MPT questiona cancelamento de fiscalização contra trabalho escravo

01 de fevereiro de 2018, 13:12

Alegando orçamento insuficiente, Ministério do Trabalho suspendeu trabalho de auditores em todo o país

O procurador geral do Trabalho, Ronaldo Fleury, enviou ofício ao Ministério do Trabalho questionando as razões para a suspensão de operação para fiscalizar situações de trabalho escravo em várias regiões do Brasil. As informações são do site Metrópoles.

Havia previsão de que uma nova etapa da fiscalização fosse realizada na região Norte neste mês, mas o trabalho e foi cancelado por falta de passagens aéreas para os auditores do trabalho e policiais rodoviários federais.

No ofício, o procurador afirma que o corte do orçamento na política de combate ao trabalho escravo no ano passado causou uma “drástica redução do número de operações e trabalhadores resgatados”.

Pesquisa do Observatório Digital de Trabalho Escravo, do MPT mostra queda no número nas operações em relação a 2016: naquele ano, foram 106 operações, com o resgate de 658 trabalhadores, contra 88 fiscalizações e 341 resgatados em 2017.

Em 2017, o Ministério Público do Trabalho (MPT) abriu Ação Civil Pública contra o governo federal para assegurar a realização das operações, que corriam o risco de ser suspensas em setembro por falta de recursos. O corte de verbas determinado pela União no orçamento do Ministério do Trabalho impedia o serviço de auditoria do Grupo Especial de Fiscalização Móvel.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS