Grupo Petrópolis produz álcool 70% para doação na Bahia

06 de abril de 2020, 12:16

Cerca de 100 mil unidades de álcool 70% serão produzidas na fábrica do Grupo Petrópolis (Foto: Reprodução)

O Grupo Petrópolis está trabalhando em parceria com o Governo do Estado na luta contra o avanço da Covid-19 na Bahia. Desde que anunciou a produção e envase de álcool 70%, em Alagoinhas, para a distribuição aos seus colaboradores, a companhia foi procurada pelo Governo do Estado para firmar uma ação de reforço no controle da pandemia.

Cerca de 100 mil unidades de álcool 70% serão produzidas na fábrica do Grupo Petrópolis. A solução antisséptica com glicerina é elaborada a partir do álcool extraído da cerveja e pelo álcool cedido pelo Estado por meio da doação de usinas localizadas no estado.  

Envasado em embalagens PET de 500 ml, o produto é entregue ao Governo do Estado, que está responsável por fazer o repasse às prefeituras e aos órgãos de saúde, além de outras instituições entidades assistidas pelo SUS. A parceria já atende dezenas de cidades baianas, a exemplo de Salvador, Feira de Santana, Alagoinhas, Terra Nova, entre tantas outras. 

Além da distribuição da solução antisséptica e a ampliação da comunicação sobre hábitos seguros, desde o início da crise da Covid-19 o Grupo Petrópolis adotou todas as medidas de prevenção necessárias, como home office e férias aos colaboradores, regras de horários alternativos para uso dos refeitórios e proibição de viagens sem urgência, entre outras ações.

PORTAL CBN| CENTRO BRASILEIRO DE NOTÍCIAS/ SECOM 

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS