Golpe da cerveja já atingiu 159 mil brasileiros no ‘zap’

18 de abril de 2020, 08:04

Desde que foi identificado, o golpe passou de 55 mil para 159 mil pessoas em apenas 4 horas (Foto: Reprodução)

Mais um golpe no WhatsApp tem potencial para atingir milhares de vítimas no Brasil. Dessa vez, a oferta de cerveja tem levado muitos usuários a fornecerem dados para criminosos na internet. O dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, identificou mais de 159 mil potenciais vítimas de um golpe que promete cervejas da marca Heineken de graça.

Pelo aplicativo, essas pessoas receberam um link, supostamente da marca de cerveja, com algumas perguntas sobre idade e preferência da bebida. Em seguida, havia o direcionamento para uma página dizendo que usuário ganhou quatro barris de cerveja de graça. Mas a informação é falsa.

Após a mensagem, o site pede para que a pessoa compartilhe o link com outros contatos do WhatsApp para receber o prêmio. No compartilhamento, o usuário acaba abrindo um canal para que os criminosos enviem notificações e outros links maliciosos.

Segundo Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, a intenção dos cibercriminosos é roubar dados pessoais e levar os usuários para visualizar páginas de publicidade excessiva. O diretor ainda orienta que os golpes se aproveitam de assuntos em alta, como a quarentena por conta da pandemia de coronavírus, por exemplo, para parecer convincente.

Os cuidados, de acordo com Simoni, precisam, então, ser redobrados para não cair nos golpes. Sempre verificar a origem do link e o endereço da URL podem ajudar a identificar sites falsos. Na dúvida, não clique em links duvidosos nem forneça informações pessoais em sites que pareçam suspeitos.

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS