Em esforço global, cientistas criam mapa genético da depressão

28 de abril de 2018, 16:24

Resultado identificou 44 genes relacionados a formas severas da doença.

Embora a depressão afete 14% da população mundial, apenas metade dos pacientes responde bem aos tratamentos a que são submetidos. Com o objetivo de tratar a doença de forma mais eficaz, duzentos cientistas de mais de 161 instituições em todo o mundo juntaram esforços para criar um mapa genético da depressão. O resultado, publicado na ‘Nature Genetics’ mostra que pesquisadores conseguiram identificar 44 genes relacionados a formas severas da doença.

O estudo faz parte do “Psychiatric Genomics Consortium” e foi coordenado por três instituições: Kings College London (Reino Unido), da Universidade da Carolina do Norte (EUA) e da Universidade de Queensland (Austrália). O levantamento considerou dados de 135 mil pacientes depressivos e 344 mil pessoas que não apresentam quadro da doença.

De acordo com o G1, a pesquisa tem como base estudos anteriores que garantem que hereditariedade tem um peso importante na ocorrência de quadros depressivos. Dos 44 genes mapeados, 30 foram descritos de forma inédita nesta iniciativa. Agora, a descoberta abre portas para o surgimento de terapias e tratamentos mais específicos para a condição.

Como aumentar a imunidade rapidamente 

Para aumentar a imunidade rapidamente deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores deve-se:

Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;

Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;

Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;

Consumir alimentos saudáveis e manter uma dieta equilibrada, que inclua o consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos ou produzidos em casa sem agrotóxicos;

Evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contém substâncias que promovem a inflamação do organismo;

Evitar tomar remédios sem orientação médica;

Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias. 

Além disso, caso tenha alguma doença causada por vírus, como gripe, por exemplo, é importante evitar frequentar lugares públicos fechados, como shopping, teatros e cinemas, além de ser importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão, assim como evitar tocar os olhos, nariz e a boca com as mãos sujas. Dessa forma, é possível reduzir o risco de adquirir a doença e de haver o desenvolvimento de complicações, principalmente no caso da pessoa possuir o sistema imunológico mais fraco.

VÍDEOS