NOTÍCIAS EM DESTAQUE


Estilo de vida/Dentes

Por que tenho os dentes amarelos e manchados? Quatro causas

20 de outubro de 2019, 09:49

Depressão/Atividade Física

Sofre de depressão ou ansiedade? 3 bons motivos para praticar exercício

19 de outubro de 2019, 07:49

Nordeste/Desastre Ambiental

Procuradoria entra com ação contra a União por omissão em desastre

19 de outubro de 2019, 07:14

Menina sobrevive a queda do 9.º andar

14 de outubro de 2019, 17:44

A família suspeita de uma crise de sonambulismo (Foto: Reprodução)

Uma menina de dez anos caiu do 9.º andar de um prédio em Belo Horizonte, no Brasil, mas sobreviveu. O incidente aconteceu na madrugada deste domingo e, segundo a TV Globo, ela foi submetida a duas cirurgias. Uma das operações foi em uma das pernas e a outra teve como objetivo reconstruir um dos braços e o queixo da menina. Esta segunda cirurgia demorou 12 horas. A menina está internada no Centro de Terapia Intensiva do Hospital e Pronto-Socorro João XXIII, está se recuperando bem e já está consciente. Segundo a reportagem, a menina dormia num quarto e os primos em um outro. Eles já estavam deitados quando ouviram um estrondo. Procuraram a criança, mas não a encontraram. Foi quando olharam pela janela e a acharam caída no exterior do prédio. A polícia ainda está investigando as causas da queda, mas os pais suspeitam de um episódio de sonambulismo, pois a criança já tinha apresentado os sintomas em uma outra ocasião.  

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jornalista Genildo Lawinscky lamenta a morte de João Araújo, seu ex-colega de trabalho

14 de outubro de 2019, 12:03

O jornalista Genildo Lawinscky escreveu um texto onde conta seu convívio profissional com João Araújo (Foto: Reprodução)

O jornalista Genildo  Lawinscky lamenta a morte de João Araújo e conta um pouco sobre o seu convívio profissional com o comunicador quando foram colegas de trabalho na Rádio Clube Rio do Ouro. "Esta é uma das notícias mais tristes que recebo nos últimos tempos. Apesar de termos a morte como a única certeza da vida, algumas pessoas que se vão deixam marcas importantes e saudades". O emocionante texto relata algumas curiosidades do torcedor do Flamengo mais famoso de Jacobina. Veja a homenagem na íntegra abaixo: Esta é uma das notícias mais tristes que recebo nos últimos tempos. Apesar de termos a morte como a única certeza da vida, algumas pessoas que se vão deixam marcas importantes e saudades. É o caso de João Araújo, uma das pessoas mais importantes durante a minha passagem por Jacobina, entre os anos de 1982 a 1986. Ao instalar a Rádio Clube Rio do Ouro, tive a preocupação de levar João para trabalhar com a nossa equipe, a fim de corrigir qualquer tipo de impacto que a presença da emissora poderia provocar na sua atividade e nas finanças. E ele brilhou, tanto como apresentador de um programa de forró, todos os dias cedinho, quanto como comentarista esportivo. Levei João Araújo para fazer a primeira transmissão da Clube no Maracanã, durante um jogo do Flamengo contra o Santos, pelo campeonato brasileiro. Foi, ali, a primeira viagem dele de avião e a primeira vez que entrava no Maracanã. Também a primeira vez que via o Mengão dele jogar, ao vivo. Ele era a expressão mais real da felicidade e eu vibrei com isso. Ao longo da minha passagem por Jacobina, ele foi gentil, irmão, camarada e sempre leal à nossa amizade. Abriu as portas da sua casa e permitiu a relação estreita com a sua família ao longo de todos os anos. Hoje recebo essa triste notícia. João se foi! Mas fica, com certeza, a lembrança do homem trabalhador, amigo, honesto e que sempre zelou por todos que o cercaram. Sofreu com perdas da esposa e de filhos, de forma precoce, mas soube levar a vida adiante, com muita disposição. Vai, amigo João! O seu reencontro com amigos se dará muito em breve, com certeza. Daqui, a minha eterna gratidão por  tudo o que você representou na minha vida. Genildo  Lawinscky

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Por que celular com câmera de mais megapixels não significa fotos melhores

14 de outubro de 2019, 11:44

O modelo mais recente do iPhone, o 11, carrega uma lente de 12 megapixels (Foto: Getty Images)

Sempre que a Apple, Samsung ou qualquer outra grande marca lança um novo telefone celular, os usuários olham para a tela, para a bateria e principalmente para a câmera. O modelo mais recente do iPhone, o 11, carrega uma lente de 12 megapixels. Já o Samsung Galaxy Note 10 inclui uma de 16. Por outro lado, a versão Mate 30 da Huawei possui um sistema de câmera tripla, composto por um sensor de 40 megapixels, uma grande angular ultra ampla de 16 megapixels e uma lente objetiva de oito megapixels. Parece incrível, não? Mas o que isso significa na prática? A verdade é que a crença de que mais megapixels nos proporcionam uma foto de qualidade superior é falsa. © Getty Images A câmera dupla, tão popular ultimamente, visa melhorar o efeito de profundidade e o foco nas imagens Muitos consumidores são guiados pela quantidade, porque, no final das contas, cinco megapixels não soam tão bem quanto oito, mesmo que a câmera produza excelentes fotos. E, na mesma lógica, se oito é bom, 12 tem de ser ainda melhor. Porém, de acordo com especialistas, a qualidade das imagens não funciona segundo essa lógica. O "segredo desagradável" por trás dessa forma de classificar a câmera de um celular "é que (se basear) apenas (n)o número de megapixels é uma maneira ruim de prever o desempenho fotográfico", diz a revista americana Scientific American. Para entender isso, devemos ter em mente que o número de megapixels se refere à resolução da câmera. A resolução afeta o tamanho da imagem e não a qualidade. Esses números nos dão uma ideia de quanto podemos ampliar uma imagem sem perder a nitidez. Ou seja, se você deseja imprimir sua foto em tamanho A4, não importa qual celular você escolhe. Se sua intenção é imprimi-la em um formato grande, como um A2, então é melhor considerar o número de megapixels. Por outro lado, a maioria das fotos tiradas com telefones celulares acaba publicada nas redes sociais, compartilhada pelo WhatsApp ou enviada para um site, que precisa de fotos leves para carregar bem. © Getty Images Este é o sensor que as câmeras Nikon D3200 carregavam e tinham 24,2 megapixels O tamanho importa Para Sergio Barbero Briones, pesquisador do Instituto de Óptica do Conselho Superior de Pesquisa Científica da Espanha, o que importa é o tamanho dos pixels e não a quantidade deles. E esse tamanho é determinado pelo sensor que coleta a luz. "Sem luz, não há foto", dizem fotógrafos experientes. "Quanto menor o pixel, melhor", diz Barbero. E se não fosse pelo fato de que as leis da física têm muito a dizer sobre a aparência da sua foto final, "poderíamos alcançar uma resolução infinita", afirma o pesquisador. Mas isso não é possível porque sempre teremos o que é conhecido como "ponto de difração", derivado da natureza das ondas da luz. É esse o fenômeno que coloca limitações técnicas na resolução. "O tamanho do sensor de imagem é importante e, em geral, quanto maior o sensor, maiores seus pixels. E quanto maiores os pixels, mais luz ele pode coletar", resume a Scientific American. "Quanto mais luz você pode capturar, melhor a imagem", diz ele. Normalmente, o fabricante do telefone celular especifica o tamanho do sensor da câmera. Mas eles costumam fazer isso com uma figura intuitiva para os consumidores médios. Te diz alguma coisa saber que o sensor do iPhone 8 é 1/3 ou que, no Samsung Galaxy S9, ele é de 1/2,6? Na verdade, esses números são uma divisão, mas o que você precisa saber é que quanto menor o divisor (3 ou 2,6), maior e melhor é o sensor. No caso acima, o sensor da Samsung é um pouco melhor que o da Apple. Portanto, da próxima vez que você quiser saber o quão boa é a câmera do celular, não se deixe guiar apenas pelo marketing.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jacobina: Morre o comunicador João Araújo

14 de outubro de 2019, 11:08

Pessoa bastante conhecida e benquista pelos jacobinenses, João Araújo foi um dos pioneiros da comunicação falada da cidade (Foto: Reprodução)

A cidade de Jacobina amanheceu de luto nesta segunda-feira (14), faleceu no final da madrugada, no Hospital Português em Salvador, o comunicador João Araújo (78). Figura bastante conhecida na região, João era proprietário do carro de som J. Propago, o famoso Chevrolet Veraneio. Além da propaganda volante, ele foi um dos pioneiros do rádio no município, onde tinha um programa matinal e participações nas jornadas esportivas da Rádio Clube Rio do Ouro. João Araújo passava por problemas de saúde há alguns anos, mas como um guerreiro lutou até onde pode. Muito religioso, era presença marcante nos festejos do Divino Espírito Santo da Igreja Católica. Fiel torcedor do Flamengo, ficarão na memória também dos seus amigos e familiares a alegria e as carreatas após as conquistas do seu time preferido. Em pouco mais de três anos, João havia perdido os seus filhos Roberto Araújo, conhecido como Robertinho do Banco do Brasil (23 de janeiro de 2014), Rômulo Vilas Boas Araújo (26 de dezembro de 2017) e sua esposa Romélia Vilas Boas (15 de agosto de 2017).  O corpo de João Araújo está sendo trasladado para Jacobina e conforme informação da família será velado na casa de número 17, da rua Professor Tavares (rua da Aurora), no bairro da Matriz. O sepultamento está marcado para às 11h desta terça-feira (15), no Cemitério Jardim da Saudade em Jacobina.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Brasil tem 10,7 milhões de deficientes auditivos, diz estudo

13 de outubro de 2019, 16:58

Nesse cenário de envelhecimento crescente da população brasileira, Meirelles destacou que oferecer condições de inclusão para os deficientes auditivos é cada vez mais importante (Foto: Reprodução)

Estudo feito em conjunto pelo Instituto Locomotiva e a Semana da Acessibilidade Surda revela a existência, no Brasil, de 10,7 milhões de deficientes auditivos, dos quais 2,3 milhões têm deficiência severa. A surdez atinge 54% de homens e 46% de mulheres e pessoas de todas as idades, com predominância da faixa de 60 anos de idade ou mais (57%). Nove por cento dos deficientes auditivos nasceram com a deficiência e 91% adquiriram ao longo da vida, sendo que metade foi antes dos 50 anos. Entre os que apresentam deficiência auditiva severa, 15% já nasceram surdos. Do total pesquisado, 87% não usam aparelhos auditivos. “A deficiência auditiva é uma deficiência que se agrava com o passar dos anos. E como o Brasil está passando por um processo de envelhecimento da população, hoje já temos 59 milhões de brasileiros com mais de 50 anos e, em 2050, vamos chegar com mais de 98 milhões de brasileiros com mais de 50 anos de idade, essa é uma tendência que só vai crescer”, disse Renato Meirelles, presidente do Instituto Locomotiva. Completou que a “sociedade, claramente, não está preparada para isso”. Nesse cenário de envelhecimento crescente da população brasileira, Meirelles destacou que oferecer condições de inclusão para os deficientes auditivos é cada vez mais importante, “porque o número dessas pessoas só vai crescer”. Dificuldades Dois em cada três brasileiros relataram enfrentar dificuldades nas atividades do cotidiano. “Com isso, eles se divertem menos, têm menos chance no mercado de trabalho, não têm as mesmas oportunidades educacionais que os ouvintes têm”. A falta de acolhimento e inclusão limitam o acesso dos surdos às oportunidades básicas, como educação (somente 7% possuem o ensino superior completo; 15% frequentaram até o ensino médio, 46% até o fundamental e 32% não possuem grau de instrução). Vinte por cento dos deficientes auditivos idosos não conseguem sair sozinhos, só 37% estão no mercado de trabalho e 87% não usam aparelhos auditivos. “Porque é muito caro e inacessível para a maioria dessa população”, disse Meirelles. “E como a população surda teve menos oportunidade de estudar do que a população ouvinte, como tem mais dificuldade no mercado de trabalho do que a população ouvinte, o dinheiro para conseguir o aparelho é ainda mais difícil. Esse conjunto de preconceitos que existe na sociedade acaba criando um círculo vicioso que não possibilita que os surdos e os ouvintes tenham as mesmas oportunidades de se dar bem na vida” “Quando comecei no meu trabalho, as pessoas pensavam que eu não era capaz de fazer as coisas. Demorou demais para que elas acreditassem que eu tinha capacidades, mas às vezes ainda me olham com discriminação e desconfiança por eu ser quem sou”, afirmou uma mulher, deficiente auditiva de 30 anos, entrevistada em São Paulo. Autônomos Entre os tipos de ocupação desempenhada pelos deficientes auditivos com 18 anos de idade ou mais destacam-se empregado no setor privado (43%) e trabalhador por conta própria (37%). Segundo Renato Meirelles, “essas pessoas desistiram de arrumar emprego e passaram a empreender para garantir o seu sustento”. A pesquisa foi realizada entre os dias 1º e 5 de setembro passado, com 1.500 brasileiros surdos e ouvintes. No total, o Brasil possui 50,30 pessoas com deficiência. Nove em cada dez brasileiros afirmaram ser favoráveis aos direitos das pessoas com deficiência. A pesquisa mostra que a maior parcela de deficientes auditivos está na Região Sudeste (42%), seguida pelo Nordeste (26%) e Sul (19%). Já as regiões Centro-Oeste e Norte detêm os menores percentuais de surdos (6% e 7%, respectivamente). Das pessoas com deficiência auditiva, 28% declararam ter também algum tipo de deficiência visual e 2%, deficiência intelectual. Uma parcela de 14% dos brasileiros com problemas auditivos disseram não se sentir à vontade e poder falar sobre quase tudo com a família; 40% sentem isso em relação a amigos, contra 11% e 34% da população de forma geral. A sondagem revela, ainda, que pessoas com deficiência auditiva severa têm três vezes mais chance de sofrerem discriminação em serviços de saúde do que pessoas ouvintes. Mundo Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) existem 500 milhões de surdos no mundo e, até 2050, haverá pelo menos 1 bilhão de surdos em todo o globo. 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Duelo de titãs. Mel ou açúcar, qual é a opção mais saudável?

13 de outubro de 2019, 16:44

Muitas pessoas acreditam que o mel é melhor que o açúcar para manter os alimentos mais saudáveis e naturais. Mas será que é verdade? (Foto: Reprodução)

Primeiro é necessário comparar os valores nutricionais de ambos os alimentos. De acordo com os dados do United States Department of Agriculture (EUA), o mel e o açúcar apresentam características bastante distintas na sua composição. Mel Calorias: 64; Gordura: 0 gramas (0 g saturadas); Proteína: 0,1 g; Sódio: 0 mg; Hidratos de carbono: 17 g; Açúcar: 17 g; Fibra: 0 g. Açúcar refinado Calorias: 49; Gordura: 0 g; Proteína: 0 g; Sódio: 0 mg; Hidratos de carbono: 13 g; Açúcar: 13 g; Fibra: 0 g. Ou seja, surpreendentemente uma colher de sopa de mel equivale a cerca de uma colher e meia de açúcar refinado! Quase 100% das calorias do mel são derivadas do açúcar e contém ainda mais carboidratos e açúcar por porção de uma colher de sopa do que o açúcar comum. Todavia, nem tudo é o que parece: “Devido ao seu alto teor de frutose, o mel é cerca de uma vez e meia mais doce que o açúcar”, diz a norte-americana Melissa Joy Dobbins, especialista em alimentação, o que significa que pode usar menos quantidade do adoçante natural quando cozinhar e ainda obter o mesmo gosto do açúcar. Os benefícios do mel para a saúde Apesar do mel ter mais calorias, estas não são consideradas vazias. Isso porque o alimento contém flavonóides e ácidos fenólicos (antioxidantes poderosos), de acordo com Dobbins, além de alguns minerais como o potássio, que equilibra os eletrólitos, o cálcio, que fortalece os ossos, e o ferro, que combate a anemia. E recorda-se quando a sua mães lhe dizia para colocar mel no chá quando estava com gripe? Bem ela tinha razão. Uma pesquisa realizada pela revista Frontiers in Microbiology descobriu que o adoçante natural combate a constipação de diversas forma, podendo até ser mais eficaz do que os antibióticos.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Médico jacobinense lembra os momentos que conviveu com a agora Santa Dulce dos Pobres

13 de outubro de 2019, 12:25

*Por Airton Vieira Costa - Morei no hospital de Irmã Dulce por 2 anos e meio como interno, na época eu tinha 21 anos de idade. Tive a honra de estar com a Irmã Dulce em muitos momentos. Fizemos uma viagem longa para o Rio de Janeiro, de carro porque ela tinha receio de avião. Tive que levar um balão de oxigênio porque ela precisava fazer uso constante de oxigênio e nebulizações. Foram dois dias de viagem sem intercorrências, com o grande motorista e segurança pessoal chamado Cabeça (um policial aposentado). Fomos escolhidos para esta viagem por nos considerar “experientes e confiáveis”. Viajou conosco a esposa do administrador e proprietário do carro, uma Caravan da Chevrolet.  O objetivo da viagem era a formatura de sua sobrinha Maria Rita, em Jornalismo e Comunicação e a participação de Irmã  Dulce no programa de televisão de Flávio  Cavalcanti. Foi a primeira vez que as Obras Sociais seriam divulgadas nacionalmente. Eu estava no sexto ano do curso de Medicina. Éramos chamados os “filhos de Irmã Dulce”, ela nos tratava assim. Sempre atenta aos nossos quartos, em nossa alimentação, mesada...  Tinha até leite em pó da Suíça. Sempre achei muito interessante a forma delicada para conosco. Em um dos momentos com a agora Santa Dulce dos Pobres, ela me contou sobre uma aliança que perdeu, e milagrosamente a encontrou na capela. Tinha fala mansa e firme. Era incansável, mesmo com febre ou doente. Fazia tudo. Ajudava a todos, até varrer e lavar o hospital junto com os funcionários. Se preocupava muito para honrar os compromissos financeiros, principalmente com pessoal, como o décimo terceiro nos finais de ano. Fico agradecido a Deus pela oportunidade única de ter estado com Irmã Dulce. Carrego o seu testemunho humanitário, de fé, de humildade e reverência a Deus. Tenho muitas outras histórias guardadas no meu coração. *Jacobinense e médico há 40 anos.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Papa canoniza Irmã Dulce, a primeira santa brasileira

13 de outubro de 2019, 10:04

Fotos dos cinco beatos declarados santos por Francisco neste domingo; Irmã Dulce é a primeira à esquerda Foto: DW / Deutsche Welle

Além de Dulce, foram canonizados outros quatro beatos: o britânico John Henry Newman (1801-1890), a italiana Giuseppina Vannini (1859 -1911), a indiana Mariam Thresia Chiramel Mankidiyan (1876 -1926) e a suíça Marguerite Bays (1876 -1926). A cerimônia solene foi realizada na praça de São Pedro com a presença de numerosos bispos, arcebispos e cardeais, além de vários religiosos e missionários brasileiros que participam do Sínodo para a Amazônia, ao longo de outubro no Vaticano. A celebração ainda foi assistida por autoridades dos cinco países, entre eles o príncipe Charles, herdeiro do trono britânico, e o presidente da Itália, Sergio Mattarella. O Brasil é representado pelo vice-presidente Hamilton Mourão, depois de o presidente Jair Bolsonaro ter alegado problemas de agenda para não viajar a Roma. Também foram à cerimônia os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, o procurador-geral da República, Augusto Aras, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e o ex-presidente José Sarney, que foi um político muito próximo de Irmã Dulce. A missa teve início por volta das 10h (horário local), com uma liturgia específica para canonizações. O cardeal Angelo Becciu, prefeito da Congregação das Causas dos Santos, leu uma biografia dos cinco beatos, que em seguida foram declarados santos por Francisco. "Anjo bom da Bahia" Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, agora chamada Santa Dulce dos Pobres, nasceu em 1914 em Salvador, na Bahia, e dedicou sua vida a servir os pobres e os necessitados. Após completar seus estudos superiores, ela ingressou na vida religiosa como noviça na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, ligada à Ordem dos Frades Menores, servindo como enfermeira e professora. Em Salvador, desenvolveu um intenso trabalho social, tendo fundado hospitais de caridade e construído uma das maiores obras de assistência social gratuita do país. Conhecida como "anjo bom da Bahia", ela morreu em 1992, aos 77 anos. "Irmã Dulce concretizou plenamente a sua ação caritativa com a fundação de uma associação de obras sociais e a construção de uma casa de acolhimento, o 'Albergue Santo Antônio'", diz o livreto sobre a cerimônia deste domingo. "Sua caridade era maternal, carinhosa. A sua dedicação aos pobres tinha uma raiz sobrenatural e do Alto recebia forças e recursos para dar vida a uma maravilhosa atividade de serviço aos últimos." O processo para a sua canonização teve início em janeiro de 2000, e seu primeiro milagre foi reconhecido em 2003 pelo Vaticano, durante o papado de João Paulo 2º. Em 2001, orações em nome de Irmã Dulce teriam feito parar uma hemorragia em uma mulher na cidade de Itabaiana, em Sergipe. À época, Claudia Cristina dos Santos padecia há horas após dar à luz seu segundo filho. Em 2009, Dulce recebeu o título de Venerável do papa Bento 16, tornando-se "Bem-aventurada Dulce dos Pobres". Em 2001, foi beatificada em uma cerimônia religiosa em Salvador. Seu segundo milagre teria ocorrido em 2014, com a cura instantânea da cegueira do professor de música Jose Maurício Bragança Moreira, após 14 anos sem enxergar. Ele também participou da cerimônia neste domingo. Na ocasião, sofrendo de conjuntivite e dor aguda nos olhos, o paciente teria clamado a Irmã Dulce por uma solução e, no dia seguinte, teria voltado a enxergar. Foi a ratificação desse milagre que permitiu a canonização da baiana.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

NASA revela o fato que protegerá astronautas na próxima viagem à Lua

13 de outubro de 2019, 09:51

O objetivo passa por regressar ao satélite natural até 2024 (Foto: Reprodução)

ANASA revelou a próxima geração de fatos que acompanhará os astronautas que um dia regressão à Lua. O objetivo é ‘libertar’ os movimentos dos astronautas de modo que consigam deslocar-se independentemente do terreno. Nos novos fatos, a agência espacial norte-americana teve a atenção de melhorar a flexibilidade junto às articulações das ancas e joelhos. As solas das botas também foram alvo de grande foco da NASA e, ao mesmo tempo que servem como botas de escalada, permanecem flexíveis. Comparando, os novos fatos estarão mais próximos dos que os astronautas da Estação Espacial Internacional usam em passeios espaciais. A ideia é ter os novos fatos prontos a tempo da missão Artemisa de 2024, com o objetivo de regressar à Lua .

