Novo coronavírus não foi criado pelo homem nem modificado geneticamente, aponta inteligência dos EUA

30 de abril de 2020, 19:45

A teoria foi impulsionada por apoiadores do presidente Donald Trump, que no início do mês voltou a atacar a China e a Organização Mundial da Saúde (OMS) (Foto: Reprodução)

 

Os serviços de inteligência dos Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (30) terem chegado à conclusão de que o novo coronavírus teve origem na China, mas “não foi criado pelo homem, nem modificado geneticamente”.
 
Os serviços de inteligência ainda buscam “determinar se a epidemia começou por meio de contato com animais infectados ou se foi resultado de um acidente de laboratório em Wuhan”, cidade chinesa onde surgiu a pandemia, assinala a Direção Nacional de Inteligência (DNI) em comunicado.
 
Ainda no texto, o DNI diz que continuará analisando com rigor as informações que surgirem sobre o novo coronavírus. O comunicado público é divulgado depois que o presidente Donald Trump disse que não descartava pedir uma compensação a Pequim pela pandemia.
 
Segundo a imprensa americana, Trump pediu aos serviços de inteligência que determinassem a origem do vírus, atribuído a um mercado de Wuhan antes do surgimento de suspeitas de falha de segurança em um laboratório da cidade.
 
Segundo uma pesquisa recente da Pew Research, 29% dos americanos acreditam que o vírus foi criado em laboratório e, destes, 23% acham que intencionalmente.
 
EUA investigava a China
 
De acordo com reportagem divulgada pela emissora Fox News no início de abril, Oficiais da Inteligência e da Segurança Nacional dos Estados Unidos estão investigando se o novo coronavírus foi criado em um laboratório da cidade chinesa de Wuhan.
 
A teoria foi impulsionada por apoiadores do presidente Donald Trump, que no início do mês voltou a atacar a China e a Organização Mundial da Saúde (OMS) por conta da pandemia mundial.  
 
Em resposta, no dia 16 de abril, o Ministério das Relações Exteriores da China disse não existir provas de que o coronavírus, que já infectou mais de 2 milhões de pessoas no mundo, foi produzido em um laboratório. 
 
O porta-voz da pasta, Zhao Lijian, fez o comentário em resposta a uma pergunta sobre acusações de que o coronavírus teve origem em um laboratório da cidade chinesa central de Wuhan, onde a epidemia surgiu no final de 2019.
 
Apesar de não abordar diretamente os comentários de Trump, Zhao disse aos repórteres que as autoridades da OMS “disseram diversas vezes que não há prova de que o novo coronavírus foi criado em um laboratório”. 
 
 

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS