Novo iate de Bill Gates é movido a hidrogênio

10 de fevereiro de 2020, 17:30

Tem autonomia para cerca de seis mil quilômetros (Foto: Divulgação)

A compra de um iate é uma daquelas aquisições que só um lote muito específico da população poderá considerar mas, ainda assim, acaba por enviar uma importante mensagem para a restante população.

O Aqua, desenvolvido pela Sinot, é o novo iate de Bill Gates mas ficará surpreso por saber que o preço de 644 milhões de dólares (588 milhões de euros)  não é a informação mais interessante deste meio de transporte. Acontece que o iate também é movido a hidrogênio e, apesar de se mover apenas a pouco mais de 31km/h, tem autonomia para cerca de seis mil quilômetros. Sim, ainda está incluído um motor de diesel para garantir que o Aqua consegue chegar a porto seguro.

O Aqua ainda não está disponível no mercado e tem data de lançamento prevista para 2024. Quem sabe, até lá pode tentar reunir o montante necessário para assegurar o seu.

DIVULGUE A NOTÍCIA

Justiça multa Facebook em R$ 6,6 mi por compartilhar dados de usuários

OMinistério da Justiça e da Segurança Pública (MJSP) decidiu multar o Facebook em R$ 6,6 milhões por compartilhamento indevido de dados de usuários cadastrados na rede social. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta segunda-feira, 30.

A multa, aplicada pelo Departamento de proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), órgão do MJSP, acontece após investigação que identificou “prática abusiva” por parte da empresa de tecnologia, que teria deixado vulneráveis dados de 443 mil usuários.

Segundo nota publicada no site da pasta, “o caso começou a ser investigado após notícia veiculada pela mídia, em 4 de abril de 2018, informando que os usuários do Facebook, no País, poderiam ter sofrido com o uso indevido de dados pela consultoria de marketing político Cambridge Analytica”, que ganhou notoriedade global por ter trabalhado na campanha presidencial de Donald Trump, nos Estados Unidos, e também para a campanha do Brexit, como é conhecido o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Pelo Twitter, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, destacou a decisão do ministério e afirmou que “as redes revolucionaram a forma pela qual nos comunicamos e expressamos, mas há questões sobre privacidade a serem consideradas”. O Facebook tem dez dias para recorrer da decisão.

VÍDEOS