Filme mais antigo do mundo já está disponível no Youtube

24 de agosto de 2020, 08:41

Inteligência artificial permitiu reconverter longa-metragem de 1888 (Foto: Reprodução)

Ofilme mais antigo do mundo, ‘Roundhay Garden Scene’, realizado por Louis Le Prince, em 1888, foi reconvertido numa longa metragem de alta resolução e compartilhado, posteriormente, no Youtube.

“Em 1888, quando o Brasil assinava a Lei Áurea, a Torre Eiffel era construída e o ‘serial killer’ Jack, o Estripador estava à solta nas ruas de Londres, o inventor francês Louis Le Prince gravava num jardim o ‘Roundhay Garden Scene’, que é considerado o filme mais antigo da história. Mal imaginava que, 132 anos depois, o seu vídeo, de 20 frames seria convertido num vídeo com 250 frames e, ainda por cima, em alta resolução”, constata a publicação Galileu.

O autor deste feito é o polaco Denis Shiryaev, um apaixonado por inteligência artificial. Quando pegou no projeto, o jovem tinha apenas uma única imagem, com os 20 frames de ‘Roundhay Garden Scene’, que fazem parte de uma coleção do Museu da Ciência de Londres, no Reino Unido.

Conta a revista, que Denis separou cada um dos frames em diferentes fotos, alinhando-os com a ajuda de algoritmos e corrigindo a luminosidade de cada um deles.

Depois, adicionou um pouco de cor e usou uma rede neural artificial para criar novos frames, o que deu ao vídeo movimentos mais fluidos.

Para deixar o filma ainda mais moderno, o polaco ainda colocou som ambiente de um jardim e colocou os rostos das pessoas mais nítidos.

O processo, assim como o vídeo, estão disponíveis para visualizar no canal de Denis no Youtube. No mesmo canal, o polaco reúne outras reconversões de filmes antigos.

Denis Shiryaev é diretor de produto de uma empresa especializada neste tipo de trabalhos, a Neural.love.

Já Louis Le Prince é considerado um dos pioneiros do cinema. Além do ‘Roundhay Garden Scene’, o francês também filmou ‘Traffic Crossing Leeds Bridge’, ‘Accordion Player’ e ‘Man Walking Around A Corner’ e tudo com uma câmara de lente única e filme de papel.

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS