teve de ser entubada no dia seguinte e morreu no dia 16. No documento do hospital que acompanhou o corpo, enviado ao Serviço de Verificação de Óbito, está escrito na última linha: causa possível - febre amarela, reação vacinal. O laudo da morte da aposentada lista, entre os diagnósticos, hemorragia pulmonar, hepatite aguda, icterícia febril e febre hemorrágica, sintomas da doença viscerotrópica aguda (DVA), uma reação à vacina em que o paciente desenvolve um quadro semelhante ao da doença até dez dias após ser imunizado. Além disso, ela sofria de obesidade, arteriosclerose, diabetes e hipertensão. Estima-se que ocorra um caso de DVA para cada 400 mil doses aplicadas, segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Segurança e recomendações A vacina contra febre amarela é considerada altamente segura e, atualmente, é recomendada para quem tem entre nove meses - ou seis, em áreas consideradas de alto risco - e 59 anos de idade. Acima dessa faixa etária, o paciente deve se consultar com um médico para avaliar o estado do sistema imunológico e se o risco de contágio é alto ou não antes de se vacinar. Segundo a Fiocruz, o risco de reação adversa é ainda maior para quem tem acima de 70 anos, como era o caso de Mônika. Diabéticos e hipertensos como a aposentada não têm contraindicação para a vacina desde que estejam com os níveis de glicemia e pressão controlados. "Para mim, por questões de saúde e da idade, está claro que era contraindicado ela se vacinar", diz Bianca. "Mas uma senhora, longe da família, foi tomar. O posto não deveria ter vacinado sem entender o histórico dela." À BBC Brasil , a coordenadora de vigilância epidemiológica de Ibiúna, Elisângela Cardoso Pires, explicou ser "impossível" que a aposentada não tenha passado por uma avaliação ou triagem no posto de saúde. "Fazemos uma reunião uma vez por semana com enfermeiros e auxiliares de enfermagem, que prestam o atendimento nos locais de vacinação, para reforçar os critérios", afirmou Pires. A coordenadora disse ainda que Ibiúna foi considerada uma área de risco pelo Grupo de Vigilância Epidemiológica de Sorocaba [ligado à Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo]. "A região é cercada por mata e tem muitos cursos d'água. Além disso, tivemos cinco casos confirmados de macacos mortos com febre amarela em locais distantes entre si." Segundo Pires, isso significa que a aplicação da vacina em idosos dispensa a apresentação de uma carta de avaliação médica atestando o bom estado de saúde do paciente, informação confirmada pelo governo estadual. Logo, bastaria uma avaliação de saúde no momento da imunização e no próprio local de vacinação por um enfermeiro. A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo disse à BBC Brasil desconhecer o caso e informou que cabe aos municípios investigarem os casos de morte pela doença. "De 2017 até o momento, houve 40 casos autóctones de febre amarela silvestre confirmados no Estado. Vinte e um deles evoluíram para óbitos. Não há casos de febre amarela urbana no Brasil desde 1942", disse em um comunicado enviado à BBC Brasil.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Ronaldinho agradece em texto emotivo após aposentadoria

18 de janeiro de 2018, 18:44

A aposentadoria de Ronaldinho Gaúcho já era oficial, mas ainda faltavam as palavras do Bruxo. Na noite desta quarta-feira (17), o agora ex-jogador publicou uma bonita mensagem para se despedir do esporte que o consagrou. "Por enquanto, aqui vai meu muito obrigado [Ronaldinho usou um emoji de bola de futebol para agradecer a ela]. Aquela frase famosa 'gracias vieja' por ser a minha fonte de inspiração por tanto tempo e companheira de muitas vitórias! Obrigado a todos pelas mensagens e carinho! Um abraço forte, fui muito feliz fazendo deste esporte a minha vida e profissão", escreveu o craque em sua conta do Instagram. Como era de se esperar, dada a idolatria que gira em torno de Ronaldinho no mundo inteiro, o post viralizou em questão de pouquíssimos minutos. O brasileiro prometeu fazer um anúncio relacionado à aposentadoria em março deste ano. De acordo com Assis, irmão e empresário do ex-atleta, a ideia é que a despedida aconteça após a Copa do Mundo deste ano. Assis, contudo, afirma que ainda não há nada oficial em relação ao último jogo do meia. Após o anúncio da aposentadoria de Ronaldinho Gaúcho, jogadores e entidades do futebol do mundo inteiro prestaram homenagens ao brasileiro. Pelé foi um deles, assim como Neymar e o argentino Lionel Messi, um "pupilo" do agora ex-jogador durante o período em que atuaram no Barcelona. O atacante do PSG exaltou as habilidades do compatriota. "Que honra fazer parte da sua história. Sempre vou me lembrar da sua alegria em campo, você deixou um legado que dificilmente será batido no futebol arte", disse Neymar. Tão logo foi anunciada a aposentadoria, as histórias do craque começaram a ressurgir. Pessoas que conviveram com o meia-atacante relembram causos até incomuns das passagens de R10, especialmente durante os anos em que brilhou no Barcelona. Roupeiro do clube catalão durante anos, Txema Corbella contou um hábito peculiar do brasileiro. "Ronaldinho, depois de uma boa partida, quando o corpo estava relaxado, gostava de fumar um bom charuto, fumar um Cohiba [tradicional marca de charutos cubanos]", contou o ex-roupeiro do Barcelona, em entrevista concedida à rádio Cadena Ser. De acordo com o antigo profissional do clube, o hábito do charuto se tornou uma tradição de Ronaldinho. Boa atuação, um "cubano" na mão. Aliás, a postura do craque brasileiro nos vestiários do Barcelona foi elogiada pelo profissional, especialmente pelo tratamento dado a um Lionel Messi em início de carreira. Leia a mensagem na íntegra: "Obrigado, Sr. meu Deus, por esta vida que me deste, família, amigos e minha primeira profissão. Após quase três décadas dedicadas ao futebol, me despeço do meu maior sonho, sonho realizado. Fiz o que mais amei profissionalmente por 20 anos, e 10 como formação de base. Vivi intensamente este sonho de criança, cada instante, viagens, vitórias, derrotas, a resenha, hino nacional, a caminhada no túnel, vestiário, entrada em campo, as chuteiras que usei, as bolas boas e ruins, homenagens que ganhei, os craques que joguei, os que admirei e joguei e os que só joguei no play, mas admiro até hoje! Enfim tudo foi incrível!!! Meu pai e minha família me apoiaram muito pra chegar até aqui, foi um trabalho em equipe. Chegamos ao fim da primeira etapa com uma história bonita pra contar … Vocês me conhecem, e sabem bem que sou tímido e não tenho o costume de falar muito, mas tenho que dizer a vocês muito obrigado, de coração, de alma lavada, pois fiz o que amo com a ajuda de todos, treinadores, preparadores, comissões inteiras, dirigentes, torcida a favor e contra, o motorista do ônibus, o roupeiro, o gandula, o árbitro e a imprensa. Obrigado, construímos juntos esta história, sem vocês nada seria possível … No mês de março faremos um anúncio de como será esta despedida e os próximos passos. Por enquanto, aqui vai meu muito obrigado [Ronaldinho usou um emoji de bola de futebol para agradecer a ela]. Aquela frase famosa "gracias vieja" por ser a minha fonte de inspiração por tanto tempo e companheira de muitas vitórias!!! Obrigado a todos pelas mensagens e carinho!!! Um abraço forte, fui muito feliz fazendo deste esporte a minha vida e profissão." (UOL/FOLHAPRESS)

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Um pedreiro que lia livros

18 de janeiro de 2018, 18:32

  Em março de 1935, a Aliança Nacional Libertadora (ANL) foi criada sob a inspiração do Partido Comunista do Brasil, com a finalidade de defender a liberdade de expressão, nacionalizar empresas, realizar a reforma agrária, suspender a dívida externa, e instaurar o governo popular. Era formada por intelectuais, trabalhadores e militares, e teve curta duração. Já em novembro de 1935 aconteceram três levantes (rebeliões) militares nas cidades de Natal, Recife e Rio de Janeiro. A sublevação militar (revolta organizada) conhecida também com a ‘Intentona Comunista’ (termo pejorativo encontrado pela cúpula militar para desqualificar o movimento armado que o capitão do Exército Brasileiro Luís Carlos Prestes encabeçou), que pretendia derrubar o governo de Getúlio Vargas. Estes, talvez, tenham sido os principais acontecimentos ocorridos no Brasil em 1935, do ponto de vista político/histórico. Neste mesmo ano, mas precisamente no dia 24 de novembro, nascia em uma comunidade rural do município de Mundo Novo, José Ferreira da Silva. Filho do casal Maria de Jesus e Pedro Ferreira da Silva e, descendentes de escravos, José seria a alguns anos depois, ainda na adolescência, arrimo da família e, em busca de uma vida menos sofrida, após completar 20 anos de vida, migrou-se para a cidade de Jacobina em busca de melhoras. Com experiência de trabalho na construção civil, arte despertada ainda em sua infância, foi ajudante de pedreiro e logo depois, pela sua capacidade extraordinária de aprendizagem se tornou um excelente pedreiro e em seguida mestre de obra. Profissional capacitado, passou a ser bastante requisitado, o que não lhe faltou mais trabalho. Era a hora de juntar a família novamente. Seus irmãos (Ditinha, Adelaide, Maria e Lelinho) e seus pais acompanharam o filho pródigo que continuou sendo arrimo até que todos pudessem ‘caminhar com as próprias pernas’ na nova cercania. Admirado não apenas pelo profissionalismo, José passou a ser o reconhecido ‘José Pedreiro’, um homem inteligente, amigo, cumpridor de suas obrigações, sério e honesto. Todas as qualidades possíveis para um homem de bem o artesão da construção e da vida possuía e para completar e complementar a sua existência, veio o matrimônio com Dona Antônia Almeida Lima, com quem teve 7 filhos (Giorlando, Girleide, Geraldo, Genivaldo, Genival, Gessineide e Gervásio Lima). Bom marido e bom pai, virou referência para sua proles. O bom filho, o bom profissional, o bom marido e o bom pai, José Ferreira, o simplesmente Zé Pedreiro, gostava de ouvir boas músicas e ler livros e jornais. Era um homem diferenciado para ‘os padrões’ estabelecidos para sua época e para sua profissão. Graças a sua maneira de enxergar o mundo e o cuidar da família, seus filhos e netos puderam ser doutor em filosofia, médico, odontólogo, advogado, pedagogo, administrador de empresa, geografo, jornalista e historiador. No dia 20 de janeiro de 1998, ao 62 anos de idade, uma trombose, seguida por uma embolia pulmonar e uma parada cardíaca, lhe tiraram a vida. O então mestre de obras foi chamado pelo Criador. Vinte anos já se passaram e seus ensinamentos permanecem vivos e, assim como as construções que ergueu, o respeito e o amor continuam fortes e presentes na vida dos que tiveram o prazer de conhecer e conviver com José Ferreira da Silva. 1935, 1998 e 2018 ... Alegria, saudade, dor e orgulho se misturam. Te amo papai. Gervásio Lima.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Agricultores recuperam cerca de 220 quilômetros de estradas na Bahia

18 de janeiro de 2018, 18:21

Preocupados com a logística para escoamento da safra e garantindo melhor acesso para as famílias que vivem na zona rural, os agricultores baianos recuperaram, no último ano, 223,2 quilômetros de estrada na região oeste do estado. Reunidos por meio do Programa Patrulha Mecanizada da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), eles promoveram a recuperação e cascalhamento de trecho de 96 km de estrada vicinal em Jaborandi; 93 km na Estrada do Café, em Barreiras; e 33 km na Rodovia da Soja, em São Desidério. Com recursos do Prodeagro, Fundeagro e Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), vem sendo investidos recursos para a manutenção total das vias pelos agricultores, em parceria com as prefeituras. O trecho recuperado no ano passado compreende, comparativamente, a mesma distância entre a cidade de Luís Eduardo Magalhães e a divisa com o estado de Goiás, no distrito de Rosário, em Correntina. O coordenador do Patrulha Mecanizada da Abapa, David Tavares, explica que o programa vem trabalhando com uma equipe de 31 colaboradores que atuam ao longo de todo o ano. “O programa dispõe de 30 equipamentos próprios, dentre motoniveladoras, escavadeiras, rolos compactadores, tratores, caminhões, para executar os trabalhos de recuperação”, explica. Os agricultores já estão planejando novas parcerias para as melhorias das estradas vicinais da região, a exemplo da pavimentação asfáltica de 33 km da Rodovia da Soja, em São Desidério, recentemente recuperado pelo Patrulha Mecanizada da Abapa. Para o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, o programa é considerado uma referência em todo o Brasil. “Mostramos que os agricultores do oeste da Bahia estão unidos para vencer as dificuldades de logística para o escoamento da safra agrícola, reunindo esforços, juntamente com os municípios, contribuindo também para melhorar o acesso ao transporte e mais qualidade de vida para quem vive nas localidades da zona rural”, afirma. Preservação dos rios – Com a recuperação de estradas, o programa Patrulha Mecanizada também beneficia a preservação dos rios da região. “Os agricultores baianos estão fazendo a sua parte para diminuir o assoreamento dos rios através da recuperação das estradas. Neste trabalho, são levantadas barreiras de contenção e ‘barraginhas’ para evitar que sedimentos como areia, cascalho e pedra sejam levados pelas chuvas até os rios”, explica Busato. Além disto, os produtores também estão investindo na recuperação das nascentes dos rios que vem sendo prejudicadas principalmente pelo pisoteio do gado e com o assoreamento. Os produtores rurais, por meio da Abapa e da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) fecharam uma parceria com o município de São Desidério, onde estão previstos atuar em mais de 80 hectares abrangendo 11 comunidades rurais e compreendendo a recuperação de nascentes dos afluentes do rio São Desiderio, Guará, Boa Sorte e bacia do Rio Grande. Desde o início do projeto, em 2013, já foram recuperadas em cinco anos mais de 1000 km de estradas, com um investimento aproximado de R$ 20 milhões, com recursos dos agricultores baianos, por meio do IBA, Prodeagro, Fundeagro e parceria com os municípios e demanda espontânea dos próprios produtores. Informações da Ascom/Abapa.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

GOVERNO DA BAHIA ANUNCIA PUBLICAÇÃO DE EDITAL DO CONCURSO DA POLÍCIA CIVIL

18 de janeiro de 2018, 18:12

(Foto: Foto Alberto Coutinho)

A Secretaria da Administração do Estado (Saeb) publicou no Diário Oficial do Estado (DOE), o Edital Saeb 01/2018 de abertura de inscrições para o concurso público da Polícia Civil da Bahia. O anúncio foi realizado pelo governador Rui Costa, nesta quinta (18), durante o #PapoCorreria, transmitido ao vivo pelas redes sociais. "Fiquem atentos, pois é a regra do edital que vale, não adianta depois da prova tentar mudar as regras, pois elas visam dar estabilidade jurídica, segurança às pessoas. Com isso, nós vamos reforçando a segurança pública do Estado", disse o governador Rui Costa, durante o programa. O certame vai oferecer mil vagas na corporação, sendo 880 para investigador, 82 de delegado e 38 para escrivães. O impacto econômico das contratações será de R$ 31,4 milhões, em 2018. O concurso demonstra, mais uma vez, o compromisso do Governo do Estado em reforçar a segurança pública na Bahia. Entre 2015 e 2017, o Governo nomeou 2.557 novos policiais militares. Neste mesmo período, 796 novos policiais foram incorporados aos quadros da Polícia Civil. Contratou também 422 novos agentes penitenciários e 126 peritos para o Departamento de Polícia Técnica (DPT). Em junho de 2017, o Estado realizou concurso da Polícia Militar (PMBA) e Corpo de Bombeiros (CBMBA) com 2.750 vagas (duas mil para a PMBA e 750 para o CBMBA). Ainda em 2017, realizou concurso para oficiais, sendo 60 da PM e 30 para o Corpo de Bombeiros. As inscrições para o concurso da Polícia Civil começam às 10h (horário de Brasília) do dia 1º de fevereiro e ficarão abertas até 2 de março. As inscrições serão feitas exclusivamente pela internet, por meio do site da Fundação para o Vestibular da Universidade Júlio de Mesquita Filho - Fundação Vunesp. No website da instituição, os candidatos precisam clicar no link referente ao concurso público e efetuar a inscrição, conforme os procedimentos estabelecidos no edital. Após efetuar a inscrição, o site gera um boleto que deve ser pago na rede bancária. A inscrição apenas será considerada válida depois do pagamento. A taxa custa R$ 160 para os candidatos que vão disputar uma das vagas para delegado e R$ 140 para quem for concorrer aos cargos de investigador de polícia ou de escrivão. Os candidatos que vão concorrer a uma das vagas de delegado precisam ter diploma de conclusão do curso de bacharelado em Direito, devidamente registrado e reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). Já para os interessados em disputar os cargos de investigador ou de escrivão de polícia é exigido diploma de conclusão de curso superior (em qualquer área), devidamente registrado no MEC. Os investigadores deve possuir também Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida, categoria B, no mínimo. A remuneração inicial para os delegados de polícia, com regime de trabalho de 40 horas semanais, atingirá o valor de R$ 11.389,96. Já os investigadores e escrivães de polícia terão remuneração inicial de R$ 3.915,85, em regime de 40 horas semanais. Das 880 vagas para o cargo de investigador, 572 serão para ampla concorrência, enquanto 264 vão ser para candidatos negros, conforme a Lei Estadual 13.182/2014, que garante 30% do total para a para cota racial. Outras 44 vagas de investigador serão reservadas para pessoas com deficiência, de acordo com a Lei Estadual 12.209/2011. Para delegados, vão ser 53 vagas para ampla concorrência, 25 para negros e quatro para pessoas com deficiência. Já para escrivães serão 25 para ampla concorrência, 11 para negros e duas para pessoas com deficiência. O certame possuirá sete etapas, sendo seis eliminatórias. Primeiro serão realizadas as provas objetivas (1ª etapa-eliminatória) e as provas discursivas (2ª etapa-eliminatória), depois os exames biomédicos (3ª etapa-eliminatória), o teste de aptidão física (4ª etapa-eliminatória), o exame psicotécnico (5ª etapa-eliminatória), a prova de títulos (6ª etapa-classificatória) e a investigação social e de conduta pessoal (7ª etapa-eliminatória). Com informações da Ascom/Bahia.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Testemunha de fase da Lava Jato é morta com nove tiros na Bahia

18 de janeiro de 2018, 18:03

Reprodução

José Roberto Soares Vieira, de 47 anos, foi morto nesta quarta-feira (17) Dois meses depois de prestar depoimento à Polícia Federal, a principal testemunha das investigações que resultaram na prisão do ex-gerente da Transpetro na Bahia José Antonio de Jesus foi assassinada. José Roberto Soares Vieira, 47, foi morto nesta quarta-feira (17) com nove tiros na rodovia BA-522, em Candeias, Região Metropolitana de Salvador. Ele era um dos donos da JRA Transportes, empresa que teve como sócio entre 2011 e 2013 o filho do ex-gerente da Transpetro, conhecido como Zangado. José Antônio de Jesus foi preso provisoriamente no dia 21 de novembro do ano passado na 47ª fase da Operação Lava Jato. Ele foi acusado de receber propinas de subsidiárias da Petrobras por meio de empresas e contas bancárias de familiares. Os recursos, segundo o Ministério Público Federal, seria destinado ao PT da Bahia. À Polícia Federal, José Roberto Soares Vieira afirmou que a JRA Transportes foi usada por José Antônio de Jesus para receber pagamentos de empresas fornecedoras da Transpetro sem ter prestado qualquer tipo de serviço. Com base no depoimento, o Ministério Público Federal rastreou pagamentos de R$ 2,3 milhões para o ex-gerente da Transpetro. O depoimento também foi um dos elementos que embasaram o pedido da Procuradoria-Geral da República, acatado pelo juiz Sergio Moro, para que a prisão temporária de José Antônio de Jesus fosse transformada em preventiva -por tempo indeterminado. O ex-gerente da Transpetro está preso há quase dois meses em Curitiba. CRIME A delegada Maria das Graças Barreto, titular da delegacia de Candeias que comanda as investigações, disse à reportagem que "não há dúvida" de que a morte de José Roberto Soares Vieira foi vítima de crime planejado. Segundo as investigações, o homem que o matou foi à sede da transportadora à procura de Vieira nos últimos dois dias e informou a funcionários que estava oferecendo serviços para capinar e limpar o terreno da transportadora. Por volta das 11h40 de quarta, o homem abordou Vieira quando ele entrava na empresa, o atingiu com nove tiros e fugiu. Testemunhas também afirmam que Vieira andava preocupado com sua segurança. Horas antes de ser morto, ele deixou seu carro em uma revendedora em Salvador. O objetivo seria comprar um novo automóvel, com vidros blindados. No momento em que foi morto, ele estava em um carro locado. Segundo a delegada, a polícia trabalha com três linhas de investigação: queima de arquivo, vingança e crime político, já que a vítima era filiada ao PT e foi vice-prefeito da cidade de Ourolândia, norte da Bahia entre 2013 e 2016. O ESQUEMA As investigações do Ministério Público Federal apontam que o ex-gerente da Transpetro usou familiares e intermediários para receber R$ 7 milhões em propina da empresa de engenharia NM, fornecedora da Transpetro, entre setembro de 2009 e março de 2014. Segundo os procuradores, o ex-gerente teria pedido, inicialmente, o pagamento de 1% do valor dos contratos da NM com a Transpetro como propina, mas o acerto final ficou em 0,5%. Esse valor teria sido pago mensalmente em benefício do PT. Para dissimular e ocultar a origem ilícita dos recursos, o valor teria sido pago por depósitos realizados em contas bancárias de terceiros e familiares, vindo de contas de titularidade da empresa de engenharia NM e de seus sócios. José Antônio de Jesus é investigado pela prática dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Com informações da Folhapress.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Espanha e Portugal apreendem 745 kg de cocaína em abacaxis

18 de janeiro de 2018, 17:56

Frutas 'in natura' foram apreendidas em Lisboa Uma ação conjunta de Portugal e da Espanha terminou com a apreensão de 745 quilos de cocaína armazenada dentro de abacaxis in natura em Lisboa na madrugada desta quinta-feira (18). De acordo com imagens divulgadas pela Polícia de Estado portuguesa, as drogas eram acondicionadas dentro de contêineres como se fossem frutas naturais. A cocaína era colocada em forma dos abacaxis, embaladas com plástico e recebiam uma camada de cera. Depois, eram colocadas dentro de cascas da fruta para disfarçar e acondicionadas em caixas de papel como ocorre com os abacaxis verdadeiros. Segundo a investigação, que durou cerca de 10 meses, a droga vinha da América do Sul. Ao todo, nove colombianos foram presos por participarem do esquema. Com informações da Ansa.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Governo gasta R$ 50 milhões com cartão corporativo em 2017

18 de janeiro de 2018, 17:52

© Divulgação

Os gastos do governo federal com cartão corporativo somaram quase R$ 50 milhões em 2017. Os dispêndios, liderados pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, não são transparentes para a sociedade. Os dados foram levantados pela ONG Contas Abertas. Os desembolsos do Ministério da Justiça e suas unidades gestoras atingiram R$ 12,1 milhões, isto é, cerca de 24% do total. Vale ressaltar que quase a totalidade dos recursos (98,6%) foi desembolsada de maneira secreta, de forma que não se sabe o que efetivamente foi comprado. Além das informações protegidas por sigilo, nos termos da legislação, “para garantia da segurança da sociedade e do Estado”, outra parte significativa dos valores desembolsados também fica desconhecida. Isso porque o Ministério da Justiça, assim como outras Pastas, realiza saques por meio dos cartões. Nessa forma de gasto também não é possível identificar o destinos dos recursos. A maior parcela dos gastos foi desembolsada pela Coordenação de Administração da Diretoria de Administração e Logística Policial do Departamento de Polícia Federal: R$ 2,9 milhões. A Superintendência Regional no Estado de São Paulo utilizou outros R$ 1 milhão. Mesmo não estando ocupado, a Superintendência Regional no Estado do Amazonas foi responsável por mais R$ 871 mil em cartões corporativos. A Presidência da República fechou o ano passado em segundo lugar no ranking dos órgãos que mais gastam pelo cartão. Em 2017, o desembolso da Pasta atingiu a marca de quase R$ 12 milhões. Vinculado ao órgão, a Agência Brasileira de Inteligência foi a que mais usufruiu do cartão, com R$ 5,3 milhões creditados. Assim como acontece com o Ministério da Justiça, é praticamente impossível saber ao que foram destinados os gastos do Presidência, já que quase a totalidade da verba foi declarada como secreta. Cerca de R$ 10,7 milhões, ou seja, quase 90% dos desembolsos foram protegidos por sigilo, nos termos da legislação, para garantia da segurança da sociedade e do Estado. O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão é o terceiro maior usuário do cartão corporativo (R$ 8,3 milhões). E, em quarto lugar, está o Ministério da Educação, com gastos que chegam a R$ 5,8 milhões, seguido pela Pasta da Defesa, que desembolsou R$ 3,2 milhão por meio do recurso. Os dados levantados pela Contas Abertas contabilizam os montantes pagos entre janeiro e dezembro, disponíveis no Portal da Transparência do Governo Federal.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Febre amarela pode estar ligada à tragédia de Mariana

18 de janeiro de 2018, 17:43

© Reuters

Casos da doença foram registrados em cidades alvos da tragédia O rompimento da barragem da mineradora Samarco, em Mariana, Minas Gerais, pode ser um dos fatores que levaram ao surto de febre amarela pela região sudeste do Brasil. O acidente ocorreu em 5 de novembro de 2015 e, de acordo com biólogos da Fiocruz, alguns casos de contágio de febre amarela foram registrados nas mesmas áreas do desastre ambiental. + Testemunha de fase da Lava Jato é morta com nove tiros na Bahia Foram encontrados macacos mortos na região próxima à cidade de Colatina, no Espírito Santo, também afetada pela barragem de Mariana. Os episódios deste ano se assemelham ao surto de 2009, no Rio Grande do Sul. Ambos são de febre amarela silvestre - cujo ciclo se mantém na floresta-. No entanto, com casos de degradação ambiental, os animais se aproximam mais do homem e aumentam os riscos de contaminação nas áreas urbanas. Desde janeiro de 2017, o governo brasileiro admite que o desastre de Mariana possa ter alguma ligação com o surto de febre amarela. Com informações da Ansa.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Plantas podem ajudar a despertar do sono

18 de janeiro de 2018, 17:36

Reprodução

Plantas que purificam o ar são a mais recente aposta para os que consideram o acordar a tarefa mais difícil do dia Passamos a maior parte do nosso dia fechados em interiores. Durante a noite, quando o corpo repõe as células e prepara o corpo para mais um dia, mantemo-nos num ambiente fechado, onde se acumula a poluição do ar, que não circula. O resultado são dores de cabeça, náuseas e irritação no peito, que leva a que não descanse como deveria. Segundo a revista Women’s Health UK, a poluição do ar interior está entre o top 5 dos riscos de saúde pública, pelo que é imprescindível que limpe o ar da sua casa, com especial atenção para o espaço onde dorme. s plantas que purificam o ar são vistas como sistema de ventilação de ar natural, por muito estranho que isso pareça. Estudos comprovam que este efeito produzido pelas plantas permite reduzir o número de partículas no ar pelo simples processo de absorver as partículas poluídas e convertê-las em oxigênio. Além disso, plantas de interior ajudam a acalmar a ansiedade, melhoram a atenção e produtividade e garantem sensação de bem-estar. Ou seja, será uma boa aposta investir numa planta como nova decoração do seu quarto, por questões de saúde física e mental. Segundo um estudo feito pela NASA, Aloe Vera, lírio, Garden Mum e Planta Aranha estão entre as melhores opções para reduzir a poluição do ar.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

IBGE: 3/4 da população urbana não têm boas condições de vida

20 de dezembro de 2017, 14:22

A desigualdade brasileira se repete nas principais concentrações urbanas do país. Trabalho inédito divulgado nesta quarta-feira, 20 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que três quartos da população urbana (76,1%) não têm boas condições de vida nas cidades. A nova publicação do IBGE, "Tipologia Intraurbana - Espaços de diferenciação socioeconômica nas concentrações urbanas do Brasil", classificou onze tipos de condições de vida (de A, a melhor; a K, a pior) a partir da análise de diversos critérios, como adequação de moradia, saneamento, escolaridade, rendimento e acesso a serviços de saúde, bens de consumo e internet em concentrações urbanas onde viviam 96,2 milhões de pessoas (metade da população brasileira) em 2010. De acordo com o novo levantamento, apenas 23,9% das pessoas que moram em cidades têm boas condições de vida (ou seja, foram classificados nas categorias A, B, C e D). E essas "boas condições" nem sequer estão presentes na maioria dos conglomerados urbanos. A cidade com o maior porcentual de pessoas na categoria A é, disparado, Brasília/DF (11,20%). Em segundo lugar, surge Belo Horizonte/MG (com 3,9%), seguida de Rio de Janeiro/RJ (3,6%), São Paulo/SP (2,8%), Florianópolis/SC (2,7%), Vitória/ES (1,8%), Porto Alegre/RS (1,7%), Campinas/SP (1,3%), Salvador/BA (1,2%), Fortaleza/CE (1,2%) e Curitiba (0,8%). E é só. A maioria das cidades brasileiras não tem um porcentual significativo de pessoas vivendo nas melhores condições. No geral, 30,9% das populações urbanas têm condições medianas (fazem parte da categoria E). Entre aqueles que têm as piores condições (de G a K), os maiores porcentuais estão nas regiões Nordeste (59,9%) e Norte (56,3%). "Existe a questão da composição das variáveis, mas as categorias A e B estão muito relacionadas ao poder aquisitivo mesmo", explica o geógrafo do IBGE Maurício Gonçalves e Silva, um dos responsáveis pela pesquisa. "Isso não quer dizer que não existam pessoas com rendimentos altos em outros lugares, mas sim que esse porcentual não é suficiente para saturar aquela área, ou seja, para caracterizar aquela parte da cidade como A ou B." Em contrapartida, também são poucas as cidades com porcentual considerável de pessoas vivendo na pior categoria, a K. O destaque negativo vai para São Luis/MA, com 15,8% da população vivendo nas piores condições, seguido de Boa Vista/RR (8,3%), Macapá/AP (7,7%), Teresina/PI (4,5%), Belém/PA (2,4%) e Fortaleza/CE (0,6%). São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, não apresentam porcentual populacional nesta categoria. "Existem as questões regionais mais amplas, como as do Sul, Sudeste (mais ricos) e Nordeste (mais pobre)", afirma Gonçalves e Silva. "Mas, de forma geral, as áreas mais periféricas das cidades são as que têm as piores condições de vida". Uma das peculiaridades do novo trabalho é, além do foco nas áreas urbanas, fazer um levantamento cartográfico dessas diferenças sociais, identificando visualmente os padrões espaciais da distribuição da população. "Uma das características (espaciais) dos grandes centros é que a parte mais rica se concentra na sede, no município sede, mas também existem outras áreas com boas condições de vida orbitando essa mancha principal, em geral áreas de produção e escoamento de produção", explicou o geógrafo. Na análise do especialista, a identificação e visualização desses padrões podem ser cruciais para o planejamento urbano, por exemplo. "Por que cidades do mesmo porte têm condições de vida diferentes? O que houve nos últimos anos que propiciou melhores condições de vida? São questões que podem nos guiar no planejamento urbano no futuro." São Paulo Embora a cidade de São Paulo apresente a maior concentração populacional do País (19,4 milhões de pessoas em 2010), a metrópole se destaca por não apresentar uma parcela considerável da população naquelas que são consideradas as piores categorias: I, J e K. "Isso foi algo que nos surpreendeu: São Paulo, com toda a sua concentração urbana, conseguiu não ter as piores categorias", afirmou Gonçalves e Silva. Além disso, a cidade apresenta uma divisão mais justa - se comparada a outras no País. Nas classes A, B e C estão 10% da população. Na D e E, ficam 61,8% e nas piores registradas por lá, F, G e H, são 28,4%. A distribuição espacial das pessoas com melhores e piores condições de vida em São Paulo segue um padrão tradicional, segundo o geógrafo. "São Paulo tem uma característica que chamamos de radial, as melhores condições de vida são centrais e, à medida que nos afastamos do centro, as condições vão piorando", explicou o geógrafo. "Tanto é assim que as favelas começam a aparecer nas bordas, na periferia, com exceção de Paraisópolis e Heliópolis, que são mais centrais." É diferente do Rio de Janeiro, por exemplo, em que as áreas mais ricas se concentram no litoral e as favelas são mais entremeadas nas regiões de melhores condições. "A praia concentra as classes mais ricas e, conforme nos afastamos do litoral, as condições vão piorando", afirma. Brasília A capital federal se destaca no novo levantamento do IBGE por apresentar, de longe, a maior concentração de pessoas na categoria A (que apresenta as melhores condições de vida): 11,20%. A maior desigualdade indicada pela concentração porcentual se espelha nas outras categorias. Nas medianas D e E estão 45,3% da população, enquanto que nos piores tipos (F, G, H, I e J) estão 36,4%. Na capital, não há porcentual registrado na categoria K, que é considerada a pior de todas. Com informações do Estadão Conteudo.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Boas Festas!

VÍDEOS