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Os benefícios da castanha-do-Brasil para o colesterol

13 de outubro de 2019, 09:35

Também conhecida por castanha-do-Pará, é um fruto seco com um teor calórico elevado e riqueza nutricional abundante (Foto: Reprodução)

A castanha-do-Brasil, também conhecida por castanha-do-Pará, já é um alimento muito apreciado. Este fruto seco, apesar de representar um elevado teor calórico, é também muito rico em termos nutricionais.  Apenas uma castanha-do-Brasil por dia garante a dose de selénio - um micronutriente com multiplas funções no organismo.- de que o nosso corpo precisa para preservar as células e exercer uma ação desintoxicante. Mas atenção: em excesso, a ação do selénio não será potencializada. Os benefícios: 1 - Capacidade saciante: é muito rica em gordura boa e proteína,  além de ser uma fonte de fibra e vitaminas e minerais como o cálcio e o magnésio. 2 - Fortalece os ossos: o magnésio e fósforo podem ser encontrados em quantidades significativas na castanha- do-Brasil. O magnésio é imprescindível para a fixação de cálcio nos ossos. 3 - Aliada do colesterol: as gorduras do fruto também reduzem os níveis do colesterol LDL (mau colesterol) e aumenta os níveis do colesterol HDL (bom colesterol).  4 - Combate o envelhecimento: devido às suas propriedades antioxidantes provenientes da sua riqueza em selénio. 5 - Auxilia no processo de emagrecimento: ajuda a prevenir um desequilíbrio hormonal, que acarreta o ganho de peso. 6 - Fortalece o sistema imunitário: as suas propriedades favorecem as defesas do nosso organismo.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Maju Coutinho e Globo respondem críticas e detonam reportagem

12 de outubro de 2019, 11:29

(Foto: Reprodução/Rede Globo de Televisão)

A jornalista Maju Coutinho, apresentadora do ‘Jornal Hoje’ e a Rede Globo, respondeu as críticas ao seu trabalho e desabafou ao vivo, nesta quinta-feira, 10, após ser veiculado na imprensa que a Globo estaria apreensiva quanto ao desempenho da âncora, por erros cometidos durante esses primeiros dias apresentando o telejornal. O jornalista Daniel Castro escreveu uma notícia, para o portal ‘Notícias da TV’, ontem, quarta-feira, 9, elencando erros de dicção simples, comuns para qualquer jornalista em uma nova empreitada de muita responsabilidade. Nesta quinta-feira, em conversa com a apresentadora Jéssica Senra, da TV Bahia, afiliada da Globo na região, Maju Coutinho entrou no jornal local para dar os destaques do ‘Jornal Hoje’. No entanto, a baiana acabou comentando os comentários negativos que a colega vem recebendo: “Com a prática a gente aprende, a gente melhora, a gente cresce e é assim para mim todos os dias. É assim para todo mundo”, refletiu e disparou: “Saiba que tem muita gente do seu lado”. Do estúdio de São Paulo, Maju Coutinho não escondeu a emoção e agradeceu o carinho. Maju finalizou se defendendo dos críticos: “Lindo começar com essas palavras. Pois é. Só erra quem se arrisca!”. A Globo também se manifestou sobre o caso, em nota enviada à imprensa, e negou que tenha qualquer problema com Maju Coutinho e seu desempenho como âncora do jornal vespertino. “É falsa a informação de que houve a reunião mencionada no comentário de Daniel Castro. Não houve reunião, Maju Coutinho tem brilhado na apresentação do Jornal Hoje, superando todas as melhores expectativas. O Jornal Hoje, com Maju, e em horário diferente (começa e termina mais tarde), teve crescimento de audiência considerando a faixa horária”, afirmou a Globo. A Globo fez questão de ressaltar o quão preparada e excelente profissional é Maju, além de detonar Daniel Castro pela reportagem ofensiva contra a jornalista. “É espantoso que um jornalista especializado em TV não entenda a diferença entre a linguagem de improviso e aquela lida de um teleprompter. Por último, e fundamentalmente, Maju Coutinho não é apenas uma profissional querida, simpática, humilde e alegre, como a define o jornalista. Ela é antes uma jornalista brilhante, talentosa, absolutamente preparada, que chegou ao Jornal Hoje exclusivamente por seus méritos profissionais”. Na web, internautas também criticaram a reportagem de Daniel Castro e o acusaram de racismo. https://twitter.com/mdavidmacedo/status/1181966335972007938?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1181966335972007938&ref_url=https%3A%2F%2Fcatracalivre.com.br%2Fentretenimento%2Fmaju-coutinho-e-globo-respondem-criticas-e-detonam-reportagem%2F   https://twitter.com/luizguiprado/status/1182053515314765826?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1182053515314765826&ref_url=https%3A%2F%2Fcatracalivre.com.br%2Fentretenimento%2Fmaju-coutinho-e-globo-respondem-criticas-e-detonam-reportagem%2F  

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Mitos e verdades sobre a depilação a laser

12 de outubro de 2019, 11:09

Muitas pessoas acreditam que a depilação a laser não pode ser realizada no verão, o que não é verdade

A depilação a laser é uma alternativa mais duradoura em relação aos processos tradicionais, que recomem à lâmina ou à cera por exemplo. Para quem tem duvidas acerca do procedimento estético, a supervisora técnica da clínica Vialaser, Jessica Santos da Luz, explicou à Globo quais são os principais mitos acerca da remoção dos pelos com laser. Muitas pessoas acreditam que a depilação a laser não pode ser realizada no verão, o que não é verdade. O procedimento pode ser feito em qualquer estação do ano, devendo seguir as recomendações médicas específicas em relação à exposição ao sol. “É importante ressaltar e recomendar o uso dos protetores solares, aliás, não só no verão mas também durante todo o ano. Os raios UV podem causar manchas, envelhecimento precoce e diversos outros malefícios”, explica Jéssica. Se a pele está bronzeada, o processo não é indicado. Esta é uma verdade que deve ser levada a sério. Como o laser é atraído pela melanina, é necessário utilizar potências mais baixas nas peles queimadas. O que acaba por tornar o tratamento menos eficaz do que deveria. Há quem dica que são necessárias apenas cinco sessões. Esta afirmação é um mito. Embora 30% dos pelos sejam removidos a cada sessão, estes só são atingidos pelo laser quando estão na fase ativa. “Os pelos em fase ‘dormente’ não são atingidos. Por isso, a indicação é que a pessoa interessada faça 10 sessões para que todos os pelos da região escolhida sejam atingidos e caiam", aponta a especialista.  A depilação a laser deve ser realizada por profissionais altamente especializados. Devido à maior durabilidade e ao processo menos doloroso que procedimentos tradicionais, é uma opção interessante para quem simplesmente não gosta de ter pelos.  Dicas para realizar a depilação a laser: 1. Mantenha a pele hidratada com protetor solar FSP (mínimo 30) sempre que necessitar de se expor ao sol. 2. Não se depile com pinça, cera ou qualquer método, pelo menos trinta dias antes da sessão. 3. Se possível, apanhe sol antes das 10h e após as 16h. 4. Não falhe nenhuma sessão. 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

FACEBOOK

VÍDEOS