Medina, Mineirinho e Filipinho avançam na abertura da etapa do Taiti

25 de agosto de 2019, 07:56

(Foto: Pedro Nunes/Reuters)

Medina teve desempenho discreto em sua estreia, mas conseguiu avançar uma etapa – 

Após três dias de poucas ondas e condições desfavoráveis, a etapa do Taiti do Circuito Mundial de Surfe teve início neste sábado. E os brasileiros não decepcionaram em Teahupo’o. Gabriel Medina, Filipe Toledo e Adriano de Souza, o Mineirinho, avançaram direto à terceira fase da sétima etapa da temporada.

Bicampeão mundial, Medina teve desempenho discreto em sua estreia, logo na bateria de abertura da competição. Com 6,13, ele foi superado pelo australiano Soli Bailey (9,50), mas bateu o compatriota Peterson Crisanto (0,77). Assim, não teve problemas para avançar neste início de etapa, nas ondas abaixo do esperado deste sábado.

Melhor brasileiro no ranking da temporada, Filipinho também ficou em segundo lugar em sua bateria. Foi batido pelo francês Joan Duru (9,37), mas, com 8,70, o segundo colocado do ranking superou o havaiano Tyler Newton (3,54).

Também na briga pelas primeiras posições do campeonato, Italo Ferreira foi o único brasileiro a vencer uma bateria neste sábado. Com 12,16, deixou para trás o francês Kauli Vaast (7,07) e o havaiano Sebastian Zietz (1,20). Ele ocupa atualmente o quarto lugar na temporada.

Dono de um título mundial, Mineirinho ficou em segundo lugar em sua disputa, sendo superado pelo japonês Kanoa Igarashi (8,83). Com 5,50, o brasileiro ganhou do compatriota Caio Ibelli (3,70), que precisará passar pela repescagem neste domingo, assim como Crisanto, Michael Rodrigues e Jessé Mendes.

Jadson Andre, Yago Dora, Deivid Silva e Willian Cardoso também avançaram em suas baterias. Eles devem cair na água neste domingo a partir das 14 horas (horário de Brasília), na próxima chamada da competição.

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS