Jacobina: Prefeito não renova decreto e comércio é autorizado a funcionar (Fotos)

20 de abril de 2020, 16:10

(Foto: Notícia Limpa)

A cidade de Jacobina amanheceu nesta segunda-feira (20), com todo o seu comércio aberto. Depois de exatos 30 dias após a publicação do seu primeiro Decreto, onde, por medida preventiva, segundo a redação do documento, determinava o fechamento de todos os estabelecimentos comerciais do município, com exceção de serviços considerados essenciais, o prefeito Luciano Pinheiro decidiu por atender a solicitação de empresários e relaxou as medidas de isolamento social que prevêem a contaminação do novo coronavírus.

No dia 4 de abril a Secretaria de Saúde chegou a anunciar oficialmente o primeiro caso de Covid-19 no município. Conforme a informação passada pelo próprio chefe do Executivo, a pessoa acometida seria uma jovem de 27, moradora do interior da cidade. Após a confirmação da presença da doença em Jacobina, dois decretos foram publicados (dia 29 de abril e 9 de março), no último, que tinha validade até a meia noite deste domingo (19), as exigências já não eram como nos que o antecederam e boa parte de serviços já estavam liberados.

A abertura das lojas do centro comercial de Jacobina está autorizada das 8 às 14 horas, no sistema de ‘turnão’, já nas demais cidades da região, como Miguel Calmon, Piritiba e Capim Grosso o comércio continua fechado.

Na Rua Coronel Teixeira (Calçadão), a movimentação não foi tão intensa como nas imediações das agências bancárias

A decisão do prefeito de Jacobina é criticada por uma grande parte da população, principalmente dos que preferem acompanhar as orientações das autoridades médicas, principalmente da Organização Mundial de Saúde, que pedem que se obedeça e pratique o isolamento social para frear a velocidade da disseminação do novo coronavírus que já contaminou mais de 2,4 milhões de pessoas e matou mais de 160 mil em todo o mundo.

Como tem acontecido desde o anúncio do Auxílio Emergencial, as casas lotéricas concentra um grande número de pessoas em busca do benefício

Mas existem também os que elogiaram a determinação da abertura. Os que acreditam que o prefeito teve uma iniciativa positiva alegam que a queda das vendas com o comércio fechado contribuíra para, além do prejuízo econômico, um caos social, pois as pessoas não irão ter como se manter, comprar alimentos, sem a circulação do dinheiro.

Para falar sobre o assunto, o Notícia Limpa tentou contato com o prefeito de Jacobina e sua assessoria de comunicação mais não teve êxito

Na Rua Senador Pedro Lago a fila para atendimento na Agência da Caixa Econômica chegava no prédio da Prefeitura Municipal

 

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS