GOVERNO DA BAHIA ANUNCIA PUBLICAÇÃO DE EDITAL DO CONCURSO DA POLÍCIA CIVIL

18 de janeiro de 2018, 18:12

(Foto: Foto Alberto Coutinho)

A Secretaria da Administração do Estado (Saeb) publicou no Diário Oficial do Estado (DOE), o Edital Saeb 01/2018 de abertura de inscrições para o concurso público da Polícia Civil da Bahia. O anúncio foi realizado pelo governador Rui Costa, nesta quinta (18), durante o #PapoCorreria, transmitido ao vivo pelas redes sociais. "Fiquem atentos, pois é a regra do edital que vale, não adianta depois da prova tentar mudar as regras, pois elas visam dar estabilidade jurídica, segurança às pessoas. Com isso, nós vamos reforçando a segurança pública do Estado", disse o governador Rui Costa, durante o programa. O certame vai oferecer mil vagas na corporação, sendo 880 para investigador, 82 de delegado e 38 para escrivães. O impacto econômico das contratações será de R$ 31,4 milhões, em 2018. O concurso demonstra, mais uma vez, o compromisso do Governo do Estado em reforçar a segurança pública na Bahia. Entre 2015 e 2017, o Governo nomeou 2.557 novos policiais militares. Neste mesmo período, 796 novos policiais foram incorporados aos quadros da Polícia Civil. Contratou também 422 novos agentes penitenciários e 126 peritos para o Departamento de Polícia Técnica (DPT). Em junho de 2017, o Estado realizou concurso da Polícia Militar (PMBA) e Corpo de Bombeiros (CBMBA) com 2.750 vagas (duas mil para a PMBA e 750 para o CBMBA). Ainda em 2017, realizou concurso para oficiais, sendo 60 da PM e 30 para o Corpo de Bombeiros. As inscrições para o concurso da Polícia Civil começam às 10h (horário de Brasília) do dia 1º de fevereiro e ficarão abertas até 2 de março. As inscrições serão feitas exclusivamente pela internet, por meio do site da Fundação para o Vestibular da Universidade Júlio de Mesquita Filho - Fundação Vunesp. No website da instituição, os candidatos precisam clicar no link referente ao concurso público e efetuar a inscrição, conforme os procedimentos estabelecidos no edital. Após efetuar a inscrição, o site gera um boleto que deve ser pago na rede bancária. A inscrição apenas será considerada válida depois do pagamento. A taxa custa R$ 160 para os candidatos que vão disputar uma das vagas para delegado e R$ 140 para quem for concorrer aos cargos de investigador de polícia ou de escrivão. Os candidatos que vão concorrer a uma das vagas de delegado precisam ter diploma de conclusão do curso de bacharelado em Direito, devidamente registrado e reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). Já para os interessados em disputar os cargos de investigador ou de escrivão de polícia é exigido diploma de conclusão de curso superior (em qualquer área), devidamente registrado no MEC. Os investigadores deve possuir também Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida, categoria B, no mínimo. A remuneração inicial para os delegados de polícia, com regime de trabalho de 40 horas semanais, atingirá o valor de R$ 11.389,96. Já os investigadores e escrivães de polícia terão remuneração inicial de R$ 3.915,85, em regime de 40 horas semanais. Das 880 vagas para o cargo de investigador, 572 serão para ampla concorrência, enquanto 264 vão ser para candidatos negros, conforme a Lei Estadual 13.182/2014, que garante 30% do total para a para cota racial. Outras 44 vagas de investigador serão reservadas para pessoas com deficiência, de acordo com a Lei Estadual 12.209/2011. Para delegados, vão ser 53 vagas para ampla concorrência, 25 para negros e quatro para pessoas com deficiência. Já para escrivães serão 25 para ampla concorrência, 11 para negros e duas para pessoas com deficiência. O certame possuirá sete etapas, sendo seis eliminatórias. Primeiro serão realizadas as provas objetivas (1ª etapa-eliminatória) e as provas discursivas (2ª etapa-eliminatória), depois os exames biomédicos (3ª etapa-eliminatória), o teste de aptidão física (4ª etapa-eliminatória), o exame psicotécnico (5ª etapa-eliminatória), a prova de títulos (6ª etapa-classificatória) e a investigação social e de conduta pessoal (7ª etapa-eliminatória). Com informações da Ascom/Bahia.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Testemunha de fase da Lava Jato é morta com nove tiros na Bahia

18 de janeiro de 2018, 18:03

Reprodução

José Roberto Soares Vieira, de 47 anos, foi morto nesta quarta-feira (17) Dois meses depois de prestar depoimento à Polícia Federal, a principal testemunha das investigações que resultaram na prisão do ex-gerente da Transpetro na Bahia José Antonio de Jesus foi assassinada. José Roberto Soares Vieira, 47, foi morto nesta quarta-feira (17) com nove tiros na rodovia BA-522, em Candeias, Região Metropolitana de Salvador. Ele era um dos donos da JRA Transportes, empresa que teve como sócio entre 2011 e 2013 o filho do ex-gerente da Transpetro, conhecido como Zangado. José Antônio de Jesus foi preso provisoriamente no dia 21 de novembro do ano passado na 47ª fase da Operação Lava Jato. Ele foi acusado de receber propinas de subsidiárias da Petrobras por meio de empresas e contas bancárias de familiares. Os recursos, segundo o Ministério Público Federal, seria destinado ao PT da Bahia. À Polícia Federal, José Roberto Soares Vieira afirmou que a JRA Transportes foi usada por José Antônio de Jesus para receber pagamentos de empresas fornecedoras da Transpetro sem ter prestado qualquer tipo de serviço. Com base no depoimento, o Ministério Público Federal rastreou pagamentos de R$ 2,3 milhões para o ex-gerente da Transpetro. O depoimento também foi um dos elementos que embasaram o pedido da Procuradoria-Geral da República, acatado pelo juiz Sergio Moro, para que a prisão temporária de José Antônio de Jesus fosse transformada em preventiva -por tempo indeterminado. O ex-gerente da Transpetro está preso há quase dois meses em Curitiba. CRIME A delegada Maria das Graças Barreto, titular da delegacia de Candeias que comanda as investigações, disse à reportagem que "não há dúvida" de que a morte de José Roberto Soares Vieira foi vítima de crime planejado. Segundo as investigações, o homem que o matou foi à sede da transportadora à procura de Vieira nos últimos dois dias e informou a funcionários que estava oferecendo serviços para capinar e limpar o terreno da transportadora. Por volta das 11h40 de quarta, o homem abordou Vieira quando ele entrava na empresa, o atingiu com nove tiros e fugiu. Testemunhas também afirmam que Vieira andava preocupado com sua segurança. Horas antes de ser morto, ele deixou seu carro em uma revendedora em Salvador. O objetivo seria comprar um novo automóvel, com vidros blindados. No momento em que foi morto, ele estava em um carro locado. Segundo a delegada, a polícia trabalha com três linhas de investigação: queima de arquivo, vingança e crime político, já que a vítima era filiada ao PT e foi vice-prefeito da cidade de Ourolândia, norte da Bahia entre 2013 e 2016. O ESQUEMA As investigações do Ministério Público Federal apontam que o ex-gerente da Transpetro usou familiares e intermediários para receber R$ 7 milhões em propina da empresa de engenharia NM, fornecedora da Transpetro, entre setembro de 2009 e março de 2014. Segundo os procuradores, o ex-gerente teria pedido, inicialmente, o pagamento de 1% do valor dos contratos da NM com a Transpetro como propina, mas o acerto final ficou em 0,5%. Esse valor teria sido pago mensalmente em benefício do PT. Para dissimular e ocultar a origem ilícita dos recursos, o valor teria sido pago por depósitos realizados em contas bancárias de terceiros e familiares, vindo de contas de titularidade da empresa de engenharia NM e de seus sócios. José Antônio de Jesus é investigado pela prática dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Com informações da Folhapress.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Espanha e Portugal apreendem 745 kg de cocaína em abacaxis

18 de janeiro de 2018, 17:56

Frutas 'in natura' foram apreendidas em Lisboa Uma ação conjunta de Portugal e da Espanha terminou com a apreensão de 745 quilos de cocaína armazenada dentro de abacaxis in natura em Lisboa na madrugada desta quinta-feira (18). De acordo com imagens divulgadas pela Polícia de Estado portuguesa, as drogas eram acondicionadas dentro de contêineres como se fossem frutas naturais. A cocaína era colocada em forma dos abacaxis, embaladas com plástico e recebiam uma camada de cera. Depois, eram colocadas dentro de cascas da fruta para disfarçar e acondicionadas em caixas de papel como ocorre com os abacaxis verdadeiros. Segundo a investigação, que durou cerca de 10 meses, a droga vinha da América do Sul. Ao todo, nove colombianos foram presos por participarem do esquema. Com informações da Ansa.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Governo gasta R$ 50 milhões com cartão corporativo em 2017

18 de janeiro de 2018, 17:52

© Divulgação

Os gastos do governo federal com cartão corporativo somaram quase R$ 50 milhões em 2017. Os dispêndios, liderados pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, não são transparentes para a sociedade. Os dados foram levantados pela ONG Contas Abertas. Os desembolsos do Ministério da Justiça e suas unidades gestoras atingiram R$ 12,1 milhões, isto é, cerca de 24% do total. Vale ressaltar que quase a totalidade dos recursos (98,6%) foi desembolsada de maneira secreta, de forma que não se sabe o que efetivamente foi comprado. Além das informações protegidas por sigilo, nos termos da legislação, “para garantia da segurança da sociedade e do Estado”, outra parte significativa dos valores desembolsados também fica desconhecida. Isso porque o Ministério da Justiça, assim como outras Pastas, realiza saques por meio dos cartões. Nessa forma de gasto também não é possível identificar o destinos dos recursos. A maior parcela dos gastos foi desembolsada pela Coordenação de Administração da Diretoria de Administração e Logística Policial do Departamento de Polícia Federal: R$ 2,9 milhões. A Superintendência Regional no Estado de São Paulo utilizou outros R$ 1 milhão. Mesmo não estando ocupado, a Superintendência Regional no Estado do Amazonas foi responsável por mais R$ 871 mil em cartões corporativos. A Presidência da República fechou o ano passado em segundo lugar no ranking dos órgãos que mais gastam pelo cartão. Em 2017, o desembolso da Pasta atingiu a marca de quase R$ 12 milhões. Vinculado ao órgão, a Agência Brasileira de Inteligência foi a que mais usufruiu do cartão, com R$ 5,3 milhões creditados. Assim como acontece com o Ministério da Justiça, é praticamente impossível saber ao que foram destinados os gastos do Presidência, já que quase a totalidade da verba foi declarada como secreta. Cerca de R$ 10,7 milhões, ou seja, quase 90% dos desembolsos foram protegidos por sigilo, nos termos da legislação, para garantia da segurança da sociedade e do Estado. O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão é o terceiro maior usuário do cartão corporativo (R$ 8,3 milhões). E, em quarto lugar, está o Ministério da Educação, com gastos que chegam a R$ 5,8 milhões, seguido pela Pasta da Defesa, que desembolsou R$ 3,2 milhão por meio do recurso. Os dados levantados pela Contas Abertas contabilizam os montantes pagos entre janeiro e dezembro, disponíveis no Portal da Transparência do Governo Federal.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Febre amarela pode estar ligada à tragédia de Mariana

18 de janeiro de 2018, 17:43

© Reuters

Casos da doença foram registrados em cidades alvos da tragédia O rompimento da barragem da mineradora Samarco, em Mariana, Minas Gerais, pode ser um dos fatores que levaram ao surto de febre amarela pela região sudeste do Brasil. O acidente ocorreu em 5 de novembro de 2015 e, de acordo com biólogos da Fiocruz, alguns casos de contágio de febre amarela foram registrados nas mesmas áreas do desastre ambiental. + Testemunha de fase da Lava Jato é morta com nove tiros na Bahia Foram encontrados macacos mortos na região próxima à cidade de Colatina, no Espírito Santo, também afetada pela barragem de Mariana. Os episódios deste ano se assemelham ao surto de 2009, no Rio Grande do Sul. Ambos são de febre amarela silvestre - cujo ciclo se mantém na floresta-. No entanto, com casos de degradação ambiental, os animais se aproximam mais do homem e aumentam os riscos de contaminação nas áreas urbanas. Desde janeiro de 2017, o governo brasileiro admite que o desastre de Mariana possa ter alguma ligação com o surto de febre amarela. Com informações da Ansa.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Plantas podem ajudar a despertar do sono

18 de janeiro de 2018, 17:36

Reprodução

Plantas que purificam o ar são a mais recente aposta para os que consideram o acordar a tarefa mais difícil do dia Passamos a maior parte do nosso dia fechados em interiores. Durante a noite, quando o corpo repõe as células e prepara o corpo para mais um dia, mantemo-nos num ambiente fechado, onde se acumula a poluição do ar, que não circula. O resultado são dores de cabeça, náuseas e irritação no peito, que leva a que não descanse como deveria. Segundo a revista Women’s Health UK, a poluição do ar interior está entre o top 5 dos riscos de saúde pública, pelo que é imprescindível que limpe o ar da sua casa, com especial atenção para o espaço onde dorme. s plantas que purificam o ar são vistas como sistema de ventilação de ar natural, por muito estranho que isso pareça. Estudos comprovam que este efeito produzido pelas plantas permite reduzir o número de partículas no ar pelo simples processo de absorver as partículas poluídas e convertê-las em oxigênio. Além disso, plantas de interior ajudam a acalmar a ansiedade, melhoram a atenção e produtividade e garantem sensação de bem-estar. Ou seja, será uma boa aposta investir numa planta como nova decoração do seu quarto, por questões de saúde física e mental. Segundo um estudo feito pela NASA, Aloe Vera, lírio, Garden Mum e Planta Aranha estão entre as melhores opções para reduzir a poluição do ar.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

IBGE: 3/4 da população urbana não têm boas condições de vida

20 de dezembro de 2017, 14:22

A desigualdade brasileira se repete nas principais concentrações urbanas do país. Trabalho inédito divulgado nesta quarta-feira, 20 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que três quartos da população urbana (76,1%) não têm boas condições de vida nas cidades. A nova publicação do IBGE, "Tipologia Intraurbana - Espaços de diferenciação socioeconômica nas concentrações urbanas do Brasil", classificou onze tipos de condições de vida (de A, a melhor; a K, a pior) a partir da análise de diversos critérios, como adequação de moradia, saneamento, escolaridade, rendimento e acesso a serviços de saúde, bens de consumo e internet em concentrações urbanas onde viviam 96,2 milhões de pessoas (metade da população brasileira) em 2010. De acordo com o novo levantamento, apenas 23,9% das pessoas que moram em cidades têm boas condições de vida (ou seja, foram classificados nas categorias A, B, C e D). E essas "boas condições" nem sequer estão presentes na maioria dos conglomerados urbanos. A cidade com o maior porcentual de pessoas na categoria A é, disparado, Brasília/DF (11,20%). Em segundo lugar, surge Belo Horizonte/MG (com 3,9%), seguida de Rio de Janeiro/RJ (3,6%), São Paulo/SP (2,8%), Florianópolis/SC (2,7%), Vitória/ES (1,8%), Porto Alegre/RS (1,7%), Campinas/SP (1,3%), Salvador/BA (1,2%), Fortaleza/CE (1,2%) e Curitiba (0,8%). E é só. A maioria das cidades brasileiras não tem um porcentual significativo de pessoas vivendo nas melhores condições. No geral, 30,9% das populações urbanas têm condições medianas (fazem parte da categoria E). Entre aqueles que têm as piores condições (de G a K), os maiores porcentuais estão nas regiões Nordeste (59,9%) e Norte (56,3%). "Existe a questão da composição das variáveis, mas as categorias A e B estão muito relacionadas ao poder aquisitivo mesmo", explica o geógrafo do IBGE Maurício Gonçalves e Silva, um dos responsáveis pela pesquisa. "Isso não quer dizer que não existam pessoas com rendimentos altos em outros lugares, mas sim que esse porcentual não é suficiente para saturar aquela área, ou seja, para caracterizar aquela parte da cidade como A ou B." Em contrapartida, também são poucas as cidades com porcentual considerável de pessoas vivendo na pior categoria, a K. O destaque negativo vai para São Luis/MA, com 15,8% da população vivendo nas piores condições, seguido de Boa Vista/RR (8,3%), Macapá/AP (7,7%), Teresina/PI (4,5%), Belém/PA (2,4%) e Fortaleza/CE (0,6%). São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, não apresentam porcentual populacional nesta categoria. "Existem as questões regionais mais amplas, como as do Sul, Sudeste (mais ricos) e Nordeste (mais pobre)", afirma Gonçalves e Silva. "Mas, de forma geral, as áreas mais periféricas das cidades são as que têm as piores condições de vida". Uma das peculiaridades do novo trabalho é, além do foco nas áreas urbanas, fazer um levantamento cartográfico dessas diferenças sociais, identificando visualmente os padrões espaciais da distribuição da população. "Uma das características (espaciais) dos grandes centros é que a parte mais rica se concentra na sede, no município sede, mas também existem outras áreas com boas condições de vida orbitando essa mancha principal, em geral áreas de produção e escoamento de produção", explicou o geógrafo. Na análise do especialista, a identificação e visualização desses padrões podem ser cruciais para o planejamento urbano, por exemplo. "Por que cidades do mesmo porte têm condições de vida diferentes? O que houve nos últimos anos que propiciou melhores condições de vida? São questões que podem nos guiar no planejamento urbano no futuro." São Paulo Embora a cidade de São Paulo apresente a maior concentração populacional do País (19,4 milhões de pessoas em 2010), a metrópole se destaca por não apresentar uma parcela considerável da população naquelas que são consideradas as piores categorias: I, J e K. "Isso foi algo que nos surpreendeu: São Paulo, com toda a sua concentração urbana, conseguiu não ter as piores categorias", afirmou Gonçalves e Silva. Além disso, a cidade apresenta uma divisão mais justa - se comparada a outras no País. Nas classes A, B e C estão 10% da população. Na D e E, ficam 61,8% e nas piores registradas por lá, F, G e H, são 28,4%. A distribuição espacial das pessoas com melhores e piores condições de vida em São Paulo segue um padrão tradicional, segundo o geógrafo. "São Paulo tem uma característica que chamamos de radial, as melhores condições de vida são centrais e, à medida que nos afastamos do centro, as condições vão piorando", explicou o geógrafo. "Tanto é assim que as favelas começam a aparecer nas bordas, na periferia, com exceção de Paraisópolis e Heliópolis, que são mais centrais." É diferente do Rio de Janeiro, por exemplo, em que as áreas mais ricas se concentram no litoral e as favelas são mais entremeadas nas regiões de melhores condições. "A praia concentra as classes mais ricas e, conforme nos afastamos do litoral, as condições vão piorando", afirma. Brasília A capital federal se destaca no novo levantamento do IBGE por apresentar, de longe, a maior concentração de pessoas na categoria A (que apresenta as melhores condições de vida): 11,20%. A maior desigualdade indicada pela concentração porcentual se espelha nas outras categorias. Nas medianas D e E estão 45,3% da população, enquanto que nos piores tipos (F, G, H, I e J) estão 36,4%. Na capital, não há porcentual registrado na categoria K, que é considerada a pior de todas. Com informações do Estadão Conteudo.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

13 dicas para começar 2018 de forma mais saudável

20 de dezembro de 2017, 14:13

Mais um fim de ano chegando e com ele as tentações das ceias de Natal e Reveillon. No entanto, com o prazer das guloseimas natalinas vem a culpa dos quilinhos a mais. Para lhe ajudar a lidar com a difícil tarefa de não perder a linha nestes últimos dias do ano, a nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Cintya Bassi, dá algumas dicas para começar 2018 mais saudável.De acordo com a nutricionista, as comidas mais calóricas estão liberadas, porém deve haver um equilíbrio. “É um dia de festa e não uma alimentação cotidiana. Por isso, pode, sim, comer algo mais calórico. Contudo, é necessário moderar nas porções e mesclar com alimentos saudáveis, como frutas, sucos naturais e saladas, além de cuidar da hidratação. O ideal é que a dieta seja equilibrada durante o ano todo, assim não será um dia comendo um pouco mais que trará consequências ruins ao organismo”, explica. Ela aconselha experimentar pequenas porções dos pratos que mais gosta e priorizar o preparo dos alimentos com produtos frescos e naturais ao invés de industrializados. Outro ponto importante é se alimentar ao longo do dia para evitar a falta de controle à noite nas ceias. Entretanto, nem todas as comidas típicas de Natal não são consideradas saudáveis. “As frutas oleaginosas, como castanhas, nozes, amêndoas e pistache são ótimas fontes de nutrientes. Além delas, as frutas secas e desidratadas também são nutritivas. Quanto às carnes, prefira magras, como lombo, peru, frango e peixes. O arroz, se possível, substitua o comum pelo integral”, recomenda Cintya. Quanto às bebidas, a nutricionista alerta para evitar ou consumir com moderação refrigerantes e bebidas alcoólicas, pois possuem alto valor calórico e nenhum benefício nutricional, excetuando o vinho. “Sempre que possível substitua essas bebidas por água de coco, água aromatizada ou sucos naturais. Duas boas opções para hidratar, refrescar e auxiliar na digestão são o suco de melancia com gengibre e o de abacaxi com hortelã”. Já os doces certamente são os mais difíceis de resistir. Por isso, o conselho é optar por aquele preferido, mesmo assim de maneira moderada. Caso vá preparar os doces do fim de ano, procure cozinhar os menos calóricos, como a rabanada assada ao invés da frita e o chocolate com maior concentração de cacau

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Guerrero diz crer em liberação e diz confiar que verdade virá à tona

09 de novembro de 2017, 14:34

Defesa do atacante está tentando liberá-lo para que ele possa jogar pelo Flamengo e pela seleção Por meio de sua conta pessoal no Facebook, Paolo Guerrero se pronunciou sobre a suspensão preventiva por doping imposta pela Fifa. O centroavante do Flamengo e da seleção peruana agradeceu pelo apoio recebido e se mostrou confiança de que será liberado. "Muito obrigado a todos por seu apoio! Eu confio que a verdade em breve será conhecida e eu retornarei aos campos para defender com meu coração e minha alma as cores do meu país. Vamos Peru", escreveu Guerrero. "Muito obrigado a todos por seu apoio! Eu confio que a verdade em breve será conhecida e eu retornarei aos campos para defender com meu coração e minha alma as cores do meu país. Vamos Peru", escreveu Guerrero. Em virtude do exame antidoping que detectou a substância Benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína, Guerrero está suspenso preventivamente por 30 dias. A contraprova será aberta nesta quinta-feira (9), na Alemanha. Caso seja confirmado o uso da substância, pode haver um gancho de até quatro anos. A defesa de Guerrero está tentando liberá-lo para que ele possa jogar pelo Flamengo e pela seleção. Em contato com o UOL Esporte, o advogado Bichara Neto confirmou ter procurado a Fifa com um pedido de interrupção da suspensão preventiva. A resposta da entidade será dada até esta sexta-feira (10). Se liberado, o atacante poderá defender o Peru na partida de volta da repescagem para a Copa do Mundo, contra a Nova Zelândia. (Folhapress)

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

SUS incorpora novos medicamentos à lista de ofertas da rede pública

09 de novembro de 2017, 14:26

No total, 17 novos remédios foram disponibilizados para a população brasileira de forma gratuita em 2017

O Governo do Brasil incorporou para oferta gratuita do Sistema Único de Saúde (SUS) 17 novos medicamentos em 2017. A medida é essencial para que pacientes que estão em tratamento de doenças graves tenham acesso a remédios mais modernos e eficazes. Entre os destaques está a inclusão do Trastuzumabe aos pacientes com câncer metastático de mama, em primeira linha de tratamento. Atualmente, são atendidos com o medicamento, no sistema público, 3.935 pacientes. O diagnóstico inicial é feito pelo exame de mamografia. A substância Levetiracetam também passará a ser ofertada no tratamento de convulsões em pacientes com microcefalia. Neste ano, Ministério da Saúde também anunciou a compra de um moderno medicamento para diabetes tipo 1. A partir do ano que vem, a insulina análoga será distribuída pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para crianças. O remédio controla os níveis de glicemia no sangue, o que reduz os efeitos negativos da alta concentração da substância. Foram incluídos, ainda, medicamentos para o tratamento de pacientes com esclerose múltipla (Fumarato de dimetila, Fingolimode e Teriflunomida), pessoas vivendo com HIV/Aids (Raltegravir e Etravirina) e remédios para populações sob maior risco de adquirir o vírus da imunodeficiência humana (Tenofovir e Entricitabina). Pacientes com doença de Parkinson e doença de Crohn também foram beneficiados com as novas inclusões. Incorporação Hoje são 869 medicamentos na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais – Rename, em que constam os medicamentos voltados ao atendimento de necessidades prioritárias do Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2016, foram investidos R$ 15,9 bilhões para aquisição e distribuição de medicamentos, além de repasse de recursos a estados e municípios. Para que um novo medicamento seja incorporado ao SUS, é preciso avaliação prévia da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sus (Conitec). O pedido para essa avaliação pode ser apresentado por qualquer cidadão. Essa comissão avalia quais as melhores opções de tratamento, as mais eficazes, mais seguras e efetivas. A avaliação da Conitec é enviada ao Ministério da Saúde, que decide se incorporará ou não o remédio. Além disso, os estados e municípios possuem autonomia para incluir na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename) medicamentos que atendam às necessidades locais. Com informações do Portal Brasil.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Pele cultivada em laboratório salva menino sírio de doença rara

09 de novembro de 2017, 14:07

© Revista Nature/Reprodução

Uma pele "cultivada" em laboratório por cientistas da Universidade de Modena e Reggio Emilia, na Itália, salvou a vida de um menino sírio de nove anos que sofre de epidermólise bolhosa, doença que faz a epiderme se descolar com um simples toque. A patologia deixa a pele do ser humano tão frágil como as asas de uma borboleta, inseto que passou a ser associado a todos aqueles que carregam essa condição. No entanto, pesquisadores italianos conseguiram transplantar uma pele geneticamente modificada em 80% do corpo de um paciente que estava à beira morte. As cirurgias - duas no total - ocorreram em outubro e novembro de 2015, em Bochum, dois anos depois de Hassan, hoje com nove, chegar à Alemanha com seus pais e os irmãos. O menino sofre de epidermólise bolhosa juncional, a forma mais grave da doença, que se agravou após ele deixar seu país. "O menino tinha perdido 80% da pele, estava em fim de vida e em coma induzido", conta, em entrevista à ANSA, o pesquisador Michele De Luca, pioneiro em estudos sobre regeneração. Acionado pelos médicos de Hassan, os cientistas italianos começaram a trabalhar em uma pele de laboratório que pudesse ser transplantada na criança. Eles usaram células-tronco e terapia gênica para desenvolver uma nova epiderme com a forma sem mutação do gene "Lamb3", cuja alteração desencadeia a epidermólise bolhosa. A partir de células saudáveis da pele do menino, foram cultivados pedaços de 50 e 150 centímetros quadrados, colocados em Hassan em duas cirurgias sucessivas. Ao longo dos 21 meses seguintes, a pele regenerada aderiu à camada subjacente, a derme, sem dar origem a novas bolhas e renovando-se regularmente. "Agora o menino está bem, vai para a escola, joga futebol. Sua pele está estável e já teve pequenos ciclos de renovação", acrescenta De Luca. + Bento XVI 'obrigou' Francisco a aceitar cargo de papa A pesquisa permitiu que os cientistas identificassem a "fonte" de células-tronco que faz com que a epiderme se renove continuamente. O estudo ainda forneceu a primeira prova direta de que a pele humana é sustentada por uma base de células longevas, das quais derivam as células progenitoras, de vida breve e que são renovadas continuamente. "Era um tema muito debatido e agora foi finalmente resolvido", diz o pesquisador italiano. A nova pele de Hassan é elástica e resistente, apenas ligeiramente manchada e com pequenas asperezas. "Parece um sonho. Sabíamos que se tratava de um tratamento experimental, mas tínhamos de tentar de tudo", declarou o pai do menino ao jornal "la Repubblica". Com informações da Ansa.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Projeto Fruticultura de Sequeiro é apresentado no SemiáridoShow 2017

09 de novembro de 2017, 13:52

Como parte da programação do SemiáridoShow 2017, maior evento nacional de tecnologias de convivência com o semiárido, que acontece em Petrolina (PE), foi realizado, na tarde desta terça-feira (7), o Seminário Regional de Fruticultura de Sequeiro, com foco no Umbuzeiro e no Maracujá da Caatinga, junto às Escolas Famílias Agrícolas (EFA) da Bahia. O evento, que aconteceu no Auditório da Embrapa Semiárido, teve o objetivo de apresentar os principais resultados do projeto Fruticultura de Sequeiro no Semiárido Baiano, ‘alternativa para inclusão produtiva da juventude rural’. Mais de 200 pessoas participaram, entre professores, monitores e estudantes, pesquisadores, agentes de assistência técnica e extensão (ATER), gestores/as públicos e agricultores/as familiares. Durante o seminário, foi realizado o ato de assinatura do Contrato de Validação Agronômica e Mercadológica de Genótipos de Umbuzeiro, celebrado entre Embrapa Semiárido e a Rede de Escolas Famílias Agrícolas da Bahia (REFAISA). Também foi feita a apresentação de linhas de crédito voltadas para a juventude rural, por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) Jovem, e as considerações para a implantação e manejo das áreas de fruticultura de sequeiro. Financiado pelo Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), o Projeto Fruticultura de Sequeiro conta com um investimento de mais de R$ 1 milhão e beneficiará 1.400 jovens, estudantes e ex-estudantes da Escolas Famílias Agrícolas do semiárido baiano. Foram implantados 14 viveiros, em número igual de EFA de diversas regiões da Bahia. No total, serão distribuídas 44,8 mil mudas de umbu gigante e 476 mil mudas de maracujá da caatinga. Cada jovem receberá 32 mudas de umbu e 340 de maracujá. O período máximo para as plantas já produzirem em escala comercial é de quatro anos para o umbu, e menos de um ano para o maracujá. Se acordo com Marcelo Matos, gestor da Superintendência de Agricultura Familiar (Suaf/SDR), um dos palestrantes do Semiárido Temático, “o projeto apoia a educação do campo, a convivência com o semiárido e fomenta o plantio do umbuzeiro e do maracujazeiro, que, por serem plantas nativas da caatinga, são resistentes à seca, além de apoiar a juventude rural, priorizando a entrega de mudas a jovens rurais. Marcelo destacou ainda que após a entrega das mudas “várias EFAs, a partir do próximo ano, utilizarão os viveiros implantados para produzir mudas para comercialização, gerando assim receitas que contribuirão com a manutenção do ensino”. O Seminário Regional de Fruticultura de Sequeiro foi uma realização da Embrapa Semiárido, Projeto Bem Diverso, Governo da Bahia, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Rede de Escolas Famílias Agrícolas Integradas do Semiárido (Refaisa) e Associação das Escolas das Comunidades e Famílias Agrícolas da Bahia (Aecofaba).

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Os 7 alimentos que são ladrões de energia

Você provavelmente já ouviu falar e leu bastante sobre alimentos e suplementos que aumentam sua disposição e te deixam mais animado para encarar um treino ou até mesmo as tarefas do dia a dia. Mas também existe o outro lado dessa moeda. Não faltam vilões neste mundo na nutrição: os alimentos que são ladrões de energia e podem atrapalhar bastante sua rotina na corrida ou até mesmo se tornar um obstáculo numa prova.

Esses “ladrões” de energia atuam de diferentes maneiras no organismo. Em alguns casos, oferecem tanto açúcar que, num primeiro momento, essa elevada taxa de glicose resulta em mais disposição, mas, logo em seguida, a insulina liberada para normalizar essa glicose faz justamente o caminho contrário. E aí o cansaço chega com tudo.

Também tem aqueles alimentos que dão tanto trabalho para o sistema digestivo que muitos nutrientes são desviados para ajudar nesse processo, fazendo com que eles faltem na produção de energia em outras funções do organismo. Resultado: o corpo logo sente essa queda de disposição.

Para te ajudar a evitar esse cansaço causado pela má alimentação, acionamos três especialistas para fazer uma lista dos maiores ladrões de energia, suas principais armas e como combatê-las. Confira!

Os ladrões de energia 

Carboidratos simples

Alimentos com farinhas brancas vão roubar energia se consumidos em excesso. “Em um pré-treino, por exemplo, são aliados, mas viram vilões se não houver uma atividade física depois”, pondera Mayara Ferrari, nutricionista funcional esportiva. “Isso acontece porque a quantidade de açúcar no sangue fica muito elevada e o pâncreas libera mais insulina para quebrar todos esses carboidratos. Isso pode causar uma grande redução de açúcar no sangue, resultando em fadiga e falta de energia.”

Sal

Aquele sal extra para dar mais gosto à comida pode te deixar mais cansado. Em quantidade exagerada, o sal aumenta a pressão arterial e deixa o organismo mais desidratado porque mais água é necessária para compensar. “Ele prejudica o funcionamento adequado do organismo, que ficará a todo momento buscando esse equilíbrio. Isso dará uma sensação de cansaço e fadiga. Esporadicamente um pouco de sal não tem problema, mas abusar dele diariamente ou usar em grande quantidade é bastante prejudicial”, adverte Mayara.

Alimentos gordurosos e frituras

A gordura em excesso dificulta a digestão e atrapalha a chegada dos nutrientes à corrente sanguínea. “Como possuem uma digestão mais
lenta, eles fazem com que a circulação se concentre na região abdominal por mais tempo. Isso causa uma sensação de letargia e sonolência durante a digestão, que pode passar de três horas. E isso não é bom para quem vai se exercitar, pois precisará de boa circulação nos membros”, alerta a nutricionista Lara Natacci.

Doces

A lógica nesse caso é parecida à dos carboidratos simples: como eles são ricos em açúcar, dão um pico de energia no primeiro momento porque aumentam a quantidade de glicose no sangue, mas se a pessoa não for praticar uma atividade física logo em seguida, essa disposição logo pode virar cansaço. “O organismo vai aumentar a secreção de insulina para normalizar a glicemia, que é a quantidade de glicose no sangue. Por isso, a sensação de aumento de energia deve durar pouco e dar lugar à fadiga”, reforça Lara Natacci.

Café

O café, um dos estimulantes mais populares, também pode roubar sua energia. Ele realmente gera mais disposição num primeiro momento, mas sua ação no sistema nervoso tem como um dos efeitos a fadiga. “A cafeína, no cérebro, obstrui os efeitos da adenosina, substância que ajuda na transferência de energia e na promoção do sono, dando o efeito estimulante”, explica André Lemos, médico nutrólogo. “Por outro lado, também inibe a degradação da acetilcolina, que aumenta o estímulo muscular. E a consequência disso são o cansaço e a debilidade”, completa.

Corantes e conservantes

Presentes em muitos produtos industrializados, como nuggets, embutidos (salame, presunto, mortadela, peito de peru) e salsichas, eles
modificam o funcionamento adequado do organismo, que tenta repor o que os corantes “tiram” no processo de digestão. “Eles causam uma cascata de processos inflamatórios e oxidantes. Para reverter essa situação, disponibilizamos muitas vitaminas e minerais, fazendo com que o restante do organismo não funcione adequadamente”, destaca Mayara.

Refrigerante

O refrigerante é um dos “ladrões de energia” mais temidos. Alguns maratonistas e ultramaratonistas o utilizam durante provas quando já estão acostumados a seus efeitos, inclusive psicológicos, mas, para o organismo, eles não têm nada de “bonzinhos”. Isso porque o refrigerante, em geral, tem tudo em excesso: açúcar, sódio e corantes. Assim, desencadeia todos os processos já descritos de uma só vez. Além disso, estudos apontam que o refrigerante ainda pode atrapalhar o padrão de sono, prejudicando o descanso e interferindo na disposição.

VÍDEOS