‘Muito preocupado’, diz comandante sobre resultado da intervenção

20 de março de 2018, 16:12

(Foto: © Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Segundo o comandante do Exército, general Villas Bôas, será apresentada demanda de R$ 1,5 bilhão para custear a segurança no Rio.

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, disse hoje (20) que a equipe de intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro deve fazer ajustes para adequar suas necessidades aos recursos disponibilizados pelo governo.

Segundo Villas Boas, a necessidade de R$ 3,1 bilhões, que chegou a ser mencionada ontem (19) por parlamentares após uma reunião com o interventor, general Braga Netto, é maior do que o total de recursos de que a intervenção de fato vai precisar. De acordo com Villas Bôas, será apresentada uma demanda de cerca de R$ 1,5 bilhão, que cobrirão tanto os passivos já existentes quanto as ações futuras.

“O governo anunciou a possibilidade de disponibilizar R$ 800 milhões. Isso vai exigir que a equipe de intervenção faça os ajustes necessários para otimizar esse recurso disponível e atingir o máximo de efeitos e objetivos”, disse ele, que afirmou desconhecer detalhes dos valores. “Há um componente grande de dívidas e passivos e há um componente do que deve ser para melhorar as estruturas.”

O general foi homenageado nesta terça-feira no Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio de Janeiro, e pediu compreensão com trabalho realizado pela intervenção. “As causas são extremamente profundas, e pedimos a compreensão porque os companheiros que lá estão às voltas com esse tema, quanto mais se debruçam sobre ele, mais verificam sua complexidade. Eles têm procurado manter uma postura de não gerar expectativa, não tomar atitudes espetaculosas e de não inaugurar promessas”, disse Villas Bôas.

Segundo o general, os problemas que prejudicam a segurança pública são resultado de décadas e décadas de omissões e de necessidades básicas não atendidas. “Os resultados virão com o tempo, e as soluções serão realmente de muito longo prazo.”

Villas Bôas disse que está otimista, porém preocupado com os resultados que a intervenção precisará atingir. “Estou otimista e preocupado. Confesso que muito preocupado pela incerteza de que vamos realmente atingir todos os objetivos, mas a nossa determinação, ao sair, é deixar como legado uma mudança nas estruturas, de forma que elas tenham condições para depois por si”, disse o comandante do Exército. Para ele, o resultado das ações vai impactar a imagem das Forças Armadas. “A imagem perante a sociedade será sempre consequência do que nós lograrmos atingir.”

Morte de Marielle

Ao discursar, o general comentou o assassinato da vereadora Marielle Franco, do PSOL, no último dia 14, no centro do Rio, e chamou a atenção para a polarização em torno do homicídio, que considerou injustiticável e terrível.”Vejam o injustificavel assassinato dessa moça. Vejam e verifiquem o potencial que ele adquiriu no sentido de desagregação, de potencializar os ideais de minoria. Como diz o [ex] ministro Aldo Rebelo, o caminho da separatividade da nossa sociedade”, afirmou o general.

“Rapídamente se estabeleceu uma rede de solidariedade internacional, e nos coloca no centro de um problema que extrapola a questão ‘segurança pública’. Vem toda a parte de desigualdade racial, direitos das mulheres, que são coisas que realmente são demandadas pela nossa sociedade”, acrescentou. Com informações da Agência Brasil.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS