Jacobina ultrapassa a marca dos 800 casos confirmados de coronavírus

06 de outubro de 2020, 17:20

10 pessoas já perderam a vida para a doença no município (Foto: Notícia Limpa)

De acordo com o Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde, divulgado na tarde desta terça-feira (6), o número de infectados pelo novo coronavírus em Jacobina ultrapassa a 800 casos. Desde a confirmação do primeiro caso na cidade, em 3 de abril deste ano, 10 pessoas perderam a vida para a Covid-19.

No informativo oficial que é divulgado no site da Prefeitura, consta que 806 pessoas já foram contaminadas, 619 já estão curadas da doença, 265 exames aguardam resultado do Laboratório Central da Bahia (Lacen) e dos cinqüenta leitos de enfermaria disponíveis no Hospital Regional Vicentina Goulart (HRVG), Centro de Referência para pacientes da Covid-19, apenas 4 estão ocupados. 2 pessoas estão internadas em hospitais de Salvador.

Durante entrevista em uma emissora de rádio local, na manhã desta quinta-feira, o prefeito Luciano Pinheiro anunciou que os 10 leitos de UTI´s que o município recebeu deverá ser entregue no próximo dia 18 de outubro, deste ano.

Após a flexibilização, com a abertura total do comércio, Jacobina passou a ter uma média diária de mais de 6 casos.Entre o dia 3 de abril até o dia 31 de maio, quando serviços essenciais e não essenciais voltaram a funcionar haviam 45 contaminados, uma média de pouco mais de um caso por dia.

Um dado chama a atenção, no mapeamento de casos por gênero e faixa-etária, mulheres com idades entre 20 e 29 se contaminaram mais que os homens na mesma faixa etária: 91 contra 75.

O bairro com maior número de infectados é o Leader, com 75 casos, seguido por Mundo Novo (72), Félix Tomaz (65), Peru (51), Centro (43) e Serrinha (38). Entre as comunidades rurais o maior distrito do município, o Junco é líder com 49 casos, depois aparece Lages do Batata (23), Pé de Serra (15), Caatinga do Moura 14, Novo Paraíso (12) e Tombador  com 10

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS