ONU alerta sobre peste voraz que ameaça vários países: ‘Potencial destrutivo’

26 de janeiro de 2020, 09:15

Segundo a declaração da organização, a "peste voraz" se espalhará para outros países da África Oriental, Oriente Médio e Ásia, caso não aumentem os esforços para controlá-la. (Foto: Reprodução)

Nuvens de gafanhotos do deserto na Etiópia, Quênia e Somália têm “um potencial destrutivo sem precedentes”, adverte a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).

Segundo a declaração da organização, a “peste voraz” se espalhará para outros países da África Oriental, Oriente Médio e Ásia, caso não aumentem os esforços para controlá-la.

“Esta se tornou uma situação de dimensão internacional que ameaça a segurança alimentar de toda a sub-região. A FAO está ativando mecanismos acelerados que nos permitirão avançar rapidamente para apoiar os governos na montagem de uma campanha coletiva para lidar com esta crise”, de acordo com comunicado de Qu Dongyu, diretor da FAO.

Dongyu afirmou que, devido à “magnitude e a urgência da ameaça”, a organização vai ajudar os governos a combater a praga, além de explicar que isso exigiria apoio financeiro adicional da comunidade internacional.

Uma nuvem de gafanhotos no deserto pode corresponder a centenas de milhões de gafanhotos que podem percorrer até 150 quilômetros por dia, alertou a FAO, indicando que as condições climáticas na África Oriental levaram a uma rápida reprodução desta espécie, que pode aumentar 500 vezes até junho.

No esforço incansável para se alimentar e reproduzir, esses insetos, que comem cerca de dois gramas de alimento por dia (o equivalente ao seu próprio peso corporal), poderiam devastar grandes áreas de terra.

Na mira da praga

Proveniente da Etiópia e Somália, a praga já chegou ao Quênia e está se alastrando rapidamente para o centro do país, ameaçando o Grande Vale do Rift. Segundo FAO, essa é a pior infestação de gafanhotos do deserto na Etiópia e na Somália em 25 anos, enquanto o Quênia não vê nada parecido há 70 anos.

Na mira da ameaça também estão países como Sudão do Sul e Uganda, enquanto outros Estados próximos temem o problema.

Para erradicar as nuvens de gafanhotos do deserto, a organização lançou uma campanha de controle aéreo, estimada em 70 milhões de dólares, para controlar a peste e proteger a subsistência dos três países mais afetados.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS