Ex-namorado suspeito de matar universitária é preso na Bahia

29 de novembro de 2019, 20:22

Ele é filho de um juiz aposentado, apresentou-se espontaneamente em uma delegacia em Feira de Santana (Foto: Reprodução)

O suspeito de matar a estudante universitária e líder quilombola Elitânia de Souza da Hora, 25, em Cachoeira (a 120 km de Salvador) foi preso no início da tarde desta sexta-feira (29). José Alexandre Passo Goes Silva, 34, que era ex-namorado da vítima e é filho de um juiz aposentado, apresentou-se espontaneamente em uma delegacia em Feira de Santana (109 km de Salvador).

Elitânia foi baleada por volta das 22h40 de quarta-feira (29), quando voltava das aulas do da UFRB (Universidade Federal do Recôncavo Baiano). Ela chegou a ser levada para um hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos.

O ex-namorado da vítima era apontado pela Polícia Civil como principal suspeito do crime. Ele não aceitava o fim da relação e chegou a agredir e ameaçar a estudante. Ela tinha, inclusive, uma medida protetiva que impedia a aproximação do suspeito.

Aluna do 7º semestre do curso de Serviço Social da UFRB, Elitânia se preparava para defender seu trabalho de conclusão de curso que tinha o feminicídio como tema central.

Ela  atuava como secretária da Associação de Mulheres do Quilombo do Tabuleiro da Vitória e Adjacências, entidade que prestava apoio a oito comunidades quilombolas da zona rural de Cachoeira.

Presidente da entidade, a advogada Maria das Graças Brito, conhecida como Maria de Totó, afirmou que o crime chocou toda a comunidade. Semanas antes, ela havia acompanhado a estudante em seu depoimento à polícia, no qual denunciou agressões e ameaças do ex-namorado.

“Estivemos na delegacia há poucos dias para agilizar o processo, mas já foi tarde demais, o ódio foi mais forte”, afirmou Maria de Totó. 

De acordo com a líder quilombola, Elitânia era uma jovem promissora e que atuava em defesa das comunidades da região: “Era uma menina maravilhosa, tão boa que durou pouco. Estamos todos muito tristes”, afirmou. 

Elitânia também atuava em projetos para o desenvolvimento do turismo nas áreas quilombolas.

Coordenadora de Turismo Étnico da secretaria de Turismo da Bahia, Tâmara Azevedo, lembra que Elitânia foi uma das primeiras jovens da comunidade a entrar na universidade. 

“Ela era um verdadeiro orgulho para todos. Queria se formar e voltar para atuar dentro da sua comunidade. Mas esse sonho acabou nesta madrugada”, afirmou. 

Com a morte da aluna, o reitor em exercício da UFRB, José Pereira Mascarenhas Bisneto, declarou luto oficial de três dias e suspendeu as aulas no Centro de Artes, Humanidades e Letras da universidade nesta quinta-feira (28). 

Em nota, a reitoria da UFRB informou que “as terríveis circunstâncias do crime contra Elitânia causam tristeza e indignação de toda a comunidade acadêmica”. 

A universidade informou que está em contato com a família para prestar assistência, manifestou apoio e solidariedade aos amigos e familiares e afirmou que “deposita sua confiança nas autoridades para que a justiça seja feita”.

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS