O Dia Internacional do Bacon é comemorado no último fim de semana de agosto. Aproveite!

31 de agosto de 2019, 12:29

(Foto: Reprodução)

Rosa, gorduroso, crocante e muito, muito gostoso. Pode-se dizer que essas são as principais características da comida preferida de muitas pessoas: o bacon. Ele é tão amado que, desde de 2000, tem um dia só para ele — o chamado ‘Dia Internacional do Bacon’, comemorado sempre no último sábado de agosto.

Essa história começou em 2000 lá em Massachusetts, nos Estados Unidos, quando três moleques recentemente formados na faculdade — Alexa Halford, Seth Rittenhousee Evan Salim — resolveram homenagear essa iguaria chamada bacon. Começaram, então, um blog comemorativo. escolheram a data e celebraram o ‘Dia do Bacon’. A notícia ficou tão grande que se espalhou pelos Estados Unidos inteiro e Canadá; todos abraçaram a ideia.

O Homer manja dos paranauê

Essa doideira chegou aqui no Brasil pelo restaurante Vir Kahuna — inspirado no filme Pulp Fiction, do Quentin Tarantino –, da cidade de São Paulo, que criou um jeito próprio de comemorar o dia do bacon com um festival que dura um fim de semana e chama-se ‘International Bacon Day Festival’. Em 2014, a ~festa do toucinho~ comemora a segunda edição.

O festival recebe cinco receitas especiais: um hambúrguer, um sanduíche, duas sobremesas e um milkshake. TODOS DE BACON, claro. Os nomes dos pratos são bem peculiares: Baconlicious, Yellow Pig, Surgeon Shrimp, Porky Shake e o mais ogro de todos, o Bacon Porn (recheado de queijo gruyèreembrulhado em trama de nove fatias de bacon de costela, com alface americana, fatia grossa de tomate caqui, relish de pepino e maionese da casa no pão de hambúrguer). O preços variam de R$17,80 a R$34,80.

É milkshake, é sorvete, é caramelo e é bacon, meus amigos // Foto: Big Kahuna

Conversamos com Renato Veras,  dono da casa e criador de todos os pratos. Ele espera de duas a três MIL pessoas durante os dois dias de festival. A casa, que abriu no final de janeiro de 2013, superou a margem de lucro esperada nos primeiros quatro meses; e ele sabe qual é a formula secreta: “A gente tá ficando famoso por fazer hambúrgueres ogros. Costumo brincar que não sabemos fazer coisas pequenas. A intenção é fazer hambúrgueres ‘incomíveis’”, disse.

Renato abriu as portas do restaurante nesta sexta-feira (29/08) — um dia antes do festival — e nos ensinou a montar um dos pratos: o sanduíche Yellow Pig. 

 

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS