Muito frio e chuvas fazem a população da região de Jacobina lembrar o clima de outrora

05 de agosto de 2020, 14:35

Conforme moradores, a cidade de Jacobina há muitos anos não tinha um inverno tão rigoroso (Foto: Notícia Limpa)

Os índices pluviométricos e as baixas temperaturas registradas na região de Jacobina neste ano de 2020 têm chamado atenção. Em mais de 20 anos não havia chovido tanto e com tanta freqüência. Em Jacobina a média histórica mensal que é de 90 mm, tem sido ultrapassada desde o ano passado, com destaque para a chuva torrencial do dia 2 de abril quando o volume de água chegou a quase 200 mm em algumas áreas da cidade, causando diversos estragos, como queda de pontes, desabamentos de casas e destruições de calçamentos.

Nos últimos dias a novidade é o aparecimento do sol, este que há vários anos era uma constante, com a estiagem castigando a produção de alimentos e prejudicando a criação de bovinos e caprinos. Junto com a chuva, a população tem ‘sofrido’ para acostumar com o frio atípico que vem sendo registrado. Durante algumas noites desde o mês maio, a temperatura chegou a 16°C, com sensação térmica de 12°C, índice muito baixo para uma região localizada no semiárido e com o clima tropical como preponderante, quando geralmente a pluviosidade no verão é maior que no inverno.

A temperatura média de Jacobina que é de 24.0ºC, este ano deverá contrariar as estatísticas, assim como a média de pluviosidade anual que é de pouco mais de 800 mm. Enquanto isso, os moradores recorrem aos ‘capotes’ e aos edredons e ‘cobertas de retalhos’ que se encontravam esquecidos nos armários há muito tempo.

“Misericórdia, está fazendo frio demais. Não lembro em ter sentido tanto frio em Jacobina”, reclamou a comerciária Clarice Almeida, moradora de Jacobina, sendo seguida com a mesmo opinião da sua conterrânea, a auxiliar de serviços gerais Maria do Rosário, “muito frio e muita molhação, minha casa está cheia de mofo. Nunca passei tanto tempo encasacada como neste ano”, disse.

História – Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes aos períodos de 1961 a 1970, 1973 a 1980, 1986 a 1989 e a partir de 1993, a menor temperatura registrada em Jacobina foi de 9,6 °C em 21 de agosto de 1966, e a maior atingiu 38,9°C em 19 de dezembro de 1994. Já o maior acumulado de precipitação (chuva) em  24 horas foi de 142,4mm em 6 de janeiro de 1994, com o recorde para um único mês ocorrido em março de 1997, com 821,7 mm.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS