Ir de bicicleta para o trabalho é mais perigoso do que parece

15 de março de 2020, 14:50

Estes são os resultados de um estudo publicado esta quarta feira na revista médica BMJ (Foto: Reprodução)

O medo de lesões associado ao ciclismo impede muitas pessoas de se descolarem de bicicleta para o trabalho, ainda que a prática seja benéfica para a saúde e para o ambiente. Será que esta preocupação tem fundamento? Os resultados de um estudo, publicados esta quarta-feira na revista médica BMJ, afirmam que sim.

Os investigadores descobriram que o deslocamento de bicicleta estava associado a um risco 45% maior de admissão num hospital por motivos de lesão, em comparação com outros métodos de deslocamento. Apesar disso, ressaltam que os benefícios do ciclismo para a saúde são consideráveis, estando associados a um menor risco de cancro, doenças cardiovasculares e morte prematura.

O estudo teve em conta alguns participantes que foram recrutados entre 2006 e 2010 como parte de um conjunto de dados mais amplo do Biobank, do Reino Unido, e acompanhados por uma média de 8,9 anos. 

Entre as pessoas que pedalaram para o trabalho, 7% ficaram feridas e 6% das pessoas que pedalaram apenas por parte do trajeto ficaram feridas. Em contrapartida, apenas 4,3% dos passageiros que viajaram de carro ou transporte público ficaram feridos. Caminhar para o trabalho não foi associado a um maior risco de lesões.

 

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS