Pesquisas contratadas pelo NOTÍCIA LIMPA em Caém e Umburanas têm 100% de acertos

18 de novembro de 2020, 14:38

Arnaldinho foi confirmado prefeito de Caém e Roberto Bruno é reeleito em Umburanas (Foto: Reprodução)

As duas pesquisas contratadas pelo NOTÍCIA LIMPA na região de Jacobina cravaram os resultados exatos e dentro das margens de erro das eleições em Caém e Umburanas. As previsões foram confirmadas nas urnas para a infelicidade dos que acusaram o site e os institutos responsáveis pela realização e estatísticas de cometerem fraudes e manipulações. Na cidade de Caém a pesquisa realizada nos dias 4 e 5 de novembro pela empresa Denivaldo da Conceição Fernandes de Oliveira Estatístico, mostrava o candidato Arnaldinho vencendo com 51,30% das intenções de voto. Após o fim da apuração da eleição realizada neste domingo, os números foram os seguintes: Arnaldinho 51,46% (3.234 votos) e Gilberto Matos 48,54% (3.050 votos). Em Umburanas, a enquete eleitoral de responsabilidade da empresa Send Pesquisas e realizada entre os dias 10 e 11 de novembro mostrou que o atual prefeito Roberto Bruno (DEM) aparecia com 48,8% das intenções de voto na menção espontânea, seguido por Nato (PT) com 32,53%. De acordo o resultado final da eleição de Umburanas, conforme a Justiça Eleitoral, Roberto Bruno teve 49,62% dos votos dados a todos os candidatos e derrotou Nato, que ficou em segundo lugar com 35,79%. “Para o desespero dos reais fraudadores que tentaram descreditar um trabalho realizado de forma séria e profissional, os resultados eleitorais dos dois municípios refletiram pesquisas divulgadas”, desabafa Gervásio Lima, diretor do NOTÍCIA LIMPA. Conforme Gervásio o site mostrou a realidade, de acordo à ciência probabilística que é a pesquisa. “A pesquisa oferece uma probabilidade de o cenário informado acontecer. Uma mesma pesquisa com um nível de confiança de 95%, realizada 100 vezes, em 95 delas ela vai retratar o resultado dentro da sua margem de erro. Por tanto, uma pesquisa de intenção de votos séria é uma importante ferramenta estatística que sinaliza a real preferência da opinião pública”, salienta Gervásio.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Durante entrevista para emissora de rádio de Salvador, prefeito eleito de Jacobina promete ‘fechar o ralo da corrupção’

18 de novembro de 2020, 10:58

Tiago Dias foi eleito prefeito com 19.207 votos (45,82%) (Foto: Reprodução)

O prefeito eleito de Jacobina, Tiago Dias (PC do B), foi o convidado desta quarta-feira (18) do Programa Isto é Bahia, da Rádio A Tarde FM de Salvador e apresentado pelos jornalistas Jeferson Beltrão e Fernando Duarte. O futuro gestor do município de pouco mais de 80 mil habitantes (segundo o IBGE) e 31ª economia do Estado da Bahia falou de sua trajetória política e de suas prioridades enquanto ocupar a principal cadeira do Executivo municipal. Oriundo da zona rural, Tiago Dias chega ao ápice da política jacobinense com apenas 37 anos de idade, depois de ter exercido dois mandatos como vereador. Sua eleição já está sendo considerada como um dos maiores feitos políticos da região, por um agricultor rural, ex-mototaxista conseguir vencer grandes medalhões que alternavam o poder no município há várias décadas. O jovem futuro prefeito ao ser questionado pelos jornalistas sobre o que a população pode esperar de seu governo, ratificou os principais motes da sua campanha eleitoral, a transparência e a participação popular. Fazendo questão de citar sua origem humilde na comunidade de Cachoeira dos Alves, onde nasceu e também da origem rural da sua vice-prefeita Kátia Alves que é natural do distrito de Itapeipú. “As novas lideranças agora são de fora para dentro e não mais de dentro para fora”, disse ao se referi a zona urbana e à zona rural” Com relação à nova composição da Câmara de Vereadores, garantiu manter o diálogo dentro de um projeto político que proporcione condições de formular e inserir políticas públicas. “Acredito que não teremos vereadores de oposição pois o que eles querem nós também queremos, a melhoria da vida da população”, parafraseou. Quanto aos prováveis ‘pecados’ que contribuíram para a não reeleição do atual gestor, Tiago citou a falta de aproximação com a população, o não cumprimento das obrigações administrativas e o desejo de mudança por parte da população, destacando inclusive o fato de mesmo com a união dos três últimos prefeitos da cidade a sua vitória foi inevitável. “Fizemos uma campanha como um espelho de como iremos governar, ouvindo a população, os desabafos, as críticas e os seus anseios”, relatou, dando como exemplo o diálogo que teve com uma eleitora, ”uma senhora de 83 anos que me pediu que não quer morrer antes de um carro estacionar em sua porta é uma amostra de aproximação com o povo”. Para validar sua probidade e compromisso político fez outro relato “uma criança disse que quando crescer queria ser igual a mim, mas um momento que me fez perceber o tamanho de minha responsabilidade. Tenho que ser exemplo”, concluiu. Perguntado se existe um cenário de cofre público favorável, o futuro prefeito disse que irá trabalhar para ajustar as contas com responsabilidades nos gastos e para isso priorizará o planejamento, elegendo prioridades a partir de uma gestão transparente e principalmente “tapar o ralo da corrupção”. “Nosso compromisso número um será a transparência, a verdade”, salientou. Para alavancar a economia Dias elencou algumas ações, como a segurança jurídica e desburocratização governamental para atrair novos empreendimentos para a cidade e facilitar a relação entre os que já existem. Entre as intervenções estaria a de inserir o alvará digital. O próximo timoneiro de Jacobina prometeu ainda ‘trabalhar com firmeza’ para fortalecer o segmento do turismo e da agricultura, as duas principais atividades ‘naturais’ do município. Sobre os impactos da pandemia, Tiago prometeu criar um comitê de crise com as participações da sociedade civil e os poderes públicos constituídos do município, para buscar um entendimento e a elaboração de ações de enfrentamento. “Nossas decisões serão coletivas, se errar todos errarão e se acertar todos acertarão”, destacou.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Câncer de próstata: fatores de risco e opções de tratamento

18 de novembro de 2020, 07:13

Neoplasia que mais atinge homens, o câncer de próstata tem o mês de novembro dedicado à conscientização sobre seus impactos, fatores de risco e tratamento (Foto: Reprodução)

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o tumor de próstata é o mais incidente nos homens do Brasil atualmente (excetuando-se tumores de pele não melanoma) e o segundo com maior mortalidade. Por esse motivo o assunto é tema da campanha Novembro Azul, que é dedicada a conscientização sobre atenção com a saúde masculina, especialmente câncer de próstata. “A próstata é uma glândula do sistema genital masculino cuja função é produzir o líquido prostático, o qual compõe o sêmen e ajuda a proteger e nutrir os espermatozóides”, explica o radio-oncologista do Instituto de Radioterapia São Francisco, Rafael Borges Salera. “Tal glândula está localizada abaixo da bexiga e é atravessada pela uretra, motivo pelo qual alterações na função urinária podem estar relacionadas a problemas da próstata, inclusive câncer”, diz Fatores de risco e diagnóstico Segundo o médico, dentre os fatores de risco para a neoplasia de próstata, os principais são história familiar positiva, idade avançada e pele negra. “Homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem buscar atendimento urológico para serem avaliados por meio de entrevista e exames a fim de se rastrear o câncer de próstata”, orienta o médico. “O diagnóstico desse tumor é feito através da biópsia guiada por exame de imagem, procedimento no qual múltiplos fragmentos da próstata são retirados por agulha e analisados ao microscópio pelo médico patologista”, comenta Rafael Salera. Uma vez feito o diagnóstico, avalia-se os seguintes fatores para definição da gravidade da doença: valor de PSA, características da próstata percebidas ao toque retal / exame de imagem, número de fragmentos da biópsia acometidos por neoplasia e escore de Gleason (é uma pontuação dada ao tumor de próstata levando-se em consideração às características das células ao microscópio). Tratamento O tratamento pode ser feito com cirurgia, radioterapia, braquiterapia e terapia hormonal, de forma isolada ou em conjunto. “Muitas vezes os pacientes podem ser tratados de forma igualmente eficaz pela cirurgia, radioterapia e braquiterapia”, diz o médico. Segundo Salera, cada modalidade tem suas vantagens e potenciais efeitos colaterais, motivo pelo qual o tratamento do câncer de próstata deve ser conduzido por equipe multidisciplinar composta por profissionais médicos da urologia, radioterapia e oncologia clínica. “Outra opção segura é a observação cuidadosa dos homens portadores de doença em estágios iniciais”, sugere o médico. “É sabido que nessas situações o tumor de próstata tem tão bom prognóstico que os pacientes podem ser acompanhados com exames rotineiros e o tratamento só é indicado caso haja sinais do avanço da doença”, afirma. Por fim, o médico lembra que muitas vezes, nos estágios iniciais, a doença permanece indolente ao longo do tempo e o indivíduo nunca necessitará ser submetido a nenhum tipo de tratamento, sem prejuízo à qualidade de vida.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Quatro superalimentos excelentes para a digestão das crianças

18 de novembro de 2020, 07:05

(Foto: Reprodução)

Determinados alimentos podem prevenir a prisão de ventre, gases e dores abdominais nas crianças, conforme explica um artigo publicado no jornal Metro Brasil. "A obstipação na criança é resultado de vários fatores. O principal é a alimentação desequilibrada. Às vezes, a criança tem uma alimentação muito pobre em frutas e vegetais e, com isso, ingere menos fibras", conta a nutricionista Denise Alves Brasileiro, em declarações ao Metro. De modo a regularizar o funcionamento do intestino, a nutricionista salienta a relevância de consumir frequentemente alimentos saudáveis, tais como: Banana "A banana é rica em frutano, um amido resistente que ajuda a controlar o índice glicêmico e facilita a digestão", diz Denise. Mais ainda, o frutano incita a produção e libertação de fezes e a absorção de minerais. Melancia Esta fruta estimula e facilita a digestão dos menores, por ser abundante em fibras e água, melhorando consequentemente o trânsito intestinal. Iogurte "Sabemos que os probióticos [nos iogurtes naturais] ajudam a equilibrar a flora intestinal que, uma vez equilibrada, melhora a digestão por vários motivos, principalmente pela metabolização de hidratos de carbono", salienta a especialista. Abacaxi Denise afirma que o abacaxi: "é rico numa enzima chamada bromelina, que facilita muito a digestão, principalmente das proteínas". Adicionalmente, a fruta contribui para a hidratação do corpo e fornece vitaminas A e C.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Mulher recusa carro como recompensa após devolver cão: ‘Não seria justo’

17 de novembro de 2020, 10:24

Benji voltou para a família da esteticista Débora Szabo, 21 (Foto: Arquivo pessoal)

Uma família de Taubaté, no interior de São Paulo, está mais feliz desde sábado (14). Isso porque o cãozinho deles, da raça chihuahua, que estava desaparecido há uma semana, foi encontrado. A família chegou a oferecer um carro, um Passat, ano 1984, avaliado em R$ 3 mil, como recompensa para quem encontrasse o animal. Benji, como o cãozinho é chamado, tem quatro anos e é o xodó da família. Ele desapareceu no último dia 7, por volta do meio-dia, quando a família saiu para ir ao supermercado. Meia hora depois, o cachorro, que usava uma coleira, já não estava mais no quintal da residência. A partir daí, começou uma força-tarefa para encontrar o cãozinho. Cartazes foram espalhados pela cidade e uma campanha foi criada nas redes sociais em busca do animal. Até que no sábado veio a notícia: o Benji estava bem e em uma casa no mesmo bairro, Chácara Silvestre. "Pela manhã, fui espalhar mais cartazes do Benji no bairro e uma mulher me chamou. Ela disse que havia um cachorro bem parecido no quintal da casa do seu inquilino. Chegamos lá e era ele", conta o pintor Emerson Albissu da Silva.Segundo o dono do animal, a pessoa que estava com Benji disse ter encontrado o animal na rua. Com Benji de volta em casa, chegou a vez de cumprir a promessa e entregar o veículo da família como recompensa à pessoa que encontrou o cãozinho. No entanto, Emerson conta que a mulher não aceitou o veículo. "Eu já tinha separado a documentação para entregar o carro, mas a mulher disse que não seria justo aceitá-lo e eu ter que pagar pelo resgate do cachorro que é meu. Combinamos de depois fazer um churrasco para comemorar a volta do Benji para casa", conta. O Passat 1984 oferecido como recompensa pelo retorno de Benji Ainda segundo Emerson, agora a família redobrou os cuidados com Benji e o cãozinho fica apenas dentro de casa para evitar que ele suma novamente. Desaparecimento do Benji Benji desapareceu do quintal da casa da família no último dia 7. Após o desaparecimento do animalzinho, a família começou as buscas por ele. Cartazes com a foto de Benji foram espalhados e ruas da cidade foram percorridas pela família em busca do animal. Na quarta-feira, depois de cinco dias de buscas por Benji, e sem nenhuma pista sobre o paradeiro do cachorro, a Emerson decidiu oferecer o carro da família, um Passat, ano 1984, como recompensa para quem encontrar o animal de estimação. O anúncio da recompensa foi feito em postagens divulgadas nas redes sociais. Benji está com a família desde fevereiro de 2016. A paixão pelo animalzinho é tanta que a família conta que o cãozinho é tratado como um filho, dorme com o casal e tem até regalias, como festa de aniversário.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Candidato faz campanha com número errado e só descobre no dia da eleição

17 de novembro de 2020, 03:22

Rodolfo Cornetinha (Avante) obteve apenas 30 votos (Foto: Fornecido por Rede TV)

Na cidade de Ipojuca, no interior de Pernambuco, o candidato a vereador Rodolfo Cornetinha (Avante) descobriu somente no dia da eleição que havia feito toda sua campanha eleitoral divulgando o número errado. Todo o material gráfico, jingle e campanhas nas redes sociais foram feitos com 963 como os últimos três números, mas o correto era 936. Após perceber o equívoco, Cornetinha gravou um vídeo em sua conta no Instagram tentando corrigir o equívoco. “Quero dar uma notícia não muito agradável. Hoje de manhã eu recebi pelo TRE que esse tempo todo eu usei um número na divulgação e o número estava errado”, disse o então candidato, visivelmente emocionado. Porém, ao que parece, a tentativa não foi muito bem sucedida, já que o influenciador digital, que tem mais de 20 mil seguidores e já chegou a fazer campanhas para marcas em sua conta na rede social, conseguiu apenas 30 votos. Fonte: Rede TV 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Padre é detido suspeito de dirigir embriagado e provocar acidente com morte

16 de novembro de 2020, 15:37

Padre invade pista contrária e provoca grave acidente, em Esperança, Paraíba (Foto: Amy Nascimento/TV Paraíba)

O padre José Assis Pereira, de Campina Grande (PB), foi preso acusado de provocar um acidente que deixou um homem morto e outro ferido. Conforme a Polícia Civil, o carro que ele dirigia colidiu com uma motocicleta após invadir a faixa contrária na BR-104, na cidade de Esperança. As informações são do Uol. O pároco apresentava sinais de embriaguez e se recusou a fazer o teste do bafômetro. Aos policiais, José Assis afirmou que perdeu o controle do veículo. As vítimas foram socorridas. O condutor da moto morreu e o homem que estava na garupa sofreu fraturas expostas e passou por cirurgia. Ainda conforme a polícia, o religioso continua preso aguardando decisão da Justiça. Procurada pelo Uol, a Diocese de Campina Grande, onde o padre atua, informou que não vai se pronunciar sobre o caso no momento.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Missões espaciais apostam na descoberta de vida fora da Terra

16 de novembro de 2020, 08:36

O recente anúncio da detecção de moléculas de água em parte da Lua que é iluminada pelo Sol fez crescer a expectativa pela construção de uma base lunar (Foto: Reprodução)

Abusca por água fora da Terra – em outros planetas e luas – tem aquecido os estudos e achados astronômicos. O recente anúncio da detecção de moléculas de água em parte da Lua que é iluminada pelo Sol fez crescer a expectativa pela construção de uma base lunar. Isso ocorre às vésperas da missão Artemis, da Nasa, a agência espacial norte-americana, que levará a primeira mulher ao nosso satélite e que está prevista para 2024. Mas, por que encontrar água fora da Terra é tão importante? ''Pelo que a gente conhece da vida aqui na Terra, um componente básico que todos os seres precisam é a água. Por isso, que essas missões procuram primeiro um lugar que tenha água líquida, para então procurar por indícios mais sofisticados de vida, como por exemplo as moléculas orgânicas, DNA, RNA, lipídios ou outras moléculas das quais as células são feitas'', responde o pesquisador do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), Douglas Galante. Para ele, a água é um ''fator fundamental da vida como a gente conhece aqui, e muito provavelmente da vida em outros lugares no universo. Por isso, as missões de procura por vida, primeiro procuram por água'', diz. Além da Lua, aqui no nosso sistema solar, o recurso natural foi confirmado em estado líquido no polo sul de Marte.Segundo estudos de um grupo de italianos publicados na revista Science, existem bolsões de água no Planeta Vermelho de forma intermitente. Antes, as pesquisas mostravam a água na forma de gelo, que derretia na superfície apenas durante o verão. O planeta, que já teve características parecidas com as da Terra há bilhões de anos, agora é o caminho de pelo menos três missões – dos Estados Unidos, da China e dos Emirados Árabes.Diante dos achados, a pergunta que pode ser respondida na próxima década: Marte já teve ou ainda abriga alguma forma de vida? ''Existem várias missões que estão sendo enviadas para Marte neste momento e todas elas têm forte componente da astrobiologia. Ou de procurar indícios de vida – vida passada, que está fóssil, morta ou vida presente, possivelmente em alguns locais habitáveis em Marte.'', diz o pesquisador. Douglas Galante explica que as missões em curso estão focadas em investigar locais onde tenha existido água. “A gente sabe que Marte teve água abundante no passado e ainda tem água hoje em dia em locais específicos, em algumas colinas, na subsuperfície e mesmo água salobra. Nessas regiões existe grande chance de ter vida presente”, acrescenta. Ainda no nosso sistema solar, os achados de sondas espaciais mostram vapor de água sendo expelido em luas, como Europa – de Júpiter – e Encélado – de Saturno. E isso pode indicar que existem oceanos embaixo de uma crosta de gelo, assim como já foi identificado em Titã, outra lua de Saturno. Nos últimos anos também vimos o aumento de descobertas de exoplanetas – aqueles que ficam fora do nosso sistema solar. Alguns são chamados de ''superterras'', por apresentarem características em comum com o nosso planeta. Eles ficam em zonas potencialmente habitáveis, ou seja, têm temperatura e radiação ideais, além de estar na distância ideal das estrelas que orbitam. Um exoplaneta, em especial, chamou a atenção: o k2 18b, que foi descoberto por cientistas do Reino Unido. Ele tem oito vezes a massa da Terra, está a mais de 100 anos-luz daqui e há indícios de oceanos e água em estado líquido por lá.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Projeto poderá definir quem vai receber vacina primeiro

16 de novembro de 2020, 08:25

O projeto, apresentado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), determina que a vacinação priorize grupos mais vulneráveis à covid-19 (Foto: Reprodução)

OSenado negocia a votação de um projeto de lei para estabelecer regras de vacinação contra a covid-19 no Brasil. A proposta chegou a ser pautada em outubro, mas teve a discussão adiada para uma articulação com o governo federal. O texto pode voltar ao plenário na próxima semana e o Ministério da Saúde deu aval para a discussão no Legislativo. Senadores querem pautar a medida para votação na próxima semana. A decisão, porém, cabe ao presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que deve realizar uma reunião de líderes partidários para decidir a agenda de votações. Se aprovado, o texto ainda dependerá da Câmara e de sanção presidencial. O projeto, apresentado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), determina que a vacinação priorize grupos mais vulneráveis à covid-19, conforme parâmetros científicos, estabelecidos em regulamento, o que coloca idosos, doentes crônicos, profissionais de saúde e outros grupos de risco na frente da fila. Além disso, a proposta estabelece que a distribuição de doses e a transferência de recursos federais para Estados e municípios seja feita de acordo o tamanho da população, o número de infectados, a capacidade da rede de saúde local e o potencial de disseminação da covid na região. A distribuição dos repasses federais é uma das principais polêmicas na discussão. Em abril, por exemplo, o Senado negociou um projeto com o governo federal para destinar recursos a Estados e municípios no combate à pandemia. Contrariando proposta da Câmara, que beneficiava Estados maiores, o Senado acabou destinando proporcionalmente mais recursos para o Norte, região do presidente do Senado, Davi Alcolumbre. O Ministério da Saúde informou que elabora o Plano Nacional para Operacionalização da Vacinação contra a covid e que os critérios para distribuição de doses serão definidos conforme parâmetros adotados em outras campanhas de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS). A pasta não se posicionou oficialmente sobre o projeto do Senado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Eleições 2020 terão quase 148 milhões de eleitores

15 de novembro de 2020, 09:04

(Foto: Divulgação)

O  Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou que ao menos 147.625.767 pessoas poderão participar da votação em 5.567 municípios para escolha dos próximos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores entre mais de 550 mil candidatos. As eleições deste ano foram adiadas de outubro para novembro em razão da pandemia da Covid-19. Apesar do recorde de eleitores habilitados, cientistas políticos ouvidos pelo G1 avaliam que o índice de abstenção, que tem crescido nos últimos pleitos, pode aumentar neste ano. Segundo eles, o descrédito dos políticos e, principalmente, a pandemia de coronavírus, que já matou mais de 165 mil pessoas no Brasil, pode afetar o comparecimento às urnas. Devido ao possível receio de contaminação por parte dos eleitores, o TSE ampliou em uma hora o horário de votação, definiu um horário preferencial para idosos, e estabeleceu uma série de medidas sanitárias, como o uso obrigatório de máscaras para acesso às cabines. Candidatos O número de candidatos, entre prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, nestas eleições também é recorde. Segundo o TSE, foram registrados 557.394 pedidos de candidatura, dos quais 96,65% foram declarados aptos. São 518,3 mil candidatos a vereador e 19,3 mil candidatos a prefeito. Mais de 24 mil concorrem à reeleição. Nas eleições municipais de 2016, segundo o TSE, foram registrados 496.927 pedidos de candidatura. Segundo especialistas, o incremento na quantidade de candidaturas é explicado pelo fato de esta ser a primeira eleição municipal após o fim das coligações proporcionais. Quociente eleitoral O quociente eleitoral define quantos votos cada partido precisa alcançar para conseguir uma cadeira nas câmaras de vereadores. Para chegar a esse número, a Justiça Eleitoral calcula o total de votos válidos (excluindo brancos e nulos) e verifica o número de vagas em disputa. Se forem 100 mil votos e dez cadeiras, por exemplo, o quociente eleitoral é 10 mil.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Saiba como justificar a ausência na votação e quais as penalidades

15 de novembro de 2020, 08:54

(Foto: Reprodução)

O voto é obrigatório em todo o Brasil. Caso o eleitor não compareça às urnas neste domingo (15), ele poderá justificar sua ausência para evitar as penalidades. Em tempos de pandemia do coronavírus, a Justiça eleitoral liberou os eleitores que estiverem com a Covid-19 de irem às suas zonas eleitorais para escolherem seus prefeitos e vereadores. Para isso, o cidadão deve apresentar documento, como atestado, declaração médica ou teste que comprovem a condição. Por não existir uma norma específica que proíba a presença de pessoas em caso de sintomas ou contaminação pelo vírus, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) garante que seu Plano de Segurança Sanitária protegerá à todos. Cada eleitor deverá usar máscara, manter o distanciamento social e o uso de álcool em gel dentro da seção, enquanto o mesário estará de face shield. Já para os eleitores sadios, que não estiverem nas suas cidades de votação, poderão justificar através do localizador do aplicativo e-Título. Para isso, ele deve estar atualizado com a funcionalidade e esse meio só é válido durante o horário de votação, isto é, das 7h às 17h. A justificativa por problemas de saúde, também pode ser feita pelo aplicativo, mas somente no prazo de 60 dias após o dia da votação. Assim como no caso da Covid-19, o eleitor precisa apresentar atestado médico. Outro meio, é preencher o requerimento através do site da Justiça Eleitoral. Por fim, as demais formas de justificar a ausência no dia da votação continuam válidas. O eleitor deve comparecer em qualquer seção eleitoral do país e preencher o requerimento. Em caso de segundo turno, a votação ocorrerá no dia 29 de novembro, no mesmo horário, entre 7h e 17h. PENALIDADESCaso o eleitor que não votar e não apresentar justificativa, algumas penalidades estão previstas em lei, dentre elas o pagamento de uma multa no valor de R$ 3,50. Conforme o § 1º do art. 7º do Código Eleitoral – Lei nº 4.737, de 1965, o cidadão não poderá: Obter passaporte Receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público Participar de concurso público ou de concorrência administrativa pública Obter empréstimos de autarquias, nas sociedades de economia mista, nas caixas econômicas federais e estaduais Renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo Praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda Obter qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiver subordinado

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Será preciso ficar em casa para evitar 2ª onda de COVID-19, alerta fundador da Anvisa

14 de novembro de 2020, 09:28

Para o professor da USP, se a população brasileira não quiser morrer na porta dos hospitais, é preciso reduzir a quantidade de pessoas na rua (Foto: Reprodução)

Em meio a uma segunda onda de casos de COVID-19 na Europa, a plataforma Info Tracker da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp), informou que houve um salto de 50% nos casos suspeitos de coronavírus na capital paulista entre agosto e novembro. A plataforma, que monitora o avanço da pandemia, levanta a suposição sobre uma segunda onda da doença. No entanto, até que ponto se pode pensar em um segundo surto de COVID-19 no Brasil? Na opinião de Gonzalo Vecina Neto, fundador da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e professor da Faculdade de Saúde Pública da USP, há vários sinais de que estaríamos vivendo uma segunda onda, que ele prefere classificar como recrudescimento da primeira, pois não acredita que esta tenha acabado. "Nós estamos vivendo um aumento de casos e do número de mortes. Isso está acontecendo no Brasil todo. Os estados que foram menos afetados, neste momento, têm um número maior de casos. Já os estados do Norte que tiveram muitos casos estão sendo menos afetados. Há crescimento de casos em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, e no interior paulista. É preciso ter cuidado e atenção para esse recrudescimento - ou até mesmo uma segunda onda - que está ocorrendo no país", avalia o especialista. O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, disse nesta sexta-feira (13), durante uma conversa com seus apoiadores no Palácio da Alvorada, que o que vem sendo chamado de segunda onda é uma "conversinha", e que, caso ela realmente aconteça, deverá ser enfrentada para a economia não "quebrar de vez". "Vocês vejam o que era antes, como eram os ministérios, como tudo era aparelhado no Brasil, e como estão funcionando apesar dessa pandemia aí, que nos fez gastar mais de R$ 700 bilhões. E agora tem conversinha de segunda onda. Tem que enfrentar se tiver, porque se quebrar de vez a economia, seremos um país de miseráveis", disse o presidente. Já o ministro da Economia Paulo Guedes, assinalou que, caso aconteça uma segunda onda, o governo voltará a prover assistência, mas não nos mesmos valores que foram liberados neste ano. "Em vez de 8% do PIB, provavelmente desta vez metade disso porque sabemos que podemos filtrar agora os excessos aqui e ali. E certamente usaríamos valores menores", afirmou o ministro durante um fórum virtual promovido pela Bloomberg, segundo o jornal Extra. Para o doutor Gonzalo Vecina, o que está sendo chamado de possível segunda onda no Brasil é evidente e foi provocado, em grande parte, pelo relaxamento das medidas de restrição. Na opinião do professor da USP, caso não haja uma mudança de comportamento, acontecerá aquilo que já vimos no começo da pandemia: o colapso da rede hospitalar, a falta de leitos de UTI e a necessidade da realização da escolha de quem ocupará o leito.  "Infelizmente, um número importante dos leitos que foram construídos, já foram desativados. 65% dos leitos foram desativados. Os hospitais estão ficando cheios novamente, vamos ver como a pandemia vai se comportar e qual é a capacidade dos estados do país para recolocar os leitos à disposição da sociedade. Esta é uma primeira providência", opina. Além disso, o fundador da Anvisa considera que os governos terão que voltar a pensar em adotar  medidas restritivas para evitar o colapso do sistema de saúde. "Ninguém quer [novas restrições], a população está cansada, mas as equipes de saúde estão 'pedindo água'. Enquanto vivíamos uma queda do número de transmissões, as equipes continuaram trabalhando intensamente. A população relaxou, as autoridades reabriram restaurantes, bares, espaços públicos, etc., mas as equipes de saúde continuaram sob estresse nos hospitais e estão próximas do limite. Não existe outra solução, para reduzir o número de casos é preciso reduzir os encontros, ou seja, ficar em casa", sentencia o especialista. De acordo com o jornal O Globo, nove capitais registram neste momento aumento dos casos de coronavírus. Os dados foram apurados em um levantamento do sistema InfoGripe, assinado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com base em registros do Ministério da Saúde. Segundo o levantamento, as cidades mais afetadas são João Pessoa (PB) e Maceió (AL), que registraram aumento de 95% dos casos. Em seguida, com 75%, aparecem Belém (PA), Fortaleza (CE), Macapá (AP), Natal (RN), Salvador (BA), São Luiz (MA) e Florianópolis (SC).  Para o professor da Faculdade de Saúde Pública da USP, os dados da Fiocruz confirmam que estamos vendo esse aumento no número de casos em todo o país, que pode ser atribuído ao relaxamento, à possibilidade de as pessoas se encontrarem com o vírus, que está espalhado no ambiente. "É preciso cuidado, temos que dar um passo atrás e tomar muito cuidado para não lotarmos os hospitais", recomenda. Para o professor da USP, se a população brasileira não quiser morrer na porta dos hospitais, é preciso reduzir a quantidade de pessoas na rua, fechar restaurantes, bares, espaços públicos, etc. Além disso, é necessário usar máscara e instalar barreiras físicas nos lugares onde as pessoas continuarão trabalhando e haverá relacionamento com o público. Se isso não for feito, ressalta o médico, será muito difícil lidar com a pandemia. "É preciso esperar um pouco mais para retornar com as atividades, a vacina está chegando, porém, temos que chegar a janeiro e fevereiro, quando teremos condições de começar uma vacinação, pelo menos entre os profissionais de saúde e pessoas do grupo de risco", propõe o ex-diretor da Anvisa. As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik Fonte Sputinik 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Os 7 alimentos que são ladrões de energia

Você provavelmente já ouviu falar e leu bastante sobre alimentos e suplementos que aumentam sua disposição e te deixam mais animado para encarar um treino ou até mesmo as tarefas do dia a dia. Mas também existe o outro lado dessa moeda. Não faltam vilões neste mundo na nutrição: os alimentos que são ladrões de energia e podem atrapalhar bastante sua rotina na corrida ou até mesmo se tornar um obstáculo numa prova.

Esses “ladrões” de energia atuam de diferentes maneiras no organismo. Em alguns casos, oferecem tanto açúcar que, num primeiro momento, essa elevada taxa de glicose resulta em mais disposição, mas, logo em seguida, a insulina liberada para normalizar essa glicose faz justamente o caminho contrário. E aí o cansaço chega com tudo.

Também tem aqueles alimentos que dão tanto trabalho para o sistema digestivo que muitos nutrientes são desviados para ajudar nesse processo, fazendo com que eles faltem na produção de energia em outras funções do organismo. Resultado: o corpo logo sente essa queda de disposição.

Para te ajudar a evitar esse cansaço causado pela má alimentação, acionamos três especialistas para fazer uma lista dos maiores ladrões de energia, suas principais armas e como combatê-las. Confira!

Os ladrões de energia 

Carboidratos simples

Alimentos com farinhas brancas vão roubar energia se consumidos em excesso. “Em um pré-treino, por exemplo, são aliados, mas viram vilões se não houver uma atividade física depois”, pondera Mayara Ferrari, nutricionista funcional esportiva. “Isso acontece porque a quantidade de açúcar no sangue fica muito elevada e o pâncreas libera mais insulina para quebrar todos esses carboidratos. Isso pode causar uma grande redução de açúcar no sangue, resultando em fadiga e falta de energia.”

Sal

Aquele sal extra para dar mais gosto à comida pode te deixar mais cansado. Em quantidade exagerada, o sal aumenta a pressão arterial e deixa o organismo mais desidratado porque mais água é necessária para compensar. “Ele prejudica o funcionamento adequado do organismo, que ficará a todo momento buscando esse equilíbrio. Isso dará uma sensação de cansaço e fadiga. Esporadicamente um pouco de sal não tem problema, mas abusar dele diariamente ou usar em grande quantidade é bastante prejudicial”, adverte Mayara.

Alimentos gordurosos e frituras

A gordura em excesso dificulta a digestão e atrapalha a chegada dos nutrientes à corrente sanguínea. “Como possuem uma digestão mais
lenta, eles fazem com que a circulação se concentre na região abdominal por mais tempo. Isso causa uma sensação de letargia e sonolência durante a digestão, que pode passar de três horas. E isso não é bom para quem vai se exercitar, pois precisará de boa circulação nos membros”, alerta a nutricionista Lara Natacci.

Doces

A lógica nesse caso é parecida à dos carboidratos simples: como eles são ricos em açúcar, dão um pico de energia no primeiro momento porque aumentam a quantidade de glicose no sangue, mas se a pessoa não for praticar uma atividade física logo em seguida, essa disposição logo pode virar cansaço. “O organismo vai aumentar a secreção de insulina para normalizar a glicemia, que é a quantidade de glicose no sangue. Por isso, a sensação de aumento de energia deve durar pouco e dar lugar à fadiga”, reforça Lara Natacci.

Café

O café, um dos estimulantes mais populares, também pode roubar sua energia. Ele realmente gera mais disposição num primeiro momento, mas sua ação no sistema nervoso tem como um dos efeitos a fadiga. “A cafeína, no cérebro, obstrui os efeitos da adenosina, substância que ajuda na transferência de energia e na promoção do sono, dando o efeito estimulante”, explica André Lemos, médico nutrólogo. “Por outro lado, também inibe a degradação da acetilcolina, que aumenta o estímulo muscular. E a consequência disso são o cansaço e a debilidade”, completa.

Corantes e conservantes

Presentes em muitos produtos industrializados, como nuggets, embutidos (salame, presunto, mortadela, peito de peru) e salsichas, eles
modificam o funcionamento adequado do organismo, que tenta repor o que os corantes “tiram” no processo de digestão. “Eles causam uma cascata de processos inflamatórios e oxidantes. Para reverter essa situação, disponibilizamos muitas vitaminas e minerais, fazendo com que o restante do organismo não funcione adequadamente”, destaca Mayara.

Refrigerante

O refrigerante é um dos “ladrões de energia” mais temidos. Alguns maratonistas e ultramaratonistas o utilizam durante provas quando já estão acostumados a seus efeitos, inclusive psicológicos, mas, para o organismo, eles não têm nada de “bonzinhos”. Isso porque o refrigerante, em geral, tem tudo em excesso: açúcar, sódio e corantes. Assim, desencadeia todos os processos já descritos de uma só vez. Além disso, estudos apontam que o refrigerante ainda pode atrapalhar o padrão de sono, prejudicando o descanso e interferindo na disposição.

VÍDEOS