Frente fria muda direção de nuvem de gafanhotos que se aproximava do Brasil

25 de junho de 2020, 15:24

De acordo com o último boletim divulgado pelo governo argentino, a localização da nuvem era imprecisa devido ao tempo nublado (Foto: Reprodução)

Com o avanço de um frente fria e a chuva no Sul do Brasil, a nuvem de gafanhotos deve permanecer na Argentina. O governo do Rio Grande do Sul tem monitorado o avanço dos animais desde terça-feira (23) quando o país argentino emitiu um alerta de que a nuvem estava próximo à fronteira com o Brasil.

A nuvem de gafanhotos veio do Paraguai e seu deslocamento é influenciado pela direção dos ventos e a ocorrência de altas temperaturas. Ao G1,  o chefe da divisão sanitária do governo gaúcho Ricardo Felicetti informou que o monitoramento por parte do governo é feito com troca de informações constantes com a Argentina.

De acordo com o último boletim divulgado pelo governo argentino, a localização da nuvem era imprecisa devido ao tempo nublado. Até o momento, nenhum produtor avistou o inseto na Fronteira Oeste.

Nesta quinta-feira (25), a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, decretou estado de emergência  fitossanitária no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O decreto permite aos governos mais agilidade na hora de adotar medidas contra uma situação de anormalidade deste tipo. Entre as medidas de defesa estão o uso de produtos químicos e agrotóxicos no controle da praga.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS