Ex de Briatore diz que Schumacher só se comunica com os olhos

25 de setembro de 2020, 16:05

Elisabetta Gregoraci, ex-mulher do empresário Flavio Briatore, disse que o alemão Michael Schumacher só se comunica com os olhos (Foto: Reprodução)

A modelo italiana Elisabetta Gregoraci, ex-mulher do empresário Flavio Briatore, disse na quinta-feira que o alemão Michael Schumacher, heptacampeão mundial de Fórmula 1, só se comunica com os olhos e é mantido sob cuidados graças a um hospital montado dentro da casa da família. Elisabetta teve informações sobre o alemão porque o ex-marido foi empresário de Schumacher e é um grande amigo do ex-piloto.

Os detalhes foram revelados durante conversa de Elisabetta na versão italiana do reality show Big Brother. Ao ser questionada por um colega da casa sobre o estado de saúde de Schumacher, a modelo afirmou que o alemão recebe poucas visitas. “Ele não fala. Ele se comunica com os olhos e apenas três pessoas podem ir vê-lo”, disse a modelo, que foi casada com Briatore de 2008 até 2017.

Segundo Elisabetta, a família de Schumacher deixou a Suíça para morar na Espanha. “Eles se mudaram para a Espanha e sua esposa fez um hospital na casa”, revelou. O alemão sofreu um grave acidente de esqui no final de 2013 em Meribel, no sul da França. O ex-piloto teve graves lesões cerebrais e desde que deixou o hospital as informações sobre o estado de saúde dele têm sido mantido sob sigilo.

A mulher de Schumacher, Corina Betsch, revelou recentemente que o marido continua reagindo lentamente ao tratamento. O filho do casal, Mick Schumacher, tem se destacado na atual temporada da Fórmula 2, mas também evita comentar informações sobre o estado de saúde do pai.

Maior campeão da história da Fórmula 1, Schumacher somou sete títulos mundiais e 91 vitórias. No entanto, pode ser superado pelo inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, ainda neste ano. O piloto da Mercedes está a um triunfo de igualar o alemão e é o favorito para vencer a temporada deste ano e chegar, assim, à sétima conquista.

Principais sintomas físicos e mentais da abstinência de nicotina

A síndrome de abstinência de nicotina provoca inúmeros sintomas nos ex-fumantes. Contudo, explica um artigo publicado no portal Melhor Com Saúde, esses efeitos colaterais variam em intensidade dependendo da pessoa. 

O fato da nicotina ser uma droga muito viciante faz com que o hormônio conhecido como dopamina seja liberado no cérebro – este hormônio é responsável por aumentar a sensação de prazer e bem-estar. E como tal, o organismo reage negativa e violentamente à ausência da droga.

Ainda assim, a síndrome de abstinência de nicotina não representa qualquer risco para a saúde. Estima-se que os sintomas associados à condição afetam até 85% dos ex-fumantes. 

Os sintomas desta síndrome variam, mas, sem dúvida alguma, o mais comum é a vontade de fumar que pode surgir na presença de múltiplos estímulos, como por exemplo ver outra pessoa fumar, ou inclusive sem uma causa aparente.

Os principais sintomas da síndrome de abstinência da nicotina são os seguintes, de acordo com o portal Melhor Com Saúde:

Sintomas físicos

Aumento do apetite
Tosse
Boca seca
Dor de cabeça
Tontura
Fadiga
Coriza (inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo)
Dor de garganta, na língua ou gengivas
Sensação de aperto no peito
Ganho de peso
Frequência cardíaca mais lenta ou bradicardia
Obstipação
Hipotensão

Sintomas mentais

Ansiedade, inquietação e irritabilidade
Dificuldade em se concentrar
Insônia e dificuldade para dormir bem
Raiva e frustração
Depressão
Desânimo
Mau humor

Os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina normalmente duram de 4 a 12 semanas e surgem nas primeiras 12 a 24 horas após parar de fumar. 

Os especialistas explicam que a fase mais critica são as primeiras duas a três semanas de cessação tabágica. Sendo que os sintomas começam gradualmente a desaparecer e, com o tempo o indivíduo aprende a controlar o desejo de fumar. 

VÍDEOS