Onda de frio histórica em todo país pode matar moradores de rua no sul e sudeste

21 de agosto de 2020, 08:27

Com as madrugadas geladas, ONGs, governos e prefeituras estão fazendo uma força-tarefa para evitar que moradores de rua morram de frio (Foto: Reprodução)

Uma frente fria chegou no Brasil e fez despencar as temperaturas nas regiões sul e sudeste nos próximos dias. Segundo dados metereológicos, nesta sexta-feira (21), a cidade de Porto Alegre registrará mínima de 2ºC e São Paulo 8º. Com as madrugadas geladas, ONGs, governos e prefeituras estão fazendo uma força-tarefa para evitar que moradores de rua morram de frio. 

O padre Julio Lancellotti, da Pastoral do Povo de Rua, engajado em ações sociais aos mais vulneráveis, fez um apelo especial para que, além de cobertores, as pessoas doem gorros e meias para proteger as extremidades do corpo. Especialistas apontam que essas partes esfriam mais rápido, o que pode causar hipotermia.

O Ministério da Cidadania emitiu um alerta para que a rede do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) se mobilize para garantir o abrigo temporário de moradores de rua em todo o país.

Ongs irão intensificar ações de entregas de itens básicos aos moradores de rua, que incluem cobertores, marmita, água, meias e toucas, segundo reportagem da BBC Brasil. 

Governos também promovem ações para proteger populações de rua. A prefeitura de São Paulo intensificará as abordagens aos moradores de rua para encaminhá-los a abrigos quando a temperatura atingir 13°C ou menos. Lembrando que a cidade possui 24 mil pessoas em situação vulnerável, morando nas ruas da metrópole. Ano passado, a Polícia Civil investigou seis casos de morte ligadas à hipotermia. 

247

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS