Ministros do STF são avisados que são alvos de possíveis ataques terroristas

17 de fevereiro de 2020, 15:28

As conversas da célula terrorista teriam sido captadas em janeiro, na deep web, e teria sido disparada pela Unidade Realengo Marcelo do Valle (Foto: Eraldo Peres)

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, encaminhou aos demais da corte um ofício sigiloso informando que uma célula terrorista pode estar preparando “agressões contra ministros deste tribunal”. As informações são de Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

A PF comunicou inicialmente o ministro Alexandre de Moraes, relator do relator do processo que investiga ataques ao Supremo. Moraes, então, repassou a informação a Toffoli, que enviou um ofício aos colegas alertando sobre os riscos e recomendando que reforçassem seus protocolos de segurança.

Segundo a PF, os supostos terroristas teriam dito, nas mensagens interceptadas, que os ministros mantém uma rotina que facilita o contato físico e visual. E, portanto, seriam autoridades de fácil acesso.

As conversas da célula terrorista teriam sido captadas em janeiro, na deep web, e teria sido disparada pela Unidade Realengo Marcelo do Valle.

Os ministros do STF receberam o ofício de Toffoli na quarta (12) e teriam ficado apreensivos com a informação, segundo Bergamo.

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS