Gatos são tão afetuosos quanto os cães, revela pesquisa

26 de setembro de 2019, 11:20

O estudo afirma que os gatos são animais sociáveis e que podem se apegar tanto aos seus donos como os cachorros (Foto: Reprodução)

Um estudo realizado nos Estados Unidos afirma que os gatos também são muito apegados aos humanos e ficam assustados em ambientes estranhos. A pesquisa surpreendente, publicada no periódico científico Current Biology, afirma que os gatos são animais sociáveis e que podem se apegar tanto aos seus donos como os cachorros. 

“Como os cães, os gatos demonstram flexibilidade social em relação aos seres humanos”, disse Kristyn Vitale, da Universidade Estadual de Oregon, nos Estados Unidos. “A maioria dos gatos está ligada ao seu tutor e o usa como fonte de segurança num ambiente novo”. 

Para efeitos da pesquisa, os investigadores observaram como os gatos lidavam com a presença dos donos num ambiente estranho para determinar se os animais se sentiam “afetuosos” ou “inseguros”. Neste caso, a insegurança foi entendida como um comportamento de stress, no qual o bichano se “agarrava” ou evitava em excesso a pessoa. 

O teste foi realizado uma vez com 38 gatos adultos e duas vezes com 79 crias – destes, 39 gatinhos realizaram um treino de socialização durante seis semanas. 

Por meio de gravações, os cientistas conseguiram classificar o comportamento dos felinos. Dos 79 filhotes, apenas nove não entraram em nenhuma classificação. Do restante, 64,3% foram categorizados como “afetuosos” e 35,7% como “inseguros” no momento em que os donos abandonavam a sala. 

Os gatos adultos apresentaram taxas semelhantes, 65,8% mostraram-se afetuosos e 34,2% inseguros. 

“Na minha opinião, é muito importante tentar interagir com seu gato e ver o que acontece”, declarou Vitale. “Existe a ideia de que os cães são sociáveis e os gatos são isolados. Mas existe uma enorme variabilidade nas duas espécies”. 

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS