Médicos consideram discurso de Bolsonaro ‘intolerável e irresponsável’

30 de março de 2020, 08:06

Entidades de saúde criticaram o discurso de Bolsonaro contra o distanciamento social (Foto: Reprodução)

Entidades de saúde coletiva e da bioética divulgaram um manifesto neste domingo (29) considerando “intolerável e irresponsável o discurso de morte” feito pelo presidente Jair Bolsonaro na noite de 24 de março, em cadeia nacional de rádio e TV.

Para as entidades, a manifestação de Bolsonaro foi “incoerente e criminosa” e nega o conjunto de evidências científicas que vem pautando o combate à pandemia da Covid-19 em todo o mundo, “desvalorizando o trabalho sério e dedicado de toda uma rede nacional e mundial de cientistas e desenvolvedores de tecnologias em saúde”.

O manifesto também reforça que o ato de Bolsonaro “desrespeita o excelente trabalho da imprensa e de numerosas redes de difusão de conhecimento, essenciais para o esclarecimento geral sobre a Covid-19, e desmobiliza a população a dar seguimento às medidas fundamentais de contenção para evitar mortes”.

Segundo as entidades, essas medidas cruciais têm sido encaminhadas com muito esforço pelas autoridades municipais e estaduais, implantadas por técnicos e profissionais do SUS, os quais vêm expondo suas vidas a risco para salvar pessoas.

“Além disso, Bolsonaro comete o crime de infração de medida sanitária preventiva, a ser enquadrado no art. 268 do Código Penal Brasileiro, ao desrespeitar ‘determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa'”.

As entidades reforçam os efeitos nocivos os posicionamentos do presidente da República sobre a grave situação epidemiológica que o país enfrenta.

“Seu pronunciamento perverso pode resultar em mais sofrimento e mortes na já tão sofrida população brasileira, particularmente entre os segmentos vulnerabilizados em nosso país.”

Para elas, as instituições da República “precisam reagir e parar a irresponsabilidade do ocupante da cadeira de presidente antes que o caos se torne irreversível”.

Assinam o manifesto as seguintes entidades:

Associação Brasileira de Saúde Coletiva

Centro Brasileiro de Estudos da Saúde

Associação Brasileira de Economia da Saúde

Associação Brasileira da Rede Unida

Associação Brasileira de Enfermagem

Associação Paulista de Saúde Pública

Sociedade Brasileira de Bioética

Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares

Associação Brasileira de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora

Frente Ampla em Defesa da Saúde dos Trabalhadores

Associação Brasileira dos Terapeutas Ocupacionais

Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social

Federação Nacional dos Psicólogos

Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde

Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro

Movimento Nenhum Serviço de Saúde a Menos

Associação Brasileira de Médicas e Médicos pela Democracia

Associação Brasileira de Nutrição

Federação Nacional dos Farmacêuticos

Associação Brasileira de Educação Médica

Conselho Federal de Nutrição

Conselho Federal de Serviço Social

Federação Nacional dos Enfermeiros

Associação Brasileira de Ensino em Fisioterapia

Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnicos-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS