NOTÍCIAS EM DESTAQUE


Beber álcool aumenta o risco de contrair Covid-19?

07 de maio de 2020, 15:42

Nesse caso vale a máxima: tudo em excesso pode ser prejudicial (Foto: Reprodução)

Ainda não se sabe tudo sobre a Covid-19, mas uma coisa é certa: o bom funcionamento do sistema imunitário é um fator chave para manter a saúde e diminuir os riscos de ser infectado. Isso significa que devemos dormir bem, fazer exercício e ter uma alimentação saudável. Além disso, devemos evitar tudo aquilo que baixa as nossas defesas, como é o caso do álcool. A ciência é praticamente unânime ao dizer que o consumo de álcool tem a capacidade de diminuir essas defesas, mas até que ponto a bebida pode torná-lo mais suscetível a contrair o novo coronavírus? A Eat This, Not That falou com alguns especialistas para tentar responder à questão. "Quando consumido em excesso, o álcool pode causar danos às células imunológicas dos pulmões, trato respiratório superior e intestino. Isso, por sua vez, representa um risco maior de desenvolver doenças como pneumonia ou tuberculose, tornando-o mais suscetível à Covid-19", diz o médico Niket Sonpal. Note que os danos só são significativos quando o consumo é excessivo. Isso significa que não há mal algum em beber um copo de vinho durante a refeição ou uma cerveja no final da tarde. 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jacobina: Em menos de 24 horas, mais um caso de coronavírus é confirmado na cidade; agora já são 3

07 de maio de 2020, 14:39

O terceiro caso confirmado assusta a população da cidade (Foto: Notícia Limpa)

A Secretaria de Saúde de Jacobina anunciou no final da manhã desta quinta-feira (7), a confirmação do terceiro caso da Covid-19 no município, conforme resultado dos exames realizados pelo Laboratório Central da Bahia (Lacen). Ao contrário do que foi divulgado ontem (6) no ‘Boletim Diário do Coronavírus’ emitido pela autoridade de saúde municipal, onde constava que apenas 1 caso estava aguardando diagnóstico oficial, hoje o novo Boletim apareceu mais 3. Agora, a cidade possui 3 casos confirmados e 3 que deram positivos no teste rápido, o que, conforme a própria instituição de saúde local, deverá ser oficializado nos próximos dias. (Veja o novo Boletim no final da matéria) A Secretaria informou ainda que a terceira vítima da Covid-19 é da mesma família das duas primeiras pessoas infectadas e que uma delas, que possui histórico de doenças preexistentes está internada no Hospital Couto Maia em Salvador. Nenhuma ação no sentido de conter a disseminação do novo coronavírus, mesmo com o município tendo 3 casos confirmados, foi apresentada pela Prefeitura Municipal. A população local está apreensiva em relação às aglomerações que a cada dia é mais frequente, principalmente no centro da cidade e nas imediações de estabelecimentos comerciais que estão funcionando normalmente no período das 8 às 14h. Por conta dos casos confirmados na cidade, a única medida prática até o momento foi tomada pelo Governo do Estado, que através de decreto publicado no Diário Oficial desta quinta-feira, suspendeu o transporte intermunicipal de qualquer natureza em Jacobina.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Produção de álcool 70% e sabão se transforma em alternativa de renda para agricultores familiares do Oeste da Bahia

07 de maio de 2020, 11:58

O álcool etílico está sendo produzido a partir da redestilação da cachaça artesanal feita pelos agricultores familiares (Foto: Ascom/SDR)

Agricultores familiares da Associação dos Produtores de Cana-de-Açúcar (Aprocana), da comunidade Brejo da Cachoeira, no município de Barra, no Oeste da Bahia, estão produzindo álcool etílico 70% glicerinado e sabão líquido, para dar apoio às ações de combate à COVID-19 no município. A associação produz originalmente rapaduras, melaço e cachaça. Os produtos são vendidos para os mercados locais e para atravessadores, mas, com a pandemia, houve queda nas vendas. Foi então que surgiu a parceria com o Centro Multidisciplinar da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB). A associação dispõe da matéria-prima e equipamentos do alambique e a UFOB da pesquisa e do conhecimento técnico. Produção - O álcool etílico está sendo produzido a partir da redestilação da cachaça artesanal feita pelos agricultores familiares. Foram produzidos cerca 140 litros de álcool 70%. Já de sabão líquido 50 litros foram produzidos, a partir de óleo doméstico usado da comunidade e também da doação de bares, restaurantes e da população de Barra. Além de contribuir com as ações de saúde no combate ao vírus, a ação está incentivando a economia local, pois a prefeitura do município está comprando a cachaça dos agricultores para a produção do álcool, possibilitando o incremento na renda de 80 famílias, neste momento de crise. Além disso, garantiu a compra de toda a produção de álcool e sabão, que estão sendo direcionados para assepsia de ambulâncias, equipamentos e a própria higienização das mãos dos profissionais da saúde. Também serão doados para casas de permanência de idosos e população carente. Parcerias - O vice-diretor da UFOB, Paulo Roberto Filho, afirmou que a parceria com a associação e prefeitura vem sendo importante para a produção de saneantes, necessários no combate da pandemia e explicou como acontece a produção: “Estamos retirando o  álcool da cachaça e transformando em álcool 70%, ideal para desinfecção. Montamos uma estrutura de destilação controlada do álcool da cachaça e concentramos esse álcool para 75 a 85%. Depois, preparamos o álcool 70% glicerinado, que é uma fórmula indicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS)  e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)”. A Aprocana está sendo beneficiada pelo projeto Bahia Produtiva, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), do Governo do Estado, a partir de empréstimo com o Banco Mundial. São R$R$ 178 mil que estão sendo investidos na requalificação da agroindústria dos derivados da cana-de-açúcar. A associação vem sendo acompanhada com assistência técnica e com um consultor para a elaboração do plano de negócios da reestruturação. Com a atual realidade enfrentada pelo mundo, a associação vem se adaptando e fazendo novos planos para um futuro próximo. De acordo com o presidente da Aprocana e estudante de agronomia da UFOB, Nelson Lima de Meira, a parceria com a universidade melhorou a questão econômica atual da associação e trouxe novas perspectivas: “Com essa ação, envolvemos o produtor, pois adquirimos a matéria-prima dele e todos ganham. Essa é a nossa contribuição no combate a essa doença aqui na região. Além disso, hoje já vemos a produção do álcool e sabão como uma alternativa para agricultura familiar e vamos incluir no nosso projeto do Bahia Produtiva, pois sabemos que não dá mais pra viver sem esses produtos”.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

STF: prefeitos e governadores podem restringir circulação de pessoas

07 de maio de 2020, 11:37

Corte definiu também que não pode ocorrer a restrição à circulação de produtos e serviços essenciais definidos (Foto: Reprodução)

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (6) que estados e municípios não precisam do aval do governo federal para estabelecer medidas restritivas de locomoção intermunicipal e interestadual durante o período da pandemia do novo coronavírus.  No julgamento, por maioria de votos, os ministros suspenderam parte da Medida Provisória (MP) 926, editada pelo presidente Jair Bolsonaro em meio à situação de calamidade pública provocada pelo contágio da doença. Os ministros suspenderam trecho da medida provisória que exigia aval do Executivo federal e da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para que prefeitos e governadores restringissem a circulação interestadual e intermunicipal. Os ministros Alexandre de Moraes, Celso de Mello, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Dias Toffoli votaram nesse sentido. Os demais integrantes da Corte seguiram a mesma tese, mas defenderam que não seria necessário anular a MP, apenas interpretá-la de acordo com a Constituição. Antes da decisão, a medida estabelecia que decisões de governadores e prefeitos que determinem a restrição de locomoção deveriam ser condicionadas à fundamentação técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão do governo federal.  Apesar de dispensar o aval do governo federal para decretação das medidas, o STF definiu que não pode ocorrer a restrição à circulação de produtos e serviços essenciais definidos. Os atos que forem assinadas pelos prefeitos e governadores também deverão estar amparados em recomendações técnicas das autoridades locais.  O julgamento foi motivado por uma ação da Rede Sustentabilidade contra as regras da MP. 

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Opinião: As organizações da sociedade civil (OSCs) e a proteção dos animais

07 de maio de 2020, 11:08

(Foto: Reprodução)

*Ana Rita Tavares – Em tempos, ou não, de Covid19, o Poder Público deve assegurar vida digna e livre de sofrimento aos animais. Embora esse reconhecimento esteja inscrito no ordenamento jurídico brasileiro, são milhares de seres sencientes convivendo, cotidianamente, com o abandono, agressões diversas, privação de liberdade, de alimento e de condições básicas de existência. Ante a ineficácia ou mesmo inexistência de políticas públicas, as OSCs assumem protagonismo. A Constituição Federal, art. 225, § 1º, VII, incumbe ao Poder Público o dever de proteger os animais. E a Lei Federal nº 9.605/98, art. 68, dispõe, categoricamente, que pratica crime aquele que deixar de cumprir obrigação de relevante interesse ambiental, tendo o dever legal de fazê-lo. É inequívoco, portanto, que privar os animais da devida assistência pública configura grave desrespeito à legislação pátria. Em Salvador, lamentavelmente, ao longo dos anos, a escassez de investimentos públicos e de políticas contínuas e eficazes provocou quadro crônico de desamparo. No município, apenas são disponibilizados, e não atendem a necessidade local, os serviços públicos de vacinação antirrábica, de castração de caninos e felinos domiciliados e, mais recentemente, de recolhimento de animais de grande porte soltos em vias públicas, após insistentes reclamos do nosso mandato. Permanecem descobertas questões cruciais, como a castração e cuidados pós-operatórios de caninos e felinos que vivem nas ruas, o atendimento veterinário clínico e cirúrgico e a educação em prol da guarda responsável. Nesse cenário, quando animais em situação de rua ou sob a guarda de tutores carentes, por exemplo, são atropelados, envenenados, sofrem inúmeras outras agressões e contraem doenças, o que é bastante comum, são as OSCs, ou, isoladamente, pessoas compassivas e solidárias, que propiciam cuidados básicos, sem qualquer apoio governamental, arcando com despesas que fogem à sua capacidade orçamentária. Diariamente, inúmeros animais morrem ou permanecem desamparados porque não há assistência pública que lhes assegure dignidade e saúde. A Associação Brasileira Protetora dos Animais (ABPA-BA) é um exemplo de organização da sociedade civil que desempenha o papel do Poder Público na cidade, entre tantas outras (Gatil da Barroquinha, Terra Verde Viva, Cuidar é o Bicho). Fundada em 1949, a mais antiga instituição de proteção animal de Salvador abriga mais de 300 animais, sem apoio governamental, contando apenas com doações de pessoas solidárias. São caninos e felinos resgatados das ruas, vítimas de maus-tratos, que recebem assistência veterinária, são castrados e ficam aptos à adoção responsável. Alguns permanecem no abrigo da Associação, sobretudo os idosos, deficientes e portadores de doenças crônicas, que necessitam de tratamento e alimentação especiais. As despesas mensais com ração, produtos de limpeza, medicamentos, remuneração de veterinários e outros itens somam mais de 55 mil reais. É absurdo e incompreensível o flagrante desequilíbrio entre a atuação do Poder Público e o trabalho voluntário das OSCs. É sabido que o ativismo cria realidade social. Historicamente, a ação de pessoas engajadas, conscientes de seus direitos e deveres, exercitando a cidadania, assegurou conquistas importantes para a coletividade. É imprescindível, portanto, que ativistas, gestores das OSCS, simpatizantes da causa e os setores acadêmicos das universidades se mobilizem, defendam os interesses daqueles que não têm voz e cobrem das autoridades públicas respeito à legislação, mais dignidade e saúde para os animais. GHANDI já dizia que: "Se pode avaliar a grandeza e o progresso moral de uma nação pela forma como ela trata os seus animais". E é desse pacifista que me faço acompanhar ao trazer aqui está inadiável reflexão. *Vereadora de Salvador (PT), advogada e ativista em defesa dos direitos animais.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Três jogadores do Flamengo testam positivo para o coronavírus

07 de maio de 2020, 09:26

Clube testou 293 pessoas e confirmou 38 casos positivos para Covid-19; nomes não foram divulgados (Foto: Reprodução)

O Flamengo divulgou uma nota na noite desta quarta-feira informando que três jogadores do elenco principal testaram positivo para o coronavírus. O clube não divulgou os nomes dos atletas. Além deles, outros dois jogadores do elenco apresentaram anticorpos para a doença. Ou seja, já tiveram contato com o COVID-19. Em nota, o Flamengo informou que das 293 pessoas testadas em todo o departamento de futebol, incluindo colaboradores e familiares próximos de jogadores e funcionários, 38 testaram positivo para o coronavírus.  O Rubro-Negro ainda informou que os funcionários e jogadores que testaram positivo para o coronavírus ficarão em quarentena, recebendo acompanhamento diário do clube. A mesma medida será adotada para os atletas que tiveram familiares ou funcionários com testes positivos para o coronavírus. Na última segunda-feira, o massagista Jorge Luiz Domingos, mais conhecido como Jorginho, morreu vítima da COVID-19. Ele tinha 68 anos e trabalhava no clube desde 1980.  Confira a nota divulgada pelo Flamengo nesta terça: O Clube de Regatas do Flamengo, de forma a garantir a maior segurança de seus atletas, comissão técnica e funcionários do Departamento de Futebol, realizou uma ampla mobilização para efetuar testes do novo coronavírus, que causa a COVID-19. Entre os dias 30 de abril e 3 de maio, foram realizados 293 testes alcançando, além de 100% de todos estes colaboradores, muitos familiares próximos dos jogadores. Estes exames na totalidade do elenco e nos colaboradores estão em linha com as melhores práticas recomendadas pela OMS, superando inclusive o que acontece em países de sucesso no combate à pandemia. Os resultados dos exames saíram nesta terça-feira (6), sendo: 1. Dos 293 examinados, 38 testaram positivo, mesmo sem sintomas, sendo os chamados "positivos assintomáticos". Foram detectadas 11 pessoas que já tinham tido o contato com o vírus previamente, sem sintomas, e já se encontravam com anticorpos IGG positivos. 2. Dos 38 que mostraram reação ao vírus, tivemos seis funcionários do grupo de apoio do Flamengo, dois funcionários de empresas terceirizadas que prestam serviços regulares para o clube, 25 familiares ou pessoas que trabalham em residências de funcionários e jogadores e três atletas do elenco principal; outros dois jogadores apresentaram anticorpos IGG positivos. Para os que testaram positivo, todos assintomáticos, as providências serão isolamento e quarentena, acompanhamento diário com questionários sobre sinais vitais e evolução, além de novas dosagens seriadas dos pacientes e contactantes até a resolução dos casos. Os atletas que tiveram familiares ou funcionários com testes positivos entrarão em quarentena, com acompanhamento diário com questionários sobre sinais da doença e novas testagens. Em caso de novos testes negativos, serão integrados ao trabalho em prazo seguro ou, em caso de testagem positiva, seguirão, a partir de então, o padrão de conduta dos que já testaram positivo. Por fim, o Flamengo reafirma que está trabalhando em total sintonia com as autoridades governamentais de forma a, com toda a responsabilidade e segurança, colaborar com o importante retorno às atividades do futebol no menor prazo possível.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jacobina e mais 3 cidades têm o transporte intermunicipal suspenso; a determinação foi publicada no DO do Estado desta quinta-feira (7)

07 de maio de 2020, 08:32

O município de Jacobina se junta aos 114 que estão proibidos de todos os tipos de transportes intermunicipais (Foto: Notícia Limpa)

O governo da Bahia suspendeu o transporte intermunicipal em mais 4 cidades, como medida para combater a propagação do coronavírus. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (7) e também libera o transporte em 3 municípios que estavam na lista. Com isso, o número de cidades com transporte intermunicipal suspenso na Bahia vai para 115. [Confira lista completa ao fim da reportagem] No documento, o governador Rui Costa suspende, a partir da primeira hora de sexta-feira (8), a circulação e a saída, e, a partir da primeira hora, a chegada de qualquer transporte coletivo intermunicipal, público e privado, rodoviário e hidroviário, nas modalidades regular, fretamento, complementar, alternativo e de vans, nos municípios de de Itapé, Jacobina, Jitaúna e Tucano, até o dia 18 de maio de 2020. A medida vale até 18 de maio. Além disso, o decreto libera o transporte intermunicipal em 3 cidades que estavam com o serviço suspenso, mas que estão há 14 sem novos casos da Covid-19. As cidades são: Acajutiba, Ipirá e Serra Preta. Até a manhã desta quinta-feira (7), a Bahia havia registrado mais de 4.300 casos confirmados de coronavírus, com 160 mortes.   1.                Abaíra 2.                Água Fria 3.                Alagoinhas 4.                Almadina 5.                Amélia Rodrigues 6.                Aracatu 7.                Arataca 8.                Barra do Choça 9.                Barro Preto 10.             Buerarema 11.             Caetanos 12.             Caldeirão Grande 13.             Camacã 14.             Camaçari 15.             Camamu 16.             Campo Alegre de Lourdes 17.             Canavieiras 18.             Candeias 19.             Castro Alves 20.             Catu 21.             Coaraci 22.             Conceição do Coité 23.             Cruz das Almas 24.             Curaçá 25.             Dário Meira 26.             Dias d’Ávila 27.             Eunápolis 28.             Feira de Santana 29.             Gandu 30.             Governador Mangabeira 31.             Guaratinga 32.             Ibicaraí 33.             Ibirapitanga 34.             Ibirataia 35.             Ibotirama 36.             Ilhéus 37.             Ipiaú 38.             Itaberaba 39.             Itabuna 40.             Itacaré 41.             Itagibá 42.             Itajuípe 43.             Itamari 44.             Itaparica 45.             Itapé 46.             Itapetinga 47.             Itatim 48.             Ituberá 49.             Jacobina 50.             Jaguaquara 51.             Jaguarari 52.             Jequié 53.             Jitaúna 54.             Juazeiro 55.             Jussari 56.             Jussiape 57.             Laje 58.             Lajedo do Tabocal 59.             Lauro de Freitas 60.             Licínio de Almeida 61.             Livramento de Nossa Senhora 62.             Madre de Deus 63.             Maracás 64.             Maragogipe 65.             Maraú 66.             Mata de São João 67.             Morpará 68.             Mucugê 69.             Nazaré 70.             Nilo Peçanha 71.             Nordestina 72.             Nova Soure 73.             Oliveira dos Brejinhos 74.             Paramirim 75.             Pau Brasil 76.             Paulo Afonso 77.             Pilão Arcado 78.             Pojuca 79.             Porto Seguro 80.             Rafael Jambeiro 81.             Remanso 82.             Retirolândia 83.             Ribeira do Pombal 84.             Rio Real 85.             Salvador 86.             Santa Bárbara 87.             Santa Cruz Cabrália 88.             Santa Luzia 89.             Santa Teresinha 90.             Santaluz 91.             Santo Amaro 92.             Santo Antônio de Jesus 93.             São Felipe 94.             São Francisco do Conde 95.             São Gonçalo dos Campos 96.             São José da Vitória 97.             São Sebastião do Passé 98.             Sátiro Dias 99.             Saubara 100.         Seabra 101.         Serra do Ramalho 102.         Serrinha 103.         Simões Filho 104.         Taperoá 105.         Teixeira de Freitas 106.         Tucano 107.         Ubaitaba 108.         Ubatã 109.         Una 110.         Uruçuca 111.         Valença 112.         Valente 113.         Várzea Nova 114.         Vera Cruz 115.         Vitória da Conquista  

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jacobina confirma os primeiros casos de coronavírus nesta quarta-feira (6)

06 de maio de 2020, 21:12

Jacobina entra na estatística mundial ao confirmar oficialmente os primeiros casos do novo coronavírus (Foto: Notícia Limpa)

O município de Jacobina acaba de oficializar dois casos do novo coronavírus. A notícia foi dada pelo prefeito Luciano Pinheiro através de um pronunciamento distribuído nas redes sociais. Desde o último final de semana já haviam circulado as informações das suspeitas na cidade, mas a Secretaria de Saúde aguardou a confirmação do resultado do exame pelo Laboratório Central do Estado da Bahia (Lacen), o que só aconteceu nesta quarta-feira (6). O nome, a idade e o sexo dos contaminados não foram informados. Além do Decreto que flexibilizou a abertura de praticamente todos os estabelecimentos comerciais, aumentando o número de pessoas circulando no centro da cidade, principalmente nas proximidades das agências bancárias, lotéricas e agentes bancário, o risco de disseminação da Covid-19 é uma preocupação constante do jacobinense que recebe diariamente, sem nenhum impedimento ou fiscalização efetiva, a presença de pessoas oriundas das mais diversas regiões do país, principalmente de cidades com casos confirmados como Capim Grosso, Saúde, Caldeirão Grande, Umburanas e outras. No vídeo compartilhado nas redes sociais o prefeito Luciano pede que a população continue ajudando e diz que ‘a qualquer momento o problema iria chegar, pois Jacobina é um município de quase 100 mil habitantes’. O gestor disse ainda que todas as medidas de higienização de locais públicos e a organização de filas nos bancos, iniciada a partir da manhã desta quarta-feira, estão sendo adotadas, ‘visando prevenir o contágio e incentivando o distanciamento’. Na gravação, o prefeito voltou a garantir a implantação de 10  leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) no Hospital Municipal Regional Vicentina Gourlart. Em entrevista concedida ao Notícia Limpa no dia 24 de abril, durante o lançamento do projeto social ‘Jacobinidade & Solidariedade’, no Centro Cultural Edmundo Izidoro dos Santos, o prefeito Já mostrava preocupação com a aglomeração das pessoas que buscam o saque do auxílio emergencial do Governo Federal, mas defendia a abertura do comércio. Quanto aos decretos em relação à abertura do comércio e se existe a possibilidade de voltar a quarentena com o fechamento o seu fechamento caso viesse surgir algum caso, ou surgindo ou não, mas com a aproximação dos casos já notificados na região, e se o prefeito tinha algum pensamento sobre o assunto, Luciano disse que a cidade estava se comportando bem e não tinha planos para revogar as medidas de prevenção, mas que era preciso que pudesse contar com a compreensão dos comerciantes e da população de maneira geral. “As decisões foram tomadas em conjunto, a gente vive um momento de uma quantidade significativa de recursos na mão de muitas pessoas, a ajuda do governo federal é de fundamental importância e os menos favorecidos têm tido essa oportunidade em ter esse alívio em sua manutenção, fora o apoio que a prefeitura tem dado. Temos que ter o bom senso neste momento de que os comerciantes se aproveitem desta situação e possam amenizar o seu faturamento no tempo que estiveram fechados, sem deixar de olhar as questões de saúde”, salientou o prefeito na época. No pronunciamento de hoje o prefeito não comentou sobre quais as ações seriam tomadas a partir das confirmações da presença do coronavírus no município.  

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Papa defende trabalho de jornalistas em pandemia

06 de maio de 2020, 16:13

Papa Francisco celebra missa na Casa Santa Marta (Foto: Ansa Brasil)

 O papa Francisco pediu nesta quarta-feira (6) orações pelos "homens e mulheres" que trabalham nos meios de comunicação. Em sua missa diária na Casa Santa Marta, sua residência oficial no Vaticano, o líder católico disse que, em tempos de pandemia, os jornalistas "trabalham muito" e arriscam sua própria saúde. "Oremos hoje pelos homens e as mulheres que trabalham nos meios de comunicação. Que o Senhor os ajude neste trabalho de transmissão da verdade", disse Francisco. No início de abril, o Papa já havia agradecido à imprensa por ajudar a suportar o isolamento durante a pandemia, que infectou cerca de 3,7 milhões de pessoas e deixou aproximadamente 260 mil mortos em todo o mundo. (ANSA)

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jacobina: Após a abertura das agências bancárias, prepostos do município orientam para o cumprimento da nova medida de organização de filas (Fotos)

06 de maio de 2020, 14:03

Após a abertura das agências bancárias a Prefeitura colocou em prática a orgnanização das filas como medida de prevenção contra a disseminação do novo coronavírus (Foto: Notícia Limpa)

Depois de iniciar a manhã com as calçadas próximas às agências bancárias com aglomerações de pessoas que buscavam o saque do auxílio emergencial, a Prefeitura de Jacobina colocou em prática o que vinha anunciando desde o começo da semana, a organização das filas a partir de demarcações no asfalto para garantir a distância mínima sugerida pelas autoridades de saúde contra a disseminação do novo coronavírus e a modificação no trânsito em algumas ruas. Depois de orientados a seguir as setas pintadas no asfalto, várias pessoas que aguardavam por atendimento bancário na fila ficaram à vontade, se comportando como se não houvesse uma determinação para organização. O Notícia Limpa flagrou pessoas em grupo, quando a orientação era de apenas um indivíduo  nas demarcações. Prepostos da Secretaria Municipal de Saúde distribuíram máscaras de proteção, ação que aconteceu somente depois das 8 horas, mesmo com a maioria presente nas filas ter chegado na madrugada. E com relação à proteção, a reclamação pela falta de um local para higienização das mãos era geral. “Não entendemos porque a prefeitura não instalou ainda pias com sabão nos locais onde existe a concentração de pessoas”, indagou José Bonifácio Souza, enquanto aguardava atendimento para retirada do benefício financeiro.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Doações da JMC beneficiam cerca de 700 famílias do município de Jacobina

06 de maio de 2020, 12:17

As cestas básicas chegam em um momento em que a população de Jacobina está sofrendo o impacto econômico devido às medidas de isolamento social (Foto: JMC)

Devido ao momento delicado pelo qual o mundo está passando, é preciso que todos se unam e busquem ajudar o próximo. Muitos precisam de auxílio e pequenos gestos e ações podem melhorar a vida de uma pessoa. Seguindo essa premissa, a equipe de voluntariado da Jacobina Mineração e Comércio (JMC) conseguiu arrecadar diversas cestas básicas e como forma de incentivo ao voluntariado, a JMC doou o dobro do número de cestas arrecadadas. Com isso, conseguirão beneficiar cerca de 700 famílias no município de Jacobina. “A JMC percebe que é um momento muito complicado para todos, mas que alguns precisam de mais amparo e necessitam da ajuda do próximo. Pensando nisso, incentivamos a prática de doações dentro da empresa, para que dessa forma possamos prestar apoio aos mais necessitados que vivem na comunidade. Nossa ideia é seguir ajudando de todas as maneiras que estão ao nosso alcance”, declara Edvaldo Amaral, gerente-geral da JMC. As cestas básicas chegam em um momento em que a população de Jacobina está sofrendo o impacto econômico devido às medidas de isolamento social decretadas pelos órgãos competentes. Diversas pessoas estão sem trabalhar e, pelo fato de muitos possuírem trabalhos informais, estão sem trabalho e sem dinheiro. Marília Silva da Gama, que mora na Lagoa Dourada, em Jacobina-BA, ressalta a importância do recebimento da cesta básica e da ação da JMC na comunidade. “É muito importante receber esses alimentos que vão alimentar minha família e evitar que a gente passe fome. Estamos afastados do trabalho, sou diarista e meu marido é trabalhador informal, portanto toda a renda da família foi cortada, estamos os dois em casa, sem ter trabalho e sem ter dinheiro. Com isso as coisas já estavam faltando”, comenta. Para Cristiane Sampaio, colaboradora voluntária do projeto, ser voluntário é algo prazeroso, que ela faz com amor. “Acredito que nesse atual cenário ações como essas são essenciais pois, são para pessoas que não têm renda fixa, estão com dificuldade financeira e sem ter como suprir as necessidades básicas da família, como alimentação, por exemplo”, destaca.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Jacobina: Serviço indisponível no terminal de autoatendimento do BB revolta clientes

06 de maio de 2020, 08:41

Muita reclamação e nenhum funcionário da agência do BB de Jacobina apareceu para explicar a situação (Foto: Notícia Limpa)

"Dirija -se à agência mais próximas", está era a mensagem que aparecia nos monitores dos caixas eletrônicos do Banco do Brasil de Jacobina, no início da manhã desta quarta-feira (6). Aposentados e outros clientes que procuraram os serviços bancários tiveram que esperar a normalização do problema. Muitas pessoas reclamaram da falta de um funcionário da instituição financeira na agência para passar informações. "Estou doente. Vim apusso tirar meu dinheiro. Estou aqui desde cedo e ninguém aparece para consertar as máquinas. Estou sentada no chão porque não tenho força para ficar em pé", disse uma aposentada que não quis revelar o nome. Até o momento do fechamento desta  matéria, às 8h, o problema persistia.

Leia mais...

DIVULGUE A NOTÍCIA

Os 7 alimentos que são ladrões de energia

Você provavelmente já ouviu falar e leu bastante sobre alimentos e suplementos que aumentam sua disposição e te deixam mais animado para encarar um treino ou até mesmo as tarefas do dia a dia. Mas também existe o outro lado dessa moeda. Não faltam vilões neste mundo na nutrição: os alimentos que são ladrões de energia e podem atrapalhar bastante sua rotina na corrida ou até mesmo se tornar um obstáculo numa prova.

Esses “ladrões” de energia atuam de diferentes maneiras no organismo. Em alguns casos, oferecem tanto açúcar que, num primeiro momento, essa elevada taxa de glicose resulta em mais disposição, mas, logo em seguida, a insulina liberada para normalizar essa glicose faz justamente o caminho contrário. E aí o cansaço chega com tudo.

Também tem aqueles alimentos que dão tanto trabalho para o sistema digestivo que muitos nutrientes são desviados para ajudar nesse processo, fazendo com que eles faltem na produção de energia em outras funções do organismo. Resultado: o corpo logo sente essa queda de disposição.

Para te ajudar a evitar esse cansaço causado pela má alimentação, acionamos três especialistas para fazer uma lista dos maiores ladrões de energia, suas principais armas e como combatê-las. Confira!

Os ladrões de energia 

Carboidratos simples

Alimentos com farinhas brancas vão roubar energia se consumidos em excesso. “Em um pré-treino, por exemplo, são aliados, mas viram vilões se não houver uma atividade física depois”, pondera Mayara Ferrari, nutricionista funcional esportiva. “Isso acontece porque a quantidade de açúcar no sangue fica muito elevada e o pâncreas libera mais insulina para quebrar todos esses carboidratos. Isso pode causar uma grande redução de açúcar no sangue, resultando em fadiga e falta de energia.”

Sal

Aquele sal extra para dar mais gosto à comida pode te deixar mais cansado. Em quantidade exagerada, o sal aumenta a pressão arterial e deixa o organismo mais desidratado porque mais água é necessária para compensar. “Ele prejudica o funcionamento adequado do organismo, que ficará a todo momento buscando esse equilíbrio. Isso dará uma sensação de cansaço e fadiga. Esporadicamente um pouco de sal não tem problema, mas abusar dele diariamente ou usar em grande quantidade é bastante prejudicial”, adverte Mayara.

Alimentos gordurosos e frituras

A gordura em excesso dificulta a digestão e atrapalha a chegada dos nutrientes à corrente sanguínea. “Como possuem uma digestão mais
lenta, eles fazem com que a circulação se concentre na região abdominal por mais tempo. Isso causa uma sensação de letargia e sonolência durante a digestão, que pode passar de três horas. E isso não é bom para quem vai se exercitar, pois precisará de boa circulação nos membros”, alerta a nutricionista Lara Natacci.

Doces

A lógica nesse caso é parecida à dos carboidratos simples: como eles são ricos em açúcar, dão um pico de energia no primeiro momento porque aumentam a quantidade de glicose no sangue, mas se a pessoa não for praticar uma atividade física logo em seguida, essa disposição logo pode virar cansaço. “O organismo vai aumentar a secreção de insulina para normalizar a glicemia, que é a quantidade de glicose no sangue. Por isso, a sensação de aumento de energia deve durar pouco e dar lugar à fadiga”, reforça Lara Natacci.

Café

O café, um dos estimulantes mais populares, também pode roubar sua energia. Ele realmente gera mais disposição num primeiro momento, mas sua ação no sistema nervoso tem como um dos efeitos a fadiga. “A cafeína, no cérebro, obstrui os efeitos da adenosina, substância que ajuda na transferência de energia e na promoção do sono, dando o efeito estimulante”, explica André Lemos, médico nutrólogo. “Por outro lado, também inibe a degradação da acetilcolina, que aumenta o estímulo muscular. E a consequência disso são o cansaço e a debilidade”, completa.

Corantes e conservantes

Presentes em muitos produtos industrializados, como nuggets, embutidos (salame, presunto, mortadela, peito de peru) e salsichas, eles
modificam o funcionamento adequado do organismo, que tenta repor o que os corantes “tiram” no processo de digestão. “Eles causam uma cascata de processos inflamatórios e oxidantes. Para reverter essa situação, disponibilizamos muitas vitaminas e minerais, fazendo com que o restante do organismo não funcione adequadamente”, destaca Mayara.

Refrigerante

O refrigerante é um dos “ladrões de energia” mais temidos. Alguns maratonistas e ultramaratonistas o utilizam durante provas quando já estão acostumados a seus efeitos, inclusive psicológicos, mas, para o organismo, eles não têm nada de “bonzinhos”. Isso porque o refrigerante, em geral, tem tudo em excesso: açúcar, sódio e corantes. Assim, desencadeia todos os processos já descritos de uma só vez. Além disso, estudos apontam que o refrigerante ainda pode atrapalhar o padrão de sono, prejudicando o descanso e interferindo na disposição.

VÍDEOS