JMC e Defesa Civil instalam placas informativas nas comunidades próximas a empresa, conforme estabelece a lei

23 de outubro de 2019, 17:42

(Foto: Ascom/Yamana Gold)

Iniciativa reforça cultura de prevenção da empresa, que em dezembro realizará teste inédito com sirenes de emergência

Depois da realização bem-sucedida do Primeiro Simulado de Barragens, a Jacobina Mineração e Comércio (JMC) e a Defesa Civil de Jacobina continuam implementando medidas de combate a emergências em Jacobina. A etapa atual é a reinstalação de placas de sinalização em bairros da cidade e promoverão, ainda este ano, um teste inédito na região Nordeste para simular o uso das novas sirenes. O teste, será realizado com os quatro alarmes dispostos no entorno da barragem da JMC, alcançando o perímetro que se estende de Canavieiras até o bairro do Nazaré. O investimento nos equipamentos chegou a R$ 1,5 milhões.

Conforme recomendações do Ministério Público e da Defesa Civil do Estado, as placas instaladas para o primeiro simulado, que ocorreu em fevereiro, foram substituídas por um modelo mais moderno e com informações mais claras para a população. “As placas estão sendo substituídas, algumas realocadas e outras estão sendo afixadas em comunidades que não tinham sido envolvidas na primeira etapa do simulado, sempre seguindo orientações da legislação e buscando garantir o acesso adequado dos moradores”, afirma o Gerente de Serviços Técnicos, Edvaldo Amaral. As sinalizações indicam rotas de fuga e pontos de encontro. “Esses locais foram definidos conforme a Portaria nº 70.389/2017 da Agência Nacional de Mineração (ANM) que orienta a instalação de placas e a realização de treinamento com as comunidades no perímetro de 10 km do empreendimento. São locais seguros e de fácil acesso a pé”, complementa o Engenheiro de Barragem, Lucas Vidal.

Em um ano, a empresa promoveu mais de dez reuniões comunitárias nos bairros do Pontilhão, Pontilhão de Canavieiras, Canavieiras, Novo Amanhecer, Jacobina IV, Morada do Sol, Jacobina III, Lagoa Dourada I e II, Cidade do Ouro, Anadissor e Nazaré, no intuito de informar a população sobre o comportamento seguro em situações de emergência , planejamento do simulado e a instalação das placas de sinalização.

A JMC reforça que suas duas barragens estão completamente seguras, com pleno atendimento aos requisitos técnicos e legais. O simulado, a instalação dos equipamentos e placas de sinalização fazem parte da cultura de prevenção da JMC e do compromisso em atender as exigências legais, que inclui ainda o monitoramento constante da segurança da barragem e os controles ambientais necessários para uma atuação responsável e transparente. “Estamos sempre abertos para ouvir, esclarecer dúvidas e apresentar as medidas de segurança de nossas operações através do programa Portas Abertas”, comenta a analista de comunicação da JMC, Elisangela Lopes. As instituições e/ou grupos que tenham interesse em agendar uma visita podem entrar em contato com a equipe de comunidades e comunicação por meio do telefone (74) 3621- 8110.

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS