Mundo ultrapassa marca dos 10 milhões de casos de Covid

28 de junho de 2020, 10:42

Já são mais de 10 milhões de casos confirmados de Covid-19 em todo o mundo (Foto: Reprodução)

(ANSA) – O mundo já registra mais de 10 milhões de casos confirmados do novo coronavírus (Sars-CoV-2), informou neste domingo (28) o Centro Universitário Johns Hopkins. São exatos 10.004.643 infecções, sendo que quatro países representam, praticamente, 50% dos registros em valores absolutos.

Os Estados Unidos contabilizam 2.510.323 casos, seguidos pelo Brasil, com 1.313.667, Rússia 633.542 e Índia 528.859. Todos os quatro ainda não conseguiram controlar a curva de contágio, com milhares de novas contaminações sendo registadas diariamente.

As mortes pela Covid-19 estão quase em meio milhão, em 499.296 até às 9h deste domingo. EUA novamente lideram a lista, com 125.593 vítimas, seguidos pelo Brasil 57.070, Reino Unido 43.598, Itália 34.716 e França 29.781.

As pessoas que são consideradas curadas já ultrapassam os 5 milhões, mas nem todos os países repassam essa informação para a Johns Hopkins. A Organização Mundial da Saúde (OMS) chegou a dizer que acreditava que o número seria batido durante esta semana, mas a marca foi ultrapassada antes do esperado pela entidade. (ANSA).

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS