Jacobina: Prefeito Luciano da Locar e o vereador Dudu visitam obras e avaliam investimentos para Novo Paraíso

18 de fevereiro de 2020, 08:14

Prefeito Luciano da Locar esteve com alunos, professores e demais moradores da comunidade de Novo Paraíso (Foto: Ascom/PMJ)

Na tarde de segunda-feira (17), o prefeito de Jacobina, Luciano da Locar esteve no distrito de Novo Paraíso, onde na oportunidade visitou as obras de requalificação do Colégio Municipal Elvira Pires e participou de um encontro com professores e alunos da unidade de ensino. A reforma do educandário consta de serviço de pintura, manutenção em toda a estrutura física, inclusive da quadra poliesportiva, e construção da nova sala dos professores. “Estamos concluindo a reforma do Colégio Elvira Pires, a quadra está novinha em folha, salas pintadas, nova sala de professores e em breve entregaremos o Novo Infocentro”, destacou o prefeito, que na oportunidade verificou a qualidade da merenda escolar e em seguida esteve nas ruas Dos Pilões e Vasco da Gama. Luciano da Locar anunciou a reforma das arquibancadas do estádio de futebol da localidade. “Em breves dias anunciaremos o maior pacote de obras da história de Novo Paraíso”, informou o chefe do Executivo, elogiando em seguida o papel do vereador Dudu de Nilda, representante da comunidade. “O vereador Dudu tem sido incansável em suas cobranças, que logo, logo serão transformadas em obras e ações que mudarão para sempre a vida desta comunidade”, garantiu Luciano . “Não tenho dúvidas que Luciano estará cumprindo grandes investimentos para Novo Paraíso, e certamente toda a população irá aplaudir o que vem por aí”, ressaltou o vereador Dudu.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Em carta, 20 governadores criticam Bolsonaro por não contribuir para ‘evolução da democracia’

17 de fevereiro de 2020, 18:46

Após os recentes ataques do presidente Jair Bolsonaro, vinte governadores assinaram uma carta aberta em que o criticam por fazer declarações que "não contribuem para a evolução da democracia no Brasil (Foto: Pedro Caramuru - O Estado de S.Paulo)

Após os recentes ataques do presidente Jair Bolsonaro, vinte governadores assinaram uma carta aberta em que o criticam por fazer declarações que "não contribuem para a evolução da democracia no Brasil". Eles citam os recentes comentários do presidente sobre a investigação em curso do assassinato da vereadora Marielle Franco, em que Bolsonaro, segundo o documento, se antecipa "a investigações policiais para atribuir fatos graves à conduta das polícias e de seus Governadores". Bolsonaro disse no sábado, 15, que o governador da Bahia, Ruo Costa (PT), "mantém fortíssimos laços" com bandidos e que a "PM da Bahia, do PT" era responsável pela morte do ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Adriano da Nóbrega. A carta também traz os os comentários de Bolsonaro em que desafiou que os chefes dos Executivos estaduais para que reduzissem, segundo a carta, "impostos vitais à sobrevivência dos Estados". Recentemente Bolsonaro havia dito que zeraria os impostos federais sobre combustíveis se todos os governadores abrissem mão do ICMS sobre os produtos. O texto pede ainda que se observe "os limites institucionais com a responsabilidade que nossos mandatos exigem", e cobra: "Equilíbrio, sensatez e diálogo para entendimentos na pauta de interesse do povo é o que a sociedade espera de nós". Os governadores também convidam Bolsonaro para participar do próximo Fórum Nacional de Governadores, a ser realizado em 14 de abril. Essa não é a primeira vez que governadores reagem a Bolsonaro através de uma carta de repúdio. Em maio de 2019, governadores de 13 Estados mais o Distrito Federal assinaram uma carta contra o decreto que facilitava o porte de armas e o acesso a munições no País, publicado pelo governo Jair Bolsonaro. No documento, eles argumentam que as novas regras podem piorar os indíces de violência nos Estados. O decreto acabou sendo suspenso pelo Senado. Em outubro, oito governadores do N9rdeste publicaram um documento em solidariedade ao colega de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), chamado de “espertalhão” pelo presidente por fazer propaganda da versão estadual do décimo terceiro salário do Bolsa Família, um programa federal. Assinaram a carta desta segunda-feira, 17, Gladson Cameli (Progressistas-AC), Renan Filho (MDB-AL), Waldez Góes (PDT-AP), Wilson Lima (PSC-AM), Rui Costa (PT-BA), Camilo Santana (PT-CE), Ibaneis Rocha (MDB-DF), Renato Casagrande (PSB-ES), Flávio Dino (PCdoB-MA), Reinaldo Azambuja (PSDB-MS), Romeu Zema (Novo-MG), Helder Barbalho (MDB-PA), João Azevedo (Cidadania-PB), Paulo Câmara (PSB-PE), Wellington Dias (PT-PI), Wilson Witzel (PSC-RJ), Fátima Bezerra (PT-RN), Eduardo Leite (PSDB-RS), João Doria, (PSDB-SP) e Belivaldo Chagas (PSD-SE). Não assinaram o texto Ronaldo Caiado (DEM-GO), Mauro Mendes (DEM-MT), Ratinho Júnior (PSD-PR), Marcos Rocha (PSL-RO), Antônio Denarium (PSL-RR), Carlos Moisés (PSL-SC), Mauro Carlesse (DEM-TO). A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Imprensa da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), ligada à Secretaria de Governo da Presidência da República, e aguarda uma resposta.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Ministros do STF são avisados que são alvos de possíveis ataques terroristas

17 de fevereiro de 2020, 15:28

As conversas da célula terrorista teriam sido captadas em janeiro, na deep web, e teria sido disparada pela Unidade Realengo Marcelo do Valle (Foto: Eraldo Peres)

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, encaminhou aos demais da corte um ofício sigiloso informando que uma célula terrorista pode estar preparando "agressões contra ministros deste tribunal". As informações são de Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo. A PF comunicou inicialmente o ministro Alexandre de Moraes, relator do relator do processo que investiga ataques ao Supremo. Moraes, então, repassou a informação a Toffoli, que enviou um ofício aos colegas alertando sobre os riscos e recomendando que reforçassem seus protocolos de segurança. Segundo a PF, os supostos terroristas teriam dito, nas mensagens interceptadas, que os ministros mantém uma rotina que facilita o contato físico e visual. E, portanto, seriam autoridades de fácil acesso. As conversas da célula terrorista teriam sido captadas em janeiro, na deep web, e teria sido disparada pela Unidade Realengo Marcelo do Valle. Os ministros do STF receberam o ofício de Toffoli na quarta (12) e teriam ficado apreensivos com a informação, segundo Bergamo.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Na política quem ganha nem sempre é o melhor

17 de fevereiro de 2020, 15:23

*Por Gervásio Lima  -     No dia 4 de outubro deste ano todos os municípios brasileiros estarão escolhendo seus prefeitos e vereadores. Serão 5.570 (cinco mil, quinhentos e setenta) vagas para o Executivo e quase 60 mil para o Legislativo. Em 2018 havia mais de 147 milhões de eleitores aptos a votar. Na Bahia, especificamente, existem 417 municípios e o número de votantes em 2018, conforme informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) chegava a 10 milhões e 400 mil, sendo Salvador a cidade com o maior colégio eleitoral (1.827.436 eleitores), enquanto Feira de Santana (384.050) e Vitória da Conquista (221.849), aparecem em seguida. Para as eleições de 2020, esses números devem aumentar consideravelmente. Em um país de extensão continental, onde existem estados com área territorial maior que muitos países, as peculiaridades são diversas, principalmente do ponto de vista econômico, social, cultural e político. A maneira de se comportar e agir se difere de acordo a região, apesar de se seguir o mesmo conjunto de leis que rege o país. A forma de ‘fazer política’ é um exemplo de diferenças. Nos lugares onde a consciência, através do reconhecimento dos serviços prestados dos que buscam a reeleição ou propostas apresentadas dos que almejam uma oportunidade para por em prática seus intentos, nota-se que as disputas demonstram um nível melhor de seriedade e responsabilidade, facilitando inclusive o processo eleitoral. Já em urbanizações onde o voto é literalmente ‘moeda de troca’ para se obter vantagens pessoais e o assistencialismo persiste como política pública os crimes são inúmeros, principalmente o de abuso de poder econômico. As condutas de reciprocidades entre candidatos e eleitores são intrínsecas tornando os pleitos em atividades sujas e antiéticas, onde nem sempre quem ganha é o mais capacitado e probo. Morpará - Em 2008, o jovem Sirley Novaes Barreto, mais conhecido como Lelei, na época com 28 anos de idade, foi eleito prefeito de Morpará, município localizado na entrada da região Oeste da Bahia, entre as cidades da Barra e Ibotirama, no Vale do Rio São Francisco e distante700 quilômetros de Salvador. Apesar de pequeno (pouco mais de 8 mil habitantes), a cidade que hoje possui 57 anos de emancipação, tinha problemas de grandes povoações. Para se ter uma ideia, ao assumir o mandato o prefeito Lelei se deparou com um município com características de um povoado rural, sem a mínima condição de funcionar como uma sede administrativa. Não existiam veículos, nem mesmo ambulância, as secretarias de governo não dispunham de uma sede, o telefone que atendia à Prefeitura era um aparelho público (orelhão) situado na porta do imóvel que se resumia em menos de dez cômodos. Com cerca de meio século de existência como cidade, Morpará não possuía equipamentos como quadras poliesportivas e pavimentações em mais de 70 por cento de seus logradouros. O pequeno hospital se encontrava fechado e os serviços de abastecimento de água, energia e telefone estavam atrasados ou bloqueados. Quatro anos se passaram, Morpará passou a ser referência de administração para órgãos fiscalizadores e outras administrações da região. Uma nova sede para a Prefeitura constava com uma central telefônica e espaços para funcionamento de algumas secretarias; o hospital foi reaberto com contratações de profissionais da saúde como médicos; a sede e a zona rural receberam banho de luz com iluminação em todos os postes de energia próximos às residências; perfurações e instalações de poços artesianos; reformas e ampliações de prédios escolares; diversos veículos foram adquiridos, inclusive ambulâncias; as contas foram regularizadas; praças e quadras poliesportivas foram construídas na sede e no interior, assim como milhares de metros de pavimentações; serviços e programas sociais foram implantados, com destaque para o programa que disponibilizava os enxovais e até mesmo os berços para os bebês do município e a implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O Prêmio como Prefeito Amigo da Criança, um reconhecimento da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), órgão das Nações Unidas (ONU) que tem como objetivo promover a defesa dos direitos das crianças, em parceria com a Fundação Abrinq, foi um dos recebidos pela gestão exitosa do prefeito Lelei entre 2008 e 2012. As ações citadas são apenas algumas das inúmeras realizações daquele que foi considerado um dos melhores prefeitos da Bahia. Em quatro anos a vida dos moradores de Morpará se transformou, com a melhoria do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e com a auto-estima da população atingindo altos níveis. Eleição Municipal de 2012, o prefeito que revolucionou a administração pública da sua cidade, austero, comprometido e responsável com o erário perdeu a reeleição com uma diferença de 58 votos. Justificativa dos eleitores para não renovarem o mandato do promissor e honrado gestor: “ele não pagava bebida, nem conta de água das pessoas que lhe pediam”... *Jornalista e historiador 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Renault pode fechar fábricas após primeiras perdas em dez anos

16 de fevereiro de 2020, 16:42

A Renault entrou no vermelho em 2019, pela primeira vez em dez anos, registrando uma perda líquida de 141 milhões de euros (155 milhões de dólares) (Foto: Reprodução)

A fabricante de carros francesa Renault anunciou nesta sexta-feira (14) que pode fechar as fábricas sob um plano abrangente de economia, depois de registrar suas primeiras perdas desde 2009. “Nosso objetivo é reduzir nossos custos estruturais em pelo menos 2 bilhões de euros nos próximos três anos”, declarou a diretora-geral interina Clotilde Delbos, afirmando que o grupo anunciará seu plano de recuperação em maio. Conforme o anúncio desta sexta, a Renault entrou no vermelho em 2019, pela primeira vez em dez anos, registrando uma perda líquida de 141 milhões de euros (155 milhões de dólares). A prisão do principal líder da Renault-Nissan, Carlos Ghosn, no Japão em novembro de 2018, devido a acusações de desfalque por parte de líderes do grupo japonês, mergulhou essa aliança franco-japonesa em uma grave crise. Ghosn agora está refugiado no Líbano depois de fugir da Justiça japonesa. Para 2020, o grupo francês antecipa uma nova baixa de seus benefícios e um volume de negócios da “mesma magnitude” que o de 2019. O atual presidente da Renault, Jean-Dominique Senard, expressou sua confiança na nova equipe administrativa, com a chegada planejada para julho do novo CEO, Luca de Meo, vindo da Seat (Grupo Volkswagen).  

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Documento do carro terá só versão digital

16 de fevereiro de 2020, 13:56

Para ter a nova versão, o motorista deve baixar um aplicativo gratuito no site do Detran (Foto: Reprodução)

A partir deste ano, o documento do carro não vai mais ser impresso. Nove estados já adotaram a mudança. O restante do país tem até junho para se adaptar. Para ter a nova versão, o motorista deve baixar um aplicativo gratuito no site do Detran. Depois que pagar o  IPVA, o documento aparece na tela do aparelho. Os policiais podem ter acesso ao documento aproximando o leitor do QR Code (código de barras em formato quadrado localizado na parte interna do documento). As carteiras  emitidas a partir de 2017 já contam com esse item de segurança. O motorista que não tiver o QR Code deve tirar uma segunda via do documento. Em Goiás, um dos estados que já aderiu ao formato eletrônico, a economia com o fim do papel chegará a 6 milhões de reais ao ano.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Sem horário de verão, celulares atrasam relógio em uma hora

16 de fevereiro de 2020, 13:45

Em outubro e novembro do ano passado, o mesmo problema foi relatado por internautas nas redes sociais, quando horário foi atualizado automaticamente pelas operadoras de telefonia (Foto: Reprodução)

Mesmo com a extinção do horário de verão, por meio de decreto do presidente Jair Bolsonaro em abril do ano passado, usuários do sistema Android voltaram a ser surpreendidos com a atualização equivocada de celulares que atrasaram relógio em uma hora automaticamente, na virada de sábado, 15, para este domingo, 16. Em outubro e novembro do ano passado, o mesmo problema foi relatado por internautas nas redes sociais, quando horário foi atualizado automaticamente pelas operadoras de telefonia, já que o horário de verão começava tradicionalmente no terceiro fim de semana de outubro. Na época, em comunicado em blog, o Google explicou que "todas essas modificações impactam diretamente no Banco de Dados Global da IANA (em português, Autoridade para Atribuição de Números de Internet), que é utilizado por smartphones e dispositivos eletrônicos para garantir que você esteja sempre na hora certa, onde quer que esteja. Na prática, isso significa que alguns celulares possivelmente não tengam a informação necessária para evitar que o relógio doa aparelhos seja alterado automaticamente como se o horário de verão ainda estivesse valendo". Horário de verão Criado com o objetivo de economizar energia e aproveitar o maior período de luz solar durante os meses mais quentes do ano, quando os dias também são mais longos, o horário de verão foi adotado no Brasil pela primeira vez em 1931 e implementada em caráter permanente a partir de 2008 e começaria no primeiro domingo do mês de novembro de cada ano, até domingo do mês de fevereiro do ano seguinte, em parte do território nacional. Só haveria mudança em ano que houvesse coincidência entre o domingo previsto para o término da hora de verão e o domingo de carnaval.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Tem filhos nas redes sociais? Siga estas 10 dicas de segurança

16 de fevereiro de 2020, 00:44

Rede social compartilha noções que os pais devem ter em atenção (Foto: Reprodução)

O Facebook revelou dez dicas para se manter seguro nas redes sociais, partilhando noções que os pais devem ter em atenção quando têm filhos com idades para nestas navegarem. Para esclarecer dúvidas dos jovens - ou dos pais! - ou até para resolver questões em família.  Fique a par das dicas reveladas pela rede social: 1. Inicie uma conversa com seu filho o mais cedo possível e antes de ele estar inscrito numa rede social. O Facebook considera que deve começar "a conversar com os seus filhos sobre tecnologia antes de eles chegarem aos 13 anos, a idade que é permitido criar um perfil numa rede social". Mas, se o seu filho já está numa rede social, "considere adicioná-lo como amigo." 2. Esteja atento às restrições de idade "O Facebook e o Instagram não permitem que alguém com menos de 13 anos possa criar uma conta" mas, em alguns países, "o limite de idade pode ser mais alto". Depende da legislação local. 3 . Deixe bem claro que as regras que se aplicam online são as que se aplicam offline Ensine o seu filho "a refletir antes de partilhar online e aceitar um pedido de amizade de um estranho". 4. Peça ao seu filho para o ensinar "Se houver um serviço que seu filho adolescente costuma usar e não faz ideia de como funciona", é sugerido que lhe peça para servir "de professor". "A conversa também pode servir como uma oportunidade para falar sobre questões de segurança, privacidade e proteção", acrescenta-se. 5.  Identifique e aproveite os primeiros momentos "Quando o seu filho recebe o seu primeiro celular, é um excelente momento para definir as regras básicas" e quando tiver idade para aderir às redes, "será um bom momento para conversar sobre partilhar conteúdo com segurança." 6.  Ajude-os a gerir o tempo online "Defina limites de horário para que o seu filho possa usar as redes sociais ou estar online, e obedeça a estas mesmas regras", é aconselhado. 7.  Ajude-os a verificar e a configurar as suas definições de privacidade "Quando o seu filho aderir a uma rede social pode usar as ferramentas e as configurações para ajudá-lo a gerir a conta", uma vez que o Facebook tem "definições de privacidade para controlar quem pode ser amigo dele, quem pode ver as publicações e se querem partilhar detalhes como a localização".  8.  Diga-lhes para o informarem se virem algo que os preocupa O Facebook desenvolveu um "conjunto de políticas (Padrões da Comunidade) que definem o que é e o que não é bom partilhar nas plataformas". Assim, "existe um link em quase todas as publicações do Facebook e Instagram para denunciar abusos, bullying, assédio e outros problemas". 9.  Faça disso uma experiência partilhada Um exemplo da experiência partilhada é "usar um filme ou uma foto e divertir-se a editar com seu filho". Pode "adicionar filtros e outros recursos de realidade aumentada" ou "perguntar-lhes qual é a coisa favorita deles online".  10.  Confie em si mesmo Normalmente, com os filhos, "pode adaptar o mesmo discurso que usa nas atividades offline para as atividades online". Desta feita, "se achar que o seu filho adolescente responde melhor a um acordo, o Facebook sugere que crie um contrato que os dois possam assinar".    

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Número de casos suspeitos de Covid-19 cai para 3 no Brasil

16 de fevereiro de 2020, 00:35

Os pacientes monitorados pelas autoridades de saúde estão nos Estados de São Paulo (2) e Rio Grande do Sul (1) (Foto: Reprodução)

Caiu para 3 o número de casos suspeitos de infecção pelo novo coronavírus no Brasil, informou neste sábado (15.fev.2020) o Ministério da Saúde. Até esta 6ª feira (14.fev), 4 pacientes eram monitorados por suspeita de terem contraído Covid-19 – nome científico atribuído à nova doença pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Os pacientes monitorados pelas autoridades de saúde estão nos Estados de São Paulo (2) e Rio Grande do Sul (1). Até o momento, nenhum caso de Covid-19 foi confirmado no Brasil e 45 suspeitas foram descartadas. Um dos pacientes com suspeita de infecção foi identificado neste sábado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Trata-se de 1 homem adulto, morador da capital paulista, que tem histórico de viagem à China – de onde o novo coronavírus se espalhou. O outro paciente com suspeita de Covid-19 no Estado é de Campinas. Os 2 estão em isolamento domiciliar e, segundo as autoridades paulistas de saúde, seus familiares foram orientados a usar máscaras e a seguir outros protocolos de prevenção. As autoridades sanitárias paulistas também estão preocupadas com a chegada de 1 navio, ao Porto de Santos, que iniciou viagem a partir de Cingapura e passou por portos chineses no último mês. Duas pessoas que estão a bordo apresentaram sintomas de gripe durante a viagem, mas já se recuperaram, segundo informações da TV Globo. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) irá inspecionar a embarcação assim que ela atracar, o que está previsto para ocorrer na 2ª feira (17.fev). Todas as pessoas a bordo serão examinadas ao chegar ao Brasil. Também neste sábado (15.fev), o Ministério da Defesa divulgou boletim informando que o grupo de brasileiros e parentes repatriados da China e que estão isolados em quarentena em uma base militar em Anápolis (GO) foram submetidos a novos exames clínicos. Todos seguem sem apresentar nenhum sintoma de Covid-19. Caso o quadro permaneça inalterado, o grupo deve ser liberado no dia 27 de fevereiro.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Depois de 80 anos sem ser vista, ave rara é encontrada em Minas Gerais

14 de fevereiro de 2020, 17:56

A ave foi vista por um morador na região do Leste mineiro, no dia 1º de fevereiro.  (Foto: Reprodução)

Após 80 anos sem ser visto, o pássaro conhecido como bicudo (Sporophilia Maximiliano) foi visto pela primeira vez em Minas Gerais. A ave é comum nos criatórios, mas essa espécie tem raros registros na natureza em todo o país. Considerada extinta em diversos estados, a espécie está criticamente ameaçada de extinção no Brasil.  A ave foi vista por um morador na região do Leste mineiro, no dia 1º de fevereiro. José Paulo dos Santos, de 51 anos, foi o sortudo. Ele já havia auxiliado nas buscas pela espécie, em 2017, e já sabia da existência da ave na região, pois costumava ver o bicudo próximo a brejos e lagos em que costumava pescar. “Desde então, virou uma questão de honra encontrar o bicudo”, disse.  Após a observação, uma equipe do Waita - Instituto de Pesquisa e Conservação, deslocou-se imediatamente para o local, onde foi realizado o registro de três indivíduos, um sozinho e um casal formando ninho. Alice Lopes, bióloga do Waita, ficou maravilhada ao avistar o animal. “Após quatro anos de buscas da espécie em vida livre, é uma alegria enorme poder vê-los vivendo em ambiente natural. Renova nossas energias e esperanças de vê-lo repovoando o Estado. Esse registro possibilitará diversos estudos comportamentais sobre habitat, alimentação e reprodução, que são praticamente inexistentes e serão fundamentais para subsidiar um futuro programa de reintrodução”, disse. O analista ambiental do Ibama em Minas, Daniel Vilela, também frisou a importância do registro após 80 anos. “O bicudo sempre foi uma espécie naturalmente rara e sofreu muito com a captura e criação clandestina devido ao seu belo canto e valor comercial. Poucas pessoas acreditavam que este reencontro em Minas Gerais fosse possível. Este novo registro alimenta a esperança de que os programas de proteção e conservação de fauna repovoem nosso estado com este importante pássaro.”

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Sonjorba repudia detenção de jornalistas em exercício profissional

14 de fevereiro de 2020, 17:45

O Sinjorba exige do Governo do Estado uma retratação e, sobretudo, uma mudança de postura dos agentes policiais para que cessem os abusos contra o trabalho da imprensa na Bahia (Foto: Divulgação)

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba) manifesta veemente repúdio pela prisão, nesta sexta (14), de dois jornalistas que apuravam as circunstâncias da morte do ex-capitão Adriano da Nóbrega, acusado de ser chefe da Milícia Escritório do Crime, após “confronto” com a Polícia Militar da Bahia, em Esplanada (BA), domingo passado. Os dois jornalistas da revista Veja, Hugo Marques e Cristiano Mariz, estavam em pleno e livre exercício profissional e se identificaram quando abordados pela viatura da PM-BA. Mesmo assim, foram conduzidos a uma delegacia e tiveram o gravador de trabalho inspecionado, antes de sua devolução, em claro sinal de intimidação a consecução de suas tarefas. A Constituição do Brasil garante a liberdade no trabalho da imprensa, preceito magno que vem sendo atropelado pelas autoridades de Segurança Pública. Vivemos um quadro de clara intimidação a quem tenta cumprir o papel social do jornalismo: informar os fatos, de forma transparente e responsável, aos cidadãos brasileiros. Uma morte cujas circunstâncias e motivações são cercadas de dúvidas impõe que o trabalho da imprensa seja livre de sanções, para um melhor acompanhamento das investigações e divulgação dos fatos. O ocorrido com os dois jornalistas da Veja só ajuda a alimentar as suspeitas de que há mais a se informar do que foi até agora revelado. O Sinjorba exige do Governo do Estado uma retratação e, sobretudo, uma mudança de postura dos agentes policiais para que cessem os abusos contra o trabalho da imprensa na Bahia.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Brasil é o país mais violento do mundo

13 de fevereiro de 2020, 17:36

Taxas de assassinatos de jovens crescem 17% no Brasil; país é o mais homicida do mundo, diz estudo (Foto: Reprodução)

Segundo dados do estudo "Prevenção da violência juvenil no Brasil: uma análise do que funciona", produzido pelo Instituto Igarapé com apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), as taxas de assassinatos de jovens cresceram 17% no Brasil, de 2005 a 2015. Quase metade do total de homicídios do país em 2018 (56 mil) corresponde à morte de homens negros, com idade entre 15 e 29 anos. Ainda segundo o relatório, o problema de mortes violentas no Brasil tem se agravado na última década, com vítimas cada vez mais jovens. Desde os anos 1980, a idade média das vítimas de homicídios caiu de 25 para 21 anos. Entre 2000 e 2010, a taxa de homicídios entre os jovens aumentou em 2,5%. Já entre 2005 e 2015, o ritmo se acelerou e homicídios de jovens aumentaram mais de 17%. Para adolescentes, especificamente, o aumento no período foi de 110%. "Embora as taxas nacionais de homicídios tenham caído entre 2017 e 2018, as projeções mais recentes são de que a taxa de homicídios continuará subindo no longo prazo, a menos que haja uma mudança de direção", diz o estudo elaborado por Robert Muggah e Ana Paula Pellegrino. Segundo o estudo, os altos níveis de insegurança do Brasil não podem ser atribuídos a uma única causa, mas sim a uma combinação de fatores individuais, familiares, comunitários e ambientais.  "Muitos dos fatores determinantes subjacentes à violência organizada são estruturais. Não obstante ganhos importantes na redução da pobreza (que diminuíram e até foram revertidos nos últimos anos), o país sofre com uma das maiores taxas de desigualdade de renda do mundo. Desigualdades profundas são reforçadas pelo ambiente construído que, fisicamente e socialmente, separa "ricos" de "pobres", diminuindo a confiança e a coesão social. A desvantagem concentrada e as famílias fragmentadas somam-se ao acesso limitado à educação de qualidade, a emprego e oportunidades: todos esses fatores contribuem", conclui o relatório. Na publicação, Muggah e Ana Paula relacionam as dinâmicas raciais à violência e à vitimização envolvendo jovens, uma vez que as vítimas e seus agressores apresentam frequentemente o mesmo perfil demográfico. Os autores alertam que, para reduzir a violência, é necessário ampliar as oportunidades para pessoas jovens por meio de investimentos em educação e empregabilidade equitativos e capazes de desafiar estereótipos de identidade e raça. O foco deve ser dado às regiões menos assistidas pelas políticas públicas. Além disso, é recomendada a redução do acesso às armas de fogo. Brasil é o país mais violento do mundo O documento ainda aponta que o Brasil é o país mais homicida do mundo. Segundo ele, uma em cada dez pessoas mortas de maneira violenta a cada ano é brasileira e mais de um milhão de pessoas morreram por causa de violência no Brasil desde 2000. "Em um ano, o Brasil registra mais mortes do que a soma de todos os ataques terroristas de 1997 a 2018 ao redor do mundo. Uma proporção significativa das vítimas de mais de 56.000 mortes no país em 2018 eram homens negros jovens, com baixo nível de escolaridade, entre 15 e 29 anos.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Justiça multa Facebook em R$ 6,6 mi por compartilhar dados de usuários

OMinistério da Justiça e da Segurança Pública (MJSP) decidiu multar o Facebook em R$ 6,6 milhões por compartilhamento indevido de dados de usuários cadastrados na rede social. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda-feira, 30.

A multa, aplicada pelo Departamento de proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do MJSP, acontece após investigação que identificou “prática abusiva” por parte da empresa de tecnologia, que teria deixado vulneráveis dados de 443 mil usuários.

Segundo nota publicada no site da pasta, “o caso começou a ser investigado após notícia veiculada pela mídia, em 4 de abril de 2018, informando que os usuários do Facebook, no País, poderiam ter sofrido com o uso indevido de dados pela consultoria de marketing político Cambridge Analytica”, que ganhou notoriedade global por ter trabalhado na campanha presidencial de Donald Trump, nos Estados Unidos, e também para a campanha do Brexit, como é conhecido o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Pelo Twitter, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, destacou a decisão do ministério e afirmou que “as redes revolucionaram a forma pela qual nos comunicamos e expressamos, mas há questões sobre privacidade a serem consideradas”. O Facebook tem dez dias para recorrer da decisão.

VÍDEOS